Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Search the Community

    Showing results for tags 'herança'.



    More search options

    • Search By Tags

      Type tags separated by commas.
    • Search By Author

    Content Type


    Forums

    • Finanças
      • Créditos
      • Bancos
      • Seguros
      • Imóveis
      • Incumprimento e Penhoras
      • Poupar dinheiro
      • Investimentos
    • Fiscalidade e Trabalho
      • Impostos
      • Segurança Social
      • Direitos do trabalhador
      • Trabalho por conta própria
      • Heranças
    • Geral
      • Apresentações
      • Diversos
    • Fórum
      • Regras

    Find results in...

    Find results that contain...


    Date Created

    • Start

      End


    Last Updated

    • Start

      End


    Filter by number of...

    Found 204 results

    1. Boa tarde, Somos 5 irmão herdeiros, neste momento estamos a preparar a partilha de bens (óbito de pai e partilha de bens em vida da mãe). Os meus pais foram fiadores num crédito habitação de um irmão que está insolvente e cujo imóvel foi vendido pelo administrador de insolvência ficando uma divida ainda de 40.000 euros. No próximo ano termina a insolvência do meu irmão e a divida irá passar para os fiadores (pai e mãe) existe já contactos telefónicos de uma empresa de cobrança de dívidas com a minha mãe... A minha irmã, com o acordo de todos, vai receber metade da casa dos meus pais, e o restante é partilhado entre os irmãos (tornas), se a escritura for feita antes do fim da insolvência do meu irmão a casa (como bem herdado) está a salvo de penhoras por parte do banco? O banco pode penhorar o quinhão de cada irmão mesmo que a partilha tenha sido feita antes do fim da insolvência do irmão devedor? O nosso interesse é salvar a casa dos meus pais... de notar que na escritura de doação e partilha a minha mãe fica com usufruto... Estando a casa em nome da minha irmã o banco pode penhorar na mesma? Como podemos proteger a casa? A minha irmã terá de vender a casa aos filhos para impedir a penhora? Agradeço desde já toda a ajuda e esclarecimentos Obrigada
    2. Paulo Alves

      Herança e o seu direito de preferência

      Olá! Se uma herança, estiver divida entre os herdeiros A, B e C. Todos concordarem vender a um individuo X e essa venda for escriturada e oficializada. Mas no final, esse X vender a um individuo Y, algum dos herdeiros A, B ou C pode impugnar a venda? ou alegar algum direito de preferência?
    3. superkinas

      Herança e IRS

      Estou neste momento a fazer divisão herança (casa e terrenos) com minha irmã. minha mae ainda é viva, sempre foi domestica e nunca fez ir. o meu pai já faleceu. Alguns dos terrenos que irão ficar na minha parte pretendo vender. Se eu passar estes terrenos para meu nome quando os vender terei declarar IRS certo ? Todavia se continuarem em nome minha mae e ela os vender não tenho que colocar no IRS. Em resumo não convem passar predios que pretendo vender para meu nome pois quando os vender vou pagar em IRS, estou correto ?
    4. CMCS

      Herança complicada

      Boa noite, Sou cabeça de casal de uma herança em que o unico bem é um apartamento. Esta herança ja de si só é uma complicação, são 21 herdeiros e alguns não me querem passar procuração para poder colocar o apartamento á venda. Um deles tem a esposa com Alzheimer e para me poder passa a procuração necessita de uma declaração da esposa que estando com Alzheimer não tem essa capacidade e tera de se iniciar um processo de interdição Mas a minha questão tem a ver com seguinte: - as unicas despesas com o apartamento são o condominio e o IMI mas um dos herdeiros recusa-se a pagar a sua parte destas despesas. Como agir nesta situação? Obrigado.
    5. Guest

      Herança conta conjunta

      Bom dia. Aquando da morte do meu pai, a minha mãe passou o dinheiro que partilhava com ele para uma conta conjunta comigo sendo eu o segundo titular da conta. Tenho um irmão que tem dividas ao estado e por isso e a bem, repudiou a parte da herança que lhe cabia a ele e à esposa. A minha dúvida é a seguinte, visto que por questões familiares e pessoais, a nossa relação como irmãos não é a melhor... No caso do falecimento da minha mãe (espero que dure muitos anos!!), como fica a situação da conta conjunta? Imaginemos por exemplo (números redondos) que tenho 100 mil euros na conta conjunta com a minha mãe. Posso movimentar o dinheiro para outra conta? Como se processa a divisão da herança desse dinheiro? Tenha na ideia que como é uma conta minha e da minha mãe, metade do dinheiro seria para mim, e a outra metade divide-se por mim e pelo meu irmão. Estou certo? É possivel a minha mãe fazer-me uma doação da casa que tem ou doação para o meu irmão não ter direito a essa parte? Ou fazer uma doação/ venda à minha namorada? Não somos casados, apenas vivemos em união de facto(visto que aparentemente o estado vai buscar um grande valor por estar a dever ao estado)? Desde já muito obrigado a quem se souber ajudar. Cumprimentos, Provedor 81
    6. Lafa

      Herança no estrageiro

      Boa tarde, Pedia que me ajudassem a esclarecer uma dúvida. O meu cunhado faleceu no estrangeiro, onde tinha a sua vida, não tinha filhos e não era casado. A minha esposa segundo as leis do pais herdou a casa dele e está a pagar o devido imposto. É necessário pagar esse mesmo imposto relativo à herança em Portugal? Obrigado.
    7. Boa noite desde já agradeço a atenção que possam vir a dispensar. Problema; A minha mãe e mais um primo, herdaram uma imóvel em partes iguais e sem licença de habitação. Na Camara Municipal, dizem que para emissão da licença, será necessário um novo projeto e/ou efetuar algumas alterações conforme a lei atual, que por informações obtidas, ainda são substanciais e dispendiosas. O imóvel é de 1964. Tem os registos, caderneta predial e paga IMI. tem agua e luz legais. Pretendido: venda do imóvel/vivenda com terreno sem a licença de utilização. segundo algumas pesquisas, não é possível. mas questiono se é possível vender apenas o terreno? ou se é possível vender a herança de ambos, com o terreno e imóvel mesmo não tendo a dita licença. ou se alguém tiver uma solução viável, qual? Obrigado
    8. Guest

      Declarar herança

      Bom dia, O meu pai faleceu em Fevereiro de 2018 e eu sou a única herdeira dele, por ser a única filha (a minha mãe já faleceu em 2017). Herdei as acções que ele tinha, uma casa e dois terrenos. Já fui às finanças e já está tudo no meu nome, tal como já foi feita a relação de bens. Não vendi nada e nem estou a ter rendimentos de nada. A minha questão é: quando preencher o IRS este ano (relativo a 2018) tenho de declarar todos os bens que recebi do meu pai? Além disso, é necessário preencher o IRS do meu pai dado que ele não obteve rendimentos anuais em 2018 superiores a 8500€? Obrigada.
    9. Afilipa22

      Herança de Tia

      Boa tarde a todos , Gostaria de esclarecer um dúvida que tenho . Tenho uma tia ( irmã da minha mãe ) que foi casada , o esposo faleceu há muitos anos . Antes do falecimento , o marido da minha tia , deixou em testamento tudo para a esposa ( o testamento estava feito , para quem falecer primeiro , o outro herdava tudo) , a minha tia não teve filhos e já não tem irmãos vivos , apenas eu como sobrinha . Mas existem 2 sobrinhos ( vivos ) da parte do marido da minha tia , a minha dúvida é eles têm direito a herdar algo ? Ou com a morte do marido da minha tia ( que era tio deles ) , perderam esse direito ? Obrigada a quem me possa esclarecer .
    10. elisabete_ss66

      Quota disponível

      Bom dia, gostava que me esclarecessem numa questão se fosse possivel! minha mãe é casada com comunhão geral de bens, desde 1964. Está separada de facto e não de direito do meu pai. Durante o casamento adquiriram património imóvel e outros bens móveis. O que pretendemos saber é se a minha mãe fizer aos filhos sobrevivos deste casamento (2 filhas), um testamento da sua quota disponivel, qual é a parte que nos cabe e aparte que cabe ao meu pai? Ou seja, se a minha mae fizer o testamento a nosso favor da quota disponivel, qual é a parte que transita para o meu Pai? desde já muito agradecida. elisabete
    11. Boas. Abaixo seguinte situação. Um dos pais diz que se o cônjuge falecer voltará a casar. Casados com separação de bens, acho. Ambos são vivos de momento. O que pode fazer o outro cônjuge para garantir que a sua parte dos bens fique salvaguardada para os filhos, caso venha a falecer? Existem contas bancárias comuns a ambos e uma habitação onde os 3 vivem (casal + filha. Há outra filha mas já casou e não vive em casa) Qual será a situação da filha que vive em casa se o/a progenitor(a) voltar a casar? Poderá ter de sair de casa? Antes que um deles venha a falecer, em especial aquele que vai deixar a sua parte da herança para o outro que quer voltar a casar, o que pode ser feito agora (a nível de testamento, separação judicial etc...) para tentar minimizar os "prejuízos" a nível de herança futura por parte das filhas? Nada? Com testamento, só pode atribuir a quota disponivel às filhas, certo?
    12. hjabrito

      Heranças, Partilhas e Doações

      Boa tarde. Agradeço muito a vossa a vossa ajuda. Meus pais fizeram 2 testamentos (iguais só varia o nome) por conta da quota disponível legaram um apartamento para os 2 filhos, ficando com o usufruto do mesmo. Meu pai faleceu primeiro não fizemos as partilhas. Minha mãe depois do falecimento de meu pai fez 1 testamento de valor em dinheiro para bisneta 12000€ e uma outra casa para neta no valor de 36000€. Quota disponível do meu pai valor de 37000€. Valor do apartamento 54000€. Excedeu a quota disponível 17000€. Quota disponível de minha mãe 45000€. Quando faleceu meu pai se fossem feitas as partilhas não podíamos herdar a totalidade do apartamento porque excedia a quota disponível? Agora existe o testamento da minha mãe referente apartamento + outro testamento à neta e bisneta. Minha dúvida: a diferença do valor do apartamento e a quota disponível no testamento do meu pai (17000€) vai entrar nas contas da quota disponível da minha mãe? Bem-haja.
    13. Anabela Contim

      Problemas com Herança

      Boa Noite, Os meus pais eram casados em comunhão de bens, o qual compraram uma casa em conjunto em 1995, e recorreram a credito bancário. Em 1997, o meu pai faleceu, tinha eu 13 anos. Sei que na altura foi feita uma habilitação de herdeiros mas nao sei o que la foi escrito. EM 1999 mudamos de cidade, a casa ficou fechada e a minha mae sempre fez o pagamento da prestação ao banco. Por volta dos meus 17 anos ela decidiu alugar a casa , mas esses valores recebidos nunca foram declarados nas finanças nem havia contratos de arrendamento. Em 2013 foi uma casal viver para lá que habita ate a data de hoje Em 2015 quando saiu a nova lei dos recibos electrónicos, a minha mae viu-se obrigada a cumprir a lei e entao fomos as duas as finanças comunicar o contracto de arrendamento e a partir desta data comecei a declarar no meu irs 25% do lucro das rendas , mas que nunca recebi, porque ela sempre falou que tinha tido muita despesa e eu nunca liguei muito. Acontece que agora, por outros motivos, desentendemo-nos e eu pedi-lhe que deposita-se a minha parte das rendas na conta bancária das netas com inicio neste ano (esquecendo todos os valores nunca recebidos anteriormente e já descontando o valor de despesa do condomínio) e pelo que pude perceber por atitudes dela nao esta com vontade em depositar. As minhas questões são - ela tem obrigação de me dar os meus 25% todos os meses? - se não der o que posso fazer? Posso cancelar o contracto de arrendamento visto nao querer denunciar valores no meu irs que na realidade nao recebo? -como posso ter acesso a habilitação de herdeiros feita a morte do meu pai? Em caso extremo posso pedir a venda da habitação visto que não é de habitação permanente de nenhuma das duas? Como o fazer? Muito obrigado a qualquer ajuda dada a minha situação
    14. Guest

      Herança

      Boa noite . O meu pai faleceu à três anos ainda não ficemos a avaliação de bens . O meu irmão mais velho e único tem dívidas que esta a pagar nas tem o nome no banco de Portugal . Caso seja necessário vender a casa pois é o único bem que a minhá mãe tem pode ser vendida mesmo o meu irmão ter as dividas ???
    15. Paulo M

      Herança e insolvências

      Boa noite. Tenho uma dúvida concreta que é a seguinte: O meu pai é viúvo e tem dois filhos, eu e o meu irmão. O seu património resume-se a um andar e contas bancárias que estão em nome dele e meu. O andar encontra-se em herança indivisa, após a morte da minha mãe há cerca de 1 ano. Quando o nosso pai falecer, somos os únicos herdeiros sendo que o meu irmão está insolvente e é aqui que tenho as dúvidas. Nas partilhas, que eu quero fazer, qual é a parte que avança primeiro por reclamação dos credores,as contas bancárias na parte que cabe ao meu irmão, ou o imóvel na parte que lhe cabe? Se o montante das contas bancárias não for suficiente para saldar as dívidas, é aí que entra o imóvel, certo? Sendo assim e supondo que os credores reclamam a sua parte do imovél pelas dívidas do meu irmão, como pode ele ser vendido para realizar capital e eu receber a minha parte? A solução de eu comprar a parte dele aos credores, está fora de questão.O imóvel pode ser vendido "normalmente" e do valor que couber ao meu irmão, estar um responsável pela penhora ser-lhe entregue a sua parte? É mesmo necessária a venda judicial em hasta pública, ou pode-se chegar a acordo? Em suma, o que eu pretendo é receber metade do valor do imóvel sem vir a ser prejudicado, quer no valor de venda, quer no tempo de resolução das partilhas. Espero ter sido claro. Muito obrigado pela ajuda.
    16. Paulo M

      Herança por morte do casal

      Boa noite.Tenho a seguinte dúvida: sou casado com comunhão de adquiridos, tenho uma enteada e não tenho filhos meus. Constituí um PPR em meu nome, cujos herdeiros são os legais em caso de morte, ou seja a minha esposa. Até aqui não há dúvidas. Mas se falecermos os dois ao mesmo tempo, para quem fica o PPR visto estar em meu nome? Metade para a minha enteada, visto que o dinheiro que lá está era meu e da minha esposa, tendo em conta o regime de casamento e metade para a minha família, ou é todo para a minha família visto eu ser o único titular? A mesma dúvida se prende com os automóveis que estão só em meu nome. Muito obrigado pelo esclarecimento
    17. Boa tarde, Gostava de expor uma situação que a mim me diz respeito e para que pudesse ser informada e ajudada de certa forma por quem saiba mais. Existia um casal que tem 2 filhos, esse casal divorciou se, mas as partilhas entre a mulher e o marido ficaram por fazer, mas com os devidos prédios e seus tamanhos em papel e declarados, em que nenhum poderia fazer nada deles enquanto não houvesse a partilha. Entretanto falece um dos conjugues. É possivel esse conjugue que falece deserdar algum ou todos os filhos e dar a outro nesta situação mesmo com as partilhas por fazer? Existe alguma forma de alguem ter se apoderado ou querer se apoderar de parte de herança sem sermos nos os filhos? Gostaria que me fosse dada toda a informação que fosse possivel para que ficasse esclarecida, pois isto é um assunto que desconheço. Obrigado
    18. Guest

      Herdeiros

      Boa tarde, A minha esposa e a irmã, foram adotadas ainda em criança pelos meus sogros no modo de adoção restrita. Tendo o meu sogro falecido em 2017 e estando a minha sogra ainda viva, quem são os herdeiros deles? Notas: 1. Estando eles ainda vivos, fizeram há mais de 20 anos atrás, cada um deles, um testamento em que diziam que em caso de falecerem após o falecimento do outro, deixavam tudo às 2 filhas. 2. Não têm filhos legítimos, nem irmãos e somente sobrinhos. 3. As duas irmãs são casadas em comunhão de adquiridos sem filhos. Este testamento sobrepõe-se a tudo? Quem são os herdeiros? Penso que sejam unicamente a minha esposa e a irmã mas os sobrinhos deles têm alguns direitos? Obrigado
    19. Rita2019

      heranca

      A minha avo materna morreu, deixando algum bens. A minha mae faleceu depois da minha avo e passado um mes os bens foram vendidos. ela nao tinha irmaos. Como se distribuiu a heranca da minha avo (dinheiro proveniente dos bens)? Os meus pais eram casados em comunha de bens adquiridos. A heranca da minha avo e' dividida em 3 partes entre mim, a minha irma e o meu pai? Ou o meu pai fica com mais? Obrigado desde ja!
    20. irene pereira

      Herança

      Sou uma de três irmãs herdeiras de partes de pai e de mãe. Os meus pais recebiam uma renda mensal que continua a ser paga. A minha irmã mais velha é cabeça de casal e já faz 5 anos que recebe não presta contas e não faz partilhas. O que posso fazer para receber a cota parte da renda que me ajudaria financeiramente a ter possibilidade de avançar para tribunal para pedir as partilhas.
    21. Carlos Landeck

      Partilha de herança

      Boa noite, Gostaria se possível que me esclarecesse a dúvida de como fazer a partilha de uma herança. Temos um apartamento que recebemos como herança por parte da minha mãe e vamos vender A minha mãe casou com uma pessoa que já tinha 2 filhos, tendo ela também 3 Filhos do casamento anterior e não existindo filhos do 2 casamento Nessa altura compraram 1 apartamento Gostaria de saber como se faz a partilha do valor da venda do apartamento sendo que o meu padrasto faleceu á cerca de 14 anos nessa altura foi feita uma habilitação de herdeiros entre os 2 filhos do meu padrasto e a minha mãe, nessa altura o apartamento ainda não estava totalmente pago faltando pagar cerca de 10000€ valor que foi pago pela minha mãe Agora tendo a minha mãe falecido fizemos a habilitação de herdeiros da parte da minha mãe Gostaria de saber se o valor pelo qual foi vendido o apartamento deve ser dividido em partes iguais pelos 5 herdeiros ou qual a percentagem que caberá a cada um Obrigado Carlos
    22. Boa tarde! O meu pai faleceu em 7 de janeiro de 2016 e era proprietário, juntamente com a minha mãe, do imóvel onde moravam, o qual será agora parte da minha herança, dos meus irmãos e da minha mãe, claro. A dúvida que me traz aqui é que um dia destes ao consultar a caderneta predial para saber qual o valor patrimonial que lhe está atribuído, li na "Descrição do Prédio" que o mesmo "está arrendado". Ora, não só não está arrendada, como nunca esteve. Pelo menos aos meus pais. Que creio que o terão adquirido por volta de 1991/1992, para recuperar. De toda a documentação que o meu pai guardava, não encontrei um único documento (escrituras, contrato-promessa de compra e venda, etc) onde pudesse ler se o imóvel estava livre de ónus ou encargos quando foi feita a venda. O que acho ainda mais estranho é que, segundo a caderneta predial, a última avaliação foi feita em janeiro de 2013. Como é possível que continue a indicar que está arrendada? A minha mãe tem 83 anos e está num lar e o meu pai é que cuidava de tudo, pelo que ela não consegue dizer-me nada sobre o paradeiro dos papéis ou o porquê da menção a arrendamento na caderneta. Onde e como posso esclarecer esta situação? Nas Finanças ou na Conservatória do Registo Predial? Obrigada! Gina C.
    23. jnobody

      Direito a propriedade de neta

      Boa tarde O meu avô faleceu o ano passado e o meu pai herdou a casa que ele construiu e em que sempre vivemos (o meu pai, a minha mãe, eu e o meu irmão). Os meus avós nunca cobraram renda aos meus pais, pagavam os impostos, seguro da casa e todas as contas. Os meus pais não são casados com separação de bens. Acontece que o meu pai está desempregado e não tem capacidade económica sequer para pagar impostos sobre a casa (IMI) ou a contas da casa, sendo a minha mãe que paga ambas. No entanto, o ambiente entre os meus pais não é bom e tem-se degradado desde que o meu pai ficou desempregado, de tal forma que a minha mãe por se sentir sobrecarregada pelo fardo de pagar tudo sozinha (não ganha muito), trata mal o meu pai (gritos, abusos psicológicos, ofensas, se bem que é mútuo). Está a alugar uma parte da casa e fica com o dinheiro para ela sem distribuir pelo meu pai (o dinheiro que ganha não é muito e provavelmente usa-o para pagar o IMI, por isso até certo ponto acho justo). O meu pai não se separa dela porque no fundo se não fosse ela, ele nem dinheiro para comer teria. Antes de falecer, quando o meu avô estava doente, apresentou uma queixa numa assistente social contra a minha mãe dizendo que era vítima de abusos por parte dela. A queixa não é 100% verdade porque a minha mãe não abusava do meu avô, mas não lhe prestava nenhum auxílio apesar de ele estar doente (por exemplo, nem sequer cozinhava para ele) e apesar de ele nunca ter cobrado nada para eles viverem cá. A queixa não avançou nem deu em nada porque entretanto ele faleceu. Acrescentar ainda, que quando o meu avô faleceu foram os meus pais (possivelmente a minha mãe) que tomaram conta de tudo, inclusive das contas bancárias. Não faço ideia de quanto dinheiro herdaram, nem nunca recebi (ou pedi) nada. Entretanto eu estou a viver noutro sítio do país mas é uma situação temporária (aluguer de quarto) e regresso a casa nas férias e cerca de 2 fins de semana por mês. A minha mãe tem tentado exercer coação sobre mim para lhe pagar as contas, ameaçando que se eu não o fizer, me proíbe de entrar ou faz mal aos meus cães que ficaram cá em casa porque não consigo alugar um sítio com espaço para os levar. Quando vivia cá, contribuía para as contas da casa, pagando uma % delas (mesmo quando estava desempregada), mas acho que agora não tenho nenhuma obrigação de o fazer e portanto, apenas dou um pequeno montante mensal para compensar os dias que fico cá (4 dias/mês). Além disso temo que no futuro, venha a ter problemas caso o meu irmão queira ficar cá e constituir família cá porque a minha mãe já deu a entender que ele pode ficar com a casa toda para ele como se eu não existisse. Recentemente um vizinho disse que tinha emprestado dinheiro ao meu avô e que supostamente o dinheiro era para eu poder ir para a faculdade estudar, no entanto eu nunca recebi nada do meu avô. O vizinho quer que lhe paguem de volta mas a verdade é que não tem meios de prova (não ficou nada no papel) e eu nem sequer sabia que isso tinha acontecido (nem sei se de facto aconteceu porque acho que não há forma de provar). Perante isto, gostaria de saber que direito é que eu tenho sobre a propriedade nesta situação e que direito ela tem bem como a minha responsabilidade sobre dívidas que o meu avô tenha contraído. O meu objectivo é apenas estar informada, não estou a planear mover nenhuma acção judicial ou algo do género pois quero distanciar-me o máximo possível desta situação nem quero a casa para mim, apenas preciso que os meus cães fiquem seguros aqui e que possa regressar caso perca o emprego. Obrigado.
    24. Boa noite, Tenho uma dúvida relativamente à repúdia de herança, não souberam dizer nas finanças. A minha avó faleceu recentemente e normalmente todos os anos tinha que pagar à volta de 3000€ de IRS, como sei que para o ano se tem de fazer à mesma o IRS dela queria saber se ao fazer-se o repúdio da herança esta dívida continua a recair sobre a minha mãe. Nas finanças não deram uma resposta de sim/não, disseram que era complicado e ficou por isto. Não encontro nada relativamente a dívidas às finanças no que encotro online, portanto queria ter a certeza se o que está escrito na lei (encontrei os artigos relativamente ao repúdio da herança) tem em conta todas as dívidas ou se há um processo diferente para as dívidas ao estado, neste caso relativamente às do IRS.
    25. Paula Pinto

      Herança

      Bom dia, À morte do meu sogro, a minha sogra fez as partilhas. A casa, onde atualmente mora, ficou registada nas Finanças em nome de dois dos três filhos, como proprietários de raiz. Até à sua morte, a casa é residência da minha sogra. No caso de um dos proprietários ter interesse em adquirir a parte da casa ao outro irmão: 1) Quais os procedimentos a adotar? 2) Quais os custos? 3) Outras informações que possam ser úteis. Obrigada
    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa