Ir para o conteúdo
  • FORMAS DE POUPAR

  • Leaderboard

    1. Rick Lusitano

      Rick Lusitano

      Utilizador


      • Pontos

        69

      • Contagem de conteúdo

        438


    2. Patanisca

      Patanisca

      Utilizador


      • Pontos

        39

      • Contagem de conteúdo

        828


    3. 5coroas

      5coroas

      Utilizador


      • Pontos

        24

      • Contagem de conteúdo

        1.401


    4. D@vid

      D@vid

      Utilizador


      • Pontos

        20

      • Contagem de conteúdo

        8.113



    Conteúdo Popular

    A apresentar conteúdo com maior reputação desde 17-12-2018 em todas as áreas

    1. 3 points
      Fair point. Existe no entanto outro efeito negativo para quem está do nosso lado do Atlantico quando o BCE subir os juros. Como a Fed já vai nos 3%, e o BCE vai nos 0%, na taxa de câmbio entre o Euro e o Dolar, o Dolar está sobrevalorizado relativo ao que eu (na minha modesta ignorancia ) considero como o preço de equilibrio económico entre as moedas (1.22-1.26), sendo que neste momento está a 1.14. Quando o BCE começar a subir os juros e sendo que a Fed já o fez, a tendencia será o Euro apreciar vs o dolar o que vai pesar nos nosso ativos do outro lado do atlântico e pode roubar uma parte desse dividendo das acções americanas. Claro que isto tem inumeras variantes e tanto pode dar para um lado como para o outro. Do meu lado, enquanto o mercado foi baixando eu vou reforçando. Se baixar muito, reforço mais, mas tenho no meu intimo a noção de que os próximos 10 anos vão ficar abaixo da performance dos últimos 10. Mas eu estou nisto para o longo prazo
    2. 3 points
      ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ The important thing to keep in mind is that this is all perfectly normal. The market is, and always will be volatile. Enduring this volatility is the price we pay for the market’s wealth building power over time. Here’s what you should NOT do: Sell, try to time the market bottom and then get back in. Great in theory and extraordinarily powerful if you could make it work. You can’t. No one can. How do I know? As I’ve said before, anyone who could time the market in this fashion would be far richer and more lionized than Warren Buffett. Yeah, I haven’t heard of that person either. Here’s what you should do: Stay the course and keep buying shares
    3. 3 points
      Feliz Natal, junto dos entes queridos, cheio de felicidade, alegria e saúde!
    4. 3 points
      A Envestio anunciou a 11ª Tier de 100.000€ à Dagre Ltd para "Urban Mining". Urban Mining consiste em extrair metais semi-preciosos de componentes electrónicos que são enviados para reciclagem. A Dagre Ltd tem 1 funcionário registado. Um. A Dagre Ltd já se financiou em 1.1 milhões de euros com dinheiro dos investidores da Envestio. Um ponto um MILHÕES de euros, para uma PME com UM trabalhador. Pensem no seguinte: Cá em Portugal um indivíduo colecta-se nas finanças como empresário em nome individual, ou até que cria uma empresa, no "empresa na hora", com o seu respetivo NIF empresarial, e inicia um negócio que consiste em sozinho, extrair componentes de cobre de placas eletrónicas de rádios ou tvs avariadas, e em menos de um ano, precisa de 1.1 milhões de euros. E mais, consegue-os. A uma taxa superior a pelo menos 22% (a taxa paga aos investidores) a prazos inferiores a um ano. Será que se consegue extrair assim tanto cobre, de resíduos eletrónicos avariados, ao ponto de se conseguir honrar a dívida de 1.1 milhões de euros, e mais os respetivos juros que a julgar pelas outras P2P, não deve andar abaixo dos 50% cobrados à empresa? Portanto em resumo, uma empresa com 1 colaborador, pede emprestado 1.1 milhões de euros e os investidores acreditam que daqui a uns meses é possível que essa mesma empresa tenha lucro suficiente para conseguir pagar o montante emprestado mais os juros, nunca menos de 1.5 milhões de euros. Carago! Isto é que eu chamo de alavancagem! Mas hey, enquanto o DJ tocar música, a festa não pára! Roda o disco Dee Jay! Sempre a bombar!!
    5. 3 points
      Está na hora de me por a andar para a Santa Terrinha. Bom Natal para todos
    6. 3 points
      Eu sei disso, mas não estou fora do mercado. Só não estou é a direccionar reforços para a carteira de fundos de acções, estou a direcciona-los para P2P e para alguns investimentos cá para casa. Eheh
    7. 3 points
      Tomara eu que esta loucura da economia real que falas continue e que os bancos continuem a emprestar montantes para imobiliário a famílias que certamente daqui a 5 anos não vão conseguir cumprir. É sinal que posso comprar imobiliário ao preço justo e não a esta estupidez especulativa que se vive agora. Deixem o BCE começar a subir as taxas vão ver os imóveis dos bancos aí a cair que nem chuva de inverno! Eheh Lembrem-se que nos investimentos, para se fazer dinheiro, alguém teve que o perder. O dinheiro não nasce nem se multiplica, apenas muda de mãos. Há que ser mais esperto que o vizinho ao lado para comer em vez de ser comido. Onde tu vês preocupação eu vejo oportunidade. Carago pareço um daqueles coaches motivacionais a falar. Lol não me levem a sério, sou só uma Patanisca. Eheh
    8. 3 points
      Por isso é que eu tenho repetido inumeras vezes aqui, que investir nos FI não deve ser uma opção que se segue por uma questão de moda ou de carneirismo; nem todos devem usar FI; só quem tem uma situação financeira/laboral segura e que não precise mesmo do capital investido nos proximos 3 a 5 anos é que se poderá dar ao luxo de se meter nos FI, estando preparado para aguentar sem ficar na corda bamba caso um crash aconteça, pois mais cedo ou mais tarde há grandes probabilidades de este vir mesmo a acontecer. Não se recusem a aceitar esta realidade. Se és daqueles que um crash os poria em maus lençois, quer nos investimentos, quer a nivel do emprego, esquece os FI.
    9. 3 points
      Estas baixas e abrandamentos da economia é tudo muito bonito para os investimentos mas o que é certo é que na economia real onde eu me insiro nota-se um abrandamento neste último trimestre... ora o que parecia um ano fantástico a nível empresarial nos inícios de 2018 ao chegarmos ao final do ano o balanço fica à quem das expectativas e se igualarmos 2017 já não é muito mau. É que se a economia começar realmente a abrandar em 2019 começa-se aqui a cozinhar um cenário pouco agradável... depois não há dinheiro para andar a "brincar" aos investimentos. "Pedimos" muitas das vezes crashes como se vivêssemos numa outra realidade mas esquecemo-nos que se a coisa descambar a nível mundial nós de alguma maneira também seremos afetados... tanto nos investimentos como nos nossos negócios e empregos... a não ser que aqui o pessoal seja todo trabalhadores da função pública... o que não acredito Nem de propósito logo após escrever este post recebi um email da REIZE com o seguinte tema "Esta é a semana mais importante do ano para muitas PME portuguesas." A semana que antecede o Natal é conhecida por ser das mais importantes do ano. Para algumas PME, esta época do ano chega a representar mais de 40% das vendas anuais. “Novembro muito abaixo das expetativas mete pressão nos próximos dias.” A última semana antes de Natal costuma ser a mais importante em termos de vendas a retalho do ano inteiro. Este ano não deverá ser diferente, podendo o efeito ser ainda maior devido à fraca evolução das vendas registadas em novembro. Muitos dos principais retalhistas mundiais já sinalizaram que as vendas de novembro ficaram bastante abaixo das expetativas, colocando ainda mais pressão comercial nos próximos dias. “IVA do Natal”: muitas PME optam por espaçar o pagamento em 12 ou 24 meses. Com o aumento das vendas no Natal, vem também o aumento no pagamento do IVA no início do ano. Assim, e com o objetivo de normalizar a tesouraria, muitas PME optam por espaçar o pagamento do IVA de janeiro e fevereiro ao longo do ano. O que esperar de 2019? “Guerra comercial” pode afetar a economia portuguesa: O setor automóvel é um dos mais relevantes da economia portuguesa e dos mais expostos às tensões comerciais entre os EUA, a China e a Europa. O “top 5 de empresas industriais exportadoras” em Portugal é dominado pela AutoEuropa, Bosch e Continental, que em conjunto faturaram o equivalente a 2.0% do PIB português. As decisões de aumentar ou diminuir a produção nestas empresas (em virtude da procura mundial) pode, por isso, ter um impacto significativo num leque alargado de empresas portuguesas. 2019 vai trazer menos crescimento: O enquadramento macroeconómico previsto pelo Governo aponta para um crescimento de 2.2% (inferior a 2017 e 2018) devido a um abrandamento generalizado da atividade económica. O abrandamento poderá ser superior se continuarmos a verificar uma contração do investimento e do consumo privado. O fim das compras do BCE: O Banco Central Europeu já votou o fim do programa de compra de ativos no final de 2018, levando à possível subida das taxas de juro para 2019. Estas iniciativas poderão reduzir a disponibilidade de crédito, fazer subir as taxas de referência (Euribor) e o respetivo custo do crédito. Salário mínimo nacional deve aumentar para €600 (ou mais): Vai ser proposto em concertação social o aumento do salário mínimo nacional (SMN) para €600 (ou mais) em 2019. Isto pode representar um aumento anual de 3,4% (€347 por trabalhador), o que está em linha com os incrementos registados nos últimos 18 anos. Historicamente, o crescimento do SMN tem seguido de forma próxima o crescimento da economia (embora sempre superior).
    10. 3 points
      Para quem está com bastante exposição às P2P, e claro para qualquer investidor P2P, recomendo vivamente a leitura na íntegra deste artigo da bloomberg, sobre private lending, válido para P2P. Investors Are Piling Into Loans That Banks Have Avoided Since the Crash Stay safe kids. Não deixo aqui nenhum referral link, pode ser?
    11. 2 points
      Não concordo muito com este teu comentário. Certamente que existem sempre boas picks para quem saida escolher, mas, no geral as acções nos próximos anos vão ter tendencia para ter uma performance abaixo da performance média (na minha opinião claro). Estamos a sair de um ciclo de taxas de juro a 0%, sendo que o BCE ainda tem a taxa de depositos a negativo. Quando o BCE deixar ativamente de meter no mercado milhões de euros por dia, e passar a vender ativos para diminuir a quantidade de moeda em circulação (ao mesmo tempo que a FED faz o mesmo), as taxas de juro vão subir, a taxa de remuneração dos fixed income assets também vai subir e as acções vão ficar menos atrativas. Isto tudo para dizer que, se for para puxar o gatilho em força, será melhor esperar por taxas de juro nos bancos centrais a 3-4% porque quando o dinheiro tiver um custo, esse custo vai estar refletido no custo de oportunidade das acções e o P/E médios do mercado vão ter que cair. Da mesma forma que o imobiliário vai baixar, etc.. Não se esqueçam que estamos a chegar ao final do ciclo de curto prazo, e o segundo maior banco central do mundo ainda tem as taxas de deposito a -0.4%.
    12. 2 points
      Vocês são uns arrogantes pá, o user está a pedir ajuda e vocês não querem ajudar! Estão aí armados em pedagogos e a adverti-lo para os riscos de investir 2000€ numa recomendação feita a um desconhecido por um outro desconhecido! Ele até reformulou a questão para ser mais simples! @nunoPT Eu era de esgalhão neste: http://www.morningstar.pt/pt/funds/snapshot/snapshot.aspx?id=F0GBR04V6U E que ganhe o Benfica! NOTICE: O sarcasmo é óbvio q.b.
    13. 2 points
      Essa pergunta é do género: ofereceram-me umas sapatilhas neste Natal; em que maratona recomendam que me devo inscrever?
    14. 2 points
      Boa noite, Para ajudar o pessoal que está a começar, estou na Mintos à cerca de 1 ano e meio com bastante sucesso. Já partilhei aqui anteriormente a minha estratégia de diversificação na Mintos, vou fazer um resumo rápido da minha estratégia atual e dar alguns exemplos dos filtros que faço para seleccionar loans. Dedico uma % maior do portfolio aos loaners com maior classificação no rating da Mintos e do explorep2p.Estou a alocar neste momento 10% à Mogo, 5% aos outros top originators, e a percentagem vai descendo alocando apenas 1% aos originators com rácio no explorep2p inferior a 45. Apenas investo com buy-back guarantee e em Euros. Não acho que o premium por não ter buy-back ou por investir noutras moedas compense o risco/taxa de câmbio. Tenho também tentado comprar apenas emprestimos até 24 meses (quando aparecem pechinchas no mercado secundário compro mais longos). A minha exposição atual: Vou controlando a alocação percentual mais ou menos para garantir que permaneço alinhado com a minha estratégia de diversificação. Tenho alguns desvios ao target porque re-calculei recentemente a % para cada loaner e agora estou a ajustar à medida que os loans vão vencendo. A plataforma em si é do melhor que existe na industria e permite gravar filtros de forma a usar fácilmente noutros dias. Os filtros que uso atualmente são os seguintes. Mercado Primário: Mercado Secundário: Na minha opinião nunca devem ser comprados empréstimos com premium (ou seja, paga mais pelo empreéstimo do que o valor que ele vale), mesmo que a yield to maturity seja superior. Exemplo: Apesar de o primeiro emprestimo da Mozipo pagar 14% de yield como o da Sebo, por norma os loan originators podem recomprar o emprestimo quando quiserem (como a Mogo já fez várias vezes), ou seja, se comprarem aquele emprestimo por 10.01 euros, sendo que ele só vale 10.00 euros, se amanhã a Mozipo decidir recomprar este loan só tem que pagar 10.00 euros e ficam a arder com os 0.01 centimos. Compro sempre com desconto ou igual ao valor base devido a este opção. Faço as transferencias por transferencia normal, pelo ActivoBank sem qualquer custo. A Mintos tem um programa de referencias para aumentar o número de investidores, no qual podem ser recebidos 0.75% de cashback nos investimentos feitos nos primeiros 3 meses. Fica o link se quiserem dar mais um passo no mundo dos investimentos com a Mintos: Link para Registo na Mintos Espero que ajude. Cumprimentos,
    15. 2 points
      Exactamente, por isso é que dei tudo o que tinha à ordem à paróquia 😁
    16. 2 points
    17. 2 points
      хорошие предприятия
    18. 2 points
      Quando mais cair, mais unidades compro.
    19. 2 points
      Quando estás a formular esta opinião, estás a ter em conta o passado e a tirar conclusões para o futuro. Eu concordo que o S&P500 é o indice mais internacionalizado do mundo (porque muitas das receitas são provinientes de negócios das empresas que lá estão - que são só por si muito internacionalizadas). No entanto, quando estamos a falar de um horizonte de investimento de 10, 20, 30... 40 anos? Numa optica de investimento para a reforma, assumir que a hegemonia americana ou das empresas que estão no S&P500 se vai manter nesse horizonte temporal, tendo em conta as alterações não só demograficas mas económicas, sociais e ambientais que o mundo vai sofrer nesse periodo, é uma presunção muito forte. Um só fator que vai acontecer nesse horizonte temporal (o facto de o reinado do petroleo ir acabar), vai, só por si, alterar muitos dos movimentos dos mercados e geopolitica mundial). Diria que o IWDA que já tem uma exposição de cerca de 55% aos indices americanos, serve melhor para esse proposito de longo prazo. Relembro que de 100 em 100 anos o país no topo do mundo foi alterando. E os EUA vão perder daqui a poucos anos o 1º lugar na economia mundial (já o perderam em paridade de poder de compra). O que hoje é verdade, amanhã é mentira. IWDA é um melhor investimento no longo prazo a meu ver. Cumprimentos,
    20. 2 points
      "Folheei" o whitepaper, pareceu ser uma leitura soft, ou seja, de fácil digestão, nada de muito técnico ou académico, dá para ler quando estiver à espera de alguma coisa. (Comparado com algumas leituras que faço, é bom para relaxar mentalmente.) Também gostei do design, vê-se que foi feito por pessoas que percebem de design gráfico, (também confirmado nas propriedades do PDF, Adobe Illustrator CC 23.0). Denota um cuidado na escrita e profissionalismo. Será um bom guia para iniciados em P2P Lending.
    21. 2 points
      Caso seja util, leitura interessante “How to choose a P2P lending platform in 2019" by Grupeer https://www.grupeer.com/how-to-choose-a-p2p-lending-platform
    22. 2 points
      O volume de novos empréstimos em Novembro de 2018 - Bálticos Pela primeira vez, as plataformas de empréstimos do Reino Unido foram destronadas do top de volume de empréstimos, a responsável foi a Mintos ao ultrapassar a plataforma "mãe" do P2P Lending, a Zopa, com um volume de novos empréstimos em Novembro de 135,9 milhões de euros, à frente dos 111,6 milhões da Zopa, a líder incontestada à vários anos. Várias plataformas demonstram ter volumes relevantes, mas isto não significa que não tenham cash drag, como é caso da Twino ou da Swaper. Latvia 135,9 M - Mintos 🏆 #1 em volume de empréstimos em Novembro na Europa 16,5 M - Twino 6,5 M - PeerBerry 6,1 M - Viainvest 3,3 M - Viventor 3,3 M - Swaper 2,3 M - DoFinance 1,6 M - Lenndy 0,7 M - Grupeer Estonia 7,8 M - Bondora 6,5 M - EstateGuru (Real Estate P2P Lending) 3,8 M - iuvo 1,2 M - Investly Lithuania 1,5 M - NEO Finance 0,8 M - Debitum Network 0,6 M - FinBee 0,5 M - Savy Fontes: Pesquisa própria, P2P Banking
    23. 2 points
      Uma conta na Mintos dá para usar varias moedas Pode se entrar na mintos com euros e depois converter parte para outra moedas para investimentos com diferentes juros que os oferecidos em euros. por ex depositar 1000€ na mintos e depois converter 100 para KZT, outros 100 para Gel,etc. Tenho uma só conta na Mintos onde tenho varias moedas. No "overview" aparece as moedas que tenho e ao clicar nas mesmas todas as informações de modo similar aos investimentos na seleccionada.Nos outros menus, loans etc, tem o mesmo modo de alternar entre moedas que detenho. Também é possível depositar directamente noutra moeda, se tiver conta na moeda em questão a mintos permite depositar directamente libras, euros, rublos, tengue, etc, Eu depositei em euros e depois converti. Eventualmente irei converter de volta KZT para euros. Os meus "pais natais" Mintos Envestio Grupeer
    24. 2 points
      Eu do teu post tirava Euro stocks para 2019. Acho que ainda não vai ser "o ano" das euro stocks. Demasiado dependentes de exportação EUA e Pan-Asia, que com o conflito decorrente que se vive, não terão vida fácil. Aliado a isso tens Brexit e indecisão política, falta de coesão, finalmente tens a bomba relógio de Itália e a emergência de fações de extrema-direita anti-EU na Espanha. Por isto, este ano saí de fundos dedicados apenas a Eurostocks. Continuo confiante nos fundamentais bullish dos EUA. É deixar passar este nervosismo. Fé.
    25. 1 point
      ALERTA!!! Já viram os Fundos index da Fidelity que estão no BEST?!??! Ainda não nos os deixam subscrever (pelo menos online), mas que lá estão estão.
    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa