Ir para o conteúdo

Pesquisar na Comunidade

A apresentar resultados para as etiquetas 'subsidio de desemprego'.



Mais opções de pesquisa

  • Procurar por Etiquetas

    Escrever etiquetas separadas por vírgulas, que representam o tema específico do tópico. Exemplos: "irs", "acções", "descontos", "férias".
  • Procurar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Finanças
    • Créditos
    • Bancos
    • Seguros
    • Imóveis
    • Incumprimento e Penhoras
    • Poupar dinheiro
    • Investimentos
  • Fiscalidade e Trabalho
    • Impostos
    • Segurança Social
    • Direitos do trabalhador
    • Trabalho por conta própria
    • Heranças
  • Geral
    • Apresentações
    • Diversos
  • Fórum
    • Regras

8 resultados encontrados

  1. Olá a todos/as. Eu neste momento estou oficialmente desempregado e recebo subsídio de desemprego. No entanto, recebi uma proposta para trabalhar como formador num módulo de um curso de especialização. De forma a não perder o acesso ao subsídio aquilo que na altura ficou acordado entre mim e a universidade para quem agora trabalho foi que os meus honorários seriam pagos de uma só vez via Ato Isolado. Gostaria de saber se me podem elucidar sobre qual é a forma correta de proceder á emissão dessa fatura e seguidamente retomar o subsídio (se possível). Bastará emitir o ato isolado? Tem algum teto máximo? Tenho de comunicar ao Centro de Emprego ou á Segurança Social? E, assumindo que surgem novas oportunidades desta natureza durante o período de vigência do meu subsídio de desemprego, nesse caso deverei abrir atividade, passar um “recibo verde” e voltar a encerrar a atividade voltando a ficar desempregado? Há algum teto máximo para as vezes ou valores com que o posso fazer? Em suma gostaria de saber qual é a melhor forma de gerir a situação de forma a que eu saia o menos prejudicado possível em termos fiscais sem quebrar a lei. Obrigado desde já!
  2. Rescisão e dar tempo à casa

    Olá malta. Duas questões algo urgentes sobre as quais aprecio desde já o vosso feedback: 1) Trabalho num local que é uma espécie de beco sem saída, sem qualquer tipo de progressão. Pretendo sair em breve, mas com acesso ao subsídio de desemprego para ter espaço de manobra até arranjar algo melhor. A única forma de isto acontecer é pedindo ao meu empregador para rescindir o meu contrato, ou há alguma outra forma? 2) Os 30 dias à casa são obrigatórios, ou posso sair de imediato de um local de trabalho para outro sem problema? Isto permitir-me-ia ter disponibilidade imediata para um novo emprego. Edit: acrescento que o contrato é sem termo. Obrigado!
  3. Tenho direito?

    Boa tarde, O meu tópico anterior foi removido não sei porquê. A minha dúvida é a seguinte: Eu trabalhei do dia 16 de Junho 2015 a 16 de Março de 2016 (9 meses) depois fiquei desempregado pois já não precisavam mais dos meus serviços. Não tive direito a subsídio de desemprego, fiquei desempregado até dia 16 de Outubro de 2016 onde arranjei novamente emprego (substiuição de licensa de maternidade) porém já vai terminar agora no dia 13 de Fevereiro de 2017. A minha questão é: Será que agora vou ter direito ao subsídio de desemprego? Ordenado do trabalho de 9 meses (700 euros base), ordenado do trabalho de substituição de uma baixa: 850 euros base. Pelas minhas contas fazes mais de 360 dias trabalhados nos útimos 24 meses, logo já deverei ter direito ao subsídio de desemprego, correcto? Desde já o meu obrigado antecipado. Cumprimentos, Luís Filipe
  4. Coloquei os papéis para o subsidio de desemprego e encontro-me à espera do seu diferimento. Estive a dar uma vista de olhos pelo site da SS e percebi que os dias a que terei direito dependem da minha idade e dos meses com registo de remunerações: "ate 15 meses"- "Entre 15 e 24 meses" ou "mais de 24 meses" Eu tenho mais de 24 meses de registos de remunerações, mas sem serem seguidos. Sabem-me dizer se estes 24 meses têm de ser seguidos?Obrigada
  5. Abri atividade (recibos verdes) em Abril, sendo que o ultimo recibo que passei tem a data de 16/06/2016.Passei, no total, 3 recibos. Acontece que,por esquecimento/falta de informação, não cessei a atividade. Como durante este período estive também a trabalhar com conta de outrem, entidade essa que me fazia os descontos, não tive de fazer descontos por causas dos recibos verdes, estando isenta de pagamento de IVA e IRS. O problema é que terminei o meu contrato de trabalho. Ontem, fui colocar, no centro de emprego, a declaração para obter subsidio de desemprego, quando a senhora me fala da questao dos recibos verdes. Fiquei logo a achar que, como não tinha cessado ainda a atividade, isto me iria trazer problema na atribuição daquela prestação social. Hoje dirigi-me ás finanças e lá cessei a atividade. Cessei atividade na data de 12/06/2016, não tendo de pagar multa. Agora, ao analisar o site da Segurança Social Direta, constato que o meu pedido de desemprego está indeferido. Lá não dão qualquer explicação, mas sendo que eu tenho dias de descontos suficientes para a atribuiação do sub desemprego, penso que o indeferimento resultará da não cessação da atividade (aquando o pedido no centro de emprego). Ainda vou ter de esperar pela carta da SS para recorrer. Gostava, no entanto, de saber ser alguém já passou por situação semelhante e como a resolveu.
  6. retoma do subsidio de desemprego

    Será que me poderiam ajudar? Trabalhei numa empresa de 2010 a 2105 de janeiro na qual fui despedida e deram-me a carta para obter o subsidio de desemprego. Entretanto em março de 2015 encontrei um trabalho na qual tive um mês e sai porque o horários que me foram ditos na entrevista não eram o que me estavam a pedir. na qual o transporte era complicado, logo a seguir encontrei trabalho noutra empresa em abril de 2015 e despediram-me em janeiro de 2016. fui tentar recorrer ao subsidio de desemprego na qual me mandaram uma carta a disser que não tenho direito. A minha questão é se estará correcto pois no ano passado fui a seg.social e disseram-me que teria de estar 6 meses a descontar para puder ter direito novamente ao subs. de desemprego.
  7. Sociedade Unipessoal

    Estou a pensar criar uma empresa unipessoal por cotas e necessitava de esclarecer: 1- O gerente de uma sociedade unipessoal tem de ser o único sócio ou pode ser outra pessoa. 2- Se o gerente não for o sócio (dono da empresa), este continua a ter direito a prestações sociais tais como o subsidio de desemprego?
  8. Boa noite, Existe um prazo definido por lei, para que o banco desbloquei o acesso à conta bancária após indicação do Administrador de Insolvência?| a conta estava com saldo negativo, tendo já sido transferido o subsidio de desemprego. Tenho denotado má fé ou falta de vontade por parte da agência bancária no Parque dos Poetas, vou procurar expor o que se passa: Fui declarado Insolvente particular no dia 16/09/15, estando a aguardar assembleia de credores para 01/10/15. Estou desempregado desde 19/01/15 e necessito de auxilio para a seguinte situação: tive hoje conhecimento que a minha conta bancária está bloqueada por indicação do Administrador do processo de insolvência. Já falei com o mesmo, que enviou para o banco Santander Totta um fax com a indicação do desbloqueio da conta bancária. A mesma indicou ainda não ter recebido o fax, solicitando ao Administrador de Insolvência novo envio. O que me preocupa é o facto de já ontem, no balcão do Santader Totta no Parque dos Poetas, onde abri conta, não ter prestado informação do que se passava. Como estou a receber 387€ do subsidio de desemprego achei estranho não conseguir utilizar o cartão multibanco e o acesso online e por telemovel. Na linha telefonica tambem não conseguiram prestar auxilio, indicando que a conta não existe. Só hoje de manhã e noutra agencia do banco é que indicaram que a conta está bloqueada, estando em contencioso. Antes das 15H00 fui ao balcão e disseram não ter recebido o fax, voltando amanha de manha e com cópia do email e comprovativo de envio que o Administrador de conta enviou. Falei com o advogado nomeado pela Segurança Social e expliquei o que se passa, tendo me dito o mesmo que o Administrador de conta, que dentro de dois dias terei a conta desbloqueada. O que pretendo saber e estou a pesquisar é se existe um prazo para o desbloqueio da conta bancária? Agradeço desde já a vossa atenção, continuem com o bom trabalho prestado neste forum. Com cumprimentos Cláudio Lopes
×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa