Ir para o conteúdo

Leaderboard


Conteúdo Popular

A apresentar conteúdo com maior reputação desde 11-11-2017 em todas as áreas

  1. 2 points
    Tecnicamente é um Seguro Unit Linked, um seguro de vida de capital variável sob a forma de fundo autónomo. É o antigo gestão de carteiras deles, mudou o nome e outras coisas, neste tipo de aplicação para lém do que referiste, tens a vantagem da diversificação, uma vez que as carteiras deste tipo de produto são compostas por acções, obrigações, fundos, etfs, etc. O Zezito falou não haver acesso á carteira, pelo que sei só quem tem o produto é que tem acesso á carteira, pelo menos era assim na altura em que era Gestão de Carteiras, era enviado mensalmente um relatório detalhado sobre as carteiras, o que tinham comprado, vendido etc. Pessoalmente o que vejo de "negativo" nos Unit Linkeds, é não terem liquidez imediata em comparação aos fundos, ficas sujeito á liquidez da seguradora, para além do risco da mesma ( embora todos saibamos que as solvabilidades das seguradoras nem se discutem ). Resumindo, sendo sempre a minha opinião pessoal, estás a delegar ao fim ao cabo a carteiras pré feitas, diversificadas, que têm um controle de gestão rigoroso ( se pedires mais informações vais ver que funciona muito como um fundo, quando os mercados caem mais do que esperado eles protegem-se por várias formas, e repara nos históricos de rentabilidades, principalmente no ano de 2008 que corrobora no que digo, mas ao mesmo tempo tem menos liquidez, e ao mesmo tempo para conseguires uma diversificação mais abrangente, terias de aplicar em pelo menos 4 carteiras, a não ser que tenhas em mente aplicar na mais agressiva ou na que está imediatamente abaixo durante uns anos, e depois vais transferindo para as carteiras mais conservadoras á medida que os filhos vão tendo mais idade por exemplo...tens de ponderar
  2. 1 point
  3. 1 point
    http://www.jornaldenegocios.pt/opiniao/colunistas/fernando-sobral/detalhe/a-licao-do-futebol-italiano?ref=linhas-cruzadas_UltimasHP Talvez seja por isso que o fundo que comprei que investe apenas em Itália está a perder 3%... Até aqui a merda do futebol influencia... put& que pariu o futebol e as suas ramificações!
  4. 1 point
    Porque em Portugal a credibilidade e reputação das cotadas em bolsa é baixa (tirando algumas raras excecções). Existem muitos exemplos de gestão danosa e criminosa que levaram a perda total para os accionistas dessas empresas. A confiança nas entidades reguladoras e o que aconteceu com o BES só demontra a incompetências dessas mesmas entidades. Porque investir num país onde não há reguladores sérias e onde as cotadas em bolsa pode gozar com a cara dos seus accionistas sem que ninguém lhes penalize por isso? Ainda hoje vemos esses burlões à solta a viverem em vivendas de luxo e andarem de mercedes. Vale mais a pena investir em Wall street e em plataformas estrangeiras que oferecem maior retorno do que usar o que é nacional que oferece menor retorno e o risco de falência e corrupção é muito maior.
  5. 1 point
    O que eu acho é que apesar de ser pequena... em Portugal não temos infelizmente habito de por as empresas cotadas em bolsa. Noutros países existe muito habito de meter small caps em bolsa para distribuir o capital, libertar algum capital para os accionistas originais... ajudar a empresa a crescer, etc.. isso é saudavel e pega um bocado na cena do "capitalismo social" de todos podermos investir nos negócios nacionais, aumenta a transparencia das empresas etc... Não me choca como existem hoje aquelas plataformas de crowdcube, seedrs, etc.. ver empresas de pequena capitalização em bolsa... temos é que criar condições para que os mercados de capitais sejam abertos a todos e a economia irá beneficiar com isso. Se a mercearia do sr. alfredo quiser ir para a bolsa e se tiver as contas auditadas.. porque não? É que essas plataformas tipo seedrs e isso... mais não são do que uma bolsa de start ups. Será que as bolsas tradicionais não podem ganhar em ter plataformas deste genero na própria bolsa oficial? Tipo, Euronext Startups Cumps,
  6. 1 point
    Espero que chegue muuuito inflaccionada. Ñ tem dimensao para estar na bolsa.
  7. 1 point
    Se tens a CB, usa a Gdax (automaticamente tens uma conta lá). A legislação (ainda) só refere os comerciantes.
  8. 1 point
    transferência bancária num desses sites de exchange. convem é ter em conta a potencial necessidade de declarar ao fisco e levar com 28% de irs. :-(
  9. 1 point
    http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/pme/detalhe/raize-quer-entrar-na-bolsa-portuguesa-em-2018?ref=HP_DestaquesPrincipais
  10. 1 point
    Para quem tem andado mais distraído, começam a surgir sinais de boas oportunidades para entrar no mercado accionista, fruto desta ligeira correção dos últimos dias, que ainda me parece continuar mais uns dias. De qualquer modo, se alguém está com ideias de fazer reforços às carteiras accionistas, estejam atentos.
  11. 1 point
    Boas Jaymz! É de louvar antecipares o futuro dos miúdos, eu também tenho pensado pelos meus contudo, considero este intitulado "produto financeiro complexo" demasiado exigente para quem quer rentabilizar os dinheiritos dos garotos...os montantes iniciais de investimentos de 10.000€ por apólice e de 5.000€ por fundo autónomo são, verdadeiramente, surreais... no fundo, o bom seria a eficiência fiscal e o baixo valor para os reforços. Tens ainda a agravante de não estar visível a composição do dito produto seja em que perfil de investimento for... como tal, eu pessoalmente, não estou preparado para passar um cheque em branco deste género. Eu também tenho conta no Best, e tenho lá a quase totalidade das poupanças dos meus miúdos. Pedi ao meu gestor para criar uma carteira, paralela à minha, para cada um deles, assim, cada um tem 2/3 fundos distintos e, no meu caso, com bons resultados não tenho "descontos" na taxa fiscal, mas, tenho fundos escolhidos por mim, e, à minha medida para rentabilizar os seus euritos mesmos com valores bastante inferiores para cada um deles... não tenho dúvidas que vou "engordar" o pecúlio de cada um deles consideravelmente... Abraço!
  12. 1 point
    Bom dia, Tenho 35 anos e todas as minhas poupanças em depósitos a prazo. Evidentemente, não consigo valorizar acima da inflação. A minha literacia financeira era até há pouco tempo, muito baixa. Tenho tentado desenvolver estes conhecimentos para que possa tomar melhores decisões para o futuro. Tenho um bom emprego estável, com um bom ordenado mensal liquido, bem acima da média em Portugal Neste momento posso dizer que conheço os instrumentos que temos disponíveis para investimento de uma forma genérica. Sei o que são instrumentos de aforro como os Dp, Ca ou Ctpm. Sei também o que são instrumentos de investimento como Fundos, Etfs ou acções. Entendo como se comporta o mercado, entendo como funciona o juro, como nos beneficia ou como penaliza. Conheço os bancos que operam em Portugal, e sei como se posicionam. Ainda tenho conta na Cgd, mas já abri conta no Invest, e em Fevereiro do próximo ano conto abrir também no Best. Irei terminar com a Cgd e utilizar o Bankinter como banco do dia a dia. E isto é o que sei. Tudo o resto, desconheço. Dizendo de outra forma, "só sei que nada sei". Em primeiro lugar, desconheço totalmente o meu perfil de investidor. E desconheço os instrumentos que me permitirão conhecê-lo. Sei que antes de fazer qualquer coisa, tenho muito que aprender. E nisto da aprendizagem, não há muitos truques. Requer tempo e dedicação, que muitas vezes não tenho. Sou de famílias muito humildes, e durante a minha infância, adolescência e inicio de idade adulta, este tipo de assunto... nunca foi assunto. Hoje deparo-me com este problema, que é um tipo de problema completamente diferente daqueles com que me habituei a lidar. Estava habituado a não ter dinheiro, e a gestão era feita para se chegar ao fim do mês. Agora chego ao fim do mês e sobra dinheiro, mesmo tendo já poupado no início. Ora, na verdade isto não é bem um problema, ou se quiser ser muito pessimista, é um bom problema. Há já alguns anos atrás contraí um empréstimo pessoal que me permitiu seguir os estudos. Durante algum tempo vivi também com esse peso, que felizmente ultrapassei. Serve tudo isto para dizer que aceito conselhos. O que fazer, o que ler, com quem me informar. Não conheço o meu perfil de investidor, mas de uma coisa tenho a certeza. Não sou agressivo. Estarei entre conservador a moderado. Dito isto parece-me que estarei entre fundos e Etfs, Ctpms e Dps Não sou uma pessoa extremamente frugal, mas serei talvez um pouco. Gosto de poupar, mas gosto também de férias. Gosto de tecnologias, mas não gosto de comprar as mais caras. Nunca terei o ultimo modelo de telefone, mas terei na mesma um bom telefone, de uma outra marca com melhor compromisso qualidade/preço. Não ligo a automóveis, terei sempre um carro razoável que me leve de A para B, afinal de contas é para isso que serve. São apenas dois exemplos para que se perceba que não poupo tudo o que ganho, mas também não gasto de forma leviana. Ora isto resulta num excedente. Gostava de usar uma parte para um futuro mais longínquo, a reforma, e gostava de usar uma outra parte para daqui a algum tempo poder comprar casa. Vivo em casa arrendada. Obrigado pela leitura, e se surgirem sugestões, obrigado por elas também. Um abraço
×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa