Ir para o conteúdo

Leaderboard


Conteúdo Popular

A apresentar conteúdo com maior reputação desde 22-09-2017 em Publicações

  1. 5 points
    Ambos têm sido bons fundos. Para isso uma simples visualização do gráfico e dados de rentabilidade chegam. Mas como se falou do NN, e da sua má performance, até face à categoria, fui pesquisar o que tinha acontecido no passado sempre que isso tinha acontecido. A má performance do NN, quer em termos absolutos (drawdown) quer em termos relativos (face ao FCI por exemplo) estão dentro da normalidade. Das duas vezes que isto aconteceu no passado, e chegou a estes níveis, os 12 meses seguintes foram melhores para o NN do que para a categoria. Não quer dizer que não desça, mas há uma certa probabilidade de ter um sobre performance em relação ao FCI. Resumindo, se eu estivesse a fazer uma carteira nova uma possibilidade seria comprar o NN e não para o FCI. O Rácio quer apenas dizer que o NN está 'barato' em relação ao 'FCI' em termos de valor históricos. Atenção que isto é sempre uma análise ao passado, pode não se repetir e tem apenas valor educativo, não é uma recomendação de compra do NN, embora quem já o tem em carteira não tem ainda razões objectivas para o vender. Aliás, eu próprio reforcei o FCI este verão portanto levem o que estou a dizer com uma perspectiva educativa e de potencialmente ajudar alguém a perceber se o comportamento do NN é 'normal', não mais do que isso. Resumindo, por enquanto ainda nada de anormal se passou com a performance do NN e até é provável que tenha melhor performance que a categoria nos próximos 12 meses.
  2. 4 points
    Rentabilidades efectivas 5 anos: FUNDOS DE OBRIGAÇÕES: NB Obrigações Europa FI Acc +34,15% PIMCO GIS Glbl Real Ret E EUR Hdg Acc +5,2% PIMCO GIS Diversified Inc E EUR Hdg Acc +15,5% PIMCO GIS Global Bond E EUR Hdg Acc +12% PIMCO GIS Total Ret Bd E EUR Hdg +2,9% NB Rendimento Plus FIA +28,4% PIMCO GIS Global Hi Yld Bd E Eur Hdgd +22,55% AXA WF Glbl High Yield Bonds E(H)-C EUR +19,8% Nordea-1 European Cross Credit E +17,65% F&C Emerging Markets Bond C EUR Hdg +7,6% AXA WF Euro 5-7 EC EUR +16,3% PF(LUX)-Global Emerging Debt HR EUR Acc +10% Henderson Horizon Euro Corp Bond A Acc +18,5% Jupiter JGF Dynamic Bd L EUR Acc +12,92% FUNDOS DE TESOURARIA/MONETÁRIO: NB MONETÁRIO FIMA ( Ex ES LIQUIDEZ ) +6,05% Dunas Banco BIC Tesouraria - FI MA A +6,1% NB Tesouraria Ativa ( Sem dados pelo fusão feita em Julho ) FUNDOS MISTOS: Invesco Balanced-Risk Alloc E +12,9% Schroder ISF Glbl Multi-Asset Inc B Hg € +8.8% MS INVF Global Balanced Risk Control B +29,47% Nordea-1 Stable Return E EUR +21,25% FUNDOS DE ACÇÕES: NN (L) Food & Beverages X Cap EUR +47,8% Vontobel Fund Global Value Equity C +57,25% Vontobel Fund - Emerging Markets Equity C +23.55% Pictet Water-R EUR +56% Allianz Europe Equity Growth CT EUR +52,35% Threadneedle Eurp Sm Cos Ret Net EUR Acc +77,15% Franklin European Growth N Acc +38,05% F&C European Small Cap A +64,8% Pioneer Fds US Fundamental Gr C EUR ND +69,35% JPMorgan Funds - JPMorgan ASEAN Equity D (acc) - EUR +28,55% Alken Absolute Return Europe A +29,5% UBS (Lux) KSS Global Eqs $ EUR P-acc +53,9% Henderson Horizon PanEurpPtyEqs A2 EUR +73,75% MLIS Marshall Wce Tps UCITS MN C EUR Acc +24,85%
  3. 4 points
    Bom dia caro atlas, Tive a ler os seus exemplos, e acho acima de tudo está a confudir as coisas. Primeiro uma introdução, eu gosto bastante de aproveitar a vida e de fazer coisas... tenho mil planos para a vida, tenho um emprego que até gosto bastante, um salário até bastante confortável e acima de tudo não tenciono estar a poupar para morrer rico. O objectivo é aproveitar o dinheiro. Agora que temos essa questão arrumada... o que eu acho que temos é uma prespectiva completamente diferente das coisas. O que está a falar é numa optica de "eu ganho este dinheiro, fiz por merece-lo, trabalhei que nem um cão e portanto tenho direito a poder comer aquilo que gosto, passear onde quero, ter as casas que quero". Não tenho absolutamente nada contra isso e está totalmente no seu direito. A minha optica é é totalmente diferente. A minha optica é... eu estou a vender o meu tempo enquanto pessoa (porque enquanto trabalha... a não ser que tenha um negócio seu - e mesmo assim às vezes - , é exatamente isto que faz, vender o seu tempo) e, embora até goste daquilo que faço, estou a gastar a maior parte do meu tempo de vida a trabalhar para outra pessoa, em vez de estar a usar o meu tempo nas coisas que realmente gostava de fazer (fazer um negócio próprio, ler, passear, ver filmes, o que raio o faça feliz). E portanto o objetivo fundamental que tenho é poder ser independente financeiramente. Não sei o que a vida me espera amanha, o que eu sei é que não quero passar a vida a fazer uma coisa que não me faça feliz (hoje posso ser feliz aqui, amanha posso não ser) e portanto eu prefiro passear barato hoje, ter só uma casa, ter um caro mais antigo, comprar coisas em promoção etc... e fazer o meu pé de meia, investir, diversificar, juntar para amanha poder fazer aquilo que realmente me apeteça fazer sem qualquer pressão externa. Porque enquanto eu me andar a levantar às 8 e a voltar para casa às 19, não porque eu quero, mas porque o horário de trabalho assim o dita, a meu ver, não sou 100% feliz. É apenas e só esse o meu objectivo pessoal. Cada um tem o seu. Se voçê é feliz a consumir bastante e a trabalhar bastante, é uma opção sua. Mas não vamos confundir as coisas... quem tem 30 anos e poupa 50---60---70% acho que o que quer não é levar o dinheiro para a cova. É ter a sua casa, o seu carro, as suas coisas, acima de tudo... o seu tempo e poder fazer realmente aquilo que o faz feliz. E acima de tudo, tem que perceber que quando está a pagar uma coisa.. o que está a doar é o seu tempo. Imagine que tem um salário de 2000 euros, mas gasta tudo a manter 3 casas, a comprar sempre o melhor carro novo, a ir jantar todos os dias fora, a ter sempre as melhores roupas... na realidade está é a oferecer o seu tempo à sociedade, voce anda-se a matar a trabalhar e fica com 0 riqueza para si no final do dia. Tem que continuar a trabalhar nem que seja para ir ao supermercado! É ridiculo existirem pessoas em Portugal que recebem salários de 2000 euros e que se o patrão pagar atrasado este mês, eles não teem dinheiro para pagar os cartões de crédito do mês anterior! Vejo muita gente com o último carro da moda, a melhor casa, casa de férias, férias nas maldivas, filhos nos melhores colégios... e depois o que fazem é trabalhar sobre stress o dia todo, sem tempo para ver os filhos, sem tempo para fazer as coisas que gostam. Tudo para ter o melhor estilo de vida possivel que na realidade os faz tudo menos felizes. Just my 2 cents.
  4. 3 points
    Quanto à agricultura e olhando para este gráfico, não me parece que seja algo "muito seguro" para se investir a longo prazo.
  5. 3 points
    A minha opinião é de que você deveria reforçar e bem, porque vai certamente subir cerca de 6 a 7% no curto espaço de tempo de cerca de 7 a 8 meses, devido a movimentações geopolíticas de relevo. Porém, também sou da opinião que você deveria reduzir a posição porque vai certamente descer entre 6 a 7% nos próximos 7~8 meses, fruto da instabilidade geopolítica. Em suma, em resposta mais concreta à sua pergunta que cito acima eu respondo-lhe: A minha opinião acerca do Brasil é nem é boa nem é má, gosto do clima, dispenso a criminalidade. Dos dois fundos que apresenta, a minha opinião é de que são bonitos. Leia este texto com inteligência e pense na abordagem que tomou ao vir ao seu 6º post, pedir opinião sobre "como é que tá no brasil, meto ou não meto?", sem dar qualquer tipo de informação sobre o seu perfil de investidor, tolerância a risco, em que % do património pretende investir, qual o seu nível de conhecimento sobre investimentos, qual o seu nível de conhecimentos sobre a economia do Brasil e a volatilidade dos emergentes, e muito mais. Já é a 2ª ou 3ª vez que faço este alerta. Qualquer dia apetece-me e faço uma recomendação disparatada, só para ver se há algum palerma que caia na esparrela, só por divertimento. Era engraçado, não era? Não, não era. Mas era bem feita.
  6. 3 points
    Se juntaste capital que te permite concretizar ambições, então força. Também já viajei bastante e não me arrependo das viagens que fiz. O meu ponto anterior é sobre pensar-se que o lazer só se consegue com atividades pagas. Fazer uma ou duas viagens anuais, havendo capital próprio para isso, parece-me perfeitamente natural. Mas durante o resto do ano pode-se complementar com atividades locais ou regionais, e aí pode já haver alguma oferta gratuita ou de baixo custo. O dinheiro possibilita muito lazer, mas nem todo o lazer requer dinheiro. Além das necessidades financeiras concretas, penso que se deve em grande parte a falta de disciplina. Pessoas que conseguiam viver com uma redução de x% no vencimento mensal e ainda fazer frente às necessidades, mas não são capazes de poupar esses x% ("fingir que ele não chegou") e viver com o restante. A poupança é um conceito relativamente abstrato. Quem a faz não vê no curto/médio prazo qualquer benefício concreto. Por outro lado, usar capital acumulado numas férias é uma vantagem imediata e concreta. Logo muito mais apelativo. São opções pessoais. Só não venham com a conversa de que só quem gasta abundantemente em lazer "vive a vida". Para mim "vive-se a vida" quando se disfruta da vida que se tem, seja ela como for. Uns precisarão de mais capital para isso do que outros.
  7. 3 points
    Parece que estamos a discutir uma "não questão". Isto é muito simples: Quem começar a poupar mais cedo tem os juros compostos a seu favor e a taxa de poupança nos primeiros anos irá fazer toda a diferença. Os objetivos devem ser definidos inicialmente (quando se pretende começar a poupar a sério). Não estou a falar de poupar para comprar um carro, ir de férias férias ou adquirir outro bem. Quem pretende investir sabe que tem de poupar o máximo que conseguir pois isso será ainda mais benéfico, para a bola de neve rolar ainda mais rápido. Quem não pretende investir e só quiser comprar um bem ou ir de férias reduz a taxa de poupança e "aproveita" a vida. Como em tudo na vida, cada um escolhe o caminho. Eu não vou pelo mais fácil, ou seja, prefiro dar 2/3 passos atrás... Portanto Minimal faz o que bem entenderes mas não discutas as taxas de poupança e a tua com economia, porque antes da economia estamos nós.
  8. 3 points
    FCI vs NN_F&B FCI = Fidelity Global Cnsmr Inds A-Dis-EUR LU0114721508 NN_F&B = NN (L) Food & Beverages X Cap EUR LU0332193779 Fiz uma pequena análise entre o Fidelity Consumer Industries e o NN Food & Beverages, sendo que este último tem sido aqui falado por ter uma má performance recente (-4.8% YTD). Por outro lado o Fidelity está com +6.57% YTD. São fundos do mesmo sector, sendo que têm uma correlação de 0.81. Façam as vossa próprias conclusões. De notar que é a terceira vez que há um diferencial tão grande (em termos relativos) entre os fundos desde 2010 (período de 'nascimento' do NN_F&B ). Para gráficos interactivos e código python: https://nbviewer.jupyter.org/github/LuisSousaSilva/Articles-and-studies/blob/master/FCI vs NN_F%26B (Python).ipynb
  9. 2 points
    Depende sempre da tua organização pessoal e do tempo que podes demorar ou não a aproveitar isto. A mim demorou-me algum tempo a ter o esquema todo organizado e no inicio confesso que demorei algum tempo a planear as coisas, por nem conhecia bem as propriedades de cada cartão... mas agora é fácil: - Tudo o que são serviços (incluindo pagar os outros cartões), pontos de venda onde apenas o Cofidis passa e bombas de gasolina usar o Cofidis = 200€ - 12€ = 188€ anuais - Tudo o que são almoços e supermercados usar o Black = 100€ anuais - Tudo o que são compras do dia a dia em que um cartão de crédito normal passa, excepto bombas de gasolina, supermercados e almoços usar o Universo = 1% ilimitados Apenas isto... fazer os movimentos com os cartões certos dependendo dos gastos de cada um pode dar mais de 300 euros ano. Se tiveres um produto que renda 5% brutos (o que já é muito bom), são 3.6% liquidos. Para teres um produto que a 3.6% liquidos te renda 300 euros tens de ter lá 300/0.036 = 8333€ investidos. Isto sem qualquer tipo de risco. Em cima disto... e dependendo do plafond dos teus cartões, tens cashflow à borla para investires no que tu queres, ou para usar, ou para amortizar noutros créditos. Imagina uma pessoa que tenha um crédito a habitação (não é o meu caso) e que tenha de plafonds: Cetelem Black (2000), Unibanco Clássico (2000), Cetelem CoBrand de outra marca (3000), Cofidis (2000). Estamos a falar de 9000 euros de financiamento gratuito que podes usar se tiveres boa gestão e fores pagando uns aos outros sem qualquer saldo ficar em aberto e sem custos. Isto permitete por exemplo amortizar a casa com todos os euros que tens (e mais alguns) e mesmo assim ter uma alfomada de segurança, estares sempre adiantado nos pagamentos e tirares daí descontos (exemplo, se tiveres filhos há colegios onde podes pagar anualmente e ter uma prestação de borla), podes aproveitar uma possibilidade de investimento em pouco tempo... imagina que te avaria o carro e precisas de 10K para arranjar outro podes facilmente arranjar grande parte do financiamento sem pagar um tusto. etc.. etc.. Tens o BankInter a dar 5% de juros no primeiro ano numa conta à ordem até 5K... fazes lá conta, usas os cartões para te financiar e ficas com uma almofada financeira de 5K que se precisares está sempre ali para pagar os cartões ou outra coisa qualquer e tens os 5K no bankinter a gerar 180 liquidos no final do ano. No meio disto já vamos quase em 500 euros, o que para muita boa gente deste país é um ordenado. No final depende de ti se te compensa ou não. Cumps.
  10. 2 points
    O limite máximo atingido do cashback volta a zero quando perfizer a anuidade do cartão. É isto que estão a perguntar?
  11. 2 points
    AÇÕES: August 9, 2017: Is the stock market a bubble? (USA Today) June 23, 2016: Uh-oh. Is the stock market in a bubble again? (CNN Money) September 13, 2015: Fears grow over US stock market bubble (Financial Times) May 6, 2014: Time to worry about stock market bubbles (New York Times) December 2, 2013: Nobel prize winner warns of US stock market bubble (CNBC) March 27, 2012: Robert Shiller eyes another tech bubble (Yahoo! Finance) May 3, 2011: Why this stock market looks like the tech bubble of 2000 all over again (Business Insider) January 11, 2010: US stocks surge back towards bubble territory (Business Insider) OBRIGAÇÕES: August 1, 2017: Alan Greenspan: The bubble is in bonds, not stocks (CNBC) October 9, 2016: Is the bond market in a bubble? (Wall Street Journal) August 13, 2015: Is the bond market in a bubble? (US News) October 5, 2014: Bond market may be more fragile than you think (USA Today) June 9, 2013: When the bond bubble finally bursts a lot of investors will get hurt (Telegraph) February 24, 2012: Is the bond bubble about to pop? (MarketWatch) April 4, 2011: Is the bond bubble finally bursting? (CBS) June 4, 2010: Bonds: Avoid the next great bubble (CNN Money)
  12. 2 points
    100% de acordo A minha preocupação com a poupança ( apesar de não ter necessidade de me preocupar muito ) é derivado a 3 factores. 1 foi o que referi anteriormente ( deixar uma almofada para as gerações seguintes ), o outro factor também pelo que referiste e bem, relacionado pela questão da reforma ( se ela existir, quanto será ? ) + o aumento da esperança média de vida para garantir uma vida porreira na "reforma" não estando dependendo do que o Estado vai dar ( ou não ) E o último motivo é amealhar o máximo para que na próxima crise ( ela irá surgir ) investir "low-cost" .. Tudo objectivos a longo prazo, o que não invalida que vá gozando a vida no dia-a-dia claro ..
  13. 2 points
    Pois .. a ideia de que se o rendimento é elevado então é quase uma obrigação gastar já está bastante enraízada na cultura portuguesa .. A questão dos aumentos salariais / promoções é outra .. a partir do momento que começa a cair na conta bancária o ordenado domiciliado com o tal aumento já notório, não é de estranhar um contacto do gestor de conta a questionar se não está interessado num Crédito para isto e para aquilo ... partindo sempre do pressuposto que a taxa de esforço não é afectada e portanto pode gastar à vontade ... ( e o banco ganha com os juros e o gestor de conta a comissão por objectivos ) Quando as pessoas de repente lhes aparece mais dinheiro no bolso é quase impulsivo / instintivo o desejo de consumir algo .. mesmo que não seja necessário .. Acho que todos nós queremos que os nossos filhos tenham uma vida melhor que a nossa ... tem é que ser educados para valorizar / estimar o esforço dos seus pais e aumentar ao invés de diminuir aquilo que receberam ... eu preferencialmente para além de liquidez, gostaria de deixar activos que gerem rendimento passivo ... é uma excelente almofada para eles, obviamente que não é para ficarem à sombra da bananeira ... a não ser que consiga muitos activos a gerar rendimentos passivos brutais .. mas isto já sou eu a sonhar alto eheh
  14. 2 points
    Não te vou mentir, sou realmente muito frugal e não tinha qualquer necessidade disso ( isto normalmente dá erro na maioria da cabeça das pessoas admito ) .. mas desde pequeno que sempre lidei com o dinheiro desta forma .. sempre me fez confusão gastar desnecessariamente e sempre me deu gozo / prazer amealhar. ( mas também gozo a vida apesar de não ter que explicar como )
  15. 2 points
    Já pude ver que sim. Já perdi dinheiro por não saber disto. Mas acho um bocado manhoso o estado alterar as regras a meio do jogo e não notificar os aforradores. Só por causa das tretas vou amanhã resgatar tudo o que tenho lá de CAs. Fiquei pior que estragado quando me apercebi disto. Perdi dinheiro que dava para um telemóvel novo.
  16. 2 points
    Obrigado pelos vossos conselhos. Excelentes. Reforcei, depois da vossa abordagem sobre este fundo abaixo indicado. Também ajudam imenso as pequenas dicas que deixam no ar. Obriga a procurar, analisar as medidas de risco, a alocação, a distribuição a rentabilidade sobre determinado fundo. Se, se enquadrar no perfil de risco, toma ou não a decisão de comprar ou vender. NN (L) Food & Beverage
  17. 2 points
    Não está nada a ser enganado. O email de abertura de conta tem o IBAN da conta. Mas se está desconfiado é ligar para o Apoio ao Cliente e pedir para confirmar. Eles também podem mandar um email automático com os dados da conta. Caso não confie em nada disto... então não devia estar a abrir uma conta online.
  18. 2 points
    Epá isso é a resposta politicamente correcta ... Se perguntarem " Gostaria de poupar ? " acho que 100% das pessoas vai responder que " Sim ", agora, na prática muito pouca gente faz um esforço para poupar alguma coisa de jeito, salvo as raras excepções de quem não ganha quase nada e não tem margem para poupar. O problema está naquelas pessoas que até tem margem para poupar e não o fazem.
  19. 2 points
    Retirado do DL 372/2007: 2 — Na categoria das PME, uma pequena empresa é definida como uma empresa que emprega menos de 50 pessoas e cujo volume de negócios anual ou balanço total anual não excede 10 milhões de euros. 3 — Na categoria das PME, uma micro empresa é definida como uma empresa que emprega menos de 10 pessoas e cujo volume de negócios anual ou balanço total anual não excede 2 milhões de euros.
  20. 1 point
    Podes ler as Várias P2P mencionas nos tópicos ou o geral P2P Já falamos sobre elas á alguns meses.... Já coloquei uma listagem das P2P principais....
  21. 1 point
    Exato. A dúvida era se seria à anuidade do cartão ou a 1 de Janeiro para todos os cartões. Obrigado pelo esclarecimento!
  22. 1 point
    Boa Tarde a todos, A pedido de várias famílias e tendo em conta que o interesse nesta área (P2P) tem vindo a subir consideravelmente. Considero que é importante ter um tópico geral onde se possa discutir: 1) Escolha das melhores Plataformas - Segurança, Rentabilidade (taxas), Liquidez, Transparência, entre outros factores (Auto-Invest, Apoio ao Cliente, Mercados, Loans Originators, etc) 2) Portefólio - % que consideram alocar neste tipo de investimento 3) Fiscalidade/Legislação (As P2P ainda não possuem muita legislação, portanto é fulcral estar atento às notícias que vão saindo e que vão sair até ao final do ano relativamente às P2P na Letónia). Caso alguém tenha mais alguma ideia (eu actualizo o tópico inicial). Bons Investimentos.
  23. 1 point
    Bem .. este não é um tópico propriamente a pedir esclarecimentos / ajuda mas sim algo que nos últimos dias tenho voltado a pensar / tentar compreender que é a questão: Nos Países onde o Arrendamento Imobiliário impera, quem são os proprietários dessas mesmas casas ocupadas por inquilinos ? Fui ver à pouco no EUROSTAT e constata-se que há países onde existe uma grande taxa de ocupação de casas por arrendamento ( ex: Alemanha, Suíça, Suécia, Dinamarca, Holanda, Áustria, França, Grécia ) São países como economias distintas, mas a génese é que são economias pujantes ( excepto a Grécia ). Penso nesta questão pois se em Portugal o arrendamento fosse a norma ( como muita gente se queixa hoje em dia que as Rendas estão elevadas, caso tivessem valores "justos" que muita gente optaria pelo arrendamento ao invés da aquisição ) quem seriam os poucos proprietários ? Se fosse esse o cenário, não haveria também polémica onde os inquilinos iriam argumentar : "Porcos capitalistas destes proprietários, tem um portfolio enorme de imóveis a render e nós aqui a termos que nos sujeitar a arrendar " Está visto que nos países que indiquei em cima aparentemente não há qualquer stress em existirem poucos proprietários para muitos inquilinos .. mas acho que cá haveria problemas Se desde que o AirBnB explodiu em Portugal, que há aquelas polémicas todas de tributação a 35%, dos Condomínios poderem decidir se há alojamento local no prédio ou não, de eventual agravamento do valor do Condomínio .. Dêem a vossa opinião.
  24. 1 point
    E esse 1 milhão herdado foi obtido como ? Imagina que esse milhão foi fruto de sacrifícios de toda uma vida a trabalhar no duro, a não gozar férias, tempo com a família sacrificado etc ...... quem herdar esse dinheiro depois ainda tem de ser tributado em 50, 60, 70% só porque estamos a falar de um valor absoluto de 1 milhão ??? Esse milhão herdado já foi alvo ao longo de décadas de tributações / impostos !! Fizeste de advogado do diabo daquele que trabalha na tal fábrica .... tudo bem .... agora põe-te na pele da pessoa que iria herdar 1 milhão do pai / mãe / avó / avô que se sacrificou a vida inteira ( como referi em cima no exemplo ) ... imagina que eras tu que ias herdar esse milhão .. ias gostar da ideia do estado ficar com 500 000€ do teu milhão ... ? Pensa que esses 500 000€ que o Estado iria teoricamente arrecadar da tua herança ( se fosse o tal imposto alto de 50% por exemplo ), dava para pagar salários de meio-dia (ou nem isso talvez ) de toda a Função Pública em Portugal .... no entanto esses 500 000€ líquidos herdados ( metade de 1 milhão herdado ) corresponde a metade de uma vida inteira de trabalho do tal familiar !!!! Quando colocamos as coisas nesta perspectiva acho que se muda de opinião não ?
  25. 1 point
    Também não concordo ... em Portugal a carga fiscal é brutal e no caso de juros sobre rendimentos do Capital é um abuso porque: Uma Poupança é resultado de um sacrifício retirado de um Rendimento Essa Poupança já foi taxada ( Retenção na Fonte, SS etc sobre o teu Vencimento mensal ) Essa Poupança num DP / Acções / Obrigações etc leva com 28% sobre os Juros No fundo, estamos a falar de Dupla Tributação directa do Estado com Impostos e uma terceira "Tributação" que é o sacrifício / vontade própria de colocar de parte X para uma poupança .. Mas o Estado como precisa de dinheiro como pão para a boca, vai taxar tudo e mais alguma coisa ... basta ver que agora no OE 2018 eles aclamam com o alívio no IRS com os escalões mas com a outra mão vão buscar o dinheiro com os Impostos Indirectos ( aumento ISV, IUC, ISP, taxa sobre Junk Food / Sal / Açúcar / Cervejas / Licores ) ... ou seja, tudo coisas que o comum cidadão por norma não consegue escapar porque: ISP afecta todos os veículos, seja automóvel / mota próprio ( combustível no depósito ) ou o preço dos bilhetes dos autocarros públicos derivado ao aumento do preço do depósito cheio IUC e ISV na compra / venda de carros e no pagamento do selo, muita gente tem carro / mota, logo não pode fugir a isso Junk Food / Sal / Açúcar / Cervejas / Licores, toda a gente come desse género de coisas, bolachas, batatas fritas, molhos, cervejas, licores e afins ...
  26. 1 point
    Uns gastos deixariam de ser feitos como referiste e bem, mas outros ( igualmente grandes ) iriam surgir ... consultas de médicos de N especialidades ... eventuais cirurgias ... medicação .... Quanto aos juros em bancos, mesmo com esses milhões todos, os bancos não estão a dar grande coisa neste momento ... ainda há pouco tempo o gestor de conta me disse que independentemente do cliente ter 30K ou ter 1 milhão o máximo que o banco dava era 0.7% TANB .. e é um banco que neste momento deve estar a dar as melhores condições a 1 ano por exemplo Só quando o BCE fechar a torneira é que os bancos voltam a subir os juros dos DP's ... mas igualmente subirão outras taxas ( Euribor e afins )
  27. 1 point
    Cada qual fará de forma diferente. No meu caso, caso ganhasse uns milhões, não os investiria em nada com risco. Limitar-me-ia a gastar aí uns 3% do bolo, cada ano, até ao final dos meus dias.
  28. 1 point
    Bom dia João, 40 anos, de Tomar. Tenho lido algumas coisas interessantes no forum nos últimos tempos e decidi registar-me. Dinheiro parado enerva-me (é 80% da minha carteira), mas a falta de conhecimento para o fazer mexer enerva-me ainda mais Cumprimentos
  29. 1 point
    Acho que para pessoas como nós, que tentamos poupar e rentabilizar o capital com determinados objetivos, um dos maiores problemas é o estado e a sua instabilidade no que respeita a impostos. Veja-se por exemplo o adicional de IMI. Quem diria? Imaginem agora um imposto sobre fortunas. Caminhamos para reduzir as taxas nos impostos a quem trabalha por conta de outrem e aumentar impostos de fortunas e mais valias. Tb concordo que dos atuais 28% não passará para 50% mas existe um pormenor importante.... A obrigatoriedade de englobamento de rendimentos, dividendos, mais valias, que com certeza aumenta bastante a taxa a pagar à maioria dos que aqui andam (acho eu).
  30. 1 point
    Os politicos que andam a caça de taxas e taxinhas, de um momento para o outros passassem a a viver de juros ou tornassem empresários a pagar a carga fiscal e salários exigidos por lei.... Eles próprios mudavam de pais ou fechavam as empresas.... Muitos investidores trabalham por conta própria pagam 28%, não conseguem deduzir as menos valias a nao ser que criem empresas para o efeito assumindo todas as responsabilidades.... Outro o exemplos os jogos de sorte e azar eram isentos agora pagam 20% sem poderem deduzir os custos de anos a gastar dinheiro para terem sorte..... Tudo o que mexe é tributado, as mais recentes alterações é no turismo ( taxa turística + lei do arrendamento turístico ) Temos uma gerigonça que supostamente anda a baixar o IRS, ás custas de tributar outras áreas... devia ser o crescimento económico a ditar se existi folga para aumentos de salários , baixa de escaloes de irs etc..... Nunca vamos sair da cepa torta.......
  31. 1 point
    É sempre chato .. mesmo para quem tem muito dinheiro ... obrigação de estar X dias por ano no país para ter residência fiscal etc .. no caso de estrangeiros a vir para Portugal não tanto porque o nosso país é fabuloso ( clima, custo de vida, paisagens, História, culinária etc ) mas no caso de sermos nós a ir para outro país que não seja tão porreiro torna-se mais chato .. Quanto à questão dos impostos que o NovoNestasCoisas referiu isso só se vai repercurtir nos juros dos investimentos ou em depósitos .. também não estou a ver aumentarem de 28% para 50% no caso dos juros .. isso iria afectar fortemente toda a gente, principalmente aqueles que ainda trabalham e acabariam por ver os seus juros delapidados literalmente
  32. 1 point
    Até agora as coisas estão a portar-se bem. Valores a 21 de Setembro (aquando da análise inicial): Valores actuais: FCI = Fidelity Global Cnsmr Inds A-Dis-EUR LU0114721508 NN_F&B = NN (L) Food & Beverages X Cap EUR LU0332193779 Independentemente da melhoria do NN_F&B a verdade é que o FCI tb bombou e a diferença entre ambos não está a diminuir. Sei que são só uns dias mas é sempre agradável quando as coisas começam bem :-)
  33. 1 point
    Ter o mesmo endereço que os seus pais é irrelevante se faz o IRS sozinho. Não altera minimamente os valores da sua declaração, logo não é preciso preocupar-se com isso. Se não tem despesas, também não as pode deduzir, logo não há nenhum benefício "injusto" face a outras pessoas
  34. 1 point
    Se está com dúvidas, sugiro que consulte formalmente um especialista.
  35. 1 point
    @atlas Todos esses exemplos que deste, são o extremo dos extremos. Isso para mim não é poupar é mais um "não viver". Não li aqui neste tópico o incentivo de ideias tão extremas, o que li foram ideias de como poupar em determinadas áreas através de truques (no caso a alimentação) que não me pareceram de forma alguma extremos. Não vi ninguém a incentivar o isolamento e tristeza xD Eu sou da opinião que deve existir um "meio-termo", contudo isso depende dos objectivos que cada pessoa/família tenha para si. Já aqui disseram e corroboro essa opinião, a % de pessoas que poupa acima de 40% é ínfima, é contra a nossa natureza não gastar ou consumir algo. Portanto os que conseguem arranjar formas de poupar e aumentar a taxa de poupança estão no bom caminho para atingirem os seus objectivos. Mais, quem vem aqui falar neste tópico fala de aumentar a taxa de poupança, para investir esse valor. Não estamos a falar de simplesmente em poupar, quanto mais se poupar e mais se aplicar (investir), mais os juros compostos trabalharão a nosso favor. Existem muitas pessoas a adoptarem um estilo "ultimate frugal living", mais nos USA onde a realidade salarial é completamente diferente. O exemplo que dás de alguém com carro/casa paga e uma reserva de 100.000€, não é um exemplo de alguém que ande neste tópico preocupado em arranjar formas para aumentar a poupança, se ainda fossem formas de investir/rentabilizar o seu capital...mas isto sou eu a pensar... É claro que existem alternativas e tudo o que é dito neste tópico e fórum será apenas uma opinião/visão de vários intervenientes, que no fundo é isso mesmo uma visão/opinião própria.
  36. 1 point
    De qualquer dos modos, @master-chief eu não me sinto muito à vontade a colocar capital em regiões onde conheço pouco, seja a nível económico ou a nível político. Prefiro um fundo mais abrangente. Na minha óptica, fazer uma escolha mais cirúrgica de uma geografia ou de um sector não é para o meu nível de skill, porque teria que despender muito tempo a estudar o target antes e durante o investimento. A não ser que seja com montantes baixos, só para experimentar e acompanhar, como faço com Japão e Australásia, tenho lá umas migalhas correspondentes a menos de meio p.c. da carteira. Sei que parece um bocado sem sentido, mas psicologicamente gosto de ver no dashboard que estou investido no Japão! É uma mania. @5coroas Penso que possa dificultar algumas decisões do poder central, mas não vejo com muita preocupação o facto de haver uma fatia de gente extremista no parlamento. Tenho a ideia que no que toca a encher os bolsos, tanto à esquerda, ao centro ou à direita, todos são consensuais e querem é meter a economia deles a dar dinheiro. Lembrem-se que a Alemanha já tem superavit desde há quase 4 anos.
  37. 1 point
    Já deveria ter sido há um ano atrás...agora já tenho muitas duvidas se ainda têm margem para subir muito mais a curto prazo. Boa sorte! Eu entrei nessa altura, ganhei 18% e depois saí. Podia estar agora a ganhar 40%. É assim este casino.
  38. 1 point
    Sim, deverá ser os rendimentos considerados como de trabalho dependente. Por exemplo o subsídio de refeição estará excluído, excepto se ultrapassar os limites, tal como refere. Os subsídios de Natal e férias contarão também, já que são sujeitos a tributação.
  39. 1 point
    Então aplica-se o que acima escrevi, em princípio.
  40. 1 point
    IVA: em termos gerais, o imposto é exigível na data da factura, se forem cumpridos os prazos (emissão até ao 5º dia útil após a prestação do serviço). IRS: Cat. B, regime simplificado, no momento em que para efeitos de IVA seja obrigatória a emissão da factura.
  41. 1 point
    A minha taxa de poupança mensal ronda os 60% em meses normais, Nos meses de subsidio de férias,natal e reembolso de IRS consigo ultrapassar os 70%. O meu salário não é nada de especial, mas as minhas despesas bastante baixinhas e controladas.
  42. 1 point
    Nas commodities, comparativamente com o SP500, estamos neste momento num dos 3 períodos de grandes saldos que ocorreram nos ultimos 45 anos. Contudo nas commodities não há apenas a energia. Também não se sabe se os saldos ainda ficarão mais baixos. Mas sem duvida há que estar atento pois há aqui potenciais boas oportunidades à espreita.
  43. 1 point
    Porque custam dinheiro e podem vir a não servir para nada. É uma decisão racional (comparativamente à escolha de outras prioridades - férias, tv por cabo, vicios, roupas, jantaradas, gadgets electronicos, bimbys, carros, etc)? Não sei.
  44. 1 point
    Para um acompanhamento mais saudável, deixar flocos de aveia em água durante a noite no frigorífico e de manhã triturar. É o chamado leite de aveia. Não há qualquer razão nutricional para adultos consumirem leite. Como já foi dito, obtém-se bem mais cálcio de fontes vegetais como os bróculos. Quanto a boas gorduras, as melhores estão em nozes, azeite, abacate, amendoíns, amêndoas, peixes gordos, etc. Além disso, tem lactose que é essencialmente açúcar e à qual há cada vez mais pessoas intolerantes. Deixei de beber leite há cerca de um ano e agora quando experimento (por curiosidade) acho-o enjoativo, o que me parece um claro indicador...
  45. 1 point
    http://tremoceiramferreirabastos.pt/pt
  46. 1 point
    Discussão muito interessante. Cá em casa, mais por uma questão de saúde, temos vindo a substituir a carne e peixe de pratos principais por leguminosas (feijão, grão, lentilhas) secas cozidas em casa e ovos. A sopa está também sempre presente. Estamos a comer peixes de mar com reduzido teor de mercúrio 3 a 4 vezes por semana e frango do campo 1 vez por semana. Evitamos tudo o que tenha açúcar adicionado (com a exceção de chocolate 70%+ cacau), que seja processado / pré-cozinhado / fumado / salgado / etc ou contenha aditivos. Como "doce" optamos por fruta, o referido chocolate negro e frutos secos. Estamos a gastar uma média de 150€/mês em supermercado, incluindo produtos não-alimentares (detergentes, etc). Produtos alimentares é tudo marca branca, os outros nem tudo. Quase tudo comprado em promoção e com os -3% do Cetelem Black. Mais importante, sentimo-nos muito bem, com mais energia. Claro que além da alimentação há também outros fatores, como uma caminhada diária, muita água e evitar stress, mas isso já é demasiado offtopic.
  47. 1 point
    Se queres mesmo poupar drasticamente é estabelecer (e respeitar) a regra de não comprar nenhum alimento que custe mais do que 2 euros por kilo.
  48. 1 point
    Boa noite, o link para o ficheiro excel perdeu-se. Alguém pode voltar a colocá-lo aqui? Obrigado
  49. 1 point
    Eu iria pelo caminho mais simples, com menos custos na compra e mais facilidade no rebalanceamento anual. No caso de reforços também custa menos: 1) 50 % Acções: IWDA (acções mundiais). Concordo com o Mouro emprestado: 0,20% de custos anuais, em vez dos 0,40% do SPDR sugerido por ti. Mais tarde podes acrescentar um ETF só para mercados emergentes. 2) 50% Obrigações europeias: As Lyxor EuroMTS All-Maturity Investment Grade (DR) parece-me bem. Mais tarde podes acrescentar obrigações empresariais, se entenderes.
  50. 1 point
    Péssimo investimento. Existem as comissões bancárias que diminuem a rentabilidade líquida. Existe risco de perda de capital. É preferível investir nos CTPM que têm melhor retorno actual e, eventualmente, um risco de hair-cut inferior.
×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa