Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Despedimento com justa causa


    Recommended Posts

    Guest Miguel Lopes

    Olá.

    ''Discuti'' com a minha chefe e ela disse que ia falar com o advogado dela porque, durante a ''discussão'', eu mencionei que não era obrigado a fazer tudo o que ela me ordenasse, e portanto, ela poderia despedir-me com justa causa, porque tinha testemunhas em como eu disse isso (o marido dela estava lá e a minha colega também), ao qual eu respondi para ela fazer aquilo que achasse melhor.

    O contracto é sem termo, estou lá a contrato e descontos desde 08/01/2020, mas comecei lá a trabalhar no início de Setembro de 2019, sem contrato e sem descontos, ''à experiência''.

    Já sofri imenso bullying neste emprego, mas como não conseguia arranjar mais nada, lá fiquei. A minha chefe já insinuou que eu tinha sida (não tenho, mas mesmo se tivesse, ela não tinha nada a ver com isso, muito menos dizê-lo em voz alta), já me chamou a mim e à minha colega de trabalho de burros e estúpidos múltiplas vezes, já chamou a minha colega de trabalho anoréxica, entre outros comentários não muito bons. 

    A minha colega de trabalho, atualmente, está do lado dela por conveniência e, portanto, é-me impossível contestar a justa causa que ela irá invocar, pois as únicas testemunhas do bullying que sofri, neste momento, estão do lado da agressora por conveniência, o que não condeno e até entendo.

    Bem, gostaria de saber o que tenho direito se ela, de facto, me despedir com justa causa, a nível de vencimentos, subsídios, compensações, etc, e gostaria de saber se isso irá ter consequências legais, se as futuras entidades empregadoras irão saber que fui despedido com justa causa e o motivo, se isso fica registado em algum lugar, etc.

    Este ano (2021), ainda não gozei férias, mas no ano passado (2020), gozei 22 dias úteis de férias.
    Normalmente gozamos 15 dias em Agosto e o resto dos dias tiramos quando nos apetece, normalmente depois de Agosto, mas obviamente que não vou ficar lá até Agosto.

    Obrigado pela atenção e pela ajuda.

    Link to post
    Share on other sites
    Guest AAA

    Não interessa as testemunhas que ela arranje, qualquer advogado sabe que ela vai chantagear os empregados para serem testemunhas dela.

    Grave as ofensas da sua chefe ou patroa no telemóvel. Precisa de provas. A única questão é que não tem condições para continuar a aturar pessoas sem carácter e abusivas. Mesmo que tivesse sida, não pode ser maltratado por isso. Sida neste momento é considerada uma doença cronica. Isso é discriminado no local de trabalho. E não tenha pena da sua colega ela está se pouco importando consigo. Você vai ficar com a vida estragada e sim fica na lista negra. Todos vão saber que você foi despedido com justa causa, ela vai certificar-se disso. Pessoas que tem esse tipo de atitudes não mudam.

    Foi me dito na psp que o direito de privacidade de imagem fica sem efeito quando se praticam crimes.

    E sim obediência tem limites. Ela pode alegar o que quiser, faça queixa ACT se ela avançar com nota de culpa para despedimento com processo disciplinar com justa causa. Não basta ela tentar ela tem que provar.

    Eu respondi à nota de culpa com denuncia de discriminação sexual, assedio sexual, maus tratos, ofensas verbais de todo o tipo à minha pessoa e á minha honra. Eu tinha uma testemunha entre dezenas de colegas, um colega homem. Mas eu não quis prejudicá-lo e devo dizer-lhe que hoje é meu amigo. Uma pessoa que ficou tão chateado comigo por eu não meter a pessoa em questão na altura em tribunal, porque eu consegui acabar com a pouca vergonha que era a empresa onde trabalhava, que não me falou durante um mês. Eu desde me chamar os nomes todos, passei por momentos de terror onde até pensava que me ia agredir fisicamente. E eu recusei OBEDECER SEMPRE. Fiquei tão traumatizada e tão aterrorizada que hoje não consigo ter um relacionamento com homem nenhum. Inclusive acabou por afectar o meu casamento.

    Eu estive nessa situação e consegui inverter a situação. O advogado conseguiu despedimento com extinção e posto de trabalho. Apesar de eu não ter apresentado uma única testemunha, fiquei mais tarde a saber que já havia outro processo contra quem me atacava por assedio sexual. O meu advogado conseguiu isso em 24 horas por o sr na linha e ameaça-lo com um processo. Mas o meu advogado acreditou em mim, não pelo que lhe disse, mas porque eu só queria me livrar daquilo e sair com os direitos que tinha. Já não aguentava mais.

    Link to post
    Share on other sites
    Wakka
    há 23 horas, Visitante Miguel Lopes disse:

    Olá.

    ''Discuti'' com a minha chefe e ela disse que ia falar com o advogado dela porque, durante a ''discussão'', eu mencionei que não era obrigado a fazer tudo o que ela me ordenasse, e portanto, ela poderia despedir-me com justa causa, porque tinha testemunhas em como eu disse isso (o marido dela estava lá e a minha colega também), ao qual eu respondi para ela fazer aquilo que achasse melhor.

    O contracto é sem termo, estou lá a contrato e descontos desde 08/01/2020, mas comecei lá a trabalhar no início de Setembro de 2019, sem contrato e sem descontos, ''à experiência''.

    Já sofri imenso bullying neste emprego, mas como não conseguia arranjar mais nada, lá fiquei. A minha chefe já insinuou que eu tinha sida (não tenho, mas mesmo se tivesse, ela não tinha nada a ver com isso, muito menos dizê-lo em voz alta), já me chamou a mim e à minha colega de trabalho de burros e estúpidos múltiplas vezes, já chamou a minha colega de trabalho anoréxica, entre outros comentários não muito bons. 

    A minha colega de trabalho, atualmente, está do lado dela por conveniência e, portanto, é-me impossível contestar a justa causa que ela irá invocar, pois as únicas testemunhas do bullying que sofri, neste momento, estão do lado da agressora por conveniência, o que não condeno e até entendo.

    Bem, gostaria de saber o que tenho direito se ela, de facto, me despedir com justa causa, a nível de vencimentos, subsídios, compensações, etc, e gostaria de saber se isso irá ter consequências legais, se as futuras entidades empregadoras irão saber que fui despedido com justa causa e o motivo, se isso fica registado em algum lugar, etc.

    Este ano (2021), ainda não gozei férias, mas no ano passado (2020), gozei 22 dias úteis de férias.
    Normalmente gozamos 15 dias em Agosto e o resto dos dias tiramos quando nos apetece, normalmente depois de Agosto, mas obviamente que não vou ficar lá até Agosto.

    Obrigado pela atenção e pela ajuda.

    Antes de você ser despedido por justa causa invoque você demissão por justa causa. Tem mais do que razões para isso. Só precisa de arranjar provas.
    Leia este artigo:
    https://www.doutorfinancas.pt/utilidades/quer-despedir-se-com-justa-causa-saiba-o-que-deve-ter-em-conta/

    Se você for despedido por justa causa, não só não tem direito a subsidio de desemprego como perde os direitos a qualque indemnização por despedimento.

    No entanto pela sua conversa, e não sabendo mais detalhes parece-me que a sua chefe tem a faca e o queijo na mão e tem razão quanto ao despedimento por justa causa pois você recusou-se a trabalhar. Estou a assumir que aquilo que lhe ordenaram a fazer faz parte das funções para a qual foi contratado e estão escritas no mesmo.

    Link to post
    Share on other sites
    Guest Miguel Lopes
    há 21 minutos, Wakka disse:

    Antes de você ser despedido por justa causa invoque você demissão por justa causa. Tem mais do que razões para isso. Só precisa de arranjar provas.
    Leia este artigo:
    https://www.doutorfinancas.pt/utilidades/quer-despedir-se-com-justa-causa-saiba-o-que-deve-ter-em-conta/

    Se você for despedido por justa causa, não só não tem direito a subsidio de desemprego como perde os direitos a qualque indemnização por despedimento.

    No entanto pela sua conversa, e não sabendo mais detalhes parece-me que a sua chefe tem a faca e o queijo na mão e tem razão quanto ao despedimento por justa causa pois você recusou-se a trabalhar. Estou a assumir que aquilo que lhe ordenaram a fazer faz parte das funções para a qual foi contratado e estão escritas no mesmo.

    Olá, Wakka.
    Infelizmente, não tenho provas do bullying que sofri, porque a minha colega de trabalho não se vai manifestar, porque já trabalha aqui há 10 anos e está do lado da minha chefe por conveniência, embora a minha chefe também lhe ''ataque'' de vez em quando, o que não me permite despedir-me com justa causa... e atualmente não tenho condições para contratar um advogado decente.

    Eu não me recusei a fazer trabalho nenhum, aliás, a ''discussão'' começou porque eu resolvi fazer uma coisa que não era inerente à minha categoria profissional, a pedido dela, mas pelos vistos ela não gostou lá muito do meu trabalho e resolveu criticar-me duramente por isso, e eu retruquei e, durante a discussão, ela disse basicamente: ''tu aqui não fazes favores nenhuns, fazes tudo aquilo que eu mandar e acabou'', ao qual eu contestei essa afirmação e disse que não, não faria tudo aquilo que ela me mandar, e ela usou essa minha afirmação, distorceu-a, e agora parece que vou ser despedido por isso, enfim.
     

    Relativamente às minhas outras questões (o que eu tenho a receber a nível de subsídios, etc), e o despedimento por justa causa fica registado em algum lugar?
    Obrigado pela resposta e cumprimentos.

    Link to post
    Share on other sites
    Guest Miguel Lopes
    há 27 minutos, Wakka disse:

    Antes de você ser despedido por justa causa invoque você demissão por justa causa. Tem mais do que razões para isso. Só precisa de arranjar provas.
    Leia este artigo:
    https://www.doutorfinancas.pt/utilidades/quer-despedir-se-com-justa-causa-saiba-o-que-deve-ter-em-conta/

    Se você for despedido por justa causa, não só não tem direito a subsidio de desemprego como perde os direitos a qualque indemnização por despedimento.

    No entanto pela sua conversa, e não sabendo mais detalhes parece-me que a sua chefe tem a faca e o queijo na mão e tem razão quanto ao despedimento por justa causa pois você recusou-se a trabalhar. Estou a assumir que aquilo que lhe ordenaram a fazer faz parte das funções para a qual foi contratado e estão escritas no mesmo.

    Olá, Wakka.
    Infelizmente não consigo arranjar provas do bullying que sofri, sendo que as duas únicas testemunhas estão do lado da agressora por conveniência. Acho que é game over para mim.

    Sendo esse o caso, perco direito ao subsídio de desemprego e compensações, mas ela ainda tem que me pagar o subsídio de férias? Ou não?
     

    Link to post
    Share on other sites
    Wakka
    há 1 hora, Visitante Miguel Lopes disse:

    Olá, Wakka.
    Infelizmente, não tenho provas do bullying que sofri, porque a minha colega de trabalho não se vai manifestar, porque já trabalha aqui há 10 anos e está do lado da minha chefe por conveniência, embora a minha chefe também lhe ''ataque'' de vez em quando, o que não me permite despedir-me com justa causa... e atualmente não tenho condições para contratar um advogado decente.

    Eu não me recusei a fazer trabalho nenhum, aliás, a ''discussão'' começou porque eu resolvi fazer uma coisa que não era inerente à minha categoria profissional, a pedido dela, mas pelos vistos ela não gostou lá muito do meu trabalho e resolveu criticar-me duramente por isso, e eu retruquei e, durante a discussão, ela disse basicamente: ''tu aqui não fazes favores nenhuns, fazes tudo aquilo que eu mandar e acabou'', ao qual eu contestei essa afirmação e disse que não, não faria tudo aquilo que ela me mandar, e ela usou essa minha afirmação, distorceu-a, e agora parece que vou ser despedido por isso, enfim.
     

    Relativamente às minhas outras questões (o que eu tenho a receber a nível de subsídios, etc), e o despedimento por justa causa fica registado em algum lugar?
    Obrigado pela resposta e cumprimentos.

    Se for exatamente assim como conta, tem de contestar esse despedimento pois é ilegal. Quanto ao subsidio de férias, claro que tem direito, terá direito no proporcional dos dias trabalhados. O despedimento por si não fica registado em lado nenhum mas algumas vezes (cada vez mais raro) um novo empregador pode contactar o antigo empregador ou pedir uma carta de recomendação do último emprego. Não se preocupe com isso.

    Link to post
    Share on other sites

    Join the conversation

    You are posting as a guest. If you have an account, sign in now to post with your account.
    Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

    Guest
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    ×
    ×
    • Create New...