Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    Bruno Forte

    Dúvida sobre herança/conta bancária

    Recommended Posts

    Bruno Forte

    Boa noite,eu e o meu irmão somos os herdeiros directos da minha avó visto que o meu pai filho dela e o meu avó já faleceram,na herança temos direito a uma parte do terreno e também de uma parte da casa que ela possui segundo o que aparece no documento de patrimonio das finanças,ainda não fizemos habilitações de herdeiros,sendo ela a cabeça de casal.

    Em primeiro gostaria de saber se também temos direito a uma parte da quota dela se quisermos pedir partilhas.Ela tem a conta bancária em conjunto com o sobrinho e só agora viemos a saber disso,como fica a situção em caso de falecimento?quem tem direito a ficar com o montante da conta?Se me pudessem responder agradecia muito para me preparar em relação ao futuro.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloagsantos

    quando irmãos/irmãs tinha o teu pai? se forem muitos, mais vale estarem quietos do que estarem a darem amarguras à vossa avó.

    só terão direito à quota dela, quando ela falecer. os bens dos teus avós, se estavam em comunhão de bens, que é o regime mais comum, eram 50% do teu avó e 50% da tua avô. quando o teu avó faleceu, os 50% dele foram divididos pelos filhos todos e pela tua avó. se os teus avós tiveram, por exemplo,  4 filhos, os 50% do teu avó são divididos em 10% para cada filho e 10% para a tua avô.

    por tanto para já de pedirem para fazerem partilhas, tu e o teu irmão apenas vão herdar uma pequena parte de um terreno (que se for rústico não deve valer nada de jeito) e de uma casa (provavelmente uma casa velha e antiga)

    em relação ao dinheiro no banco, se é uma conta conjunta, o dinheiro é à partida de todos os titulares.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Bruno Forte
    2 hours ago, pauloagsantos said:

    quando irmãos/irmãs tinha o teu pai? se forem muitos, mais vale estarem quietos do que estarem a darem amarguras à vossa avó.

    só terão direito à quota dela, quando ela falecer. os bens dos teus avós, se estavam em comunhão de bens, que é o regime mais comum, eram 50% do teu avó e 50% da tua avô. quando o teu avó faleceu, os 50% dele foram divididos pelos filhos todos e pela tua avó. se os teus avós tiveram, por exemplo,  4 filhos, os 50% do teu avó são divididos em 10% para cada filho e 10% para a tua avô.

    por tanto para já de pedirem para fazerem partilhas, tu e o teu irmão apenas vão herdar uma pequena parte de um terreno (que se for rústico não deve valer nada de jeito) e de uma casa (provavelmente uma casa velha e antiga)

    em relação ao dinheiro no banco, se é uma conta conjunta, o dinheiro é à partida de todos os titulares.

    O meu pai era filho unico e faleceu primeiro que o meu avô,penso que eram mesmo casados com comunião de bens os meus avós.

    Em relação à conta bancária em caso de falecimento eu e o meu irmão não deveriamos ficar com uma parte sendo herdeiros directos dela?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    480
    há 9 horas, pauloagsantos disse:

    .......

    só terão direito à quota dela, quando ela falecer. os bens dos teus avós, se estavam em comunhão de bens, que é o regime mais comum, eram 50% do teu avó e 50% da tua avô. quando o teu avó faleceu, os 50% dele foram divididos pelos filhos todos e pela tua avó. se os teus avós tiveram, por exemplo,  4 filhos, os 50% do teu avó são divididos em 10% para cada filho e 10% para a tua avô.......

    da legislação que já li, no mínimo é 1/4 da herança para o conjugue. 1/4 de 50% (que é a parte de quem faleceu) é 12.5%

    o conjugue têm sempre no mínimo 62.5% de toda a herança (50% seus e 12.5% do conjugue)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov
    13 hours ago, 480 said:

    da legislação que já li, no mínimo é 1/4 da herança para o conjugue. 1/4 de 50% (que é a parte de quem faleceu) é 12.5%

    o conjugue têm sempre no mínimo 62.5% de toda a herança (50% seus e 12.5% do conjugue)

    Não sabia disso, mas fui verificar e está correcto. Está descrito no nº 1 do artigo 2139º do Código Civil.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloagsantos
    há 13 horas, 480 disse:

    da legislação que já li, no mínimo é 1/4 da herança para o conjugue. 1/4 de 50% (que é a parte de quem faleceu) é 12.5%

    o conjugue têm sempre no mínimo 62.5% de toda a herança (50% seus e 12.5% do conjugue)

    pensei que era em parte iguais, pelos vistos estava errado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest PJA
    A 28/11/2016 at 21:57, 480 disse:

    o conjugue têm sempre no mínimo 62.5% de toda a herança (50% seus e 12.5% do conjugue)

    Errado: o cônjuge tem sempre no mínimo 25% de toda a herança. Fica com pelo menos 62,5% do património comum, mas da herança só tem garantidos 25% - importa não confundir os dois termos... O que se passa é 50% do património comum faz parte da herança do falecido e os outros 50% fazem parte do património do cônjuge sobrevivo - e assim se chega ao mínimo de 62,5%.

    A frase da forma que estava escrita depois leva a confusões quando se começa a entrar em linha de conta com o património que era só do falecido (ex: uma casa que tivesse comprado antes do casamento, ou uma herança). 

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    480
    há 6 horas, Visitante PJA disse:

    Errado: o cônjuge tem sempre no mínimo 25% de toda a herança. Fica com pelo menos 62,5% do património comum, mas da herança só tem garantidos 25% - importa não confundir os dois termos... O que se passa é 50% do património comum faz parte da herança do falecido e os outros 50% fazem parte do património do cônjuge sobrevivo - e assim se chega ao mínimo de 62,5%.

    A frase da forma que estava escrita depois leva a confusões quando se começa a entrar em linha de conta com o património que era só do falecido (ex: uma casa que tivesse comprado antes do casamento, ou uma herança). 

    mt bem corrigido, obrigado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    joedualmar

    Uma questão, o meu sogo faleceu e já era viúvo e já tínhamos feito parte das partilhas, ficando apenas o maldito dinheiro do banco, em que era primeiro titular o meu sogro e um outro filho como segundo titular, após falecer o titular vivo foi ao banco com a minha esposa e a senhora do banco disse que ele como titular tinha direito a 50% do dinheiro e o restante era dividido pelos outros irmãos, será que legalmente é mesmo assim? É que ele apenas era titular por precaução, fazendo apenas levantamentos pontuais para levantar a reforma dele? Agradecia a vossa opinião. Obrigado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    Penso que sim.

    Se ele é um dos 2 titulares da conta, 50% do saldo é dele. O restante será dividido pelos herdeiros do seu sogro, incluindo novamente esse filho.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    O ideal seria os diversos filhos chegarem a acordo por bom-senso, de forma a que o filho titular distribuísse a parte legalmente dele pelos restantes irmãos. Porque não será o banco que o fará.

    Edited by JRJordao

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa