Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Nuno Almeida

    Apuramento relevante

    Recommended Posts

    Nuno Almeida

    Boa tarde,

    Depois da segurança social me determinar o escalão pelo rendimento declarado, tenho uma duvida.

    Os subsídios não destinados á exploração ( subsidio ao investimento), estão a ser considerados pela SS como rendimento relevante a 70%. Mas no código contributivo, artigo 162º, diz o seguinte:
    Determinação do rendimento relevante
    1 - O rendimento relevante do trabalhador independente é determinado nos seguintes termos: (Redação dada pela
    Lei n.º 55-A/2010, de 31 de dezembro)
    a) 70% do valor total de prestação de serviços no ano civil imediatamente anterior ao momento de fixação da base
    de incidência contributiva;
     20% dos rendimentos associados à produção e venda de bens no ano civil imediatamente anterior ao momento
    de fixação da base de incidência contributiva.

    Pergunto é legal eles considerarem o subsidio como prestação de serviços?

    Agradeço toda a informação que possam dispensar.

    Obrigado.

    Nuno Almeida

     

     

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida

    No Anexo SS não declarei os subsídios ao investimento, não existe campo para os mencionar.

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ra

    Ok.

    Mas onde eu queria chegar era como é que eles tiveram conhecimento do subsidio e aplicaram os 70%.

    Por acaso, ao preencher o anexo SS, não colocou os subsídios no campo dos serviços? Ou simplesmente não colocou o subsidio em nenhum campo?

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida

    Eles basearam-se no anexo B simplesmente, porque ai tenho que declarar no campo 426 (outros subsídios)

    No Anexo SS não coloquei nada nas prestações de serviço.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ra

    Verifique se o campo foi bem preenchido (1/5 do subsidio) e o quadro 4E.

    A ser considerado para o rendimento relevante, é da minha opinião que apenas devia ser considerado 20% (rendimentos associados à produção e venda de bens) de 1/5 do subsidio recebido.

    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida

    Sim coloquei só 1/5 do valor no quadro 426.

    No quadro 4E também está bem, eles consideram os 20% nas ajudas da PAC subsídios que recebo anualmente. Nos subsídios ao investimento eles consideram como subsidio não destinado a exploração. Não entra nos (rendimentos associados à produção e venda de bens).

    Agora no quadro 11 do anexo B tenho de os declarar como prestações de serviços e outros rendimento. Mas continuo a dizer que não pode ser considerado como prestação de serviço. Esse rendimento foi investido na exploração e não um rendimento para o dia a dia.

    Desde já agradeço as respostas que me tem dado.

    Muito obrigado.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ra

    Tendo conhecimento de que apenas se pode pedir a exclusão das mais valias para efeitos de calculo do rendimento relevante, deduzi que o subsidio, ao ser considerado para efeitos do calculo, teria de ser pelos 20% (rendimentos associados à produção de bens - agricultura) do valor do campo 426. Ou seja, 20% de 1/5 do subsidio.

     

    O quadro 4E vem pré-preenchido? ou o declarante é que o preenche?

    Para se determinar se é subsidio à exploração ou ao investimento (não destinado à exploração), o que importa é o objetivo com que ele é atribuído, não a forma como se gasta. Neste sentido, tenho duvidas se não será mesmo um subsidio à exploração.

    Mas se é subsidio ao investimento, importa saber se é ou não possível exclui-lo do rendimento relevante. E se for, se é automático ou tem de ser requerido. Se não for, que taxa é aplicada.

    Verifiquei, segundo o artigo 139º do código contributivo e da informação disponível nos links abaixo, que é possível o contribuinte solicitar a sua exclusão do regime de trabalhadores independentes (não descontar), respeitando determinados requisitos.

    Agora o que não é esclarecido é se apenas se pode excluir o subsidio mantendo o enquadramento no regime (seja por opção ou por obrigação).

    Ou seja, se ao não reunir os requisitos para exclusão do regime ou não querer essa exclusão, se é impossível excluir apenas o subsidio do rendimento. E este ponto, não o vejo figurado no código contributivo.

    Se nada o excluir, só posso deduzir que ele será considerado rendimento cuja taxa a aplicar será a referente ao tipo de atividade (serviços ou venda / produção).

    http://www.seg-social.pt/documents/10152/e9a5ffdd-db5b-4904-8c53-8066b9463bdb

    http://www.seg-social.pt/documents/10152/fdcec308-4df1-44ad-a72f-685f0154661d

    Edited by Ra
    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida

    O quadro E sou eu quem preenche. No anexo B não vem nada pré-preenchido.

    Então pelo que percebo eles podem considera-lo como serviços.

    A segurança social diz que eu apresentei um rendimento relevante de 13179€ e nas finanças o rendimento global são 6200€, será isto possivel?

    O enquadramento dos subsídios não destinados a exploração(investimento) perante as finanças é aplicado o coeficiente 0.30, o porquê da segurança social aplicar 0.70?

    Na minha opinião devia ser considerado como (rendimentos associados à produção e venda de bens).

    Em resposta a minha reclamação eles dizem o seguinte:

    Em aplicação das regras definidas nos art.ºs 162º e seguintes dos diplomas supra foi determinado em Outubro o rendimento relevante para efeitos de fixação de escalão tendo-lhe sido fixado o 4º escalão para pagamento de contribuições com data de produção de efeitos em 01/11/2015, isto atendendo a que apresenta rendimento relevante de 13179€ (70% do valor declarado de prestações de serviços + 20% do valor das vendas+ 20% do valor de subsidio à exploração). (Mais se informa que a base de incidência contributiva é fixada anualmente em outubro e produz efeitos nos doze meses seguintes, conforme o estipulado no art.º 162º dos diplomas supra).

    Só apresentei vendas e subsídios, não fiz prestações de serviços.

     

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ra

     

    há 10 minutos, Nuno Almeida disse:

    O quadro E sou eu quem preenche. No anexo B não vem nada pré-preenchido.

    Então pelo que percebo eles podem considera-lo como serviços.

    A segurança social diz que eu apresentei um rendimento relevante de 13179€ e nas finanças o rendimento global são 6200€, será isto possivel?

    O enquadramento dos subsídios não destinados a exploração(investimento) perante as finanças é aplicado o coeficiente 0.30, o porquê da segurança social aplicar 0.70?

    Na minha opinião devia ser considerado como (rendimentos associados à produção e venda de bens).

     

    Chegou à mesma conclusão que eu: A ser considerado para rendimento relevante, ao subsidio deveria ser aplicado a taxa referente ao tipo de atividade que pratica (20% - produção e venda de bens).

    Não é comparável o calculo para efeitos de IRS com o calculo da Segurança Social, pelo que sim, pode haver diferenças. Para efeitos de IRS são usados coeficientes diferentes e pode haver aí alguma exclusão de rendimento (rendimento não tributável em irs).

    há 15 minutos, Nuno Almeida disse:

    Em resposta a minha reclamação eles dizem o seguinte:

    Em aplicação das regras definidas nos art.ºs 162º e seguintes dos diplomas supra foi determinado em Outubro o rendimento relevante para efeitos de fixação de escalão tendo-lhe sido fixado o 4º escalão para pagamento de contribuições com data de produção de efeitos em 01/11/2015, isto atendendo a que apresenta rendimento relevante de 13179€ (70% do valor declarado de prestações de serviços + 20% do valor das vendas+ 20% do valor de subsidio à exploração). (Mais se informa que a base de incidência contributiva é fixada anualmente em outubro e produz efeitos nos doze meses seguintes, conforme o estipulado no art.º 162º dos diplomas supra).

    Só apresentei vendas e subsídios, não fiz prestações de serviços.

     

    Já que eles não demonstram o calculo efetuado para determinarem o rendimento relevante para o caso em concreto, teremos de ser nós a tentar perceber como eles chegaram aos 13179€, para depois ver se há fundamento para reclamação.

    Se quiser ajuda para analisar o calculo, ceda-me os valores brutos (valor das vendas, valor total do subsidio) e eu vejo como foi determinado o valor 13179 €.

     

    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida
    há 35 minutos, Ra disse:

     

    Chegou à mesma conclusão que eu: A ser considerado para rendimento relevante, ao subsidio deveria ser aplicado a taxa referente ao tipo de atividade que pratica (20% - produção e venda de bens).

    Não é comparável o calculo para efeitos de IRS com o calculo da Segurança Social, pelo que sim, pode haver diferenças. Para efeitos de IRS são usados coeficientes diferentes e pode haver aí alguma exclusão de rendimento (rendimento não tributável em irs).

     

    Já que eles não demonstram o calculo efetuado para determinarem o rendimento relevante para o caso em concreto, teremos de ser nós a tentar perceber como eles chegaram aos 13179€, para depois ver se há fundamento para reclamação.

    Se quiser ajuda para analisar o calculo, ceda-me os valores brutos (valor das vendas, valor total do subsidio) e eu vejo como foi determinado o valor 13179 €.

     

    Os valores são os seguintes:

    Vendas: 816.53

    Subsídios à exploração:3985.14

    Outros subsídios (investimento):17456.56

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ra
    há 35 minutos, Nuno Almeida disse:

    Os valores são os seguintes:

    Vendas: 816.53

    Subsídios à exploração:3985.14

    Outros subsídios (investimento):17456.56

     

    Para chegarmos aos 13179 €, realmente está a ser aplicado 70 % aos subsídios ao investimento e 20% às vendas + subsídios exploração.

    Para IRS são aplicados 15% às vendas, 10% aos subsídios de exploração e 30% a 1/5 dos subsídios ao investimento. Daí o rendimento tributado em IRS ser mais baixo.

    Na minha opinião, não havendo no código contributivo uma taxa especifica a aplicar aos subsídios ao investimento, a forma justa seria aplicar a mesma que se aplica à actividade, que no caso é 20%. Assim seria 816,53 + 3985,14 + (17456,56 / 5 ) = 8292,98 * 20% = 1658,60.

    Também tinha a hipótese de ter pedido a alteração do escalão para 2 níveis abaixo. Do 4º para o 2º.

     

    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno Almeida
    há 1 hora, Ra disse:

     

    Para chegarmos aos 13179 €, realmente está a ser aplicado 70 % aos subsídios ao investimento e 20% às vendas + subsídios exploração.

    Para IRS são aplicados 15% às vendas, 10% aos subsídios de exploração e 30% a 1/5 dos subsídios ao investimento. Daí o rendimento tributado em IRS ser mais baixo.

    Na minha opinião, não havendo no código contributivo uma taxa especifica a aplicar aos subsídios ao investimento, a forma justa seria aplicar a mesma que se aplica à actividade, que no caso é 20%. Assim seria 816,53 + 3985,14 + (17456,56 / 5 ) = 8292,98 * 20% = 1658,60.

    Também tinha a hipótese de ter pedido a alteração do escalão para 2 níveis abaixo. Do 4º para o 2º.

     

    Obrigado pela resposta breve.

    Sim também optei pelo 2º escalão mas mesmo assim é um valor muito alto para os rendimentos que usufruo.

    Vou ponderar levar isto para tribunal.

    Obrigado mais uma vez.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa