Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    SusanaCosta

    É possível deserdar alguém?

    Recommended Posts

    SusanaCosta

    Boa tarde.

    Tenho duas questões:

    1. É possível deserdar um filho?

    2. Caso se venda a casa de família enquanto os pais estão vivos e cientes das suas escolhas e se distribua o dinheiro dessa venda por 3 dos 4 filhos, é considerado ilegal por ser uma venda de um dos itens a herdar?

     

    Obrigada pela ajuda!

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    É possível deserdar, mas apenas nestas condições (retirado de http://www.direitosedeveres.pt/q/vida-pessoal-e-familiar/sucessoes/em-que-circunstancias-pode-um-pai-deserdar-um-filho):

    É possível deserdar um filho, mas apenas em três circunstâncias:

    ‑ o herdeiro ter sido condenado por algum crime doloso (isto é, intencional, não meramente negligente) cometido contra a pessoa, bens ou honra do autor da sucessão ou de um seu cônjuge, ascendente, descendente, adoptante ou adoptado, desde que ao crime corresponda uma pena superior a seis meses de prisão;

    ‑ o herdeiro ter sido condenado por denúncia caluniosa ou falso testemunho contra as mesmas pessoas;

    ‑ o herdeiro ter, sem justa causa, recusado ao autor da sucessão ou ao seu cônjuge os devidos alimentos.

    A deserdação deve ser declarada expressamente no testamento, com indicação da sua causa. O deserdado pode impugnar a deserdação em tribunal, alegando que a causa invocada não existe. O prazo para o fazer é de dois anos a contar da abertura do testamento.

     

    No caso em concreto, o 4º filho tem sempre direito à sua parte da herança. No caso de os 4 filhos serem os únicos herdeiros, ele tem sempre direito a 25% do valor da quota legímita (correspondente a 2/3 do valor da herança). Os pais apenas têm controlo total sobre a quem dar o restante terço da herança (quota disponível)

    Por outras palavras, tem sempre direito a cerca 16.5% do valor da herança. Havendo comprovativos que a casa foi vendida e o dinheiro dado apenas a alguns filhos o 4º filho pode reclamar que esse valores transferidos sejam tidos em conta quando se apura o que calha a cada um na partilha de bens após a morte dos pais.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia
    há 3 horas, SusanaCosta disse:

    1. É possível deserdar um filho?

    O Rui já respondeu. Só para complementar que as condições referidas são as que estão no artigo 2166º do Código Civil e têm os efeitos descritos no artigo 2037º (ou seja, se esse filho tiver filhos, estes podem exercer o seu direito de representação e herdar dos avós, mesmo que o seu pai não possa).

    há 3 horas, SusanaCosta disse:

    2. Caso se venda a casa de família enquanto os pais estão vivos e cientes das suas escolhas e se distribua o dinheiro dessa venda por 3 dos 4 filhos, é considerado ilegal por ser uma venda de um dos itens a herdar?

    A venda não é ilegal. No entanto, um dia que haja uma herança e sejam feitas as partilhas, os 3 filhos têm de reportar o dinheiro que já receberam dos pais e esse dinheiro entra para as contas das partilhas, provavelmente na parte disponível (ver secção sobre Colação - artigo 2104º e seguintes). Ou seja, eles podem vir a receber bastante menos dos outros bens da herança, para compensar o facto de terem recebido agora esse dinheiro a mais. 

    Para mais esclarecimentos sobre aquilo a que cada filho tem direito sugiro a leitura dos capítulos sobre a sucessão legitimária (artigos 2156º e seguintes).

     

    Só mais uma nota: sem prejuízo das possibilidades previstas na lei para deserdar um filho, na maior parte das outras situações em que se tenta fazer alguma coisa nesse sentido, acaba por se estar a criar uma "guerra" entre os filhos - o que é prejudicado muitas vezes acaba por levar o caso para a justiça e a coisa arrasta-se durante algum tempo com prejuízo para todos os que cá ficam a resolver o problema...

    Se há vontade de premiar ou prejudicar um filho em detrimento dos outros, então deve deixar um testamento escrito, manifestando essa vontade e a forma como os bens devem ser divididos (e, embora não seja obrigatório, pode aproveitar para explicar o porquê). Para além de ser a única forma legal de distribuir os bens de forma diferente pelos vários herdeiros, torna-se mais fácil para os herdeiros atribuir a "culpa" ao falecido e há menos hipótese de se criarem/aprofundarem as divisões entre eles.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    SusanaCosta

    Muito obrigada pela ajuda, irei analisar os artigos apresentados.

     

    Cumprimentos.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa