Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • ticket1977

    60k - onde investir?

    Recommended Posts

    ticket1977

    Caros,

    O que me aconselham para 60K que tenho em obrigações de dívida Portuguesa e que pretendo vender? Não preciso do dinheiro e quero assumir um risco equilibrado. Depósitos a prazo fora de questão.

    Fundos? Quais? Obrigações? Quais?

    Se fossem vocês o que fariam, na conjuntura economica atual?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    Caros,

    O que me aconselham para 60K que tenho em obrigações de dívida Portuguesa e que pretendo vender? Não preciso do dinheiro e quero assumir um risco equilibrado. Depósitos a prazo fora de questão.

    Fundos? Quais? Obrigações? Quais?

    Se fossem vocês o que fariam, na conjuntura economica atual?

    Banco?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ticket1977

    Trabalho com BIG, Santander, BES e Privat. Mas abro conta noutro se for preciso.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    Claro, mas depende sempre do teu perfil de risco, horizonte temporal, a percentagem a que esse capital faz parte do teu patrimonio, do que estas disposto a abdicar num investmento, se é liquidez, se é uma remuneração mais baixa, desvalorização de capital...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ticket1977

    Eu gostava era de lançar o desafio de vocês dizerem o que fariam caso tivessem 60k para investir. Digamos que este montante representa cerca de 40% da liquidez e que os restantes 60% estão aplicados de forma variada.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Mouro Emprestado

    Estás disposto, num ano, a perder 30% da tua carteira, sabendo que, a longo-prazo, será eventualmente expectável ir buscar cerca de 7% de rendimento médio?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    "Perder" 18000€ num ano é muito, numa carteira diversificada de fundos e sem "aventuras" 30% de rentabilidade negativa é dificil de conseguir, teria de ser um ano muito muito mau nas acções como obrigações, para alêm de que numa carteira deve de existir um pé de meia ( fundos de liquidez) para baixar a volatilidade e desvios padrão da mesma.

    Agora claro que o Mouro poderá estar a falar de outro tipo de aplicação..

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ramiro Costa

    Estou a seguir este tópico porque brevemente terei também uma disponibilidade (um pouco superior à referida) e procuro alternativas aos tradicionais DP.

    Importam-se de ser um pouco mais objectivos/específicos nas sugestões?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Mouro Emprestado

    "Perder" 18000€ num ano é muito, numa carteira diversificada de fundos e sem "aventuras" 30% de rentabilidade negativa é dificil de conseguir, teria de ser um ano muito muito mau nas acções como obrigações, para alêm de que numa carteira deve de existir um pé de meia ( fundos de liquidez) para baixar a volatilidade e desvios padrão da mesma.

    Agora claro que o Mouro poderá estar a falar de outro tipo de aplicação..

    Se não estou em erro, carteiras* com cerca de 80% alocado a acções (e o resto em obrigações) tiveram esse tipo de "desaventuras" em 2008/2009. Claro que quem rebalanceou a sua carteira para esse tipo de activos quando eles estiveram em baixa, acabaram por beneficiar de um bull run que dura até hoje **

    * Penso não ser preciso explicar que uma carteira de investimento não deve estar apenas alocada a activos com risco (pessoalmente, não considero os fundos de tesouraria como investimentos puros, dado que os equiparo a activos como DPs, mas isso é apenas uma opinião pessoal).

    ** Performances passadas não garantem performances futuras.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Mouro Emprestado

    Em parte deste capital estou, o que propõe?

    Ler.

    Estudar.

    Analisar.

    No really?!  :o

    Agora mais a sério, tal como o D@vid mais acima questionou, qual o tipo de alocação de activos é que será ideal para ti? (e apenas para ti, não sigas a alocação doutras pessoas apenas porque sim, dado que cada pessoa tem a sua aversão ao risco)

    Depois interroga-te para o seguinte:

    - cria uma carteira com activos não relacionados (não vale a pena ter 10 fundos que investem no mesmo tipo de acções);

    - não compres alto para vender barato, faz exactamente o contrário (será que vale a pena ir atrás deste ou daquele tipo de activos só porque no ano passado teve rendibilidades acima da média?)

    - o mercado é a soma de todos os investidores, quer isso dizer que há perdedores e ganhadores (achas-te mais inteligente do que todos os outros investidores?)

    - nós somos o nosso pior inimigo (temos a tendência de valorizar a nossa capacidade analítica versus a restante população)

    - a tributação é importante e não deverá ser descurada (afinal, é das poucas variáveis que sabemos à partida todos os anos)

    Complicado?

    Se achares que sim, na minha opinião muito pessoal, deverias questionar-te se vale a pena investires em fundos de investimento (especialmente agora que aparentamos estar num bull-market nas acções dos mercados desenvolviddos).

    Para o efeito, aconselho-te a dares uma olhadela por este tipo de tópicos há um ano atrás.

    Porquê?

    Porque muita gente investiu em fundos supostamente pouco arriscados (obrigações) e depois acabou por resgatar com perdas após as quedas que ocorreram por volta de Maio/Junho do ano passado. Na minha opinião, não deveriam ter investido em algo para o qual não estavam preparados (contra mim falo, fiz exactamente o mesmo erro em 2008/2009, mas espero ter aprendido com o passado!)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    daniel__

    - será que vale a pena ir atrás deste ou daquele tipo de activos só porque no ano passado teve rendibilidades acima da média?

    - o mercado é a soma de todos os investidores, quer isso dizer que há perdedores e ganhadores (achas-te mais inteligente do que todos os outros investidores?)

    Não concordo assim muito com estes dois pontos. Um fundo com rendibilidades acima da média a dez anos, não tem muito que enganar. Obvio que não é garantia, mas é um grande indicador.

    E também não é necessariamente preciso ser mais inteligente que os outros. Por exemplo, basta que alguém precise de dinheiro e voce o empreste (exemplo fundos de obrigações). Não ha nada de ser inteligente aqui, simplesmente responder a uma necessidade.

    Respondendo ao topico, se não domina muito do assunto, defina um perfil de investimento, respeite-o, veja uma carteira modelo de um dos banco online, veja as rentabilidades pelo menos a 5 anos dessa carteira.

    Pelo menos sabe o que a carteira rendeu nos ultimos anos, e se não percebe, não inventa. O invest por exemplo, tem carteiras modelo diversificadas e para varios perfis com rentabilidades a 3 anos de 6/7/9% liquidas.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Mouro Emprestado

    Não concordo assim muito com estes dois pontos. Um fundo com rendibilidades acima da média a dez anos, não tem muito que enganar. Obvio que não é garantia, mas é um grande indicador.

    Acho que não me expliquei bem... Estou mais a falar em ganhos obtidos mais recentemente. Do género "agora os biotechs é que estão a dar, vamos investir neste activo" ou "o bitcoin está a ter um imenso crescimento, vamos na onda" (aqui estou claramente a exagerar).

    E também não é necessariamente preciso ser mais inteligente que os outros. Por exemplo, basta que alguém precise de dinheiro e voce o empreste (exemplo fundos de obrigações). Não ha nada de ser inteligente aqui, simplesmente responder a uma necessidade.

    Aqui também estamos a falar de coisas diferentes. O ponto que gosto de passar é que determinado mercado (acções EUA, acções Japão, Treasuries americanas, etc.) é caracterizado pelo conjunto de todos os investidores. Ora, como qualquer mercado, existem ganhadores (os que estão acima da média do mercado) e os perdedores (os que estão abaixo). É que se determinado activo dá, em média, 10% (número ao calhas), não posso ficar satisfeito se apenas obtenho 5% (mesmo que seja superior a um DP, por exemplo).

    ... veja as rentabilidades pelo menos a 5 anos dessa carteira.

    Tem de se ter cuidado a analisar carteiras a 5 anos.

    Porquê?

    Os mercados accionistas bateram no fundo mais ao menos há 5 anos atrás. Não é expectável no futuro obter em média, ganhos de 20% anualizados (+/- o crescimento do SP500 neste período de tempo). Em contrapartida, é aconselhável ver as rendibilidades a 7 anos (assim dá para analisar o efeito de um crash bolsista profundo em determinada carteira... Para comparação, o SP500 leva um crescimento anualizado de cerca de 6% se considerarmos os tais 7 anos).

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    Se não estou em erro, carteiras* com cerca de 80% alocado a acções (e o resto em obrigações) tiveram esse tipo de "desaventuras" em 2008/2009. Claro que quem rebalanceou a sua carteira para esse tipo de activos quando eles estiveram em baixa, acabaram por beneficiar de um bull run que dura até hoje **

    * Penso não ser preciso explicar que uma carteira de investimento não deve estar apenas alocada a activos com risco (pessoalmente, não considero os fundos de tesouraria como investimentos puros, dado que os equiparo a activos como DPs, mas isso é apenas uma opinião pessoal).

    ** Performances passadas não garantem performances futuras.

    Uma carteira com 80% de acções e 20% de obrigações é óbvio que se sujeita a grande volatilidade e rentabilidades, tanto para cima como para baixo, significativas, não era bem nesse tipo de alocação que eu me referia.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Dino

    Estou numa situação semelhante e no BIG sugeriram-me aplicar no PPR TAXA PLUS:

    [table][tr][td][/td][td]

    Performance

    [/td][/tr][tr][td]mtd[/td][td]

    2,51%

    [/td][/tr][tr][td]ytd[/td][td]

    9,94%

    [/td][/tr][tr][td]since inc[/td][td]

    10,47%

    [/td][/tr][/table]NOTA:: Recordo que rendibilidades passadas não garantem rendibilidades futuras.

    Fundo de Pensões PPR Taxa Plus

    Num cenário em que o peso fiscal tem forte impacto nas rendibilidades dos investidores, o BiG alarga a sua oferta oferecendo os seus serviços de gestão discricionária num formato cuja novidade é a eficiência fiscal que permite. O Fundo de Pensões PPR Taxa Plus propõe-se a manter a dinâmica das nossas carteira de  gestão discricionária, potenciando a rendibilidade das mesmas através da diversificação de activos e prospecção de oportunidades no mercado, bem como através do menor peso fiscal. A vantagem destes formato prende-se com a legislação fiscal aplicada a um fundo de pensões. Ou seja, em que em vez dos atuais 28% de tributação sobre as mais-valias, a tributação é apenas de 21,5%. Sendo que se mantiver por 5 anos passa a ter uma tributação de 17,2% e ao fim de 8 anos de 8,6%. Adicionalmente há também eficiência fiscal a nível de gestão de investimento já que dentro da carteira não existe qualquer tributação sobre mais-valias, nem sobre o recebimento de cupões. É ainda importante salientar a inexistência de reporte fiscal para o cliente.Trata-se de uma carteira diversificada que privilegia o investimento directo em obrigações em formato Fundo de Pensões PPR  gerida de forma discricionária por parte da equipa de Gestão de Activos do BiG.

    A politica de investimento do fundo PPR Taxa Plus está orientada para investidores que assumam uma tolerância ao risco média e que tenham uma perspectiva de valorização do seu capital no longo prazo. No entanto, a gestão desta carteira potencia a preservação de capital através de uma carteira de activos exposta a riscos relacionados com o investimento em taxa de juro. Trata-se de um investimento orientado para a estabilidade do retorno de médio e longo prazo, através de uma adequada diversificação de riscos e de uma politica de investimento moderada em títulos de rendimento fixo (obrigações / fundos de obrigações).

    è A composição estabelecida para a carteira é:

    75% a 100%        ::            títulos de rendimento fixo.

    0% a 10%            ::            Investimentos alternativos

    0% a 20%            ::            Liquidez

    è Características dos Produtos:

    Montante mínimo          ::            10,000€

    Reforço mínimo              ::            1000€

    è Comissionamento:

    Subscrição                          ::            Isento

    Comissão de Gestão

    (diluído no valor da UP)::            1% (sobre o valor gerido)

    Resgate                              ::            2% (isento a partir do 1º ano)

    Gostaria de ouvir as vossas opiniões sobre esta aplicação?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    azimuter

    É necessário saber o perfil de investidor, o seu não o dos outros.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa