Ir para o conteúdo
  • FORMAS DE POUPAR

  • ecgd

    Dívida fiscal em herança

    Recommended Posts

    ecgd

    Boa noite,

    Parabéns pelo blog, que apenas hoje descobri, no meio da minha pesquisa. Tenho uma questão que não encontrei respondida aqui e que talvez possa interessar a mais pessoas:

    - o meu pai faleceu e estamos a iniciar o processo para a partilha dos bens. Algum tempo antes do seu falecimento, informou-nos que tinha sido notificado pelo fisco para pagar uma coima por não ter pago mais valias em 2008 pela venda de um imóvel. O valor a pagar é de cerca de 50.000 euros.

    - O meu pai faleceu a meio do processo de negociação com as finanças para fasear o pagamento. Esse faseamento previa juros de 7% ano. O prazo para pronto pagamento termina para a semana.

    A questão é: Como vamos assumir essa dívida, porque o valor da herança é superior, a contagem do prazo para pronto pagamento é interrompida por morte do meu pai?  Será que a dívida entra automaticamente no deve/haver da habilitação de herdeiros?

    Na sexta-feira vou às finanças e queria ir preparada para lidar com a situação.

    Ficarei muito grata se alguém me der uma luz sobre esta questão.

    Obrigada, Emília

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites
    pauloaguia

    Sim, a dívida entra para as contas da herança, mas se tiverem oportunidade de a liquidar desde já façam-no, evitam estar depois a perder dinheiro em juros.

    O(s) herdeiro(s) que avançar com o dinheiro para a pagar, depois terá naturalmente direito a ser ressarcido dessa despesa quando fizerem as partilhas (sendo que há uma parte que lhe caberia a ele).

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites
    Visitante Luis Gi

    Gostava de saber qual o artigo da Lei que menciona a obrigatoriedade de mais de 2 anos com a mesma morada fiscal para efeitos de declaração conjunta! Se duas pessoas vivem juntas há mais de dois anos sob a mesma morada fiscal, significa para mim, que no ano transacto já viveram sob o mesmo conjunto de rendimentos/despesas! Faz algum sentido que duas pessoas que tenham mudado a morada fiscal a 2 de Janeiro de 2010, só possam preencher a declaração de IRS em "união de facto" em 2013 (após quase três anos)? Parece-me que há aqui um abuso/deturpação da Lei.

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites
    MiguLuso

    Boa tarde,

    Queria que me ajudassem nalgumas perguntas.

    Existindo uma divida nas finanças (em stand-by porque nao foi feito nenhum acordo de pagamentos) em nome de dois titulares (casados em comunhão de bens), quando uma das pessoas falece, o que acontece à divida? Deixa de existir ou fica com o mesmo valor?

    Nota: A pessoa que faleceu (e o conjugue) não têm nenhum bem. Não existe herança.

    Cumps

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites

    Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

    Visitante
    Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
    Responder a este tópico

    ×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa