Ir para o conteúdo
  • FORMAS DE POUPAR

  • jpmf1

    Multi-Riscos Habitação

    Recommended Posts

    jpmf1

    Boa Tarde,

    Solcito a vossa ajuda na seguinte questão;

    De acordo com a lei vigente todos os proprietarios de imoveis em regime horizontal tem de entregar o documento e as condições constantes do mesmo e a prova de pagamento em como está em vigor, até uma determinada data.

    Foi-me proposto pela Administração do Condominio a mim e aos restantes Condóminos a adesão a este seguro colectivo, visto ficar mais barato e ter a vantagem de ser mais fácil resolver qualquer litigio entre fracções, porque todas elas estavam sob a alçada da mesma Companhia de Seguros.

    Como estamos em tempos de vacas magras acedi de imediato, havendo a necessidade de a nova apólice contemplar as mesmas condições ou superiores, sendo informado pela Administração que não haveria problemas junto da entidade bancária.

    Acontece que na altura existiram problemas e não foram poucos, havendo a ameça da parte da CGD em que se romposse este contrato a minha prestação mensal subiria em virtude de a taxa de spread subir devido a este problema, que não podia anular esta apólice se não as coimas que adviriam daí, serem muito superiores ao diferencial que ia poupar relativamente á apólice do Condominio.

    Como pretendia não ter mais encargos, prejuizo e problemas decidi suspender a apólice do Condominio e continuar com a do Banco, visto ter um spread de 0.5%.

    À posterior e visto que houve um lapso no envio desta apólice para a Administração do Condominio a confirmar a existencia da mesma, (com um atraso de 2 meses) a Administração contratou uma apólice para segurar a minha fracção, pedindo de imediato a sua anulação.

    No entanto, debitaram-me de imediato a minha pela totalidade da mesma de XXX €, e informaram-me que ia ser anulada de imediato a apólice e que ia ser devolvido o restante montante.

    Para espanto meu, procedi agora ao envio da apólice e verifico que tenho a débito ainda o montante total para pagamento, informando que talvez não houvesse direito a extorno, visto nem todas as companhias o fazerem.

    A minha questão prende-se com esta questão, tenho direito ao extorno ou não, o que é que a lei diz?

    Cumprimentos,

    jpmf1

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites
    miguel martins

    Boa tarde,

    Quando fez o seguro através do condominio, certamente colocou lá que havia um beneficiário irrevogável. Portanto para efectuar a anulação da apólice o banco terá que autorizar, pois a companhia não pode anular sem essa autorização.

    Quanto ao estorno, parece-me que isso ficará ao critério da companhia, pois a anulação de seguros não é é possivel sempre que as pessoas querem, terá que haver um motivo atendível que a isso justifique ( neste caso parece-me que exista essa motivo, mas não sei qual a interpretação da companhia).

    No entanto se a companhia já anulou o seguro, certamente terá direito ao estorno.

    Vasco Martins

    Partilhar esta publicação


    Link para a publicação
    Partilhar noutros sites

    Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

    Visitante
    Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
    Responder a este tópico

    ×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa