Ir para o conteúdo
Visitante josé C

dúvidas amortizar crédito habitação

Recommended Posts

Visitante josé C

Bom dia

Tenho acompanhado o vosso excelente blog com regularidade mas depreendo-me com algumas dúvidas que eu gostaria que alguém esclarecesse.

1- Eu pretendo amortizar o empréstimo. No entanto, já li que convém manter sempre uma prestação que me permita no final a dedução em sede de IRS. Qual a fórmula a utilizar de modo a poder amortizar, mas ficando com uma prestação mínima que me permita usufruir dessas regalias fiscais (dedução máxima)?

Anualmente, é sempre feita a actualização da dedução para IRS? Quais os critérios de actualização??

2- Verificando que não existem, no meu caso, aplicações seguras (depósito a prazo, aforro…) que me proporcionem juros superiores aos juros cobrados no crédito à habitação (cerca de 75 euros mensais), é sempre preferível amortizar, mesmo que as quantias a amortizar não sejam elevadas (ex: 500 a 1000 euros)??

3- Por exemplo, se eu amortizar 510 Euros (para facilitar as contas) no capital em dívida e sabendo que, mensalmente, o banco retira-me cerca de 170 euros correspondentes ao capital (portanto, excluindo juros), e na análise que as taxas de juros se mantêm inalteradas, abateria cerca de 3 meses do prazo remanescente?

Quanto maior for a amortização do capital, menor será o prazo remanescente da dívida (no pressuposto que a redução do prazo da dívida não foi negociado com o banco)???

Ou os bancos fazem cálculos de maneira a que o prazo contratado não seja alterado??

Obrigado pela atenção

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia

1.

Isso depende de quantos anos queres continuar a ter o benefício fiscal (e de quantos anos ainda ele vai continuar a existir... nos dias de hoje já não digo nada, sendo certo que se estás num dos dois últimos escalões do IRS já vais deixar de ter direito a ele). E, claro, da evolução das taxas, porque esta influencia o que se paga.

Mesmo que amortizes a totalidade do empréstimo, este ano vais ter direito a ele - provavelmente já ultrapassaste o limite de dedução e mesmo que não o tivesses feito, as amortizações extraordinárias para isso vão contribuir.

Quanto à fórmula de cálculo... Em primeiro lugar, a dedução máxima depende dos teus rendimentos e do nível de certificação energética da casa (vê aqui). Assumindo que no teu caso a dedução máxima é de 591€, quer dizer que isso corresponde a teres pago ao longo do ano juros e amortizações no valor de pelo menos 591€/30%= 1970€. Ou seja, podes tentar ir amortizando o crédito até o valor anual das prestações rondar mais ou menos os 2000€, se quiseres continuar a tirar partido desta dedução.

2.

A comparação dos juros deve ser feita pela taxa, não pelo valor absoluto. Obviamente que os juros de um empréstimo de 100.000€ são sempre superiores aos que se conseguem investindo 10.000€ num depósito. Mas se a TAN do empréstimo for 3% e a TANL do depósito for de 4%, já compensa mais investir o dinheiro do que amortizar, porque o que se ganha de juros é mais do que se poupa amortizando ;)

3.

Na maior parte dos contratos, quando fazes uma amortização não é o prazo que desce mas sim o valor da prestação. O prazo fica sempre o mesmo.

Há alguns contratos, no entanto, em que a prestação fica constante mas o prazo é que é elástico. Estes contratos destinam-se a eedar alguma almofada às flutuações das taxas de juro - o cliente paga sempre o mesmo, pode é levar mais ou menos tempo a pagar.

Tens que ver qual é o teu caso. Se não sabes, o mais provável é que seja o primeiro.

Podes simular o impacto da amortização através das ferramentas disponibilizadas no blog: http://www.pedropais.com/creditos/mapa-de-prestacoes-avancado

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
xeeponline

Seja qual for o caso penso que nos dias que correm se puder amortizar é bem melhor pois aos poucos vai-se livrando da dívida.

Concordo plenamente, seja muito ou pouco, sempre que puder amortizar o crédito deve fazê-lo, embora muita gente em vez de o fazer, coloque à frente dessa amortização outras prioridades (algo que considero errado).

Isto é a minha opinião pessoal obviamente.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Speedbird

Olá,

Com bancos a dar juros de 5% nos DP , acho um péssimo negócio sequer amortizar.Já nem digo liquidar.

Some quanto paga em juros ao ano, some quanto paga de seguros, e verá que provavelmente não paga 5% de juros ao banco todos os anos.

Eu estou na mesma situação.Tenho dinheiro para liquidar  , emocionalmente quero liquidar para me ver livre da última dívida que tenho , mas racionalmente seria a maior burrada.

Speedbird.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante klab

Já para não falar no beneficio fiscal (IRS)...

O atual juro pago pela banca(4/5%) mais o que se recebe de IRS, dá muito bem para pagar o CH e ainda temos lucro :)

Eu também tenho capital suficiente para liquidar o CH, mas não o faço, tenho o capital investido e o banco é que me paga a casa :)

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
b4u

De acordo com os ultimos posts há uma coisa que não consigo entender.

Então eu tendo 10.000 para amortizar num crédito com uma tae de 3.2% e conseguindo um dp com taxa liquida de 4.3 com vencimento semestral não compensa amortizar?

Acho que não consigo vencer juros do DP tão altos como o que pago de juros no CH.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia

Então eu tendo 10.000 para amortizar num crédito com uma tae de 3.2% e conseguindo um dp com taxa liquida de 4.3 com vencimento semestral não compensa amortizar?

O que importa do crédito é a TAN, não a TAE.

Repara, imagina que tens 10.000€ que podes usar para amortizar. Se os puseres a render a um ano a uma taxa líquida de 4,3%, ao fim do ano tens mais 430€ e a possibilidade de voltar a decidir se queres amortizar ou investir de outra forma. Se os usares para amortizar, ao fim do ano poupaste 320€ em juros (assumindo que a TAN é de 3,2%) e já não tens os 10.000€.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
b4u

Sim, desculpem queria-me referir à TAN.

Então mesmo com objectivo da liquidação do ch o mais rápido possível será sempre mais conveniente depositar o dinheiro que amortizá-lo?

É que como exemplo no fim do CH sem qualquer amortização não poderei reduzir no prazo e no final serão em média mais 100.000 só de juros pagos. Eu continuo a achar que em 40 anos não consigo totalizar essa capitalização em juros.

.....

[Editado]

Ok já entendi que a diferença entre o que iria poupar e o que ganho de um depósito é que se compara e não, obviamente na prestação vencida.

Agora para valores mais pequenos como 3500€ ao ano em que não se conseguem juros tão atrativos já compensa amortizar sempre que alcançar essa quantia ou deve-se esperar até obter uma soma mais jeitosa para aplicar?

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia
Então mesmo com objectivo da liquidação do ch o mais rápido possível será sempre mais conveniente depositar o dinheiro que amortizá-lo?

Para amortizar o empréstimo o mais rapidamente possível, tens que juntar dinheiro o mais rapidamente possível ;) E se chegares ao fim do próximo ano com mais 430€ (mais o que entretanto conseguires juntar,claro), sempre te permite amortizar mais um bocadinho que chegares ao fim do próximo ano com mais 320€. A menos, claro, que já só devas o que tens poupado, aí amortiza logo duma vez :D

(mas nessa altura, se calhar o teu objectivo também passa a ser o de por o dinheiro a render da melhor forma possível e tens muito mais opções se tiveres 100.000€ disponíveis do que se tiveres 100€ - é sempre uma questão de fazer as contas e ver que peso damos a cada alternativa).

Isto, claro, assumindo que a taxa dos investimentos é superior à do empréstimo. Se as taxas fossem ao contrário, obviamente compensava mais poupar os 430€ em juros amortizando o empréstimo do que ganhar 320€ em juros de um depósito...

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
lagosta

Boas

compreendo o que o b4u diz quando "É que como exemplo no fim do CH sem qualquer amortização não poderei reduzir no prazo e no final serão em média mais 100.000 só de juros pagos. Eu continuo a achar que em 40 anos não consigo totalizar essa capitalização em juros"

é verdade que dificilmente se amealham 100.000 , porque a divida teras de a pagar na totalidade, quanto muito poderás é pagar menos de juros por via das amortizaçoes, o que olhando a longo prazo, so por si assusta esse valor.

Hoje em dia, já é mais dificil a decisao pois facilmente consegues, rendimentos superiores num DP ( euribor mais baixa que tx dos DP).

estes movimento sao ciclicos e variaveis, como tal tem de se adaptar a nossa estrategia.

Ainda assim, é preferivel deixar de pagar os tais 100.00€ de juros em 30 ou 40 anos.

Já agora, ja equacionei a amortizaçao mensal ( tipo em vez de colocar num deposito a prazo 50 ou 100€ todos os meses), dar esse valor para amortizaçoes do CH  tambem mensalmente.

Mais uma vez a ordem de grandeza dos valores faz a sua diferença,  isto é, num deposito “ corriqueiro” a 90 ou 180 dias num banco ( sem ser online) as tx devem andar á volta de 2 ou 3%, por isso para valores pequenos julgo mais vantajoso ir amortizando,

Ja alguem fez isto

Obg

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
b4u

Graças a essas sugestões enquanto a euribor se mantiver por estes valores actuais vou investindo em DP de 1 a mais anos quando a TAN do meu CH aumentar acima dos 4% começo então a amortizar.

O que bem visto até nem falta muito, basta a euribor subir 1%.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
lagosta

depois da minha pergunta pus me nas contas e cheguei a 2 conclusoes:

amortizar anual ou mensalmente - é praticamente indiferente amortizar 50€ x 12 meses ou 600x 1 ano. as comissoes serão as mesmas e a poupança ou redução na prestação é irrisoria.

um outro cenario que equacionei e sobre o qual encontrei outros topicos é a amortizaçao de capital, com redução de prazo, e que vai de encontro com as opçoes de cima, ou seja:

se amortizar 50€ mês ( ou 600€ ano) na pratica tambem podemos deduzir que podemos suportar um acrescimo na prestaçao de 50€.

com este acrescimo de 50€ na prestação, podemos reduzir a duração do emprestimo cerca de 72 prestaçoes ( 6 anos no meu caso, que se traduz aqui sim, numa redução muito significativa do total de juros pagos no final do prazo.

é só para baralhar mais as coisas.

atençao ( fazer as contas equacionando uma aumento das txs de juro pelo menos até aos 5% ( ja la andaram, mais tarde ou mais cedo la voltarao)

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Jean Valjean

O que importa do crédito é a TAN, não a TAE.

Repara, imagina que tens 10.000€ que podes usar para amortizar. Se os puseres a render a um ano a uma taxa líquida de 4,3%, ao fim do ano tens mais 430€ e a possibilidade de voltar a decidir se queres amortizar ou investir de outra forma. Se os usares para amortizar, ao fim do ano poupaste 320€ em juros (assumindo que a TAN é de 3,2%) e já não tens os 10.000€.

É verdade que financeiramente não compensa amortizar se os juros do dp forem superiores aos do CH, mas a questão não é só de juros. Se amortizar, a prestação fica menor (pode ser muito ou pouco dependendo do prazo e valor em dívida), aumentando a capacidade de poupança, já que a despesa mensal se reduz, certo? E os 10.000€ não desaparecem, são usados para diminuir o capital em dívida. Ou seja, tem menos 10.000€ mas também deve menos 10.000€.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoticons maximum are allowed.

×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa