Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    Eurico, o presbítero

    Certificados de Aforro

    Recommended Posts

    Eurico, o presbítero

    Tenho parte das minhas poupanças em Certificados de Aforro. Foi dinheiro resultante de uma herança e que eu "investi" neste produto há já mais de 20 anos. Actualmente, tenho lá depositados cerca de 100.000 euros.

    Contudo, tenho lido em vários locais especializados, que os Certificados de Aforro estão a ser remunerados a taxas muito baixas e que, presentemente, está a ocorrer uma enorme "fuga" deste produto.

    Ora, eu prezo muito a diversificação - tenho contas no BIG, ActivoBank e Best, com carteiras constituídas, diversificadas, por diversos fundos Fundos Internacionais - contudo, sinto que estar a manter estes 100 mil euros nos "velhinhos" Certificados de Aforro é uma evidente... perda de dinheiro!

    O que me aconselham?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    José Ribeiro

    Tenho parte das minhas poupanças em Certificados de Aforro. Foi dinheiro resultante de uma herança e que eu "investi" neste produto há já mais de 20 anos. Actualmente, tenho lá depositados cerca de 100.000 euros.

    Contudo, tenho lido em vários locais especializados, que os Certificados de Aforro estão a ser remunerados a taxas muito baixas e que, presentemente, está a ocorrer uma enorme "fuga" deste produto.

    Está um bocadinho desactualizado... ou não?

    Ora, eu prezo muito a diversificação - tenho contas no BIG, ActivoBank e Best, com carteiras constituídas, diversificadas, por diversos fundos Fundos Internacionais - contudo, sinto que estar a manter estes 100 mil euros nos "velhinhos" Certificados de Aforro é uma evidente... perda de dinheiro!

    Aconselhava-lhe isto: http://www.forumfinancas.com/index.php/topic,3104.msg26296.html

    Os seus advisers não o informaram na devida altura?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    A única maneira de não perder dinheiro é meter em aplicações com taxas líquidas superiores à inflação prevista, que deve andar pelos 3,6%. Em termos brutos, procurar rentabilidades iguais ou superiores a 5% TANB

    Recomendo por isso uma olhada para o tópico "Melhores depósitos a Prazo".

    Para o montante envolvido, deve conseguir negociar boas taxas com alguns bancos.

    Se prefere manter esse dinheiro em títulos da dívida, pense em comprar directamente obrigações do tesouro (por exemplo, através do BiG), que dão rentabilidades maiores que os certificados de tesouro, que por sua vez dão muito mais do que os de aforro.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Eurico, o presbítero

    Está um bocadinho desactualizado... ou não?

    Aconselhava-lhe isto: http://www.forumfinancas.com/index.php/topic,3104.msg26296.html

    Os seus advisers não o informaram na devida altura?

    Não sei o que pretende dizer com "desactualizado". Sei há algum tempo que os Certificados do Aforro estão com taxas baixas. Contudo, quer por inércia quer por receio de que outras aplicações possam conter demasiados riscos, acabei por não mexer nos Certificados de Aforro.

    Agora, que estou de férias e tenho mais tempo para analisar e tomar decisões, quero resolver de vez esta questão.

    Daí vir pedir a vossa opnião de especialistas (não comprometidos), para poder tomar as melhores decisões.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    Infelizmente, os certificados de aforro também já não são um activo isento de risco. Embora com menos risco que os certificados de tesouro, são instrumentos da dívida pública. E julgo que todos sabemos como estamos a meio de uma crise de dívida soberana.

    O veredicto final é mesmo resgatar os certificados, pois não oferecem qualquer vantagem em relação à maior parte das (boas) aplicações disponíveis actualmente.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    Nos Certificados de Aforro estas definitivamente a perder dinheiro.

    O mais facil e que representa uma menor mudanca e' a passagem integral para Certificados do Tesouro. E' o mesmo risco com mais do dobro da rentabilidade. Assumindo que mantens o investimento por pelo menos 5 anos.

    Pessoalmente, investiria tambem uma parte em obrigacoes, sejam do Tesouro ou outras (exs: Irlanda, BES, CGD). Podes fazer isso completamente online via BiG ou Best. 'A partida, para manter ate' ao fim (maturidade). De todas as que mencionei, tens opcoes a terminar ao longo do ano de 2014.

    Bons investimentos! :)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    Infelizmente, os certificados de aforro também já não são um activo isento de risco. Embora com menos risco que os certificados de tesouro, são instrumentos da dívida pública.

    O que te leva a dizer isso? Tanto quanto sei os CA e CT sao completamente equivalentes em termos de risco.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Eurico, o presbítero

    Infelizmente, os certificados de aforro também já não são um activo isento de risco. Embora com menos risco que os certificados de tesouro, são instrumentos da dívida pública. E julgo que todos sabemos como estamos a meio de uma crise de dívida soberana.

    O veredicto final é mesmo resgatar os certificados, pois não oferecem qualquer vantagem em relação à maior parte das (boas) aplicações disponíveis actualmente.

    A essa conclusão - a de resgatar os Certificados de Aforro - já eu cheguei. A minha dúvida atual é... onde aplicar o montante que vou resgatar (cerca de 100.000 euros).

    Era para essa aplicação que eu agradecia sugestões. Obrigado.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    José Ribeiro

    Não sei o que pretende dizer com "desactualizado". Sei há algum tempo que os Certificados do Aforro estão com taxas baixas. Contudo, quer por inércia quer por receio de que outras aplicações possam conter demasiados riscos, acabei por não mexer nos Certificados de Aforro.

    Agora, que estou de férias e tenho mais tempo para analisar e tomar decisões, quero resolver de vez esta questão.

    Daí vir pedir a vossa opnião de especialistas (não comprometidos), para poder tomar as melhores decisões.

    A informação relativa às taxas de juros oferecidas nos certificados de aforro já é do conhecimento da maioria dos aforradores há muito tempo (mais de um ano e com férias de Verão pelo meio incluídas). Foi isso que transmiti.

    A essa conclusão - a de resgatar os Certificados de Aforro - já eu cheguei. A minha dúvida atual é... onde aplicar o montante que vou resgatar (cerca de 100.000 euros).

    Era para essa aplicação que eu agradecia sugestões. Obrigado.

    Pode seguir os seus próprios conselhos (http://www.forumfinancas.com/index.php?topic=2787.msg24051#msg24051), lendo o que está no tópico que mencionei anteriormente sobre o produto em si.

    Depois, pode também seguir as sugestões que já foram deixadas neste tópico.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    O que te leva a dizer isso? Tanto quanto sei os CA e CT sao completamente equivalentes em termos de risco.

    Já não me lembro bem onde, mas sei que li nalgum lado que os certificados de aforro tinham uma estrutura algo diferente dos de tesouro, e que tinham mais algumas garantias. Sinceramente, não fixei o que li, logo não consigo dar mais detalhes. Hei de procurar a ver se volto a encontrar.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    José Ribeiro

    Já não me lembro bem onde, mas sei que li nalgum lado que os certificados de aforro tinham uma estrutura algo diferente dos de tesouro, e que tinham mais algumas garantias. Sinceramente, não fixei o que li, logo não consigo dar mais detalhes. Hei de procurar a ver se volto a encontrar.

    Certificados de Aforro e do Tesouro: estes são produtos de investimento que são títulos de dívida pública. Ou seja, ao comprá-los, cada um dos investidores está a emprestar dinheiro ao Estado, em troca de juros.

    Acontece que, se o país entrar em incumprimento, estes produtos podem ser afectados.

    O que é que isto quer dizer?

    O Estado pode mudar as regras a meio do jogo, como já tinha feito com algumas linhas de Certificados de Aforro, cortando a taxa de juro. Se Portugal precisar de reestruturar a sua dívida, o Estado pode alterar o prazo de pagamento de juros ou mesmo a taxa de rendimento.

    Consequências?

    Pode acontecer que as pessoas não recebam tanto quanto estavam à espera e não recebam na altura em que estavam a contar!...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    A questão acrescida no caso dos Certificados de Tesouro seria um possível haircut.

    Se bem que isto são tudo especulações. Ninguém sabe ao certo o que aconteceria a cada um dos produtos. É por isso que tem havido discussões acerca deles. A meu ver, o primeiro sítio para onde iriam olhar em caso de default seria onde pagam mais juros, isto é, nos CTs.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    A questão acrescida no caso dos Certificados de Tesouro seria um possível haircut.

    Se bem que isto são tudo especulações. Ninguém sabe ao certo o que aconteceria a cada um dos produtos. É por isso que tem havido discussões acerca deles. A meu ver, o primeiro sítio para onde iriam olhar em caso de default seria onde pagam mais juros, isto é, nos CTs.

    Nao me parece que isso seja legalmente sustentavel. Acho que CA e CT apanhavam de forma equivalente. Sao ambos anunciados como produtos de poupanca para as familias.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    JRJordao

    gupi, os valores dessa tabela nao sao a taxa de juro.

    A unica vantagem dos CA anteriores a 1990 e' a ausencia de prazo (depois passaram a ser de 10 anos).

    Em termos de taxas, enfim...

    http://www.igcp.pt/fotos/editor2/2011/CA_Taxa_Juro/08_Taxa_Anual_APP.pdf

    http://www.igcp.pt/fotos/editor2/2011/CA_Taxa_Juro/08_Taxa_Anual_BPP.pdf

    Nao ha' actualmente qualquer razao para ter dinheiro investido em CA.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    +1 - O que o JRJordão disse:

    Para quem não quer fazer as contas, as melhores taxas obtidas com CAs são as de certificados feitos entre 86 e 89, que têm uma taxa líquida de 2,817. Isto quer dizer uma TANB de 3,59%.

    Mesmo depósitos de média categoria conseguem superar isso. Arranjando uns de 5%, é só fazer as contas.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Update

    Actualmente os certificados de aforro da série B mais antigos estão a pagar uma TANB máxima de 3,6%. Podes confirmar o valor da TANB no simulador dos CTT. Divide o valor da RL por 0,785 para obteres a TANB actual.

    Uma vez que tens já uma grande diversidade de produtos, eu optaria por algo mais seguro como um (ou dois) depósito(s) a prazo de 6 meses em que o juro fosse superior a 5%. Informa-te junto das instituições onde tens conta da TANB oferecida. Também tens a hipótese de apenas retirar apenas parte dos CA, caso pretendas manter algum no estado.

    Também te aconselhava a esperar por Setembro para constituíres os depósitos e a levantar os CA apenas depois de pagarem juros.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    davidmleal

    http://economico.sapo.pt/noticias/certificados-de-aforro-ja-perdem-mais-de-tres-mil-milhoes-de-euros_127107.html

    Os resgates líquidos nos Certificados de Aforro somam, até Agosto, 3.005 milhões de euros. De longe o valor mais alto de sempre, e três vezes superior às perdas registadas em todo o ano de 2010, de 1.005 milhões de euros. Em Agosto foram emitidos apenas 30 milhões de euros e resgatados 327 milhões. O Governo estará a estudar opções de mercado de modo a tentar estancar a fuga dos investidores, de acordo com um dos últimos relatórios da ‘troika'. Isto porque o montante de resgates líquidos é já 2,5 mil milhões de euros superior ao orçamentado e as subscrições de certificados do Tesouro não são suficientes para colmatar o buraco nas contas públicas.

    A taxa de juro bruta para as subscrições realizadas em Setembro é de 1,556%. Embora a remuneração tenha aumentado nos últimos meses em função da subida do indexante, a actual taxa continua a ser manifestamente insuficiente não só para cativar novos investidores, como para manter os existentes. Os prémios de permanência são inconsequentes: quem tenha Certificados de Aforro da série C desde o início da sua comercialização, em Janeiro de 2008, está a usufruir de um prémio de um ponto percentual. Ou seja, recebe uma taxa bruta total de 2,556%, muito abaixo dos 4,5% oferecidos em depósitos a prazo. A baixa remuneração justifica não só a fuga dos certificados da série C mas também a saída dos investidores de séries mais antigas. Por exemplo, quem tem Certificados há mais de 50 anos, recebe actualmente uma taxa de juro anual bruta de 2,8%, incluindo já os prémios de permanência.

    Enquanto os resgates líquidos dos Certificados de Aforro estão muito além do estimado no orçamento do Estado, que esperava perdas de 500 milhões de euros, as subscrições líquidas dos certificados do Tesouro ficam aquém do inscrito no documento. O governo esperava um saldo positivo de 993 milhões de euros, mas até à data os cofres do Estado amealharam apenas 580 milhões de euros. Este instrumento de poupança, lançado em Julho de 2010, parece não estar a conseguir captar novos investidores. Em Agosto foram emitidos 70 milhões de euros, mas resgatados 45 milhões.

    Já em Julho haviam sido emitidos 54 milhões e resgatados 51 milhões de euros, resultando um saldo líquido de apenas três milhões de euros. De acordo com fonte do IGCP, a explicação residirá no facto dos investidores mais antigos estarem a aproveitar as melhores taxas oferecidas desde Maio, resgatando e investindo novamente, agora com melhores juros.

    Remuneração dos certificados de aforro

    1 - Certificados da série C pagam 1,556%

    Para as subscrições em Setembro, os certificados de aforro oferecem uma taxa de juro anual bruta de 1,556%. Mesmo somando o prémio de permanência máximo, que é actualmente de um ponto percentual, a taxa passa para os 2,556% brutos.

    2 - Série B oferece juros de 3%

    Em Setembro, quem tem certificados da série B emitidos após 1989, recebe uma taxa anual bruta de 3%. Já quem tenha subscrito certificados desta série entre 1986 e 1989 estará a receber uma taxa de 2,787%. Ambas já incluem os prémios de permanência.

    3 - Série A não paga mais de 2,82%

    Para os seus investidores mais fiéis, o Estado reserva uma taxa inferior à série B. Quem tenha subscrito certificados de aforro há 50 anos, em 1961, recebe actualmente uma taxa de juro anual bruta de 2,817%, já com prémios de permanência, nos certificados da série A.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    Isto é para arrecadarem mais algum para comprarem BMWs, sim porque com este tipo de noticias lá vai haver uma corrida aos CA.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Cardoso24

    Isto é para arrecadarem mais algum para comprarem BMWs, sim porque com este tipo de noticias lá vai haver uma corrida aos CA.

    Vamos ver se não se enganam e o dinheiro não vai outra vez para depósitos a prazo (Portugal é recordista :P ) o melhor mesmo era fugir para um mercado emergente 8)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    radical_pt

    E para esta miséria extinguiram os certificados de tesouro  :-\

    não tarda esta "miséria" já rende mais do que qualquer depósito a prazo a 3,6 ou 12 meses...

    Aliás, não fossemos nós activos aforrradores que buscam melhores taxas em tudo o que é banco, estaríamos a receber certamente menos na banca tradicional, se quiséssemos colocar a render um pequeno montante, a 3 m. por ex!

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    afer

    só quem é muito burro e ignorante é que compra esse produto , no final do ano em termos praticos já tem menos dinheiro e por sua vez menos poder de compra ,acordem...........................................

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    só quem é muito burro e ignorante é que compra esse produto , no final do ano em termos praticos já tem menos dinheiro e por sua vez menos poder de compra ,acordem...........................................

    Num país onde a iliteracia financeira impera e onde toda agente desconfia dos Bancos o mais provável é a corrida aos CA.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Join the conversation

    You are posting as a guest. If you have an account, sign in now to post with your account.
    Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

    Guest
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    ×
    • Create New...
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa