Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    nunombdr

    Pagamento de Iva

    Recommended Posts

    nunombdr

    Boa noite a todos,

    Trabalho por conta própria e no próximo mês de Agosto terei que liquidar o Iva relativo ao 2º trimestre de 2011. O problema é que infelizmente por factores anormais nas minhas cobranças com os meus clientes terei dificuldades em liquidar o imposto apurado. Alguém sabe se é possível pagar o IVA em 2,3 ou 4 vezes?? É que até hoje nunca foi necessário recorrer a expedientes destes e antes de ir a Repartição de Finanças gostaria de esclarecer quais são as regras em caso de não se entregar o valor total do imposto apurado. Se alguém tiver conhecimentos sobre o procedimento nestes casos, agradeço que me esclareça.

    Cumprimentos a Todos

    1 Ab.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    hummer

    Boa noite a todos,

    Trabalho por conta própria e no próximo mês de Agosto terei que liquidar o Iva relativo ao 2º trimestre de 2011. O problema é que infelizmente por factores anormais nas minhas cobranças com os meus clientes terei dificuldades em liquidar o imposto apurado. Alguém sabe se é possível pagar o IVA em 2,3 ou 4 vezes?? É que até hoje nunca foi necessário recorrer a expedientes destes e antes de ir a Repartição de Finanças gostaria de esclarecer quais são as regras em caso de não se entregar o valor total do imposto apurado. Se alguém tiver conhecimentos sobre o procedimento nestes casos, agradeço que me esclareça.

    Cumprimentos a Todos

    1 Ab.

    No próximo dia 15 d Agosto deve de entregar a Declaração Periodica de IVA.

    Tendo IVA a pagar este tem de er luquidado até as 23:59 do dia 15/08/2011

    Se não pagar, e enviar a respectiva declaração, a administração fiscal vai processar uma coima por falta de pagamento... por norma é 21% do imposto a pagar + custas + juros de mora.

    Só quando rceber esta notificação é que tem 10 dias para se pronunciar, aí sim, poderá pedir o pagamento em prestações.

    Pelo meio poderá haver mais umas coimas e/ ou custas.

    Exemplificando:

    Tem 1.000€ de iva a pagar

    Envia a declaração mas não paga.

    É notificado onde é informado que devido ao não pagamento tem uma coima de 210€ + juros de mora + uns trocos

    Poderá com a notificação derigir-se á repartição de finanças e pedir o pagamento prestacional.

    De um grosso modo, no fim irá pagar os 1.000€ + 210€ + custas + juros de mora + ...

    Há várias maneiras de dividir o mal pelas aldeias...

    ;)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Mesmo assim eu iria às Finanças - essa história de não pagar primeiro só para ter acesso a um regime de pagamento em prestações parece-me perigosa... De certeza que há formas de o fazer sem ter que vir a pagar multa por isso...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Mesmo assim eu iria às Finanças - essa história de não pagar primeiro só para ter acesso a um regime de pagamento em prestações parece-me perigosa... De certeza que há formas de o fazer sem ter que vir a pagar multa por isso...

    Exacto. Especialmente no caso do IVA, que é um imposto legalmente repercutido em terceiros e em que as condições para aceder ao pagamentos prestacional são especialmente rigorosas (artigo 196.º e seguintes do CPPT).

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest zeze

     Pois é verdade. O IVA cobrado é das Finanças e não do cobrador que o cobra.

     Aliás, sendo o IVA do Estado, ninguém se pode aproveitar desse dinheiro, pois quem empresta dinheiro são os Bancos e não o Estado.

     Eu também cobro o IVA e sei que estou a cobrar IVA que terei sempre de entregar ao Estado que é o seu dono.

     Esta é a regra. Tudo o mais é conversa fiada...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest eurr

    O meu conselho é que faça das tripas coração para não deixar de pagar o IVA, pois caso contrário vai ter bastantes problemas. Na empresa onde trabalho não pagaram 2500,00 de IVA, na altura devida e depois tiveram de pagar quase 5000,00 (juros+coimas, etc).

    Mais vale pedir um emprestimo e pagar mesmo o IVA.

    Aliás quem tem uma empresa deve ter em conta, que ao Estado não deve ficar a dever, pois em caso de divida o Estado, vai aos bens pessoais do devedor cobrar a divida, tipo venda de casas, carros, etc. È preferivel ficar a dever a outros fornecedores, pois estes nunca podem ir aos seus bens pessoais.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia
    Aliás quem tem uma empresa deve ter em conta, que ao Estado não deve ficar a dever, pois em caso de divida o Estado, vai aos bens pessoais do devedor cobrar a divida, tipo venda de casas, carros, etc. È preferivel ficar a dever a outros fornecedores, pois estes nunca podem ir aos seus bens pessoais.

    Salvo erro podem tanto como o Estado. A diferença é que o Estado sabe quais são esses bens, e os outros fornecedores nem sempre os conhecem...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    hummer

    Ao Estado NINGUÉM deve.

    No dia em que deverem ao Estado vão-se lembrar que "Ao Estado ninguém deve".

    ;)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest arre

    Salvo erro podem tanto como o Estado. A diferença é que o Estado sabe quais são esses bens, e os outros fornecedores nem sempre os conhecem...

    Não é assim, os socios das empresas só são responsaveis pelo valor da sua quota. Perante os privados só sáo responsaveis pelo valor que la meteram ao criar a empresa. Imaginemos uma sociedade unipessoal de capital social de 5000,00. O dono para criar a empresa teve de depositar no banco este valor. Se a empresa for á falencia o dono da empresa, só fica sem  este valor que pos na empresa para a criar. Nem trabalhadores nem outras entidades privadas podem exigir ao dono quaisquer bens pessoais. Somente se existirem avais pessoais é que podem ir ao bem pessoal do dono. Por exemplo os bancos muitas vezes para conceder emprestimos ás empresas exigem o aval pessoal do dono. (neste caso em podem ir aos bens pessoais do dono, pois este deu o seu aval. Serve na pratica como fiador da empresa).

    Aliais a diferenca maior em relacão a um empresario em nome individual e uma empresa é que na primeira em caso de falencia entram os bens pessoais do dono e na segunda só entra os bens da empresa.

    Por isso, nos tempos que correm é preferivel abrir uma empresa do que ser empresario em nome individual. Se for empresario em nome individual deve-se sempre pagar ao Estado, sobe pena de ver todos os seus bens penhorados e vendidos em hasta publica.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Não é assim, os socios das empresas só são responsaveis pelo valor da sua quota. Perante os privados só sáo responsaveis pelo valor que la meteram ao criar a empresa. Imaginemos uma sociedade unipessoal de capital social de 5000,00. O dono para criar a empresa teve de depositar no banco este valor. Se a empresa for á falencia o dono da empresa, só fica sem  este valor que pos na empresa para a criar. Nem trabalhadores nem outras entidades privadas podem exigir ao dono quaisquer bens pessoais. Somente se existirem avais pessoais é que podem ir ao bem pessoal do dono. Por exemplo os bancos muitas vezes para conceder emprestimos ás empresas exigem o aval pessoal do dono. (neste caso em podem ir aos bens pessoais do dono, pois este deu o seu aval. Serve na pratica como fiador da empresa).

    Aliais a diferenca maior em relacão a um empresario em nome individual e uma empresa é que na primeira em caso de falencia entram os bens pessoais do dono e na segunda só entra os bens da empresa.

    Por isso, nos tempos que correm é preferivel abrir uma empresa do que ser empresario em nome individual. Se for empresario em nome individual deve-se sempre pagar ao Estado, sobe pena de ver todos os seus bens penhorados e vendidos em hasta publica.

    Essa é a regra geral (o património do devedor - empresa - é que responde pelos créditos), contudo quando se fala de dívidas ao Estado a coisa pode mudar de figura, uma vez que o gerente pode ser chamado a pagar, sob certas condições. Em concreto é o que se denomina de responsabilidade subsidiária.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Join the conversation

    You are posting as a guest. If you have an account, sign in now to post with your account.
    Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

    Guest
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    ×
    • Create New...
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa