Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    doi_so_de_ver

    Amortização antecipada: dinheiro do lado banco durante 1 mês a taxa 0%

    Recommended Posts

    doi_so_de_ver

    Tenho um dúvida sobre amortizações antecipadas.

    No dia 19/09/2008 comuniquei ao meu balcão que pretendia efectuar uma amortização antecipada sobre o capital em dívida do crédito habitação que tenho contratado na data da prestação seguinte, dia 02/10/2008. De acordo com a carta do Banco, esta comunicação foi realizada com a devida antecedência (pelo menos 7 dias úteis).

    No dia 02/10/2008 o Banco debitou-me a prestação pelo valor habitual, tendo procedido ao débito da amortização apenas no dia 07/10/2008. Apenas nas prestações a partir de 02/11/2008 será reduzido o valor da prestação.

    A minha questão é se este procedimento é correcto e corresponde à práctica geral do mercado, pois a minha expectativa era que a amortização seria debitada no dia da prestação e que a mesma já seria cobrada em função do novo montante de capital em dívida.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Possivelmente a 2/11 o banco só lhe cobrará os juros respeitantes ao capital médio em dívida no período, não? Caso contrário não me parece uma situação muito regular e na qual eu pediria mais esclarecimentos ao banco.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    doi_so_de_ver

    Já pedi esclarecimentos ao meu gestor de conta e ele disse-me que isso era o procedimento habitual do banco.

    Alguém que já tenha feito amortizações antecipadas (no BPI ou noutro banco qualquer) pode explicar como é que se processou?

    Entretanto, enviei a mesma dúvida à DECO e ao portal do cliente bancário.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    rmmlourenco

    Já pedi esclarecimentos ao meu gestor de conta e ele disse-me que isso era o procedimento habitual do banco.

    Alguém que já tenha feito amortizações antecipadas (no BPI ou noutro banco qualquer) pode explicar como é que se processou?

    Entretanto, enviei a mesma dúvida à DECO e ao portal do cliente bancário.

    Na CGD o processo é idêntico. Comuniquei-lhes antecipadamente a intenção de amortização extraordinária de parte do valor em dívida, e que fosse coincidente com a data de 17/10, (data em que as prestações são cobradas) conforme estipulado no contrato de mútuo. Fui informado que a amortização só se reflectiria na prestação do mês seguinte, como aliás já aconteceu no passado.

    Não faço a mais palida ideia de como se processa o cálculo de juros, mas acredito que o façam dentro da maior das legalidades, o que não quer dizer que possa haver abuso, passível de ser regulado no futuro conforme o foram situações abusivas do passado, praticadas por muitas instituições financeiras.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    O problema é que quanto mais tarde fizerem a amortização mais juros cobram.

    Se o pedido é feito atempadamente e de acordo com a antecedência definida no contrato, mais não têm que fazer valer os vossos direitos. Uma reclamação no livro apropriado e/ou no site do banco de Portugal ajudaria a forçar uma posição deste último sobre esta prática...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno

    Segundo percebi as amortizações antecipadas são feitas da seguinte forma.

    Exemplo (valores ficticios e não calculados):

    O pedido de amortização antecipada de 5.000€ entra no valor de amortização da próxima prestação:

    16/10/2008 - Capital em dívida: 50.000€

    17/10/2008 - Capital em dívida: 50.000€ => prestação: 300€ (250€ Juros + 50€ amortização) + 5.000€

    17/11/2008 - Capital em dívida: 44.950€ => prestação: 250€ (220 € Juros + 30 € amortização)

    Ou seja, o valor da amortização antecipada é somado ao valor amortizado com a prestação, daí que só se "vê" essa alteração um mês depois, no entanto, os juros que se pagam é sobre o capital em dívida já contabilizado com a amortização.

    Eu tenho um xls que permite que seja efectuados calculos de prestação com base em valores amortizados, vou só limpa-lo e logo à noite coloco-o aqui para que possam fazer as vossas contas.

    Nuno

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    doi_so_de_ver

    Segundo percebi as amortizações antecipadas são feitas da seguinte forma.

    Exemplo (valores ficticios e não calculados):

    O pedido de amortização antecipada de 5.000€ entra no valor de amortização da próxima prestação:

    16/10/2008 - Capital em dívida: 50.000€

    17/10/2008 - Capital em dívida: 50.000€ => prestação: 300€ (250€ Juros + 50€ amortização) + 5.000€

    17/11/2008 - Capital em dívida: 44.950€ => prestação: 250€ (220 € Juros + 30 € amortização)

    Ou seja, o valor da amortização antecipada é somado ao valor amortizado com a prestação, daí que só se "vê" essa alteração um mês depois, no entanto, os juros que se pagam é sobre o capital em dívida já contabilizado com a amortização.

    Eu tenho um xls que permite que seja efectuados calculos de prestação com base em valores amortizados, vou só limpa-lo e logo à noite coloco-o aqui para que possam fazer as vossas contas.

    Nuno

    Nuno,

    Obrigado pela resposta. O que isso significa é que o banco fica com 5000 EUR cativos durante 1 mês sem te dar nenhum retorno.

    No meu caso, fiquei ainda mais furioso porque me fizeram outra sacanice no início do empréstimo. Perguntaram-me a que dia é queria que a prestação vencesse sem me avisarem que se a escritura fosse feita a um dia do mês diferente, teria de pagar juros (e só juros, sem amortização de capital) do tempo entre a data da escritura e a data da primeira prestação. Chama-lhe a "prestação 0"...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno

    Obrigado pela resposta. O que isso significa é que o banco fica com 5000 EUR cativos durante 1 mês sem te dar nenhum retorno.

    Eu acho que não é bem assim, isto porque a prestação é sempre relativa ao mês anterior e não ao mês corrente, ou seja, um empréstimo contratado em Novembro só paga a primeira prestação em Dezembro, e o mesmo se passa com as prestações, pelo que realmente o dinheiro está lá aparentemente a 0€, mas na tua prestação acabas por pagar menos 1 mês juro sobre o capital em dívida anterior e após a amortização.

    Se o dinheiro estivesse a render 0€, então a amortização não era incluída no calculo da prestação, mas sim só no calculo seguinte, o que não é isso que se passa.

    Não sei se fui claro, mas se não fui diz que eu tento explicar melhor :D

    Nuno

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    doi_so_de_ver  :)

    Nuno,

    Obrigado pela resposta. O que isso significa é que o banco fica com 5000 EUR cativos durante 1 mês sem te dar nenhum retorno.

    No meu caso, fiquei ainda mais furioso porque me fizeram outra sacanice no início do empréstimo. Perguntaram-me a que dia é queria que a prestação vencesse sem me avisarem que se a escritura fosse feita a um dia do mês diferente, teria de pagar juros (e só juros, sem amortização de capital) do tempo entre a data da escritura e a data da primeira prestação. Chama-lhe a "prestação 0"...

    Comigo passou-se a mesma situação com o BPI:

    - Fiz a escritura no dia 29.05.2008, pedi que me fosse retirada a prestação em 02.06.2008. Nesse dia apenas me retiraram os juros desde o dia 29.05 a 02.06. Só sei se foram sacanas se contarem com essa "prestação 0" para os 6 meses da Euribor, tenho o empréstimo indexado à Euribor a 6 meses.

    - Fiz uma amortização em 16.05.2008. Retiraram-me a prestação em 30.05.2008, nesta prestação não incluiram a amortização. Incluiram a amortização na prestação de 30.06.2008, 1 mês e meio depois, portanto.

    A explicação que eu arranjei para o caso: Só em Junho é que eles podiam saber e aplicar a Euribor referente ao mês em que fiz a amortização. Não sei se esta explicação está correcta :-\

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    - Fiz a escritura no dia 29.05.2008, pedi que me fosse retirada a prestação em 02.06.2008. Nesse dia apenas me retiraram os juros desde o dia 29.05 a 02.06.

    O facto de te cobrarem esses dias de juros não está mal - afinal de contas o prazo continua a passar. Acho estranho é deixarem acumular os juros para a prestação seguinte como aconteceu com o doi_so_de_ver, vai sobrecarregar as pessoas com uma prestação que pode chegar quase ao dobro como aconteceu com ele.

    - Fiz uma amortização em 16.05.2008. Retiraram-me a prestação em 30.05.2008, nesta prestação não incluiram a amortização. Incluiram a amortização na prestação de 30.06.2008, 1 mês e meio depois, portanto.

    A questão é - como foram calculados os juros entre a prestação do mês de Maio e do mês de Junho? Sobre o montante antes ou depois da amortização?

    Aqui pode ter havido outro factor - o pedido de amortização deu entrada com a antecedência estipulada? É que no caso contrário, só vai ser considerado para a prestação seguinte...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    pauloaguia  :)

    Segundo percebi, ao IM doi_so_de_ver, tb lhe aconteceu o mesmo que a mim, ou seja, retiraram-lhe apenas os juros relativos aos dias que medeiam a data da escritura e a data escolhida para pagamento das prestações.

    Fui consultar a minha escritura, diz lá isto:

    "Reembolso antecipado

    Existe a possibilidade de fazer entregas complementares, de valor igual ou superior a mil duzentos e cinquenta euros, devendo estas coincidir com a data do vencimento das prestações, desde que o comunique ao Banco BPI, com a antecedência mínima de 5 dias úteis, mas tais entregas não o dispensam de pagar integralmente a prestação correspondente ao período mensal então em curso.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    "Reembolso antecipado

    Existe a possibilidade de fazer entregas complementares, de valor igual ou superior a mil duzentos e cinquenta euros, devendo estas coincidir com a data do vencimento das prestações, desde que o comunique ao Banco BPI, com a antecedência mínima de 5 dias úteis, mas tais entregas não o dispensam de pagar integralmente a prestação correspondente ao período mensal então em curso.

    Mas segundo isto quer-me parecer que se pedires a amortização nos 5 dias úteis anteriores ao vencimento da prestação (para que seja efectuada no dia do vencimento), a próxima prestação já terá em conta a amortização, certo?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Fatima

    pauloaguia  :)

    Fui consultar a minha escritura, diz lá isto:

    "Reembolso antecipado

    Existe a possibilidade de fazer entregas complementares, de valor igual ou superior a mil duzentos e cinquenta euros...

    Tanto quanto sei agora não há entregas mínimas, pois não?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    Pedro Pais  :)

    Esta parte da escritura está um pouco confusa. :P

    Segundo o modo de actuar deles, tens de entregar a importãncia com 5 dias úteis de antecedência, pelo menos, do vencimento da prestação. Essa importãncia não será tida em conta pelo banco nessa prestação, só o será na prestação seguinte.

    Quem quiser fazer amortizações aconselho a consultar o que diz a escritura relativamente a este assunto.

    Convém fazer a comunicação da amortização ao Banco com a antecedência minima no limite ou quase no limite.

    No meu caso: efectuei a comunicação ao banco no dia 16.05.2006, a prestação venceu a 30.05.2006, mas a importãncia só me foi retirada* no dia 01.06.2006. Um dia depois do vencimento da prestação. A prestação seguinte, 30.06.2006, já reflectiu a amortização.

    *É chato o banco não nos dizer quando vão retirar a importãncia da conta, assim poderíamos ter o dinheiro a prazo mais alguns dias :-[

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    Fátima :)

    Este trecho é da escritura que realizei em 2005.

    Na escritura que realizei em 2008 diz:

    "Reembolso antecipado

    Existe a possibilidade de fazer entregas complementares, em qualquer momento do contrato, devendo estas coincidir com a data do vencimento das prestações, desde que o comunique ao Banco BPI, com a antecedência mínima de 7 dias úteis, mas tais entregas não o dispensam de pagar integralmente a prestação correspondente ao período mensal então em curso."

    Ou seja, já não existem entregas minimas, como disseste  ;D e o prazo para comunicação ao Banco, aumentou de 5 para 7 dias úteis.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    rmmlourenco

    Nuno,

    Obrigado pela resposta. O que isso significa é que o banco fica com 5000 EUR cativos durante 1 mês sem te dar nenhum retorno.

    No meu caso, fiquei ainda mais furioso porque me fizeram outra sacanice no início do empréstimo. Perguntaram-me a que dia é queria que a prestação vencesse sem me avisarem que se a escritura fosse feita a um dia do mês diferente, teria de pagar juros (e só juros, sem amortização de capital) do tempo entre a data da escritura e a data da primeira prestação. Chama-lhe a "prestação 0"...

    O Banco não fica com o dinheiro cativo. Ele é amortizado de imediato, na data da prestação.

    Como o pagamento da prestação é postecipada, no mês seguinte vais pagar já sobre o valor abatido um mês antes, sendo desta forma calculado o juro desde a data da amortização.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    No meu caso: efectuei a comunicação ao banco no dia 16.05.2006, a prestação venceu a 30.05.2006, mas a importãncia só me foi retirada* no dia 01.06.2006. Um dia depois do vencimento da prestação. A prestação seguinte, 30.06.2006, já reflectiu a amortização.

    Por exemplo (valores fictícios):

    [table]

    [tr][td]Data[/td][td]Amortização[/td][td]Dívida[/td][/tr]

    [tr][td]29.05.2006[/td][td]0[/td][td]90 200€[/td][/tr]

    [tr][td]30.05.2006[/td][td]200€ (incluída na prestação)[/td][td]90 000€[/td][/tr]

    [tr][td]01.06.2006[/td][td]5000€ (amortização extraoridnária)[/td][td]85 000€[/td][/tr]

    [tr][td]30.06.2006[/td][td]250€ (incluída na prestação)[/td][td]84 750€[/td][/tr]

    [/table]

    Ou seja, a componente de juros na prestação de dia 30.06 devia incluir dois dias de juros sobre 90 000€ e os restantes 29 sobre 85 000€.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    De qualquer das formas penso que o IM doi_so_de_ver tem razão no que diz.

    O banco retirou-lhe o valor da amortização em 07.10.2008, só a 02.11.2008 é que o valor será reflectido na prestação, 26 dias depois. Nesses 26 dias, o banco não lhe paga juros, não lhe paga nada.

    No caso que exemplifiquei, são 29 dias que o banco cativou o meu $ e não me pagou nada.

    Seria de rever esta situação...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Mas a questão é saber se o banco lhe cobra os juros sobre esse montante durante esse tempo.

    Voltando à tabela que criei há pouco - se no dia 30.06 o banco cobrasse 1 mês inteiro de juros sobre 90 000€ concordo que está a abusar porque mantém 5000€ do lado dele durante quase 1 mês a custo 0. Se cobrar juros de 90 000 só sobre o prazo que medeia entre a última prestação e o dia em que levantou a amortização então parece-me correcto.

    Mas a única forma de comprovar isso é saber quais foram as prestações (e o peso dos juros em cada uma delas) e a evolução do montante em dívida durante esse período...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    Rui Lourenço  :)

    Estive a reflectir, tens razão, é isso mesmo. Só não concordo com a 1ª parte, a amortização é efectuada na data em que a retiram da conta, no meu caso foi um dia depois de retirarem a prestação. No caso do IM doi_so_de_ver foram 5 dias depois, o correcto era ser no dia a seguir à data da prestação, dia 3 de Outubro.

    Faz confusão porque quando comunicamos ao Banco a amortização queremos que o efeito seja imediato mas não é, temos de esperar pelos 7 dias úteis, pelo menos, antes da prestação. No dia seguinte, ou poucos dias depois, retiram o que queremos amortizar da conta, a partir daí conta 1 mês até à próxima prestação.

    Assim, comunicamos ao Banco que queremos amortizar X da nossa dívida.

    Na data da prestação temos de ter o tal X à ordem.

    Nos dias seguintes, o Banco retira a importãncia da nossa conta.

    A prestação seguinte reflecte a amortização efectuada.

    O que, habitualmente, fazemos é ter a importãncia que queremos amortizar, à ordem, na data em que fazemos a comunicação, mas essa importãncia pode estar à ordem apenas na data em que vence a prestação correspondente ao período mensal em curso, não é verdade?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    nlopes

    Com a iminente descidas das taxas de juro, a amortização antecipada de parte da dívida ainda compensa? Qual é a vossa opinião?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Com a iminente descidas das taxas de juro, a amortização antecipada de parte da dívida ainda compensa? Qual é a vossa opinião?

    As taxas de juro descem para os empréstimos mas descem também para os depósitos. Enquanto conseguires investir o dinheiro a uma taxa líquida superior À do empréstimo mais vale ter o dinheiro a render; invertendo-se a situação mais vale amortizar... tudo depende dos investimentos que tens ao teus dispor.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    nlopes

    O problema é que é muito complicado arranjar uma taxa líquida superior à do crédito habitação.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    rmmlourenco

    O que, habitualmente, fazemos é ter a importãncia que queremos amortizar, à ordem, na data em que fazemos a comunicação, mas essa importãncia pode estar à ordem apenas na data em que vence a prestação correspondente ao período mensal em curso, não é verdade?

    No caso concreto da CGD, o valor respeitante à amortização extraordinária tem que estar disponível apenas na data em que vence a prestação.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    O problema é que é muito complicado arranjar uma taxa líquida superior à do crédito habitação.

    Precisamente... Portanto, acabaste de responder à tua própria pergunta ;)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Join the conversation

    You are posting as a guest. If you have an account, sign in now to post with your account.
    Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

    Guest
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    ×
    • Create New...
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa