Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    hsfarao

    Devolução dos arredondamentos do crédito habitação

    Recommended Posts

    hsfarao

    Para agora é só uma noticia. Vamos ver se se confirma.

    Conforme forem sabendo de desenvolvimentos é favor colocar neste tópico.

    Penso, que é do maior interesse para quem tem crédito habitação há já alguns anos.

    Já estou a pensar no que a CGD vai ter que me devolver  ;D, com aqueles arredondamentos que me faziam a 1/4 superior, antes de mudar para o BPI.

    http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/diarioeconomico/nacional/empresas/pt/desarrollo/1142343.html

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia
    Caso venha a declarar a nulidade das cláusulas contratuais gerais, esta decisão pode fundamentar e levar a pedidos de reembolsos às instituições bancárias

    Ou seja, ainda nem sequer é notícia. Nada está ainda decidido.

    Pelo que li, a fundamentação para o pedido baseia-se no caso de os bancos não negociarem com o cliente o arredondamento. Mas nem todos o impediam. Conheço casos de pessoas que, ainda durante essa altura, negociaram com o banco a forma de arredondamento (por iniciativa do cliente, não do banco - tiveram que subscrever mais um produto para ter arredondamento à milésima, acho eu).

    Por esta ordem de ideias, tenho uma sugestão - deixa tudo de negociar o spread e daqui a uns anos têm fundamento para pedir a devolução do dinheiro porque o banco não negocia o spread com os clientes... Paga-se mais no início mas depois o resultado é o equivalente a spread 0% ;D

    De qualquer forma a maior parte dos bancos tinha práticas realmente abusivas e recusava-se a negociar este ponto. Daí até se chegar a uma conclusão final, acho que ainda terá que passar muita água debaixo da ponte...

    Boa sorte para quem é afectado...

    Já agora, nunca acompanhei muito de perto as notícias nessa altura, alguém me sabe dizer quanto dinheiro está envolvido? Será que a maior parte das pessoas se vai depois sequer dar ao trabalho se forem só 100 euros, por exemplo?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    hsfarao

    ...Já agora, nunca acompanhei muito de perto as notícias nessa altura, alguém me sabe dizer quanto dinheiro está envolvido? Será que a maior parte das pessoas se vai depois sequer dar ao trabalho se forem só 100 euros, por exemplo?

    Acho que poucos se irão dar a esse trabalho, mas, é claramente, a meu ver, uma questão onde a DECO se pode empenhar, como no caso da Afinsa.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Ana Santos

    Terminar com os arrendondamentos? Eu sou como Tomé ... é ver para crer...

    No caso dos particulares não tenho ideia de que valores estamos a falar. Mas para as empresas é só vê-los a somar. Os arrendondamentos 1/4 ou 1/8 sempre foram uma mina para a banca.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    O MP lá declarou a nulidade da cláusula. Ok, então há fundamento para partir para tribunal.

    As acções colectivas saem mais baratas, por isso tentem contactar as associações envolvidas. Quem estiver interessado, é capaz de ser melhor contactar a DECO (desde que seja sócio, claro - quem não for acho que são meia dúzia de euros por ano para passar a ser) ou a SEFIN (não sei se eles estão a pensar avançar com uma queixa colectiva ou têm poderes para isso, mas podem informar o que pretendem fazer a seguir).

    Vão desde já juntando os extractos antigos, do tempo em que se praticava o arredondamento das taxas para saber se se aplica ao vosso caso. Quanto a saber quanto vão receber é só fazer as contas - descobrir qual deveria ser a taxa em vigor na altura pode ser feito através do site da Euribor: http://www.euribor.org/html/content/euribor_data.html . E qual devia ter sido o valor efectivo da prestação nessa altura através da calculadora de prestações, no Blog: http://www.pedropais.com/utilidades/calculadora-de-prestacoes/

    Atenção - enquanto não houver a primeira decisão de um tribunal sobre um caso deste género, nada é garantido. Depois de haver 5 decisões no mesmo sentido elas fazem jurisprudência e passam a ter força de lei.

    (se os termos não forem bem estes, acho que pelo menos o sentido é)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Parece-me que o busílis da questão está na retroactividade da lei. É claro que actualmente qualquer arredondamento (além da milésima) é ilícito, mas para o passado parece não haver grande consenso. Será que existirão direitos retroactivos? E se sim, retroactivos até quando?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Será que existirão direitos retroactivos? E se sim, retroactivos até quando?

    A segunda é fácil e surge escrita na notícia - retroactivos até ter sido aprovada a lei que declarava nulas as cláusulas abusivas (em 1995).

    A questão é que o MP considerou essas cláusulas abusivas, apesar de não existir ainda nenhuma lei que as proibisse explicitamente na altura. Logo, se eram abusivas eram automaticamente nulas e, à luz dessa mesma lei, os consumidores podem exigir a devolução de montantes pagos à custa das mesmas.

    Obviamente isto só quer dizer que há base para levar o assunto a tribunal, que é quem terá a última palavra a dizer. O SEFIN quis assegurar-se de que não era uma causa perdida à partida. Agora penso que cabe aos consumidores mexerem-se. Não sei quanto dinheiro está em causa para cada pessoa, mas suponho que não sejam montantes por aí além. Por isso, mais uma vez, parece-me que a melhor forma de avançarem é, como já referi, contatando as associações que estão metidas no assunto de forma a avançarem com uma acusação comum.

    Sei que há alguns associados da DECO aqui no fórum, se por acaso avançarem com isso podem colocar as suas conclusões aqui para convencer outros a juntar-se a eles ou avisar que não vale a pena...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Ah! Obrigado pelo esclarecimento. Tinha visto a notícia da agência financeira, que não referia essa questão das cláusulas abusivas. Agora fiquei a entender.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    hsfarao  :)

    Gostava de entender, na prática, estes arredondamentos.

    Estive a consultar as minhas 3 escrituras de Crédito a Habitação.

    A 1ª de 2003 realizada com o Montepio diz:... Taxa...arredondada para a centésima percentual imediatamente superior.

    A 2ª de 2005 realizada com o BPI diz: ...Taxa...arredondada para o oitavo de ponto percentual superior.

    A 3ª de 2008 realizda com o BPI dia: ...Taxa..arredondada à milésima (quando a 4ª casa decimal é = » a 5, o arredondamento é feito por excesso, quando a 4ª casa decimal é « a 5, o arredonadamento é feito por defeito).

    A 3ª escritura está de acordo com o Dec. Lei 240/2006 (em vigor desde 27/01/2007) as outras não.

    Em termos práticos, o que querem dizer tais expressões  ??? ??? ???

    pauloaguia  :)

    Estive a consultar o site da Euribor, as taxas são apresentadas diariamente e não a média mensal, não há outra maneira de ter esta informação? Assim dá imenso trabalho a fazer contas. Diz-me se o meu raciocinio está correcto...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Em termos práticos, o que querem dizer tais expressões  ??? ??? ???

    No primeiro caso, quer dizer que uma taxa de 3,0001%, por exemplo, seria arredondada para 3,010%

    No segundo, a mesma taxa era arredondada para 3,125%

    Actualmente, é arredondada para 3,000%

    Estive a consultar o site da Euribor, as taxas são apresentadas diariamente e não a média mensal, não há outra maneira de ter esta informação? Assim dá imenso trabalho a fazer contas. Diz-me se o meu raciocinio está correcto...

    "No pain, no gain" ;)

    Não encontrei mais nenhum site com médias mensais da Euribor desde esses anos. Mas podes conseguir calculá-las rapidamente: importa as tabelas com a listagem de valores para o Excel. Depois cria uma PivotTable (não me lembro agora do termo correcto em português, só sei que está no menu dados... tabela agregadora, talvez?) e consegues calcular médias mensais colocando o campo Data em linhas e o campo Taxa(Média) na zona dos dados. Eventualmente podes precisar de criar primeiro uma coluna adicional só com o mês/ano.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Não encontrei mais nenhum site com médias mensais da Euribor desde esses anos. Mas podes conseguir calculá-las rapidamente: importa as tabelas com a listagem de valores para o Excel. Depois cria uma PivotTable (não me lembro agora do termo correcto em português, só sei que está no menu dados... tabela agregadora, talvez?) e consegues calcular médias mensais colocando o campo Data em linhas e o campo Taxa(Média) na zona dos dados. Eventualmente podes precisar de criar primeiro uma coluna adicional só com o mês/ano.

    Posso fazer isso num instante, se houver suficientes interessados. Mas no site da euribor só está até 1998, certo?

    Ok... a Euribor só existe desde 1999

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pipocas

    Pedro Pais :)

    Eu estou interessada. E acredito não ser a única.

    Desse modo poderei fazer as continhas mais rapidamente e saber quanto $ teria a receber.

    Será que temos mesmo de colocar o Banco em Tribunal, não pode ser resolvido em Julgados de Paz[/b]?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    sultão

    Alguém me consegue explicar por que motivo no simulador da DECO só aparecem para simulação o máximo de 144 meses conforme podem verificar neste link? http://www.deco.proteste.pt/dinheiro/credito/arredondamentos-quanto-poderei-receber-s530331.htm

    Já pedi por e-mail explicações à Deco, mas ainda não obtive resposta.

    É que eu comprei casa em 1986 e até Janeiro de 2007 devo ter pago nos arredondamentos uma pipa de massa... :)

    Se houver aqui algum membro que esteja por dentro do assunto agradecia que me explicasse.

    Obrigado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    D@vid

    Tambêm reparei nisso, queria simular o caso de um familiar que curiosamente tambêm comprou casa em 1986, logo os meses seriam pelo menos uns 270 meses.. ´

    Já agora, alguem sabe qual o tipo de arredondamento que a CGD praticava? pelo menos de 1986 lol

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    sultão

    Também já li. Obrigado hsfarao. Não vai ser fácil reaver o dinheiro... pessoalmente nem tenho provas de nada. Não guardei os recibos...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    CFinanceiro

    Eu penso que nessa situação a escritura serve de prova...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Nuno

    Foi exactamente a tentar calcular esta devolução que me deparei com este problema: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,362.0.html

    Se alguém puder dar uma ajudinha eu agradecia...

    Pelo que vi o simulador da Deco não tem em conta amortizações antecipadas, eu estou a fazer um excel que tem isso em conta (que poderei disponibilizar), mas estou com alguns problemas em acertar com as contas, porque à luz das formulas hoje devia ter menos 250€ de capital em divida do que efectivamente tenho..

    Quanto ao assunto propriamente dito, para já podemos enviar a tal carta ao banco mas de pouco adianta, uma vez que apenas em tribunal é possível pedir estes valores. No entanto, caso hajam alguns julgamentos com a mesma decisão penso que o termo jurídico é transitar em julgado jurisprudência e como tal passará a ser tomada como referencia e assumido como "lei"..

    Nuno

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    SSilva

    Boa tarde,

    relativamente à questão dos arredondamentos, não sei se alguém já enviou a carta para o Banco e se já obteve resposta.

    Eu, como tenho um Crédito habitação desde 2005 no BES, já enviei para o Banco a carta modelo da DECO e responderam que "(...) não é considerada nenhuma obrigatoriedade a fazer reembolsos retroactivos relativos aos arredondamentos anteriormente aplicados, nem a sua aplicação é conmsiderada ilegal. (...)"

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Catarina G

    Boa tarde,

    relativamente à questão dos arredondamentos, não sei se alguém já enviou a carta para o Banco e se já obteve resposta.

    Eu, como tenho um Crédito habitação desde 2005 no BES, já enviei para o Banco a carta modelo da DECO e responderam que "(...) não é considerada nenhuma obrigatoriedade a fazer reembolsos retroactivos relativos aos arredondamentos anteriormente aplicados, nem a sua aplicação é conmsiderada ilegal. (...)"

    Eu estava a preparar-me para enviar a minha carta ao BES mas considerando a resposta dada ao SSilva não sei se valerá a pena. A Deco pretende que sejam a reclamações dos clientes a "mexer" com o processo? Mais alguém enviou carta e obteve resposta ?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Joana Gonçalves

    Olá,

    Gostava de saber como posso apresentar queixa em relação ao arredondamento das taxas de juro do crédito habitação. Isto foi muito falado há +/- 3 meses nos telejornais. Saiu uma nótícia no Destak que esta situação motivou 100mil queixas por parte dos consumidores na DECO. Já tentei no site deles mas para ter acesso a certos formulários e serviços é preciso ser sócio (mais €€€).

    Será que me podem ajudar?

    Ogda

    Joana

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    hsfarao

    Se fores à página anterior do presente tópico, na minha terceira mensagem vais encontrar um link que te leva para a carta tipo que a Deco disponibilizou.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Join the conversation

    You are posting as a guest. If you have an account, sign in now to post with your account.
    Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

    Guest
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    ×
    • Create New...
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa