Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Sign in to follow this  
    hsfarao

    PPRs do Estado

    Quais as vossas posições em relação a este novo produto?  

    15 members have voted

    1. 1. Quais as vossas posições em relação a este novo produto?

      • Já subscrevi
        3
      • Estou a pensar subscrever
        5
      • Não penso subscrever
        6
      • Nunca ouvi falar
        1


    Recommended Posts

    hsfarao

    Como este é um novo produto e tem a garantia do Estado, que penso eu já teve melhores dias, gostava de abrir um debate sobre esta nova forma de investimento, onde fossem debatidos todos os prós e contras.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Há dias ouvi uma reportagem sobre os certificados de aforro em que se dizia que os portugueses estavam a trocar a "segurança" do estado pela rendibilidade oferecida pelos bancos. Agora leio aqui que os novos PPR do estado têm a "garantia do Estado"

    Ora, antes do comentário aos PPR propriamente ditos, quero aproveitar comentar estas afirmações: como se pode dizer que um produto tem a garantia do estado ou é seguro por ser um produto do estado quando este muda as regras a seu bel prazer? Veja-se o que se passou com os certificados de aforro - as alterações afectaram mesmo as subscrições anteriores. Quem subscreveu o produto sob um determinado conjunto de pressupostos, de repente viu esses pressupostos serem alterados e não pode fazer nada por isso. Por comparação, se um banco tentasse mudar as regras de um dos seus produtos, caíam-lhe logo os clientes todos em cima, o Banco de Portugal, a DECO e sei lá mais o quê... e ainda se arriscava a um processo. Por tudo isto, estou em crer que hoje em dia os bancos oferecem até mais segurança que o Estado, esse não deve ser o factor determinante ao decidir onde investir o dinheiro.

    De volta aos PPR do Estado - pelo que li na lei (e não sendo especialista nestas matérias) o produto parece-me mais ou menos bem construído. Em resumo:

    • PRO Ajuda a poupar

    - Para aquelas pessoas que são do tipo "chapa ganha / chapa gasta" este tipo de produtos pode ser a única forma de garantir que vão ter uma poupança quando chegarem à reforma - pelo menos não lhe podem tocar antes.

    • PRO Tem uma rendibilidade razoável, quando comparado com os demais PPR - claro que rendibilidades passadas não são garante de rendibilidades futuras, mas à partida é um bom sinal. Claro que o facto dos custos de subscrição ser mais baixo também contribui para este factor
    • CONTRA É um PPR - e como tal não terá uma rendibilidade por aí além. Hoje em dia, alguns depósitos a prazo oferecem rendibilidades idênticas (ou melhores) que muitos PPRs e não nos obrigam a ficar com o dinheiro preso numa aplicação que só poderemos levantar na idade da reforma
    • PRO Permite acumular os benefícios fiscais. Na verdade, este parece-me ser o principal atractivo deste tipo de produtos. Mas, uma vez mais, a longo prazo, talvez o dinheiro rendesse mais noutros sítios...
    • CONTRA Tem a "garantia" do Estado - Como referi, se um banco tentar mudar as regras do meu PPR vai ter que se haver comigo. Se o estado mudar as regras destes produtos pouco ou nada poderei fazer
    • CONTRA(?) Não me lembro agora da legislação toda, mas penso não ter lido nada sobre a possibilidade de levantar o dinheiro em situações de desemprego de longa duração, ao contrário do que acontece com os PPRs privados... mas esta afirmação carece de confirmação...

    Se entretanto me lembrar de mais pros e contras eu escrevo... assim de repente foi o que me lembrei...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    miguelg

    PRO: Quando se atingir a reforma, pode-se receber sob a forma de renda vitalicia.

    CONTRA: se morrer a partir dos 68 todo o valor poupado reverte para o estado.

    CONTRA: nos PPR privados pode-se receber a partir dos 60 anos e no estado só quando se conseguir a rforma (provávelmente 65 ou mais anos).

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Pedro Pais

    Eu continuo na dúvida em relação aos PPR do Estado. Há muita informação e muita contra-informação e ainda não tive a disponibilidade mental de me sentar, com calma, a perceber exactamente as condições.

    As questões que me levantam mais dúvidas são como funciona o retorno do investimento e algumas condições de excepção. Se alguém entretanto quiser dar mais informação...

    Já agora, onde é que se subscreve?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    hsfarao

    https://www.seg-social.pt/consultas/ssdirecta/

    Caso ainda não estejas registado no site da Segurança Social deves começar por o fazer (ver Link acima), isto se pretenderes subscrever on-line ou então nos balcões da Segurança Social ou através do n.º de telefone 808 020 020.

    Independente do sistema de protecção social que cada um tenha (por exemploo: Caixa Geral de Aposentções, Caixa de Previdência dos Engenheiros) ou outro qualquer é também na Segurança Social que trata de tudo, através dos canais acima mencionados.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    cj2111

    Not for me!!!

    Rentabilidade baixa....

    Comissões altas!!

    E fico preso até aos 60.

    Não obrigado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    alcagoitas

    Olhando com alguma distância para este produto encontro dois pontos a assinalar que o demarcam dos restantes PPR: 1 a favor e outro contra.

    A favor vejo a qualidade da gestão: entre 1 de Março e 11 de Novembro o fundo rendeu 3,2%, enquanto a restante classe de PPR foi a sangria que já se conhece. E a razão é simples: uma estratégia conservadora. Aliás, nesta data, todo o portefólio do fundo esteve alocado em depósitos a prazo, evitando assim a volatilidade dos mercados. Mais uma curiosidade. Dentro de todos os produtos financeiros à venda em Portugal, o produto do Estado foi uma das poucas excepções que nunca adquiriu qualquer tipo de activos tóxicos (CDO, CBO, SIV, ..., activos esses que estiveram na base de toda a crise).

    Como contra, encontro a forma de resgate. O facto de só se poder resgatar o dinheiro após entrar na reforma e apenas sob a forma de renad vitalícia. Ou seja, caso aconteça uma infelicidade e no primeiro dia como reformado faleça, a poupança de uma vida fica retida nos cofres do Estado. Ao contrário dos PPR privados que poderão ser resituidos sob a forma de renda mas também de uma só vez!

    ;)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    elbmurcs

    Como contra, encontro a forma de resgate. O facto de só se poder resgatar o dinheiro após entrar na reforma e apenas sob a forma de renad vitalícia. Ou seja, caso aconteça uma infelicidade e no primeiro dia como reformado faleça, a poupança de uma vida fica retida nos cofres do Estado. Ao contrário dos PPR privados que poderão ser resituidos sob a forma de renda mas também de uma só vez!

    ;)

    Os PPR também permitem receber em forma combinada, renda + a pronto.

    Além disso os certificados do Estado não são de capital garantido.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

    Sign in to follow this  

    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa