Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • Estudioso

    Efatura

    Recommended Posts

    Estudioso

    Temos que registar as faturas que já se encontram registadas no Efatura pelo comerciante?

    Pode ser fatura de tudo e até 750€?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    Temos que registar as faturas que já se encontram registadas no Efatura pelo comerciante?

    Pode ser fatura de tudo e até 750€?

    Se já estão registadas não precisamos de fazê-lo nós. Quanto à dedução para as despesas gerais, penso que pode ser mesmo de tudo, excepto aquilo que dá origem a uma dedução diferente (saúde, educação, restaurantes)

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Estudioso

    Se já estão registadas não precisamos de fazê-lo nós. Quanto à dedução para as despesas gerais, penso que pode ser mesmo de tudo, excepto aquilo que dá origem a uma dedução diferente (saúde, educação, restaurantes)

    No meu caso entro o Efatura e já lá se encontram as faturas da Meo, não preciso confirmar?

    obrigado

    Gasóleo tb dá?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    No meu caso entro o Efatura e já lá se encontram as faturas da Meo, não preciso confirmar?

    obrigado

    Gasóleo tb dá?

    Se calhar é apenas preciso confirmar se se insere na actividade profissional ou não. Se o sistema não pedir nada não é preciso acrescentar nada.

    Não vejo razão para combustíveis serem excluídos.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    puro00

    No meu e-factura tenho lá algumas facturas do pingo doce que se encontra dependentes, não estão inseridas em nenhum setor,  será que posso registar no setor da restauração?

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    No meu e-factura tenho lá algumas facturas do pingo doce que se encontra dependentes, não estão inseridas em nenhum setor,  será que posso registar no setor da restauração?

    Se foram compras do sector da restauração (por exemplo, no bar do Pingo Doce) então sim. Senão, não devias... mas o sistema deixa-te pôr, se é isso que queres saber...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    puro00

    Ok percebido então vou deixar como está.

    Obrigado Pauloaguia. 

    Sent from my Legend using Tapatalk 2

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest patricia pinto

    boa tarde.ja tentei registar faturas mas tenho tido problemas em aceitarem as datas...nao as valida apesar de estarem certas.alguma ideia?é que assim nao as consigo registar.obrigado

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    boa tarde.ja tentei registar faturas mas tenho tido problemas em aceitarem as datas...nao as valida apesar de estarem certas.alguma ideia?é que assim nao as consigo registar

    Que tipo de erro dá?

    Já tentaste alterar o formato da data? A mim o que me aparece é no formato aaaa/mm/dd

    Usa o botão de calendário, à partida deveria dar o formato correto.

    Tenta com outro browser - pode ser algum problema específico desse browser.

    Se conseguires encontrar a solução, avisa as Finanças das conclusões a que chegares - só assim podem corrigir o problema / melhorar o sistema.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest Diana (visitante)

    Bom dia, o gasóleo considero como reparação automovel ou outros?

    Obrigada

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    BlueSara

    @Diana

    O combustível considera em outros.

    Edited by BlueSara

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    master-chief

    gasoleo reparaçao automovel?

    bom senso.... bom senso

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest EPS (visitante)

    As faturas do pingo doce (compras para a casa, comida e afins) ficam em que setor?
    Obrigada

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    As faturas do pingo doce (compras para a casa, comida e afins) ficam em que setor

    Despesas familiares 

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Wakka

    Sinceramente não percebo algumas destas dúvidas.

    Porque é que alguém haveria de colocar compras num supermercado como despesas de restauração? 
    Porque é que alguém haveria de colocar gastos com gasóleo como reparação de veículos?

    Pode existir muita coisa errada e mal explicada no e-fatura, mas deve existir bom senso por parte de cada um de nós e pensar de forma lógica...já há pouco tempo me perguntaram se podiam inserir Máquinas Fotográficas e Jornais como despesas de educação...com que base? 

    O pior é que tenho a certeza que existe alguns milhares de pessoas (conheço umas quantas) que alteraram todas as despesas de supermercados para "Restauração", Gásoleo como despesa Automóvel, e Seguro Multi Riscos como despesa de habitação. Isto, porque aumentava o beneficio...estamos no país do chicoespertismo...

    Estou para ver quantos vão ser apanhados na teia do fisco. Vai na volta nenhum e andamos nós a pagar o beneficio dos chicos espertos.

    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Pode existir muita coisa errada e mal explicada no e-fatura, mas deve existir bom senso por parte de cada um de nós e pensar de forma lógica...já há pouco tempo me perguntaram se podiam inserir Máquinas Fotográficas e Jornais como despesas de educação...com que base? 

    A dúvida surge porque o sistema pergunta, o que significa que se pode meter em mais do que um sector. Por exemplo, para oferecer de prenda de Natal mandei fazer alguns calendários com fotos tiradas pelo pessoal lá de casa; os calendários foram encomendados a uma empresa de fotografia que tem um CAE que, por acaso, é dedutível como despesa de saúde; o eFatura colocou-me a despesa como sendo uma despesa de saúde automaticamente (o que muito me admirou).

    O pior é que tenho a certeza que existe alguns milhares de pessoas (conheço umas quantas) que alteraram todas as despesas de supermercados para "Restauração", Gásoleo como despesa Automóvel, e Seguro Multi Riscos como despesa de habitação. Isto, porque aumentava o beneficio...estamos no país do chicoespertismo...

    Estou para ver quantos vão ser apanhados na teia do fisco. Vai na volta nenhum e andamos nós a pagar o beneficio dos chicos espertos.

    Duvido que algum vá ser apanhado - se o comerciante meteu a fatura o contribuinte pode deitar fora a sua cópia em papel (o próprio fisco o confirma); a comunicação que o comerciante faz não discrimina o conteúdo da fatura, por questões de privacidade; logo se o fisco não pode olhar para o conteúdo da fatura enviada pelo comerciante nem pode pedir ao contribuinte a sua cópia, como é que vai saber se a fatura diz respeito a uma compra no bar lá do supermercado ou ao novo serviço de loiça que afinal foi o que efetivamente foi comprado? A menos que se criasse algum código de dedução que o comerciante fosse obrigado a comunicar, acho que esta asneira vai continuar durante longo tempo...

    (agora que penso nisso, uma fatura de restauração devia ter o IVA a 23%, enquanto que, muitas vezes, a fatura do supermercado tem várias taxas de IVA diferentes; isso podia ser uma forma - mas, infelizmente, duvido que alguém se vá dar a esse trabalho).

    • Upvote 1

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Wakka

    A dúvida surge porque o sistema pergunta, o que significa que se pode meter em mais do que um sector. Por exemplo, para oferecer de prenda de Natal mandei fazer alguns calendários com fotos tiradas pelo pessoal lá de casa; os calendários foram encomendados a uma empresa de fotografia que tem um CAE que, por acaso, é dedutível como despesa de saúde; o eFatura colocou-me a despesa como sendo uma despesa de saúde automaticamente (o que muito me admirou).

    Duvido que algum vá ser apanhado - se o comerciante meteu a fatura o contribuinte pode deitar fora a sua cópia em papel (o próprio fisco o confirma); a comunicação que o comerciante faz não discrimina o conteúdo da fatura, por questões de privacidade; logo se o fisco não pode olhar para o conteúdo da fatura enviada pelo comerciante nem pode pedir ao contribuinte a sua cópia, como é que vai saber se a fatura diz respeito a uma compra no bar lá do supermercado ou ao novo serviço de loiça que afinal foi o que efetivamente foi comprado? A menos que se criasse algum código de dedução que o comerciante fosse obrigado a comunicar, acho que esta asneira vai continuar durante longo tempo...

    (agora que penso nisso, uma fatura de restauração devia ter o IVA a 23%, enquanto que, muitas vezes, a fatura do supermercado tem várias taxas de IVA diferentes; isso podia ser uma forma - mas, infelizmente, duvido que alguém se vá dar a esse trabalho).

    Entendo, mas dessa forma está-se a ludibriar o sistema para proveito próprio sem qualquer risco.

    Quanto a guardar a factura, quando alteramos ou seleccionamos a categoria, também não é preciso guardar a factura? A ideia que eu tinha é que apenas não seria necessário guardar caso fosse "inserida correctamente". Apesar de o que está dentro de aspas ser ambíguo.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Quanto a guardar a factura, quando alteramos ou seleccionamos a categoria, também não é preciso guardar a factura? A ideia que eu tinha é que apenas não seria necessário guardar caso fosse "inserida correctamente". Apesar de o que está dentro de aspas ser ambíguo.

    Não - só é preciso guardar a fatura quando o consumidor a inseriu manualmente e esta não é depois confirmada pelo comerciante.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Wakka

    Não - só é preciso guardar a fatura quando o consumidor a inseriu manualmente e esta não é depois confirmada pelo comerciante.

    Ou seja, estás a dizer que qualquer um pode por o que quiser na selecção da área em que foi realizada a despesa...heheh bonito :D

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia

    Ou seja, estás a dizer que qualquer um pode por o que quiser na selecção da área em que foi realizada a despesa...heheh bonito :D

    O que o sistema deixar... não acredito que haja muita gente a conseguir declarar despesas num restaurante como despesas de saúde, por exemplo :)

    De qualquer forma continuo a defender que supermercado vá para Outros e outras coisas que tais - sabe-se lá que verificação é que se lembram de fazer um destes dias (aquela história das várias taxas de IVA parece-me que teria pernas para andar, por exemplo).

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Wakka

    O que o sistema deixar... não acredito que haja muita gente a conseguir declarar despesas num restaurante como despesas de saúde, por exemplo :)

    De qualquer forma continuo a defender que supermercado vá para Outros e outras coisas que tais - sabe-se lá que verificação é que se lembram de fazer um destes dias (aquela história das várias taxas de IVA parece-me que teria pernas para andar, por exemplo).

    Sim, claro. Quanto à verificação do IVA parece-me também uma boa verificação mas não é infalível. Eu poderia comprar apenas produtos de 23% no supermercado e colocar como restauração e assim enganar o sistema novamente :). Mas com certeza que diminuía o número de casos, sem dúvida. Aliás, essa verificação até já existe para as facturas da saúde, por isso seria apenas alterar para que também faça algo semelhante para as restantes áreas.

    Sim, e claro que também defendo que vá para Outros. É o que faz sentido, não se trata de restauração.

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    Guest Gonçalves

    Bom dia,

    Então vamos supor este caso:

     

    Tenho várias despesas do continente, Pingo doce,,

    Umas dessas despesas aparecem no e-fatura como Despesas Gerais

    Outras há que aparecem como despesas de exigência de factura (restauração)

    Essas faturas nunca estiveram pendentes para confirmação no e-factura (foram comunicadas pelo comerciante e não fiz qualquer alteração)

    Uma vez que as faturas foram comunicadas pelo comerciante, não fiz qualquer alteração não guardei esses documentos e duvido muito que alguém vá guardar todos as faturas do continente pingo doce.., desde que não faça qualquer registo manual ou alteração.

    Agora pergunto eu:

    Posso ter alguma chatice acerca dessa situação ?

    Se for fiscalizado vão pedir-me as faturas e eu digo que como não fui eu que as registei não guardei nenhuma factura.

    Muito obrigado

     

     

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia
    há 1 hora, Visitante Gonçalves disse:

    Agora pergunto eu:

    Posso ter alguma chatice acerca dessa situação ?

    Eu acho que não podes ter chatices. O próprio fisco diz que só somos obrigados a guardar as faturas em papel se fizermos alterações ou introduzirmos os dados manualmente no eFatura. Portanto não tos pode vir exigir depois. Só se o comerciante apresentasse as faturas... 

    Em teoria acho que podiam pegar no facto de a taxa de IVA não bater certo (por exemplo, se fosse mesmo despesa de restauração não devia haver linhas com IVA a 13%, creio eu). Mas também não acredito que façam esse tipo de análise. 

    Em qualquer caso, o fisco já afirmou que os contribuintes não serão penalizados por incorreções no eFatura que não dependam de ações tomadas por eles. Quando muito poderia haver lugar a correção de imposto a pagar, se essas despesas fossem reclassificadas como despesas gerais e o valor da dedução baixasse (por já teres atingido o limite por esse lado). Mas sem outro tipo de penalização como coimas ou juros...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    ruicarlov

    Eu penso que com o IVA a 13% o sistema nem permite que apareça como restauração. Pelo menos na educação o sistema é rigoroso com as taxas de IVA das faturas. Agora se fosse algum produto com IVA a 6% já passava com facilidade pois restauração está na mesma categoria de alojamento e aí o IVA é 6%.

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites
    pauloaguia
    há 45 minutos, ruicarlov disse:

    Eu penso que com o IVA a 13% o sistema nem permite que apareça como restauração. Pelo menos na educação o sistema é rigoroso com as taxas de IVA das faturas. 

    A diferença é que nas deduções da educação e saúde a legislação declara explicitamente as taxas de IVA que são aceites. No caso da dedução pelo IVA não.

    Tenho colegas que metem compras de supermercado como restauração e nunca ouvi comentar que tivessem tido problemas a classificar uma fatura por causa da taxa de IVA. Além disso, se o sistema faz essa validação tem de deixar de fazer - em breve os restaurantes vão passar a cobrar IVA a 13% nas bebidas, salvo erro...

    Share this post


    Link to post
    Share on other sites

    Your content will need to be approved by a moderator

    Guest
    You are commenting as a guest. If you have an account, please sign in.
    Reply to this topic...

    ×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

      Only 75 emoji are allowed.

    ×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

    ×   Your previous content has been restored.   Clear editor

    ×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa