Ir para o conteúdo
Entrar para seguir isto  
Visitante omicron

Alteração finalidade crédito habitação motivado por emigração

Recommended Posts

Visitante omicron

Olá,

Tenho um crédito habitação que foi contraído para aquisição de "habitação própria permanente" no entanto no ano passado emigrei para o Reino Unido, pelo que pretendo alterar a finalidade do apartamento para "Arrendamento".

No contrato do empréstimo está explícito numa das cláusulas que não posso dar outra finalidade ao apartamento senão a inicial (habitação própria permanente).

Já contactei o banco por e-mail sobre o assunto mas eles ou atiram ao lado ou não respondem pelo que queria avançar com um pedido formal por carta mas não o quero fazer sem ter certezas.

Estive a pesquisar sobre o assunto e encontrei no site do Banco de Portugal informação relevante mas tenho algumas dúvidas.

Pelo que vejo neste link http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Credito/CreditoaHabitacao/Paginas/Renegociacao.aspx entendo que posso arrendar o apartamento visto o meu local de trabalho estar a mais de 50Km, no entanto, o ponto número 6 do Artigo 28.º-A deste link http://www.bportugal.pt/pt-PT/Legislacaoenormas/Documents/Lei59ano2012.pdf faz-me pensar que terei que pedir autorização ao banco para arrendar o apartamento, caso contrário estarei a entrar em incumprimento devido à cláusula referente ao destino a dar ao apartamento.

Resumindo, tenho como motivo para pedir a renegociação das condições do empréstimo o facto de ter mudado de local de trabalho para mais de 50Km de distância. Desta renegociação poderei obter permissão para arrendar o apartamento (ou não), no entanto, o facto de ter um motivo para pedir a renogociação não significa que o banco aceite sequer renegociar.

Outra questão, se alterar a minha morada fiscal nas finanças não irá o banco colocar-me problemas ?

Se alguém puder opinar sobre isto agradeço, principalmente validar/invalidar a conclusão a que cheguei após a leitura dos dois links que aqui coloquei.

Cumprimentos

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia

Pelo que vejo neste link http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Credito/CreditoaHabitacao/Paginas/Renegociacao.aspx entendo que posso arrendar o apartamento visto o meu local de trabalho estar a mais de 50Km, no entanto, o ponto número 6 do Artigo 28.º-A deste link http://www.bportugal.pt/pt-PT/Legislacaoenormas/Documents/Lei59ano2012.pdf faz-me pensar que terei que pedir autorização ao banco para arrendar o apartamento, caso contrário estarei a entrar em incumprimento devido à cláusula referente ao destino a dar ao apartamento.

O ponto que referiste diz que se entregares o imóvel ao banco para pagar o empréstimo (em caso de incumprimento teu, portanto), o banco só é obrigado a manter o contrato de arrendamento se tiver alterado as condições do empréstimo por causa dele.

Parece-me a mim que não estás a planear ter de entregar o imóvel ao banco e também não queres alterar as condições do empréstimo, pelo que o ponto nem te interessará muito. Mesmo que isso venha a acontecer, o prejudicado será o inquilino que, pelo que percebi, verá o seu contrato de arrendamento dissolvido.

De qualquer forma, talvez não fosse pior pedires o esclarecimento ao BdP.

Outra questão, se alterar a minha morada fiscal nas finanças não irá o banco colocar-me problemas ?
O banco não sabe que alteraste a morada fiscal - as finanças não podem partilhar essa informação.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante omicron

Ola pauloaguia,

Obrigado pela resposta.

Não tenho interesse em entregar o apartamento ao banco. Quero sim arrendá-lo mas o problema é que o contrato com o banco é explicito em não permitir outra finalidade que não seja habitação própria permanente. No entanto, o facto de ter emigrado parece alterar um bocado as coisas. Vou ver se peço esclarecimento junto do BdP.

Cumprimentos

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Ninocas

Ola pauloaguia,

Obrigado pela resposta.

Não tenho interesse em entregar o apartamento ao banco. Quero sim arrendá-lo mas o problema é que o contrato com o banco é explicito em não permitir outra finalidade que não seja habitação própria permanente. No entanto, o facto de ter emigrado parece alterar um bocado as coisas. Vou ver se peço esclarecimento junto do BdP.

Cumprimentos

Não se martirize com isso. Arrende o apartamento e vá à sua vida. O banco só vai chateá-lo caso deixe de pagar a prestação.

O que não falta por aí são casos idênticos.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia
Não se martirize com isso. Arrende o apartamento e vá à sua vida. O banco só vai chateá-lo caso deixe de pagar a prestação.

O que não falta por aí são casos idênticos.

O facto de haver muitos casos idênticos não significa que não se devessem fazer as coisas de outra maneira. O que não falta por aí é gente a fugir ao fisco, bora lá fazer o mesmo? :P

Se ele acha que deve informar o banco (e, tecnicamente deve, porque está a quebrar uma das cláusulas do contrato) que fique com a paz de espírito de pelo menos ter tentado. Se o banco continuar a não dar respostas, não se pode depois vir queixar que não sabia...

Concordo que o banco provavelmente não vai querer saber, nem se vai chatear com o assunto. Já a seguradora, por exemplo, poderá ser diferente. Lembrei-me agora que um seguro feito sobre uma casa arrendada ou uma casa de férias nem sempre tem os mesmos valores que um seguro feito sobre a habitação própria e permanente. Se o inquilino pegar fogo à casa, será que a seguradora não arranja uma desculpa para se cortar? E, por exemplo, como o seguro contra incêndio é obrigatório, até é dedutível aos rendimentos prediais - não valerá a pena informar a seguradora e ter o prédio seguro, mesmo que o prémio seja aumentado por causa disso?

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante omicron

Os senhores do BdP responderam solicitando a leitura daquilo que eu já tinha lido cujos links aqui coloquei no primeiro post. Ficaria supreendido se eles fossem úteis... :D

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante omicron

Pedi novo esclarecimento e a resposta foi esta:

"Exmo(a). Senhor(a),

Em referência ao assunto em epígrafe, confirma-se a V. Exa. que a resposta

à questão suscitada se encontra na área temática a que foi feita referência

na resposta transmitida a V/ Exa.

Aproveita-se o ensejo para relembrar V. Exa. de que a informação divulgada

através do Portal do Cliente Bancário assume carácter geral e destina-se

exclusivamente a prestar orientação e auxílio ao cliente bancário na

resolução das suas dúvidas nos assuntos a que tal informação diz respeito.

A referida informação não possui força vinculativa na resolução de

quaisquer processos administrativos ou judiciais, não constitui parecer

profissional ou jurídico, nem envolve qualquer conselho, recomendação,

convite ou sugestão para aderir a alguma espécie de serviço bancário.

Com os melhores cumprimentos."

Portanto, fico na mesma. :D

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoticons maximum are allowed.

×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entrar para seguir isto  

×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa