Ir para o conteúdo
Entrar para seguir isto  
Visitante Cristiano Antunes

Retenção na Fonte. Recibos Verdes

Recommended Posts

Visitante Cristiano Antunes

Boa tarde,

Antes demais esclarecer que não tenho qualquer tipo de conhecimentos de finanças e por isso é que coisas simples me estão a dar cabo da cabeça, visto que é totalmente diferente da minha área de trabalho

Situação é a seguinte: À um mês e pouco comecei a trabalhar num part-time a recibos verdes (entre as 20 e as 25 horas semanais). Já iniciei actividade nas finanças, no entanto a empresa que está a requisitar os meus serviços enviou-me um formulário que me está a suscitar algumas duvidas no que toca aos impostos e etc. (impostos estes que eu ainda não faço ideia como funcionam):

1ª Situação- "Tipo de Rendimento: Rendimentos Profissionais (Categoria B):

            Retenção na Fonte (25%):  Sim (_)    Não (_)

Li algures que em rendimentos inferiores a 10.000€ anuais não é obrigado a fazer retenção na fonte. Os meus rendimentos anuais deste part-time não ultrapassam os 5.000€/ano, por isso não sei qual a opção mais viável para a minha situação.

Alguém entendido na matéria que me possa esclarecer?

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia

Convém perceber primeiro o que está em causa:

- ao fazer retenção na fonte, basicamente a entidade que te está a pagar retém uma percentagem (tipicamente 25%) que depois entrega ao Estado como adiantamento do teu IRS a pagar.

- no ano seguinte entregas a declaração de rendimentos onde, para além dos rendimentos, declaras também a retenção na fonte, se a tiveres feito.

- o dinheiro que foi sendo retido na fonte é depois subtraído ao imposto apurado - se o valor for negativo o Estado reembolsa-te do que foste pagando a mais ao longo do ano; caso contrário terás ainda de pagar o que faltar

Ou seja, se fizeres retenção na fonte agora, para o ano podes ter direito a reembolso ao meter a declaração de IRS. Se não fizeres retenção agora, terás quase de certeza qualquer coisa a pagar, uma vez que não foste pagando imposto nenhum este ano. Na prática, bem feitas as contas, pagas o mesmo - é só uma questão de saber se pagas em suaves prestações este ano ou tudo de uma vez no próximo ano.

Dito isto, como bem referiste, para rendimentos inferiores a 10.000€ anuais não se é obrigado a fazer retenção na fonte. Mas se só abriste atividade, por exemplo, em 1 de Setembro, o fisco faz as contas proporcionalmente e só tens esse direito se tiveres rendimentos inferiores a 3.333,33€. Agora, isso depede do que declaraste quando abriste atividade.

Já agora, se ultrapassas esse mesmo limite, tens de ficar no regime de IVA, ou seja, cobrar IVA pelos teus serviços - confirma no portal das Finanças a tua situação em termos de IVA.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante Cristiano Antunes

Obrigado pela rápida resposta, foi bastante esclarecedor.

Agora em relação à retenção na fonte, supondo que eu opto por não fazer retenção, quais são os factores ou percentagem de imposto que tenho de deduzir ao estado? (Esclareço ainda que a minha área de trabalho é colheitas para análises clínicas, e não tenho qualquer despesa ou outros movimentos envolvidos, apenas a remuneração combinada entre mim e a empresa).

Em relação ao IVA, significa que estando eu nesse estatuto de "rendimentos inferiores a 10.000€" automaticamente não cobro IVA pelos meus serviços? (estou com dificuldades em aceder ao portal das finanças e não consigo ver esse ponto)

Mais uma vez obrigado!

Cristiano Antunes

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia

Em primeiro lugar, se estás na área da saúde, talvez estejas sempre isenta de IVA: dá uma vista de olhos ao artigo 9º e vê se te enquadras: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/civa_rep/iva9.htm

Em qualquer dos casos, se estiveres isenta de IVA (seja por este motivo, seja pelo limite dos 10.000€) creio que lhe podes chamar automático, sim - em cada recibo tens sempre de indicar o IVA cobrado ou, não sendo cobrado nada, o fundamento para a isenção.

Não percebi a questão sobre os "fatores ou percentagem de imposto"... estás a perguntar como saber qual o imposto a pagar no próximo ano? Para isso procura um simulador de IRS e faz uma simulação, deve-te dar uma ideia aproximada (no portal das Finanças está o simulador usado para a entrega de declarações deste ano - sendo certo que as regras são diferentes, também não mudaram assim tanto como isso, pelo que deve ser suficiente para dar uma ideia).

Não sendo isto, queres explicar melhor qual é a tua dúvida?

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Visitante Cristiano Antunes

Já acedi ao portal das finanças e quanto ao IVA estou isento (segundo o Art. 53).

Em relação ao IRS decidi fazer retenção na fonte visto que não percebi muito dos dados pedidos no simulador de IRS e não consegui fazer uma simulação em condinções. Assim tambem não apanho surpresas e ter de pagar um valor mais alto aquando de pagar tudo junto.

Muito obrigado pelos esclarecimentos, já posso dizer que percebo alguma coisa de finanças. 8)

Cumprimentos,

Cristiano Antunes

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoticons maximum are allowed.

×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entrar para seguir isto  

×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa