Jump to content
  • FORMAS DE POUPAR

  • All Activity

    This stream auto-updates     

    1. Today
    2. Yesterday
    3. Manuel Jero

      Montante total imputado ao consumidor

      Olá a todos, Será que alguém me poderia ajudar na questão acima? Só preciso de saber se o MTIC no contrato tem base legal. Muito obrigado.
    4. Sim, instalei as apps no telemóvel. Mas também utilizo no PC. Ambas têm (quase) todos os fundos, ETF’s, ações, etc Digo quase porque na Financial Times já encontrei um que eles apenas têm a versão em dólares. Aconselho a experimentar. Dá para escolher as aplicações (fundos, ETF’s, etc), a bolsa onde se investe e criar as “ordens” de compra como foram feitas (nos dias em que foram compradas, o valor de cada UP e até taxas de compra)
    5. garay

      P2P - Tópico Geral

      Sigo-te e acho o que estas a fazer, incrivel. Entendo que compras a desconto e vendes a par... .agora o quê..... acho que vendes o que o Invest&Access compra às cegas
    6. Nesspc

      P2P - Tópico Geral

      Para não ser acusado de mau feitio e este é um forúm de cooperação , como sempre disse o que faço está tudo nos meus posts ( têm de tomar a RED Pill ) apenas para desmistificar o palavreado, deixo o meu post de 10 Junho quando começei a festa ao experimentar o Invest & Acess , vejam e analisem o mesmo Taxa 9,13% Term +- 45Meses , LO Getbucks, Hipocredit , Cream Finance, Fireof, Agro Credit, tudo LO TOP ( lol ) Reacção de fugir como disse e nunca mais voltar, vejo essa resposta todos os dias em todos os bloggers, Grupos Facebook, fórums, etc,,,,, no entanto todos escrevem um extra como eu como podem ver "o unico ponto bom é que vendeu 95% num Minuto", Todos os investidores referem isso inclusive a própria Mintos que é a Bandeira do Produto !!! Para vender alguém têm de comprar, Pensem Bem e quando descobrirem quem compra todo o refugo do Invest & Acess esses loans de lixo, aí podem ganhar o dinheiro que quiserem... Pagam os delays, essa é das melhores que aí anda.....
    7. rui_marreiros

      P2P - Tópico Geral

      Hoje a ROBOCASH está-lhe a dar delay>60%. Alguém sabe se eles pagam pelo delay? Também estou de saída. Irei investir noutra P2P mais lucrativa.
    8. Nesspc

      P2P - Tópico Geral

      Vás pelo bom caminho, eu nos Stocks , Futuros, e ETF 3X quando tinha mais valias nunca aprendi nada, agora quando levava grandes tombos aprendi e nunca mais esqueci. Na Mintos há a muitas carteiras como a minha por aí, sai-me bem do pêlo, mas dá-me gosto , até já parece que os 30+ LO que uso são família, de os conhecer tão bem.... Não sou rico, nem nunca serei por aqui nas P2P Euromilhões também não jogo infelizmente , agora com o capital que invisto tirar o retorno que tenho tido cada dia me superar ainda mais acredito que vale a pena o meu tempo dispendido,(é a minha obsessão para não ir para as crypto e jogar roleta russa). Fazer em 15 dias o retorno que faria num ano se deixasse o AI a correr, é muito bom..... há aí muito dinheiro para ser ganho, como há dias disse aqui a um user no fórum não falo muito pois a fonte seca , com a Kuki andei 5 dia a forrar 1% desconto nos 2 ultimos dias começou-se a descobrir e pela essa internet fora (+Alemães) só descansaram quando a Mintos acabou com a Festa. Ficou toda a gente contente , menos eu... ainda há por aí muitas "cookies" onde menos se espera....
    9. De certeza que queres seguir recomendações da DECO?😂 Aqui vai: Para os investidores, o cenário de taxas de juro nulas é desafiante. A opção pelos mercados acionistas persiste, mas as bolsas estão menos atrativas. É preciso encontrar alternativas também entre as obrigações. O ideal seria investir em mercados onde as obrigações têm taxas de juro mais elevadas, cuja divisa de emissão esteja subvalorizada face ao euro e com baixa correlação com as ações para melhorar a diversificação. Um ideal que, naturalmente, não é frequente. Para atingir rendimentos mais atrativos não será possível cingir-se às obrigações denominadas em euros e de emitentes financeiramente mais sólidos. É preciso ir além, procurando emissões em divisas com juros mais elevados (exemplo: high yield) ou com potencial de gerar ganhos cambiais face ao euro, mas onde o risco é superior. Euro Os vários países da zona euro pagam diferentes taxas para se financiar. Contudo, em média, os juros das obrigações a 10 anos rondam apenas 0,4%. Um rendimento bastante reduzido para tornar este investimento atrativo. Porém, o nível de risco (volatilidade) deste tipo de fundos é bastante reduzido e têm uma baixa correlação com os mercados acionistas. Por outras palavras, investir somente em fundos de obrigações denominadas em euros não será uma opção interessante, mas subscrevê-los no âmbito de uma carteira mais vasta permite beneficiar do seu efeito de diversificação. Ainda na área da moeda única, também existem fundos dedicados a emitentes financeiramente menos sólidos (dívida high yield ou “lixo”), cujas taxas de juro rondam os 4%. Uma opção atrativa para completar uma carteira, mas o risco é naturalmente mais elevado. Entre outros fundos, para a dívida mais tradicional recomendamos o AXA WF Euro 7-10 (LU0251659420). Para o segmento “lixo” dispõe do Candriam Bonds Euro High Yield (LU0144751095) e do UBS Bond Euro High Yield (LU0086177085). Coroa norueguesa No norte da Europa, o Norges Bank permanece determinado em aumentar as taxas de juro. Após duas subidas nos últimos doze meses, que fixaram a taxa de referência em 1%, as taxas norueguesas poderão sofrer novos aumentos em 2019. Um cenário que deverá alargar ainda mais o fosso entre as taxas de juro da Noruega e outras economias desenvolvidas. Os juros das obrigações já rondam 1,6% (contra 0,4% da zona euro). Ao mesmo tempo, a economia norueguesa permanecerá mais dinâmica do que a da moeda única. A conjugação destes fatores dão um bom potencial de apreciação à coroa norueguesa, que está atualmente subvalorizada. Recomendamos o fundo de obrigações Nordea Norwegian Bond (LU0173776393). Coroa sueca A considerável subvalorização da coroa face ao euro, e o inerente potencial de apreciação, é o principal atrativo desta categoria. Embora a subvalorização seja uma situação crónica, há sinais de mudança. Por um lado, a política monetária, que mantém a fraqueza da coroa no mercado cambial, é criticada pelo seu impacto negativo no poder de compra dos suecos, que pagam um preço anormalmente elevado pelos produtos importados. Bem aceite no passado é mais difícil de justificar perante a melhor situação económica. Por outro, o próprio banco central considera-a excessiva. A taxa de referência ainda está em terreno negativo mas, no início de 2019, já foi aumentada pelo Riskbank. No futuro próximo é agora mais provável que se assista a uma lenta apreciação da coroa sueca. Aconselhamos o fundo Nordea Swedish Bond (LU0173776047). Dólar australiano A Austrália conseguiu atravessar incólume as últimas crises. O banco central nunca teve de reduzir as taxas de juro tanto como os seus congéneres das economias desenvolvidas para apoiar a economia. Por isso, as taxas nulas são desconhecidas dos australianos e o nível de rendimento das obrigações é, de momento, mais elevado. Contudo, o valor cambial do dólar australiano aponta para que se encontre sobreavaliado face ao euro, o que constitui um desincentivo considerável à aposta neste mercado obrigacionista. A situação na China e possibilidade do banco central cortar as taxas diretoras também poderá impactar negativamente a moeda. Não recomendamos. Dólar norte-americano A dívida soberana dos Estados Unidos continua a ser o ativo de referência global e oferece taxas bastante superiores às da zona euro (2,3% contra 0,4%). As obrigações de empresas (corporate) emitidas em dólares norte-americanos também são interessantes, ao oferecer um rendimento mais elevado (cerca de 3,6%) com níveis relativamente baixos de volatilidade. Quanto aos títulos de dívida high yield (“lixo”) em dólares, os juros ainda são mais altos (6,8%), mas o risco é superior e não permitem amortecer choques dos mercados. Ainda assim, a postura mais prudente da Reserva Federal torna improvável uma tendência de aumento dos juros, o que vai facilitar o cumprimento financeiro destas empresas. Para estes três “segmentos” da dívida em dólares recomendamos, respetivamente, o iShares USD Treasury Bond 7-10yr ETF (IE00B1FZS798), UBS Bond USD (LU0035346773) e PIMCO US High Yield Bond (IE00B11XZ871). Em qualquer das opções, o nível de juros permite compensar uma perspetiva cambial menos favorável para o dólar. Franco suíço Com a inflação contida e um banco central pouco motivado para mudar a política monetária, as taxas de juro helvéticas deverão continuar em terreno bastante negativo. Como vantagem, o franco suíço beneficia do estatuto de valor de refúgio, mas é um trunfo, de momento, insuficiente. A moeda helvética está apenas próxima do nível de equilíbrio face ao euro e a expectativa de apreciação cambial a longo prazo é limitada para compensar o investimento em obrigações com taxas de juro tão negativas. Iene japonês As obrigações em ienes são um ativo de refúgio porque a divisa nipónica é mais procurada em tempos de turbulência financeira. Por um lado, os investidores japoneses repatriam o seu dinheiro. Por outro, os restantes investidores vendem as suas moedas de alto rendimento para pagar os empréstimos que contraíram em ienes (denominado carry trade). Esta característica faz com que a dívida nipónica tenha uma correlação negativa com a maioria dos mercados acionistas, um trunfo para diversificar uma carteira. É certo que a dívida pública do Japão é gigantesca, mas a situação financeira é sólida graças à riqueza acumulada nas últimas décadas. Além disso, a maior parte da dívida é detida pelo banco central, o que favorece a estabilidade do mercado. O preço são taxas de juro artificialmente baixas e em terreno negativo (-0,1%). Contudo, o estatuto de refúgio e a subvalorização do iene face ao euro compensam essa desvantagem para estratégias mais defensivas. Recomendamos o fundo Eurizon EasyFund Bond JPY (LU0090978643). Libra esterlina O futuro próximo do Reino Unido é indissociável do desfecho do Brexit. Neste capítulo, a libra esterlina tem sido a principal vítima e depreciou-se fortemente no início do processo para, em seguida, flutuar ao sabor das negociações e indecisões. No atual momento, a libra está subvalorizada face ao euro e os juros das obrigações britânicas são ligeiramente superiores à média da zona euro. Contudo, dada a grande incerteza, esses dois elementos são ainda insuficientes para justificar uma aposta neste mercado de dívida. Real brasileiro Um dos principais objetivos do Governo de Bolsonaro é consolidar as contas públicas para reduzir as taxas de juro da dívida. Entre outras medidas, o plano prevê a privatização de empresas públicas e a reforma do sistema de pensões. Dada a falta de consenso, é improvável que o presidente consiga aprovar todas as reformas económicas prometidas, mas as obrigações do Brasil estão na linha da frente para beneficiar das medidas que vejam a luz do dia. Os juros da dívida do Estado brasileiro rondam os 7,5%, um nível atrativo e, que de momento, compensa o maior risco do investimento em obrigações denominadas em reais. Recomendamos os fundos Aberdeen Standard Brazil Bond (LU0728927988) e HSBC GIF Brazil Bond (LU0254979965). Yuan chinês O mercado de dívida na moeda chinesa ainda é relativamente menos transparente do que os seus congéneres, além de o nível de endividamento das empresas chinesas permanecer um fator de risco global. Acresce ainda a circunstância de a moeda chinesa também se encontrar fortemente sobrevalorizada face ao euro, o que constitui um risco adicional. Neste contexto preferimos mantermo-nos afastados deste tipo de fundos.
    10. Nesspc

      P2P - Tópico Geral

      @CDCD eu sou do mesmo calibre que tu também não costumo fornecer links de afiliação, nem fazer recomendações , no entanto há uns dias num Grupo do Facebook tirei umas dúvidas a um alemão da Grupper e no fim no gozo mandei referral a dizer para clicar que dava para "uma mini e um pacote de pipocas" , o tipo riu e disse que ficasse descansado que lá bebia a "mini". Recebi hoje a boa Noticia que o alemão deve trabalhar para alguma cervejaria, pois ao capital que investiu eu nos referrals já dá para beber cerveja e pipocas durante uns belos dias ..... agora sim imagino malta que vive disso , deve receber forte
    11. Nesspc

      P2P - Tópico Geral

      A Margem não é o problema, as transacções é que são "curtas" (poucas) carrega nisso
    12. Nesspc

      P2P - Tópico Geral

      Se usares o Banco Best tens ao teu dispor um gestor de conta que te ajuda e quase todos e mais que possas pensar instrumentos financeiros disponíveis para investir, acções, Obrigações, Fundos Investimento , ETF's CFD's , Commodities, Forex, tudo á distância de 1 click e sem grandes comissões , apenas os impostos ao estado nos resgates com mais valias. Subscrevo, em Portugal "Zero" muitos tombos até aprender comigo, nas P2P a Raize apanhou de tabela, mas diga-se de passagem que também não é lá grande coisa pelo que vejo por aqui..
    13. BonesXpto

      P2P - Tópico Geral

      +1 aqui. Quem não tem conhecimento financeiros/disponibilidade está dependente do aconselhamento bancário ou aposta em produtos "feitos" Ganhei e perdi dinheiro com produtos bancários (fundos e afins) nos últimos anos - tendo noção do risco. Qualquer investimento com taxas acima de 2% tem risco. Ex: não investi 10k nas obrigações EDP para colocar em P2P porque acho que nesta fase ainda compensa o risco.. daqui a 1ano se calhar teria outra opção P2P abriu-me a porta a taxas mais atrativas e, no meu caso, sem nenhum trabalho pois apenas uso AI's (claro que tenho taxas de 10% na Mintos e não 20% ) O único tempo "perdido" é na leitura assidua deste tópico que é uma verdadeira fonte de conhecimento para quem o quiser "perceber" (obrigado a todos). Tenho esperança de quanto o tópico chegar às 300 páginas já tenha uma carteira de ações e fundos a render 10% sem preocupações... mas para já não tenho esse conhecimento. ....ou então ter o @Nesspc a gerir a minha carteira na Mintos com comissão de 5%
    14. CDCD

      P2P - Tópico Geral

      Pronto, foi só falares nisso que a minha carteira da bolsa baixou 12,5% no dia. Olha lá o agoiro! Muita da atracção dos p2p vem da percepção de controlo e rendimentos altos. Provavelmente ambas erradas, mas isso é outra história Relativamente aos rendimentos, ainda há o factor boost dos bónus, que tem um peso grande em carteiras pequenas... e não só| Por exemplo, com apenas mais 4 euros por mês na conta, o meu xirr na robocash aumentaria 1%! E a minha conta lá nem é pequena. Estas coisas também pesam na escolha dos p2p. (disclaimer: nunca forneci links de afiliação nem é costume beneficiar de qualquer tipo de bonus)
    15. superkinas

      Fundos de Investimento

      https://www.deco.proteste.pt/investe/investimentos/fundos/analises/2019/07/melhores-obrigacoes-para-investir alguém consegue esta recomendação
    16. Guest

      Index Investing?

      Se não for na DeGiro prepara-te para pagar comissões: comissão de negociação e a guarda de titulos.
    17. jon.piu

      Index Investing?

      A Degiro é uma plataforma bastante popular, mas não te posso aconselhar porque nunca usei. Sei que têm ETFs.
    18. Guest

      Fundo de garantia salarial

      Se quiser obter mais informações sobre o processo do fundo de garantia salarial pode contactar o instituto de gestão financeira da segurança social através do 300 036 036
    19. Vidolz

      P2P - Tópico Geral

      Menos mal então, compensa o esforço.
    20. jferreira20

      P2P - Tópico Geral

      Não, de todo. Vou à plataforma várias vezes ao dia, embora perca apenas 2 ou 3 minutos de cada vez.
    21. JRJordao

      Cartões de crédito - Melhores benefícios

      Muito importante, essa abordagem. Comprar sempre no supermercado com o melhor preço, independentemente de ter crédito em algum deles. Pagar com esse crédito é tanto gastar como pagar com cartão de crédito ou dinheiro. Passar a comprar tudo no Continente só porque se tem valor em Cartão Dá é o que a Sonae queria 😉 Daí que agora para a campanha WiZink tenha imediatamente passado a usar esse cartão (WiZink) para todas as despesas possíveis (que já faria de qualquer forma), indo inclusivé tentar pagar a prestação do IMI com ele. O "prejuízo" que irei sofrer com essa estratégia está limitado ao cashback Cetelem, Universo, etc perdido. Se a 14 de Setembro não tiver atingido o montante necessário para obter o cashback, irei então aplicar o resto em Cartão Dá.
    22. Vidolz

      P2P - Tópico Geral

      Mas isso é tudo automático? O meu propósito nos P2P é ter o mínimo de trabalho possível e obter passive income.
    23. P2PColector

      P2P - Tópico Geral

      Sim eu entedi como esta a fazer.
    24. jferreira20

      P2P - Tópico Geral

      Eu opto por comprar com desconto e vender com desconto menor.
    25. P2PColector

      P2P - Tópico Geral

      Sim isso é obra sim senhor. eu das que compro é com desconto e depois vendo-as ao par.
    26. jferreira20

      P2P - Tópico Geral

      Sim. É isso mesmo. A minha margem é que é curta, ganhando apenas 0,1 ou 0,2% em cada transacção.
    1. Load more activity
    ×
    FinancasPessoais.pt

    Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

    Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

    Não mostrar mais esta caixa