carlosramos

É já á manhã que pode começar a entregar o seu I R S

10 publicações neste tópico

Quem optar pela entrega pela Internet vai ter uma parte da declaração já pré-preenchida, cabendo-lhe a responsabilidade de validar os valores que lá estão indicados.

Nos impressos que foram aprovados para as entregas deste ano, há que ter em conta que no Anexo A foi incluído um campo para identificar o NIF da entidade que faz as retenções para a Segurança Social e para os sindicatos. No Anexo H, já tinha havido mudanças em 2008 e este ano há mais uma: as despesas com lares de dependentes com deficiência passam a ser aceites para efeitos de dedução fiscal.

Há vários encargos com a habitação que podem ser abatidos ao IRS. Os mais comuns são os juros e amortização do empréstimo da casa e as rendas de imóveis para habitação própria e permanente. Neste caso o fisco aceita como dedução 30% destes gastos até ao limite de 586 euros (valor igual para solteiros e casados). Este ano, pela primeira vez, é possível, para efeitos fiscais, separar esta despesa com os gastos com equipamentos de energia renovável, até ao máximo o de 777 euros. Nesta categoria de despesa entram os painéis solares, mas também as lareiras ou salamandras.

Quem vendeu a casa em 2008 vai poder abater ao cálculo das mais-valias as despesas que teve com imobiliárias - caso tenha optado por estas empresas para intermediar a transacção. Mas, para tal, terá de possuir recibos dos gastos efectuados, nomeadamente da comissão paga, até porque esta será a mais relevante.

A possibilidade de dedução dos gastos com imobiliárias nas mais-valias da venda do imóvel estava suspensa desde 2005, mas voltou a ser considerada depois de uma recente clarificação da Direcção- Geral dos Impostos para que estes gastos fossem considerados.

Há uma panóplia de prémios de seguros que podem e devem ser referidos na declaração do IRS. Desde logo os seguros de vida e de acidentes pessoais, aceitando o fisco que sejam abatidos 25% dos prémios pagos até um máximo de 62 euros (ou o dobro para os casados). Do lado dos seguros de saúde é aceite também 25% da despesa com um máximo de 82 ou 164 euros. Se a apólice abranger os dependentes acrescenta-se então 41 euros por cada. Igualmente dedutível mas frequentemente esquecida é a despesa dos prémios dos seguros de ocupantes de viaturas.

Por cada 100 euros que paga de mensalidade do colégio, jardim de infância, livros, material escolar e até transportes de e para a escola pode deduzir 30 no IRS. Mas, ao contrário do que acontece na saúde, há um limite, que neste caso é de 681,60 euros. Este limite é mais elevado nas famílias com três ou mais dependentes, aumentando 127,80 euros por cada dependentes desde que haja despesa de educação.

Quem tem idosos a cargo e estes C um rendimento inferior ao Salário Mínimo Nacional (que em 2008 foi fixado em 426 euros) pode também abater a mensalidade do lar no IRS. Neste caso o, limite dedutível é de 362,10 euros.

São as despesas mais comuns e que proporcionam o abatimento mais generoso. É que apenas nos gastos com a saúde (tratamentos, consultas, medicamentos e até juros dos empréstimos contraídos para pagar serviços de Saúde) não há máximos de despesas aceites. O fisco tem em conta todos os gastos, ainda que considera apenas 30% da despesa total.

Pela primeira vez é possível apresentar também as entregas efectuadas ao longo de 2008 para os certificados de reforma (conhecidos por PPR públicos). O limite aceite é de 350 euros independentemente da idade do beneficiário. Nos PPR os máximos oscilam entre 300 e 400 euros.

Os contribuintes que continuam a preferir os impressos em papel para o IRS podem começar a entregar a sua declaração de rendimentos (auferidos em 2008) a partir de amanhã. Os prazos para este acerto de contas da I fase do IRS prolonga-se até 16 de Março, para as entregas nas repartições de Finanças. Quem optar pela Internet, pode fazê-lo entre 10 de Março e 15 de Abril. Na II fase, os prazos vão de 16 de Março a 30 de Abril (entregas em papel) e de 16 de Abril a 25 de Maio (via electrónica). Independentemente do meio que for usado, há que organizar primeiro todas as despesas dedutíveis, porque a sua correcta utilização pode ter reflexos na conta final do imposto. Este ano há poucas alterações nas deduções e benefícios, mas algumas têm impacto. E nos impressos também houve pequenas mexidas

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

obrigado pela informação,e pela explicação bastante simples e de fácil entendimento, que nos indica muito bem o que ainda podemos beneficiar com o irs.

muito obrigado

abraço

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Até agora ainda não recebi a declaração da minha empresa, nem do meu marido. Também ainda não recebemos a declaração do banco relativamente aos juros do CH. Falta também a declaração do Seguro de Saúde do meu marido.

Acho que tinha lido algures que estas declarações nos deviam ser enviadas até 20 de janeiro 2009.  :(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Desculpem a pergunta, mas sobre os juros pagos no credito habitação qual é a percentagem que volta para nós no IRS?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Desculpem a pergunta, mas sobre os juros pagos no credito habitação qual é a percentagem que volta para nós no IRS?

30% dos juros e amortizações extraordinárias. Esta dedução tem um limite, no entanto (que acho ser de cerca de 600€).

Caso a casa tenho um certificado energético com classificação A ou A+ o limite é majorado em 10%.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parace me pouco mas enfim...é o que temos...

Obrigado!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Amigos,

Gostaria de confirmar convosco se os encargos com o crédito habitação, sobretudo juros e amortização da habitação própria e permanente, cuja dedução 30% vai até ao limite de 586 euros, é a mesma para um solteiro ou para um casal (casados), ou se cada elemento do casal terá eventualmente possibilidade de, ao apresentar a sua quota parte em separado (na declaração conjunta), auferir dessa dedução em 30% ou noutro percentual.

Pergunto porque metade do valor dos juros e amortizações da minha casa já é sufuciente para alcançar o limite máximo.

Obrigado.

Cumps,

JCNunes

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O limite (586 euros) é para casados e/ou não casados

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

kiko,

isso está claro para mim.

a minha questão é ha possibilidade de, ao fazer declaração conjunta por ser casado, recebermos (eu e minha mulher) 598+598 eur como o ano passado quando eramos solteiros, ou vamos ter de receber apenas os 598 eu para os dois.

Infelizmente , pelas simulações que fiz iremos receber apenas 598 eur.

Não há forma de evitar esta perda!?! :(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, por isso tenho alguns amigos que, para efeitos fiscais, se divorciaram.

Conta a situação em 31/12/2008 e nessa data, já eram casasdos, logo tem que ser em conjunto.

Mas, sorte a sua que, ainda recebe, eu vou ter k pagar

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead