vadm25

Venda produtos agricolas como proceder?

5 publicações neste tópico

Viva!

Todos os anos tenho tido por aqui uma peras que tenho vendido.

Quem as comprava fazia uma declaração de venda que era assinada pelo meu pai enquanto foi vivo, e nos últimos anos pela minha mãe.

Agora este ano como houve alterações na lei quem as comprou quer que lhe passe factura, a questão que coloco é qual a melhor maneira de proceder.

A minha mãe é reformada e o valor da venda não passa os 10000€ alias nunca passou em nenhum dos anos anteriores.

Eu estava a pensar em abrir a actvidade na categoria B passar a factura e depois encerrar a actividade, mas aqui tenho uma duvida e um problema.

A duvida é que li que no caso da agricultura a actividade tinha que estar aberta pelo menos 3 anos.

O problema é que o tipo que me comprou a peras quer que lhe passe a factura entretanto, porque diz que tem que entregar o iva, só que eu vendi-lhe as peras sem preço e ele ainda não sabe que preço vai pagar este ano, quando eu o questionei sobre isso ele disse-me que lhe passa-va uma factura entrentanto com um valor e depois ia passando facturas de acerto, só que neste caso lá se vai a hipotese de abrir e fechar a actividade.

Outra coisa que não percebo é o porque é que ele tem que entregar o iva entretanto, para mim o que fazia sentido era quando ele soubesse a que preço ia pagar, fosse isso no mês de Dezembro, Janeiro ou Fevereiro passar então a factura nessa altura.

Se alguém me pudesse esclarecer um pouco agradecia.

Cumps

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Viva!

Então pessoal ninguem esta por dentro desta coisa da venda de produtos agricolas, que possa dar uma ajuda?

Cumps

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O facto que obriga a emitir faturas é a transmissão dos bens.

Por isso, é normal essa exigência da fatura, aquando da transmissão das peras.

O que foge ao normal é o facto de não haver ainda o preço certo aquando da transmissão. Mas para isso é que existem as notas de crédito e débito, que servem para retificar a fatura.

A não ser que tenha um programa informático, fazer 3 tipos de livros (fatura, nota de débito e nota de crédito) fica puxadote. Uma ideia é seguir o que foi recomendado pelo cliente, ir acertando com outras faturas.

Em termos de irs e iva, ter a atividade aberta 1 dia ou 1 ano, vai dar ao mesmo. O que influencia estes impostos é o valor das transmissões (vendas).

Quanto à SS, podem sempre abrir a atividade em nome da sua mãe, que é reformada, logo fica isenta de SS.

E assim, mantêm a atividade aberta pelo tempo necessário, sendo acréscimo de custos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Viva!

Muito obrigado pela resposta, por acaso já tinha pensado nisso de usar um programa informático (talvez consiga arranjar isso em conta), mas não sabia se era possível, pois já tinha dado um vista de olhos pelo impresso de inicio de actividade e não me lembro de ter visto algo com o modo de facturação a usar.

Agora ontem passei pela finanças para ver se ficava um pouco mais esclarecido e num campo vim foi um pouco mais baralhado, pelo que percebi é a historia da anualização das receitas, porque pela previsão do que se vai facturar até final do ano qualquer dos valores mesmo o pior vai dar um valor acima de 10000 ano, se entendi bem seria algo: 6400€*12/2.5= 30720€, o que implicaria passar a estar no regime do iva não sei se este ano se no próximo. Agora isto não corresponde a realidade (infelizmente), porque se o inicio de actividade fosse a 1 de Janeiro a previsão seria exactamente a mesma. Estou a pensar correcto? Se sim há alguma forma de contornar isto?

Cumps

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Desde que seja um software certificado pode usar.

Pois, é mesmo assim. A previsão para x meses que faltam deste ano é transformada numa versão anual, tal como fez nesse exemplo. Se a previsão der mais de 10000/ano então fica desde já no regime normal do iva.

Se a previsão não corresponder a mais de 10000/ano então será enquadrado no regime de isenção, mas caso até ao final do ano ultrapasse um valor que corresponda a um valor anual superior a 10000, então para 2014 (a partir de Fevereiro) já ficará no regime normal do iva.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor