1Escudo

As taxas de juro dos depósitos disponíveis em Portugal não param de cair.

17 publicações neste tópico

As taxas de juro dos depósitos disponíveis em Portugal não param de cair.

Longe vão os tempos em que sair de uma agência bancária com um depósito a prazo com uma remuneração atractiva era uma missão bastante simples. Depois da "época dourada" que levou os juros dos depósitos a prazo para níveis recorde no final de 2010, hoje os tempos que se vivem são mais de "vacas magras". A gradual diminuição dos juros oferecidos nos depósitos a que temos assistido - consequência dos níveis historicamente baixos dos juros de referência e à falta de pressão para a banca captar recursos - resulta numa queda considerável de retornos para os depositantes. Tendo em conta o saldo actual de aplicações a prazo, só este ano, a perda cifra-se em mais de 250 milhões de euros.

Segundo dados do Banco de Portugal, no final de 2012, existiam aproximadamente 63,1 mil milhões de euros aplicados em depósitos até dois anos e 37,76 mil milhões de euros em prazos superiores. A cada um dos segmentos correspondia uma taxa de juro média de 2,9% e 3,04%, respectivamente. Contas feitas, ao ‘stock' de 100,87 mil milhões de euros em depósitos a prazo existente nesse mês correspondia um bolo de juros de 2,98 mil milhões de euros. Já no final de Julho deste ano, os juros associados aos 101,69 mil milhões de euros de depósitos a prazo existentes- 62,17 mil milhões em depósitos até dois anos e 39,52 mil milhões de euros em aplicações de prazos superiores- totalizam 2,72 mil milhões de euros. Ou seja, menos 256,38 milhões de euros face ao valor que se verificava no final de 2012.

Este corte resulta sobretudo da queda da taxa de juro média das aplicações para prazos inferiores a dois anos que passou a ser de 2,42%. A diminuição do retorno oferecido nos depósitos com prazos mais curtos levou, aliás, os portugueses a transferir aplicações de curto e médio prazo para maturidades superiores a dois anos, procurando garantir a melhor taxa de juro por um período mais alargado. De salientar que, nos prazos superiores a dois anos, a taxa de juro média tem-se mantido estável ao longo dos últimos meses, ligeiramente acima do 3%.

Estarão os bancos a mudar de estratégia na remuneração dos depósitos?

No entanto, ao olhar para a oferta dos bancos constata-se que os depósitos disponíveis para novas aplicações não aparentam dar seguimento a essa tendência. Neste momento, as taxas de juro mais atractivas estão a ser oferecidas nos prazos mais curtos. Ao analisar a oferta de 21 instituições financeiras a operar em Portugal (ver caixas abaixo), o Diário Económico identificou 14 depósitos a prazo a remunerar com taxas de juro brutas a partir de 3,3% (TANB), sendo que desse conjunto apenas quatro são para períodos superiores a dois anos, enquanto oito são até 12 meses. Essa situação deve-se possivelmente a uma mudança de estratégia dos bancos. Se num primeiro momento as aplicações com prazos longos serviram os interesses dos bancos - que aumentaram consideravelmente a sua oferta dada a necessidade de manterem níveis de liquidez estáveis - agora são uma fonte de pressão para as margens das instituições financeiras. Tendo em conta as taxas de juro de mercado deprimidas, os bancos estão a receber juros de crédito a taxa variável mas a pagar taxas fixas contratadas há vários meses. Dessa forma, têm toda a vantagem em reduzir a sua exposição a aplicações com prazos mais alargados, preferindo privilegiar as de períodos mais curtos.

Fonte: economico.sapo

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

"o Diário Económico identificou 14 depósitos a prazo a remunerar com taxas de juro brutas a partir de 3,3% (TANB), sendo que desse conjunto apenas quatro são para períodos superiores a dois anos, enquanto oito são até 12 meses."

Alguém tem o link deste artigo?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado :)  ;D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depósito a prazo? Não, obrigado. Há opções melhores e até com menor risco.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depósito a prazo? Não, obrigado. Há opções melhores e até com menor risco.

Como por exemplo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depósito a prazo? Não, obrigado. Há opções melhores e até com menor risco.

Se disser certificados de aforro ou debaixo do colchão, vou-me rir.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bem........... se considerarmos um deposito a praso de 50 000 euros e Portugal sair do euro que é uma ipotese a considerar é sem dúvida mais seguro um investimento de compra dos mesmos 50 000 no mercado secundario de uma obrigação da EDP comprada em dólares ou em libras ...................

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A estratégia da banca actualmente, resume-se a taxas promocionais com condicionantes, (prazos curtos, montantes elevados, subscrição de outros produtos, etc).

Curiosamente, o volume de investimento em DP tem vindo a aumentar, mesmo com as taxas a baixar. Faz sentido? Será que os gestores de conta aconselham os clientes a reforçar este tipo de produtos? Será ainda reflexo de prazos mais longos quando as taxas eram altas?

Taxas absurdamente altas eram por exemplo à 20/30 anos com valores pelos 15,17, 19%, etc, sem contar com a baixa tributação. Isso sim, foram anos dourados.

Para clientes conservadores e com a "tradição" dos DP, confinados a um beco sem saída e com o dinheiro contado, pouco há a fazer. É aceitar as taxas altas ou baixas e não pensar mais no assunto.

Para os clientes inconformados, com mais dinheiro, é tentar subir a parede do beco para outros patamares sujeitos a riscos moderados.

Para clientes com alguma "fartura" e dinâmica, nem se vão dar ao trabalho de olhar para os DP, o caminho é a aventura.

Uma coisa é certa, tudo depende do que temos no bolso (dinheiro) e da nossa fantasia (personalidade).

O importante é haver informação, e nesse aspecto este fórum não falha!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bem........... se considerarmos um deposito a praso de 50 000 euros e Portugal sair do euro que é uma hipótese a considerar é sem dúvida mais seguro um investimento de compra dos mesmos 50 000 no mercado secundario de uma obrigação da EDP comprada em dólares ou em libras ...................

Thumbs up!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

.... e vão continuar a cair, próximos tempos vão cair muito mais em meu ver!!

Basta a UE dar alguma folga extra aos Bancos Nacionais

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá,

A Euribor deve começar a aumentar. Não vejo margem para descidas. Aliás o BCE já deve estar a espera para aumentar a taxa de referência dadas as pressoes inflacionistas tanto temidas.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá,

A Euribor deve começar a aumentar. Não vejo margem para descidas. Aliás o BCE já deve estar a espera para aumentar a taxa de referência dadas as pressoes inflacionistas tanto temidas.

Mas se os bancos já estão como estão , num pais pequeno ninguém vai aumentar , mas sim todos quererem beneficiar ainda mais...

E o BCE não vai tomar essa medida tão cedo, por isso vejo margem para desaparecer a palavra DP nos proximos tempos...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depósito a prazo? Não, obrigado. Há opções melhores e até com menor risco.

Se disser certificados de aforro ou debaixo do colchão, vou-me rir.

Os Certificados de Aforro neste momento estão com melhor juro que a a maioria dos DPs, com 3,189%!

Não será uma boa alternativa aos DPs para um investidor conservador?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Claro que é..investir em dívida de um país socialista, com 3 intervenções externas nos últimos 40 anos, mais défices, mais 130% dívida pública é muito conservador. Boa sorte!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas se os bancos já estão como estão , num pais pequeno ninguém vai aumentar , mas sim todos quererem beneficiar ainda mais...

E o BCE não vai tomar essa medida tão cedo, por isso vejo margem para desaparecer a palavra DP nos proximos tempos...

Aí está. Vai criar polémica, Na Alemanha tens o CPI a subir bastante: http://www.tradingeconomics.com/germany/consumer-price-index-cpi

E os alemães não gostam nada disso. Eles tão-se pouco a lixar para o que Portugal faz ou quer. E o BCE não faz mais do que seguir a tendência da Euribor e a Euribor está a subir...ou o BCE aumenta já ou lixa-se com a inflação.

Mas eu espero que a taxa continue assim, baixa. Não me dão jeito aumentos nas taxas. Até porque as Obrigações têm rendido bem.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depósito a prazo? Não, obrigado. Há opções melhores e até com menor risco.

Se disser certificados de aforro ou debaixo do colchão, vou-me rir.

Os Certificados de Aforro neste momento estão com melhor juro que a a maioria dos DPs, com 3,189%!

Não será uma boa alternativa aos DPs para um investidor conservador?

Os Certificados de Aforro podem ter mais risco que os Depósitos a Prazo...

As Obrigações é que são o melhor sítio para os avessos ao risco.

;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead