TiagoF

Dúvida - trabalho em parceria com outra pessoa

4 publicações neste tópico

Boa tarde, tenho uma questão de fiscalidade que não entendo e gostava de ouvir a opinião de um entendido.

A pessoa em questão tem rendimentos de trabalho dependente na casa dos 15000€ anuais, tem também uma atividade em regime simplificado e encontra-se a cobrar IVA nas faturas.

A minha questão prende-se com um serviço que esta pessoa(A) fez a meias com outro profissional(B), uma sociedade unipessoal. Foi cobrado ao cliente 2000€ mas apenas (A) passou a fatura desse valor. O (B) passou uma fatura de 1000€ ao (A) para, supostamente, justificar a sua parte do trabalho.

Ora, em termos fiscais não haverá aqui uma desvantagem para o (A)?

É que não estou a ver bem o filme.. :-\

 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Estando A no regime simplificado claramente será prejudicado. Isto porque será tributado sobre 75% de €2000 = €1500 (uma vez que não pode considerar a factura de €1000 como gasto, no regime simplificado), ao invés de ser tributado sobre 75% de €1000. Nesta situação o ideal seria B facturar ao cliente final (porque deve estar no regime de contabilidade organizada) e depois A facturar a B os €1000.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde Pedro, quero desde já agradecer a sua rápida resposta. Entrei em contacto com a pessoa(A) que vai tentar rectificar essa situação. Mas levantou-me uma questão pertinente, aparentemente difícil de resolver, é que (A) pretendia que apenas entrasse uma fatura, com o seu nome, no cliente, para evitar que da próxima vez contratem (B) em vez de A, ainda que por engano.

Haverá alguma solução alternativa e que salvaguarde o (A)?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Haverá alguma solução alternativa e que salvaguarde o (A)?

Não estou bem a ver, sinceramente. Talvez só se A fizer um outro trabalho e B facture, mas em termos fiscais é capaz de não ser muito correcto, porque não seria a entidade prestadora do serviço a facturá-lo.

Se for uma situação recorrente ou o volume de despesas justificar, optar pelo regime de contabilidade organizada.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead