martinho

IRS 2009: Tabelas de retenção na fonte

28 publicações neste tópico

Boa tarde.

Bom contributo este, das tabelas de retenção do IRS, para 2009!

É importante no entanto, fazer a análise destas mesmas tabelas. Quando a grande maioria dos jornais diários e semanários, referem em grandes títulos, que os contribuintes ficam com mais rendimento disponível ao fim do mês, isso constitui uma falácia para muitos. De facto, é preciso dizer que isso não é para todos. Constatei, por exemplos práticos (o  meu caso por exemplo),que tal só acontece nas famílias com menores recursos e naquelas com rendimentos próximos do limite do seu escalão de rendimento. Segundo alguns fiscalistas, o impacto a nível de "economia" mensal de imposto, é mínimo. E digo "economia", porque no acerto final do IRS a pagar, ou se paga menos IRS ou se é reembolsado de menos!

Segundo o D.E., "através de simulações efectuadas pela consultora Deloitte, baseadas no pressuposto de que os salários são actualizados em 2,5%, é possível verificar que os agregados fiscais constituídos por 2 titulares (casados) e com dependentes a cargo, o imposto retido diminuiu nos casos em que o rendimento bruto mensal está próximo do limite mínimo do escalão em 2008. O acréscimo no vencimento líquido mensal oscila entre 9,41 e 17 Eur., para remunerações de 1.286 Eur. e 4.536 Eur., respectivamente. No total do ano,a redução atinge valores entre os 132 Eur. e os 238 Eur. Já para os agregados familiares com rendimentos brutos no meio do escalão em 2008, passarão a descontar mais IRS todos os meses. É o caso das remunerações superiores a 5.227 Eur., que terão uma quebra do vencimento líquido mensal de 34,4 Eur.".

Outra ideia muito "badalada" nos jornais é a de que os deficientes saem penalizados. Nada de mais errado! Só aos os de maiores rendimentos, é que tal acontece. Ainda segundo a Deloitte, "a retenção mantêm-se praticamente inalterada para os deficientes não casados sem dependentes, com rendimentos brutos mensais até 1.948 Eur., mas aumentam bastante para que apresentam rendimentos superiores a este montante". É óbvio, que as taxas para deficientes (se comparadas com as dos restantes trabalhadores dependentes, são ridículas), mas isso seria espaço para outra anáilse, tendo em contas os deficientes e os "deficientes"!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esses são os mesmos jornais que, em Março / Abril vêm dizer que afinal se anda a pagar mais impostos porque os reembolsos diminuíram. Ora, se se aumenta o rendimento disponível à custa de se entregar menos dinheiro ao Estado, é evidente que quando chega a altura do acerto de contas, ele também tem que devolver menos (ou, para os que pagam, têm que pagar ainda mais).

Mas hoje em dia o que conta é o título sensacionalista!  >:(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esses são os mesmos jornais que, em Março / Abril vêm dizer que afinal se anda a pagar mais impostos porque os reembolsos diminuíram. Ora, se se aumenta o rendimento disponível à custa de se entregar menos dinheiro ao Estado, é evidente que quando chega a altura do acerto de contas, ele também tem que devolver menos (ou, para os que pagam, têm que pagar ainda mais).

Mas hoje em dia o que conta é o título sensacionalista!  >:(

Tens razão pauloaguia!

Correcção a fazer: ou se é reembolsado de menos ou se paga mais!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Na tabela VII - Pensões algo não deve estar correcto. Não existe nenhuma parcela entre as pensões até 840€ e até 2.335€ ao contrário dos anos anteriores. Será que as coisas foram alteradas mesmo ou algo estará errado?

Exemplo do Ano 2008 a cor verde:

Até 670,00 0,0% 0,0%

Até 740,00 1,0% 0,0%

Até 820,00 2,0% 0,0%

Até 910,00 3,0% 1,0%

Até 980,00 4,0% 1,0%

Até 1.060,00 5,0% 2,0%

Até 1.090,00 6,0% 2,0%

Até 1.170,00 7,0% 3,0%

Até 1.240,00 8,0% 3,0%

Até 1.340,00 9,0% 4,0%

Até 1.440,00 10,0% 5,0%

Até 1.570,00 11,0% 6,0%

Até 1.700,00 11,5% 7,0%

Até 1.780,00 12,0% 8,0%

Até 1.880,00 13,0% 9,0%

Até 1.980,00 14,0% 9,0%

Até 2.100,00 15,0% 10,0%

Até 2.230,00 16,0% 11,0%

Até 2.380,00 17,0% 11,0%

Até 2.510,00 18,0% 12,0%

Até 2.650,00 19,0% 13,0%

Até 2.800,00 20,0% 14,0%

Será que estas parcelas foram eliminadas? Ou sou eu que vejo mal?

Agradece-se esclarecimento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Supostamente quando recebermos este mês já seria com as novas tabelas?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite!

As parcelas não foram eliminadas, obviamente. Acontece é que estás a consultar mal. A Tabela VII, chega ao fim da página 2878 do Diário da República (coluna do lado esquerdo) e continua na mesma página, mas na coluna do lado direito. O que te aconteceu, foi que passaste a consultar a página 2879! Num primeiro olhar é o que sugere - passar à página seguinte!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Supostamente quando recebermos este mês já seria com as novas tabelas?

Não.

O aumento das pensões, processado em Fevereiro, produz efeitos desde 1 de Janeiro de 2009, de conformidade com o disposto na Portaria nº 1553-D/2008, de 31 de Dezembro. O que vai acontecer na prática, é que o pensionista, irá receber em Fevereiro a pensão desse mês mais os retroactivos respeitantes a Janeiro. O mês de Janeiro será ainda igual aos meses normais (sem os subsídios de férias e Natal) de 2008.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Michael Collins:

Tens razão. Fui eu que vi mal.

Obrigado :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

  Uma dúvida,

  alguém sabe se a taxa que abrange os valores referidos dentro de cada escalão, também respeita ao valor máximo de cada intervalo?

  um exemplo: um trabalhador não casado, sem dependentes (tabela I) que aufira precisamente de ordenado base 670 €, deverá descontar à taxa de 3 ou 4%...

  estive a ler a portaria em que as tabelas foram publicadas, mas não vem referido...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

  Uma dúvida,

  alguém sabe se a taxa que abrange os valores referidos dentro de cada escalão, também respeita ao valor máximo de cada intervalo?

  um exemplo: um trabalhador não casado, sem dependentes (tabela I) que aufira precisamente de ordenado base 670 €, deverá descontar à taxa de 3 ou 4%...

  estive a ler a portaria em que as tabelas foram publicadas, mas não vem referido...

A minha leitura das tabelas é:

Até 670 € a retenção é de 3%, isto é, 670 € inclusive. De 671 a 720 € o desconto é de 4% !!! No imediato os escalões geram alguma situação de injustiça !

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Radical_pt

A taxa a aplicar é de 3% (670 inclusivé).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Até 670 € a retenção é de 3%, isto é, 670 € inclusive. De 671 a 720 € o desconto é de 4% !!! No imediato os escalões geram alguma situação de injustiça !

Então e quem ganha 670,50€? :)

O documento é bem claro - em quase todas as linhas há a designação "Até X". Na última linha surge a expressão "Superior a X". Portanto, o valor exacto inclui-se como tecto do escalão em causa.

É como diz a m.elis (tirando aquele 1€ que não ficou em escalão nenhum ;D).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se o que vou dizer se pode fazer.

Para mim seria assim:

Os 670,50 arredondavam-se para mais, logo 671 €( taxa de retenção 4%). Se fossem 670,40 por exemplo, o arredondamento seria para menos, 670 € (retenção de 3%). :D

Será que é assim que se faz?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se o que vou dizer se pode fazer.

Para mim seria assim:

Os 670,50 arredondavam-se para mais, logo 671 €( taxa de retenção 4%). Se fossem 670,40 por exemplo, o arredondamento seria para menos, 670 € (retenção de 3%). :D

Será que é assim que se faz?

Não. 670,01€ já faz retenção na fonte à taxa de 4%.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se o que vou dizer se pode fazer.

Para mim seria assim:

Os 670,50 arredondavam-se para mais, logo 671 €( taxa de retenção 4%). Se fossem 670,40 por exemplo, o arredondamento seria para menos, 670 € (retenção de 3%). :D

Será que é assim que se faz?

Viva!

Era bom aplicar aqui, as regras do arredondamento do Euro, sem dúvida! ;  ;D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Viva!

Era bom aplicar aqui, as regras do arredondamento do Euro, sem dúvida! ;  ;D

A diferença seria ínfima - 4% de 40 cêntimos são 2 cêntimos. E, de qualquer forma, o que conta é a taxa final do IRS, apurada no ano seguinte... o que eventualmente for cobrado a mais (ou a menos) será devolvido (ou pago) nessa altura.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Antes de mais peço desculpa pela minha ignorância, mas sou novato nestas andanças.

Eu trabalho a recibos verdes esta tabela publicada também me vai afectar a mim?

Eu "apenas" tenho que pagar a retenção na fonte (20% do que recebo) e caso no final do ano os rendimentos ultrapassarem os 10000euros tenho que pagar IVA, correcto?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Lebrux

Esta tabela apenas se aplica aos trabalhadores por conta de outrém.

A partir do momento em que atinjas os 10.000€ no decorrer do ano, tens de liquidar IVA no próprio recibo  e entregá-lo ao fisco, bem como fazer a retenção de IRS. As retenções que eventualmente venhas a fazer, podes facilmente recuperá-las, desde que tenhas despesas suficientes, para efeitos da Mod.3, que tens de entregar na 2ª fase.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Girassol

Obrigado pelo esclarecimento!

Mas tira-me mais uma dúvida sff, eu apenas tenho que liquidar o IVA no próprio recibo quando atingir os 10.000€, antes não o tenho que fazer, correcto?

Neste momento apenas tenho que passar os recibos e depois preencher o IRS na 2a fase, certo?

Obrigado pela ajuda!

PS: Peço desculpa por estar a fugir ao tópico em questão.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Lebrux,

Correcto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

10.000€ é uma forma de dizer  :P , o correcto é 9.975,95€  ;D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

10.000€ é uma forma de dizer  , o correcto é 9.975,95€ 

Artigo 53.º do Código do Iva

Âmbito de aplicação

1 - Beneficiam da isenção do imposto os sujeitos passivos que, não possuindo nem sendo obrigados a possuir contabilidade organizada para efeitos do IRS ou IRC, nem praticando operações de importação, exportação ou actividades conexas, nem exercendo actividade que consista na transmissão dos bens ou prestação dos serviços mencionados no anexo E do presente Código, não tenham atingido, no ano civil anterior, um volume de negócios superior a (euro) 10 000.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado Girassol :) tinha ideia errada então, na altura da conversão para o euro ficou em vigor esse valor, e estava com ideia que ainda se mantinha, mas nao fazia muito sentido  :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Podem ser visualizadas aqui.

Para as pessoas casadas e separadas judicialmente qual a tabela de retenção na fonte a utilizar? Será a de para não casado? Muito obrigado. Armando Pinto
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead