FerreiraJMC

Compra de casa - Pedir dinheiro ao Banco ou a um Familiar?

13 publicações neste tópico

Ola a todos.

Estou na eminência de comprar uma casa no valor de 125k (casa com terreno). Terei de recorrer ao crédito em parte do valor, cerca de 40k.

A minha dúvida é a seguinte:

Tenho um familiar que me empresta o dinheiro, na condição de lhe pagar 5k por ano, no final de cada ano, pagando mais um ano de juros, ou seja, pagaria mais 5k de juros (9 anos a pagar 5k = 45k).

Será que se pedir dinheiro emprestado a um Banco, um Credito Habitação compensa mais que pedir o dinheiro ao familiar? Pergunto isto, porque os bancos embora tenham muitas burocracias e custos com o processo (avaliação da casa, escritura, etc…), como fazem juros baixos, poderia compensar.

Assim, com a vossa experiência, peço a vossa opinião para a melhor opção.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sabendo a sua idade, mas fazendo uma estimativa para 9 anos, creio que é ela por ela com a "vantagem" (ou será desvantagem?) de que não irá contratar seguro de vida, caso avance com o capital emprestado pelo seu familiar...

Parece-me que, no seu caso (não se trata de imóvel bancário?), os spread's andam à volta de 3 a 4% (talvez até 5%, consoante a entidade bancária).

Experimente pedir umas simulações de empréstimo bancário no BPI, BES, Best Bank, Barclays, Banco Popular.... e se quiser partilhar valores, assim já se pode comparar as situações e dar uma resposta mais concreta entre fazer o pedido de empréstimo numa determinada entidade bancária (acresce seguros de vida e de habitação, que pode ou não ser efetuado no próprio banco) e ao seu familiar (acresce o seguro de habitação, como não podia deixar de ser).

Espero que tenha percebido este conjunto de hipóteses.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho 31 anos.

Entretanto informo que vou consultar simulações de alguns bancos e depois coloco aqui.

Apenas não percebi quando referiu que ao pedir o dinheiro ao familiar teria de fazer o seguro de habitação. O ideia seria assinar um documento escrito com as condições (ou algo do gênero) e cada um ficava com uma cópia, dado tratar-se de pessoas da família.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

sendo bom ou mau negócio (não sei e depende da relação com o familiar) eu preferia fazer um crédito a habitação. 40.000 euros a 30 anos dá uma prestação muito baixa. com o valor restante, fazia uma estratégia de pagamento antecipado do crédito.  podia até pagar um pouco mais ao banco, mas pelo menos não ficava a dever favores.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho 31 anos.

Entretanto informo que vou consultar simulações de alguns bancos e depois coloco aqui.

Apenas não percebi quando referiu que ao pedir o dinheiro ao familiar teria de fazer o seguro de habitação. O ideia seria assinar um documento escrito com as condições (ou algo do gênero) e cada um ficava com uma cópia, dado tratar-se de pessoas da família.

Independentemente de onde vem o dinheiro (banco, familiar, economias...), qualquer habitação tem de ter seguro... Estava apenas a referir que ao valor do empréstimo tem de contar também com um determinado capital para pagar o dito seguro todos os anos!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Quanto à obrigatoriedade de ter seguro de habitação, deve-se entender o seguinte em cotação.

O seguro de incêndio' date=' que cobre o risco de danos provocados no imóvel por incêndio, é obrigatório para os edifícios em regime de propriedade horizontal. Deve cobrir cada fracção autónoma e as partes comuns do edifício (telhado, escadas, elevadores, garagem, etc.).

O seguro deve ser feito pelos proprietários de cada fracção (condóminos). Se estes não o fizerem dentro do prazo e pelo valor decidido na assembleia de condóminos, o administrador do condomínio deve fazê-lo, sendo depois reembolsado pelos condóminos.

A obrigação de segurar o risco de incêndio pode ser cumprida através da contratação de  apólice de seguro da modalidade “Incêndio e Elementos da Natureza” ou incluída num seguro de “Multirriscos”.

Quanto ao pedido de empréstimo, na minha opinião há vários factores a considerar, um deles é o facto que ao fazer um empréstimo a um familiar, se as coisas se complicarem poderá agravar o relacionamento de toda a família, por outro lado, também poderia ser depois facilitado em termos de falta de pagamento, atrasos, etc... Mais, em caso de incumprimento, certamente que não lhe iam vender a casa em leilão para pagar a sua dívida.

No caso do empréstimo a um banco, para o valor referido, não concordo com os 30 anos, certamente um prazo menor. E claro que até mesmo os bancos podem ser fléxiveis e podem permitir mesmo renegociar o prazo e juros ao longo do empréstimo. Mais, já quase todos os bancos, por uma quantia relativamente reduzida, oferecem seguros habitação que no caso de acontecer alguma coisa a casa fica paga.

Concluindo, penso que depende mesmo da estabilidade financeira da pessoa / probabilidade de incumprimento ao longo do prazo. Se a possibilidade é muito remota, não pensaria duas vezes e optaria por um empréstimo ao banco.

Melhores cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola. Não se trata de um apartamente, trata-se de uma casa/moradia, na aldeia, com terreno. Não sabia que era obrigatório o dito seguro de incendios.

O que eu pretendia quando coloquei o post, era essencialmente saber se compensa mais pedir os 40k e pagar 45k no final de 9 anos ou pedir dinheiro ao banco, através de um credito habitação a 20 anos, no final qual seria mais compensador, depois de pagar todas as formalidade que o banco exige (despesas de avaliação, seguros, etc).

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola. Não se trata de um apartamente, trata-se de uma casa/moradia, na aldeia, com terreno. Não sabia que era obrigatório o dito seguro de incendios.

O que eu pretendia quando coloquei o post, era essencialmente saber se compensa mais pedir os 40k e pagar 45k no final de 9 anos ou pedir dinheiro ao banco, através de um credito habitação a 20 anos, no final qual seria mais compensador, depois de pagar todas as formalidade que o banco exige (despesas de avaliação, seguros, etc).

Obrigado

Com esses dados não consegue concluir nada. Pode-se dar palpites mas sem valores ... nada feito.

Já efetuou alguma simulação das que sugeri?

Obs. 5000 distribuídos por 9 anos, dá cerca de 555€. Parece-me que não lhe estão a fazer um grande favor... mas lá está é resultado de uma conta simples...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Ola. Não se trata de um apartamente, trata-se de uma casa/moradia, na aldeia, com terreno. Não sabia que era obrigatório o dito seguro de incendios.

No seu caso não é necessário seguro (no caso de emprestimo de familiar) apenas se perdir ao banco, pois como foi referido

O seguro de incêndio, que cobre o risco de danos provocados no imóvel por incêndio, é obrigatório para os edifícios em regime de propriedade horizontal.

e a definição de propriedade horizontal é

– O QUE É A PROPRIEDADE HORIZONTAL?

Diz-se que um prédio está constituído em PROPRIEDADE HORIZONTAL, quando está dividido em fracções autónomas, nomeadamente apartamentos ou andares e garagens, desde que registadas separadamente, devendo ter saída própria para uma parte comum do prédio ou para a via pública. Assim, um simples lugar de garagem como tal assinalado no solo com traços delimitadores não constitui fracção autónoma, embora o seu uso possa estar reservado a uma fracção autónoma.

Quano a esta análise, não concordo com a conclusão

Obs. 5000 distribuídos por 9 anos, dá cerca de 555€. Parece-me que não lhe estão a fazer um grande favor... mas lá está é resultado de uma conta simples...

se formos ver 555/40000 = 1.3875% ou 5000/40000 = 12.% diluidos em 9 anos. Não creio que este cenário seja possivel em qualquer emprestimo bancário. Só os spreads são superiores a esta taxa de juro.

Vantagens:

-não precisa de fiador;

-não precisa de seguro;

-não tens custos associados;

-não tem instabilidade na prestação (preve-se que a Euribor tenha um rumo ascendente nos proximos tempos).

Tudo depende do tipo de relação tem com esta pessoa e se numa fase menos boa da sua vida será uma pessoa compreensivel consigo.

O meu mote é se puder dar dinheiro a ganhar a um familiar não dou a um banco.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ora bem... a prestação que terá em termos de amortização, ao longo dos 108 meses, será de 416,67€ por mês (370,37€ capital + 46,30€ de juros). Isto dá uma taxa total aplicada de 12.5%, sendo a TAEG de 1.39%.

Tendo em conta que até os bancos com spread mais baixo rondam os 2.5% dá para ver que mais vale pedir ao familiar, de facto. E com a vantagem de ser algo bem mais simples e prático.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tem boa relação com o seu familiar?

Tem capacidade para pagar a prestação mensal, cujos cálculos já foram apresentados, ao seu familiar durante os 9 anos?

Em caso afirmativo, não hesite. Em caso negativo, vá pelas simulações e compare os resultados obtidos.

Se tiver dúvidas em relação valor do seguro da casa exponha, na certeza que haverá alguêm disponível para o elucidar!  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola a todos. Ainda não fui a qualquer banco para pedir simulação, quando o fizer, depois coloco aqui um resumo.

Contudo e como pensava, julgo que pedir dinheiro ao familiar é mais vantajoso. A minha ideia seria pedir 40k e pagar no mês de Dezembro de cada anos os 5k (não seria pagar por mês).

Desde já o meu obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa Tarde,

Depois de todas as vantagens já mencionadas aqui, esta é mais uma, se apenas vai pagar os 5000€ no mês de Dezembro, pode rentabilizar o valor das "prestações" ao longo do ano. Pode aplicar esse valor numa conta que lhe permita fazer reforços e que lhe pague uma taxa de juro pelas suas entregas.

Tudo depende do relacionamento que tem com o seu familiar, mas vejo esta opção com bons olhos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead