Filipe_lisboa

ETF´s domiciliados na Irlanda

25 publicações neste tópico

Boa tarde.

Tenho uma dúvida sobre ETF´s domiciliados na Irlanda.

Quando adquiridos através do BTP ou Go Bulling PRO (ou outra plataforma associada ao Saxo Bank), como são taxados os dividendos?  Existe dupla tributação, ou apenas na Irlanda?

Se for do tipo que reinveste os dividendos, existe cobrança de mais valias aquando da venda?  É que os ETF´s na Irlanda são equiparados a fundos e não a acções.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Equiparados a fundos?

Eles são fundos. São é negociados em bolsa  :D , daí serem exchange traded funds.

Dupla tributação de dividendos há sempre, seja em que país for. Mas muitas vezes nesses fundos europeus os dividendos são reinvestidos, pelo que só somos taxados cá pela mais-valia quando vendemos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Equiparados a fundos?

Eles são fundos. São é negociados em bolsa  :D , daí serem exchange traded funds.

Dupla tributação de dividendos há sempre, seja em que país for. Mas muitas vezes nesses fundos europeus os dividendos são reinvestidos, pelo que só somos taxados cá pela mais-valia quando vendemos.

O problema aqui é que sendo fundos, aquando do resgate são logo taxados na fonte a 28%. E depois ainda têm de ser declarados em Portugal, no modelo G, para ser cobrada a mais valia. Os irlandeses isentam clientes não residentes, desde que estejam devidamente identificados como tal. Fazendo a compra através de uma plataforma como o BTP, e por causa da tal conta basket do Saxo Bank, ninguém consegue comprovar que é português. Ou seja, podemos correr o risco de ser taxados duas vezes pela mais valia.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O problema aqui é que sendo fundos, aquando do resgate são logo taxados na fonte a 28%. E depois ainda têm de ser declarados em Portugal, no modelo G, para ser cobrada a mais valia. Os irlandeses isentam clientes não residentes, desde que estejam devidamente identificados como tal. Fazendo a compra através de uma plataforma como o BTP, e por causa da tal conta basket do Saxo Bank, ninguém consegue comprovar que é português. Ou seja, podemos correr o risco de ser taxados duas vezes pela mais valia.

A ausência de comentários a este post só reforça a minha opinião de que as pessoas neste site passam demasiado tempo a analisar tipos de portfólios, estratégias de alocação de activos e fundos a utilizar, e pouco tempo a estudar as implicações fiscais dos seus investimentos. Ainda é mais gravoso quando estamos muitas vezes a falar de estratégias de longo prazo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A ausência de comentários a este post só reforça a minha opinião de que as pessoas neste site passam demasiado tempo a analisar tipos de portfólios, estratégias de alocação de activos e fundos a utilizar, e pouco tempo a estudar as implicações fiscais dos seus investimentos. Ainda é mais gravoso quando estamos muitas vezes a falar de estratégias de longo prazo.

O "grande" problema é que a lei é ambígua, ou seja, sujeita a diferentes interpretações, o que faz com que não haja consenso entre quem faz as leis e quem as interpreta porque não estão claras. As mais-valias são um exemplo disto.

Mas o que dizes é uma grande verdade, e numa estratégia de LP é fundamental perceber as implicações fiscais dos diferentes tipos de investimento, pois podem afectar consideravelmente a rentabilidade.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A ausência de comentários a este post só reforça a minha opinião de que as pessoas neste site passam demasiado tempo a analisar tipos de portfólios, estratégias de alocação de activos e fundos a utilizar, e pouco tempo a estudar as implicações fiscais dos seus investimentos. Ainda é mais gravoso quando estamos muitas vezes a falar de estratégias de longo prazo.

Por não ter a certeza é que tento minimizar os efeitos fiscais, como fazem "todas" as pessoas na Europa. Ou seja basicamente investem em fundos domiciliados em Irlanda/Luxemburgo, pois a tributação fiscal é mínima. Além disso utilizo fundos que capitalizem dividendos, evitando assim dupla tributação. Ou melhor a tributação está lá.. tem é um valor de 15% (E não 28% como em Portugal). Ou seja pagarei 15% de impostos no Luxemburgo (automaticamente) e depois quando resgatar pagarei as mais-valias em Portugal declarando no IRS.

http://dre.pt/pdf1sdip/2000/06/149A00/28142832.pdf

É claro que são sempre questões discutíveis...mas é melhor ir discutindo com o dinheiro a render do que discutir com o dinheiro à ordem.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Por não ter a certeza é que tento minimizar os efeitos fiscais, como fazem "todas" as pessoas na Europa. Ou seja basicamente investem em fundos domiciliados em Irlanda/Luxemburgo, pois a tributação fiscal é mínima. Além disso utilizo fundos que capitalizem dividendos, evitando assim dupla tributação. Ou melhor a tributação está lá.. tem é um valor de 15% (E não 28% como em Portugal). Ou seja pagarei 15% de impostos no Luxemburgo (automaticamente) e depois quando resgatar pagarei as mais-valias em Portugal declarando no IRS.

http://dre.pt/pdf1sdip/2000/06/149A00/28142832.pdf

É claro que são sempre questões discutíveis...mas é melhor ir discutindo com o dinheiro a render do que discutir com o dinheiro à ordem.

Boa noite Rakmoz.

Não é assim tão simples. A maior parte dos ETF que seguem o indíce de acções a nível mundial (como o MSCI World) seguem o indíce líquido, e não o bruto. E já alguém referiu que as contas do indíce líquido são feitas com 30% de retenção. Ou seja, na verdade não faz assim grande diferença.

Mas o mais gravoso na minha opinião, especialmente em ETF da Irlanda (não tenho conhecimento da tributação dos fundos do Luxemburgo) é que na Irlanda são considerados fundos (sujeitos a tributação de 28% no resgate) mas em Portugal são considerados como acções (sujeitos a tributação sobre mais valias).

Ou seja investes 10.000 e passado uns aninhos tens lá 20.000. Levas com  2.800 € no resgate, e depois ainda tens de declarar os 7.200 € de mais valia, para ser taxada a 28% em Portugal. A Irlanda ainda tem um pormenor engraçado, de 8 em 8 anos levas com o imposto de resgate de fundos, mesmo que não vendas.

Esquece os acordos de dupla tributação, são extremamente difíceis de aplicar para um investidor individual, especialmente se compraste os ETF via BTP ou Go Bulling. Para puderes beneficiar desse acordo, o IRS do país em que está domiciliado o fundo tem de saber que és português. Comprando através de uma plataforma do Saxo Bank (Go Bulling ou BTP) isso é simplesmente impossível.

Eu já pesquisei muito sobre estas questões, e acho que posso dizer que construir um portfolio de longo prazo assente em ETFs comprando tudo através de uma conta em Portugal, é fiscalmente um filme de terror. Tanto nos dividendos como nas mais valias.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas eu não digo que não concorde contigo. Digo é que não há melhor alternativa. Impostos e a morte não dá para fugir... e se os melhores e mais líquidos ETF estão domiciliados em Luxemburgo/Irlanda, não vejo como evitar esta questão.

Faz sentido que na Irlanda sejam considerados fundos e que em Portugal sejam considerados acções. Na Irlanda porque é onde está domiciliado... Em Portugal porque é onde tu negoceias o activo. Negócio esse que é basicamente comprar/vender acções numa bolsa de valores (embora seja equivalente a unidades de participação).

Vou te ser sincero, não tenho olhado muito para a questão fiscal...pelo que li parecia-me que os dividendos eram tributados a 15% na Irlanda/Luxemburgo. E que depois pagaria pela mais-valia aquando do resgate, aqui em Portugal - 28%. O Acordo de dupla tributação seria automaticamente aplicado por serem países da União Europeia. Aliás até a plataforma é "dinamarquesa".

http://europa.eu/about-eu/countries/index_pt.htm

http://www.pwc.pt/pt/guia-fiscal-2012/convencoes-dupla-tributacao.jhtml

Tens a opção - que eu considerei e depois abandonei - de abrir conta na TD Ameritrade (Estados Unidos). Mas pareceu-me que não era vantajosa pois ao fazer distribuição de dividendos, um português seria penalizado. Para além disso tem as transferências bancárias para cá e de volta. Mais a componente psicológica de ter o "dinheiro longe".

Vantagens? Poder ter ETF da Vanguard com custos gestão mínimos...e que são os mais líquidos do mundo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas eu não digo que não concorde contigo. Digo é que não há melhor alternativa. Impostos e a morte não dá para fugir... e se os melhores e mais líquidos ETF estão domiciliados em Luxemburgo/Irlanda, não vejo como evitar esta questão.

Faz sentido que na Irlanda sejam considerados fundos e que em Portugal sejam considerados acções. Na Irlanda porque é onde está domiciliado... Em Portugal porque é onde tu negoceias o activo. Negócio esse que é basicamente comprar/vender acções numa bolsa de valores (embora seja equivalente a unidades de participação).

Vou te ser sincero, não tenho olhado muito para a questão fiscal...pelo que li parecia-me que os dividendos eram tributados a 15% na Irlanda/Luxemburgo. E que depois pagaria pela mais-valia aquando do resgate, aqui em Portugal - 28%. O Acordo de dupla tributação seria automaticamente aplicado por serem países da União Europeia. Aliás até a plataforma é "dinamarquesa".

http://europa.eu/about-eu/countries/index_pt.htm

http://www.pwc.pt/pt/guia-fiscal-2012/convencoes-dupla-tributacao.jhtml

Tens a opção - que eu considerei e depois abandonei - de abrir conta na TD Ameritrade (Estados Unidos). Mas pareceu-me que não era vantajosa pois ao fazer distribuição de dividendos, um português seria penalizado. Para além disso tem as transferências bancárias para cá e de volta. Mais a componente psicológica de ter o "dinheiro longe".

Vantagens? Poder ter ETF da Vanguard com custos gestão mínimos...e que são os mais líquidos do mundo.

Concordo em absoluto contigo em relação à Vanguard. Aliás acho que a única forma de conseguires mesmo construir um portfolio de LP, é mesmo abrindo conta nos USA.

Ao abrires a conta, preenches logo o W8-BEN, e ficas assim com os dividendos taxados a 15%. As comissões de transacção também não tem nada a ver com Portugal. Como estás identificado como português junto IRS americano, ficas logo isento de tudo o que é mais valias.

E ainda tens a opção de beneficiar do crédito fiscal de imposto em Portugal, para não levares com mais 28% sobre dividendos. Mas não contes muito com este último pormenor porque é um processo muito manhoso.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Concordo em absoluto contigo em relação à Vanguard. Aliás acho que a única forma de conseguires mesmo construir um portfolio de LP, é mesmo abrindo conta nos USA.

Ao abrires a conta, preenches logo o W8-BEN, e ficas assim com os dividendos taxados a 15%. As comissões de transacção também não tem nada a ver com Portugal. Como estás identificado como português junto IRS americano, ficas logo isento de tudo o que é mais valias.

E ainda tens a opção de beneficiar do crédito fiscal de imposto em Portugal, para não levares com mais 28% sobre dividendos. Mas não contes muito com este último pormenor porque é um processo muito manhoso.

Em relação aos acordos de dupla tributação, é uma vergonha que uma PT possa receber dividendos da Vivo via Holanda livres de impostos, e um desgraçado de um particular leve com tudo e mais alguma coisa. Nada é automático, e é tudo terrivelmente complicado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Concordo em absoluto contigo em relação à Vanguard. Aliás acho que a única forma de conseguires mesmo construir um portfolio de LP, é mesmo abrindo conta nos USA.

Ao abrires a conta, preenches logo o W8-BEN, e ficas assim com os dividendos taxados a 15%. As comissões de transacção também não tem nada a ver com Portugal. Como estás identificado como português junto IRS americano, ficas logo isento de tudo o que é mais valias.

E ainda tens a opção de beneficiar do crédito fiscal de imposto em Portugal, para não levares com mais 28% sobre dividendos. Mas não contes muito com este último pormenor porque é um processo muito manhoso.

É a única forma se souberes lidar com questões como:

1- O teu dinheiro estar bem longe (traduzindo num país que mais facilmente alterará - ou até cancelar - acordos de dupla tributação relativamente a um pertencente à União Europeia);

2- Se tens uma carteira que tem ETF distribuidor de dividendos não te esqueças que no limite e imaginando que daqui a 20 anos tens uma carteira de 300 k€ e tens 4% de dividendos anualmente então terás que arranjar dinheiro para pagar o IRS - aprox. 3500 € / ano. Ou seja a certa altura terás que andar a pagar uma renda ao IRS de dinheiro que está aplicado em fundos nos US. Ou então escolhes transferir entrando em custos com transacção;

3- Custos de transacção entre US/Portugal.

Mas isto tudo para dizer que tens toda a razão:

- É importante analisar a questão fiscal, mas nunca deves deixar de investir. Taxas e acordos de tributação estão sempre a mudar e vão sempre existir;

- Investir em Portugal é difícil. Explica o estado do país, e justifica-se através da mentalidade socialista do povo e governantes. Aliás como praticamente em toda a Europa.

Na revista "The Economist" há umas semanas atrás falava precisamente nisto...falta à Europa "gigantes" do investimento...tira-nos imensa competitividade a nível financeiro. Mas prontos nascemos portugueses e europeus..que há a fazer?

http://www.economist.com/news/leaders/21577370-american-investment-banks-dominate-global-finance-once-more-thats-not-necessarily-good

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu ainda tolero esta estupidez da tributação, ainda estamos a prender a investir/tributar, logo ETFs =ações até aceito.

Agora tributar aquando o balancear é que fico fulo, neste ponto é que estamos a perseguir e não fomentar o investimento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Li com atenção este topico pois possuo alguns ETF vanguard no BTP. Já li bastante sobre a questão fiscal, mas nunca preenchi o W8-BEN para redução da taxa, pois não tenho a certeza do que isso implicará a longo prazo. E nem sei onde entregá-lo. Sabem esclarecer?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Li com atenção este topico pois possuo alguns ETF vanguard no BTP. Já li bastante sobre a questão fiscal, mas nunca preenchi o W8-BEN para redução da taxa, pois não tenho a certeza do que isso implicará a longo prazo. E nem sei onde entregá-lo. Sabem esclarecer?

Boa tarde Mushi.

No BTP ou Go Bulling essa opção não te é disponibilizada, é um serviço que simplesmente não prestam. Os poucos sítios onde o serviço é prestado (acho que o BPI dá essa hipótese, por exemplo) o resto do preçário é horrível (especialmente a comissão sobre os dividendos).

Do que pesquisei, quem quiser construir portfolios assentes em ETF sediados nos USA, terá de abrir conta numa corretora americana. Qualquer outra opção implica entrar num campo minado fiscal, tanto a nível da dupla tributação dos dividendos, como da dupla tributação das mais valias. Apesar de comercializados na bolsa, os ETF não deixam de ser fundos, sujeitos a tributação na fonte, aquando do resgate. Mas em Portugal são equiparados a acções, e sujeitos a tributação sobre a mais valia. Ou seja, levas com dois impostos sobre a mesma mais valia.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A informação que me foi prestada pelo best é que eles praticam o acordo de dupla tributação (entenda-se homebanking e dividendos, no BTP não está disponível). Relativamente às mais valias a informação de que disponho é que só são tributadas cá em PT, não tendo qq tributação nos EUA, à semelhança das acções.

Mas não tenho nenhuma carteira que confirme esta informação.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obg pelas respostas

Relativamente às mais valias a informação de que disponho é que só são tributadas cá em PT, não tendo qq tributação nos EUA, à semelhança das acções.

A informação  que me foi passada na utilização da plataforma BTP :

* dividendos: são tributados na fonte (30% nos EUA) e tens que declarar cá também (são duplamente tributados)

* mais valias de vendas: nao são tributados na fonte, são tributados cá.

Interessava-me preencher/entregar o W8BEN para pagar apenas 15% sobre os dividendos, mas nao sei o que isso implica futuramente. Nem sem bem o procedimento...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obg pelas respostas

A informação  que me foi passada na utilização da plataforma BTP :

* dividendos: são tributados na fonte (30% nos EUA) e tens que declarar cá também (são duplamente tributados)

* mais valias de vendas: nao são tributados na fonte, são tributados cá.

Interessava-me preencher/entregar o W8BEN para pagar apenas 15% sobre os dividendos, mas nao sei o que isso implica futuramente. Nem sem bem o procedimento...

Eu tenho conta no Go Bulling (PRO), e não foram capazes de me esclarecer estas questões. Mas se não existe dupla tributação nas mais valias no Best (plataforma BTP), então é uma boa notícia. Se fizessem o mesmo com os dividendos, é que era de valor.

Não deveria ter impacto negativo Mushi, bem pelo contrário. O fisco americano reconhecia-te como português (se o BTP te permitisse preencher o W8-BEN) e ao abrigo do acordo de dupla tributação taxava-te os rendimentos a 15% lá. Depois levas cá com mais 28%.

A comparação entre as comissões em Portugal e USA é ridicula, mas para um investidor com poucas transacções anuais, isso não faz tanta diferença.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu tenho conta no Go Bulling (PRO), e não foram capazes de me esclarecer estas questões. Mas se não existe dupla tributação nas mais valias no Best (plataforma BTP), então é uma boa notícia. Se fizessem o mesmo com os dividendos, é que era de valor.

Não deveria ter impacto negativo Mushi, bem pelo contrário. O fisco americano reconhecia-te como português (se o BTP te permitisse preencher o W8-BEN) e ao abrigo do acordo de dupla tributação taxava-te os rendimentos a 15% lá. Depois levas cá com mais 28%.

A comparação entre as comissões em Portugal e USA é ridicula, mas para um investidor com poucas transacções anuais, isso não faz tanta diferença.

Eu sinceramente fiquei na dúvida no caso de iniciar um investimento do tipo "super ppr", o que mais me convém, ou seja:

1. fazê-lo através do best homebanking e usufruir do acordo de dupla tributação e pagar os 15%+28% embora pague comissão de guarda e valores mais altos de transacção

ou

2. fazê-lo através da BTP e pagar os 30%+28% embora fique isento da comissão de guarda e pague um pouco menos de despesas de transacção (penso que através do englobamento é possivel reaver parte deste imposto mas é uma situação que não estou interessado em fazer)

Alguém tem ideia do peso desta dupla tributação num investimento deste tipo?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu sinceramente fiquei na dúvida no caso de iniciar um investimento do tipo "super ppr", o que mais me convém, ou seja:

1. fazê-lo através do best homebanking e usufruir do acordo de dupla tributação e pagar os 15%+28% embora pague comissão de guarda e valores mais altos de transacção

ou

2. fazê-lo através da BTP e pagar os 30%+28% embora fique isento da comissão de guarda e pague um pouco menos de despesas de transacção (penso que através do englobamento é possivel reaver parte deste imposto mas é uma situação que não estou interessado em fazer)

Alguém tem ideia do peso desta dupla tributação num investimento deste tipo?

A comissão de guarda é o menos, é os 2% sobre os dividendos com um mínimo de 2,5 € que irrita mesmo.

Se estiveres a planear a longo prazo, o efeito é bastante grande. Basta abrires um excel e fazer as contas, o SP&500 por exemplo tem um histórico de 5% de ganho de capital e 3,5% de dividendos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A comissão de guarda é o menos, é os 2% sobre os dividendos com um mínimo de 2,5 € que irrita mesmo.

Se estiveres a planear a longo prazo, o efeito é bastante grande. Basta abrires um excel e fazer as contas, o SP&500 por exemplo tem um histórico de 5% de ganho de capital e 3,5% de dividendos.

Mas nesse caso os 30% de tributação a que estás sujeito através da BTP (vs 15% no homebanking) são muito mais penalizadores ou está-me a escapar alguma coisa?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas nesse caso os 30% de tributação a que estás sujeito através da BTP (vs 15% no homebanking) são muito mais penalizadores ou está-me a escapar alguma coisa?

Correcto, mas o objectivo é evitar ambas as penalizações. E a única forma é via conta USA.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Correcto, mas o objectivo é evitar ambas as penalizações. E a única forma é via conta USA.

Concordo, no entanto tenho a seguintes dúvidas:

1. Abro uma conta numa corretora nos USA, preencho o W8-BEN e fico a pagar os 15% sobre os dividendos, tenho que declarar esta conta junto do fisco português ou não?

2. Tenho de declarar cá os dividendos para pagar os 28% ou não (tenho residência fiscal cá em PT)?

3. No caso das mais valias que realizar não tenho na mesma de as declarar cá e pagar o respectivo imposto?

Eu parece-me que a resposta a estas perguntas é sempre sim, e a menos que fiquemos numa situação meio nebulosa nunca conseguiremos deixar de sofrer esta tributação pelo facto de estarmos com residência fiscal em pt e investirmos um produto financeiro com sede nos USA. Ou não?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Concordo, no entanto tenho a seguintes dúvidas:

1. Abro uma conta numa corretora nos USA, preencho o W8-BEN e fico a pagar os 15% sobre os dividendos, tenho que declarar esta conta junto do fisco português ou não?

2. Tenho de declarar cá os dividendos para pagar os 28% ou não (tenho residência fiscal cá em PT)?

3. No caso das mais valias que realizar não tenho na mesma de as declarar cá e pagar o respectivo imposto?

Eu parece-me que a resposta a estas perguntas é sempre sim, e a menos que fiquemos numa situação meio nebulosa nunca conseguiremos deixar de sofrer esta tributação pelo facto de estarmos com residência fiscal em pt e investirmos um produto financeiro com sede nos USA. Ou não?

Vou tentar ajudar, mas estas questões convém sempre confirmar junto das finanças.

1.  Sim, mas acho que até 100.000 estás dispensado dessa obrigação (é melhor confirmar, porque acho que esta alteração é recente).

2. Sim, e é aqui que o maior problema de abrir conta nos USA aparece. Tens  de reportar e ser taxado, a 28%. No entanto tens direito a um crédito fiscal, que é o menor de dois valores. Um é o que pagaste nos USA, o outro tem a ver com o teu escalão de IRS. No entanto, para ter acesso a este crédito, os rendimentos têm de ser certificados pelas Finanças americanas, o que não é um processo fácil. A corretora envia-te um formulário com o resumo de todas as tuas operações (1042-S) que depois tens de certificar junto do IRS. A embaixada dos USA com serviço de IRS é em Paris. Nada é fácil com o nosso fisco...

3. Correcto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vou tentar ajudar, mas estas questões convém sempre confirmar junto das finanças.

1.  Sim, mas acho que até 100.000 estás dispensado dessa obrigação (é melhor confirmar, porque acho que esta alteração é recente).

2. Sim, e é aqui que o maior problema de abrir conta nos USA aparece. Tens  de reportar e ser taxado, a 28%. No entanto tens direito a um crédito fiscal, que é o menor de dois valores. Um é o que pagaste nos USA, o outro tem a ver com o teu escalão de IRS. No entanto, para ter acesso a este crédito, os rendimentos têm de ser certificados pelas Finanças americanas, o que não é um processo fácil. A corretora envia-te um formulário com o resumo de todas as tuas operações (1042-S) que depois tens de certificar junto do IRS. A embaixada dos USA com serviço de IRS é em Paris. Nada é fácil com o nosso fisco...

3. Correcto.

Filipe

1. Penso que neste momento não há qq tipo de isenção, é necessário declarar sempre. Mas se houver por aí um toc que confirme...

2. Não será mesmo nada fácil, para além disso deves ter que recorrer ao englobamento e incluir todos os teus rendimentos, o que pode não compensar....

se somarmos ainda as despesas de transferências bancárias para os USA fico na dúvida se é significativamente diferente fazer este tipo de investimento num homebanking tipo best ou numa ameritrade...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Filipe

1. Penso que neste momento não há qq tipo de isenção, é necessário declarar sempre. Mas se houver por aí um toc que confirme...

2. Não será mesmo nada fácil, para além disso deves ter que recorrer ao englobamento e incluir todos os teus rendimentos, o que pode não compensar....

se somarmos ainda as despesas de transferências bancárias para os USA fico na dúvida se é significativamente diferente fazer este tipo de investimento num homebanking tipo best ou numa ameritrade...

Acho que não é necessário englobar para ter acesso ao crédito fiscal, mas se alguém por aqui souber com certeza, podia partilhar connosco.

Em relação ao primeiro ponto, tal como referi não tenho a certeza. Mas ainda tens outra questão, é que uma conta numa corretora não é bem a mesma coisa que ter conta num banco. Podes não ter um IBAN que possas identificar junto das Finanças.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead