alex_lx

Penhora Ordenado / Recheio de Casa

3 publicações neste tópico

Bom Noite,

Desde já gostava de agradeçer imenso pela informação toda contida no site tem me sido muito útil.

Ficou me uma duvida que não consegui esclarecer, passo a relatar no próximo parágrafo.

Tenho varias dividas contratas com 2 entidades financeiras (cofidis & oney) e após não ter pago algumas mensalidades (dificuldades familiares, desemprego de familiares (Mãe) e pagar renda de casa) acabei por ser incluído em pré-contencioso por agentes de execução poucos amaveís como podem imaginar.

Sei que deveria ter entrado em contacto com eles após a recepção das varias cartas, mas acabei por não o fazer.

Agora é me reclamado um montante, onde não pretendem negoçiar as formas de pagamento (sei que é por culpa minha) e ameçam proceder a penhora de ordenado, sei que será efectiva de facto, mas como são 2 entidades diferentes, alguma terá de esperar para poder executar outra penhora.

Após um contacto telefônico com umas dessas mesmas, onde uma senhora muito pouco amigável me informou que mesmo ja tendo uma penhora em curso no meu ordenado, poderiam proceder a penhora de bens no interior do domicilio da minha Mãe.

A minha dúvida é a seguinte, será que mesmo a casa não sendo minha (mas tenho as contas todas em meu nome) e essa mesma morada ser a minha morada fiscal, a penhora de bens ser de facto possível no recheio da casa?

O melhor seria mudar os nomes dos diversos contratos com EDP’s e afins?

Agradeço imenso e peço pelo texto não ser mais directo mas tinha contextualizar a dúvida.

Cumprimentos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Meu deus... que situação.

Antes demais sim de facto deveria ter contactado os ditos agentes antes de chegar a esta situação mas isso não justifica a falta de humanidade desses individuos.

Eu pessoalmente sou a favor de entrar em contacto mas sempre por escrito,pois, querendo propor acordo, nada mais normal que ter prova disso e a(s) entidade(s) em causa acederem. Pedir apoio judiciário para contestar tudo isso também não me parece má ideia,pois, a Segurança Social aprovando isso poderá ter advogado e processo se seguir em frente sem custas.

Outra sugestão...talvez contactar a DECO (808 200 145 ) que não deverão recusar-lhe informação.

Em relação á casa... é uma situação constrangedora mas convém verificar se há contrato ou não da casa e se os bens penhoráveis são do senhorio ou seus...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não devia ter deixado chegar a situação a esse ponto. Não me refiro a pagar, porque sei bem o que é querer pagar e não conseguir. Refiro-me a ter agido em tempo pelas vias judiciais ao alcance. Aconselho um advogado nesta altura, esqueça a DECO nesta fase, pois precisa de rapidez e de uma análise mais detalhada.

As dívidas ascendem a que montante aproximado ? Há quanto tempo dura o processo, isto é, desde quando não paga ?

Devia ter contestado a injunção. Calculo que tenha sido com base nisso que obtiveram o título executivo para os simpaticos senhores solicitadores de execução seguirem com o processo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor