esmc

Poupanças e investimento meus pais, minha mãe com Alzheimer

25 publicações neste tópico

Olá a todos

Tenho 30 anos e de momento nada de poupanças devido a saída de casa dos pais em 2008 e gastos de remodelação e compras para a casa (propriedade dos meus pais) e em 2011 investimento pessoal em viagens (querer conhecer mais do mundo e descoberta pessoal). Também não soube aplicar no passado o meu dinheiro para render como deve ser... Sempre tive conta na CGD, primeiro porque foi onde os meus pais me abriram conta em criança e depois porque enquanto estudante univ tínhamos cartão da CGD e depois por comodismo não ter verificado outras opções.

Entretanto abri agora recentemente conta no activo bank (gosto do atendimento, do conceito, do gestor activo que me permite saber onde gasto e fazer orçamentos e dos cartões pré-pagos que têm dado uma ajuda a controlar-me e da app android bem boa), onde tenho feito pequenas poupanças, que claro não rendem muito. Cancelei a conta poupança que tinha na CGD que sempre deu ninharias mesmo quando tinha por volta de 5.000 mas mantive a conta a ordem por não ter despesas de manutenção, por não me tirem migrado aos 26 da conta jovem para conta à ordem normal, devem ter esquecido.

Neste momento como tenho de recomeçar as poupanças do zero, vou-me ficando por pequenos depósitos a prazo. Planos... Gostaria de alugar a outrém o apartamento onde moro e alugar uma casa com terreno para plantar coisas, estou cansada de viver em apartamento mas não me atrevo a isso sem ter um pé de meio. E trocar de carro para o ano, o meu Xsara vai fazer 10 anos este ano. Outro grande plano será a constituição de família em não mais que dois anos :)

Quanto à minha gestão financeira visto agora não ter muitos €€ julgo que me vou mantendo pelos depósitos a prazo, mas cada vez mais me preocupo com os bens dos meus pais. O conhecimento financeiro do meu pai também não é muito e por vários motivos tenho de estar a par e ajudar os meus pais. A minha mãe tem doença de Alzheimer, muito nos tem custado e eu sou filha única.

Com a história do Chipre o meu pai ficou todo alvoraçado e até fala em ter mais dinheiro em casa (tem 3.000 escondidos que obviamente eu sei onde estão). Os meus pais têm diversos bens imobiliários e mais de 100.000€ em dinheiro mas tenho de verificar exactamente como e onde estão investidos os €, sei que tem fundos de investimento no bpi por exemplo. Também não me quero imiscuir demasiado, mas devido ao meu pai ser cuidador da minha mãe e elevado stress e falta de tempo tenho de ajudar nestas questões também, no entanto ele por vezes é cabeça dura e céptico, pelo que preciso de argumentos. Exemplo, ele já há tempo planeia adquirir um carro elétrico, Mitsubishi I-Miev por ter a sua própria produção de energia em casa, mas tenho as minhas dúvidas que um carro de 32.000 seja um bom investimento para as voltinhas que ele dá.  Além disso o tempo de carregamento e se houver uma emergência que precise do carro, não sei estou céptica pois devido à condição da minha mãe não pode haver limitações no dia a dia. Estou cada vez mais presente em tudo relacionado com os meus pais, sendo filha única e a minha mãe tendo doença de Alzheimer que é muito difícil para nós.

Mal tenha mais informações exactas do património e como está distribuído cá colocarei para se possível em darem as vossas opiniões.

Já agora, perguntando na segurança social sobre se a minha mãe teria direito a subsídio de incapacidade ou outro, foi-me informado que por não ter feito descontos portanto sem direito a reforma, poderá ter direito a complemento solidário para idosos mas no impresso vejo que vão verificar informações de contas bancárias, julgo portanto que nem vale a pena preencher os papéis porque não será atribuído não vos parece? Temos portanto de nos precaver também a nível financeiro porque dentro de meses teremos de contratar alguém para ir lá a casa cuidar da minha mãe (tem sido minha preocupação poupar o meu pai, pois é muito triste e exaustivo cuidar de um doente de alzheimer) e no futuro, espero que longínquo a admissão da minha mãe em regime de internamento quando não mais for possível ficar em casa. Para mim com apenas 30 anos e ainda sem filhos tem sido avassalador lidar com esta situação e só quem passa por isto sabe. Antes de ter filhos quero ter toda a situação dos meus pais orientada, porque os tempos não se adivinham fáceis.

Obrigada por me lerem, depois trago mais informações

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ficaremos á espera :)

De facto a segurança social pede os dados bancários não só dos sujeitos passivos como dos filhos, e se falas nesses valores então eles não irão mesmo dar subsidio nenhum.

É importante saberes onde está aplicado o dinheiro, e sobretudo se está bem aplicado... ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Em relação ao carro eléctrico, valor de compra à parte, penso que não é assim tão pouco fiável como pensa. Tendo uma autonomia de 160km, dá bem para qualquer emergência que possa ocorrer. Até mesmo ir daqui ao porto se faz bem, pois há postos de carregamento rápidos que carregam a maior parte da bateria em pouco tempo. Claro que se alguém deixar as luzes do carro acessas e deixar a bateria ir até o fim temos um problema. Mas isso acontece com os carros normais também. Como utilizador de um veículo eléctrico (mota), a minha opinião é que o facto de ser eléctrico não é motivo de preocupação excepto se for para ir viajar para o estrangeiro.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Viva minha senhora.

Infelizmente sou novato nestes assuntos que abrangem este forum, mas de qualquer maneira vim deixar-lhe o meu apoio e coragem para Si e para os seus pais

Coragem, nao baixem os braços, que corra tudo pelo melhor e consiga encontrar a melhor solução para que a sua mae consiga ter algum apoio!

P.s. : Sobre o carro eléctrico, se o seu pai, como diz, não lhe dá assim tanto uso, pode sempre dar a senhora. Não tenciona mudar de carro? Assim vai conseguir inclusive amealhar mais uns bons euros!

Isso do carro eléctrico pode até nem ser má ideia! Considere!

Os melhores cumprimentos.

Vitor Sousa

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu discordo quanto ao carro electrico. Acho que é um péssimo investimento, ainda para mais se for para dar as tais voltinhas. Senão vejamos:

- consegue-se comprar um carro a gasolina por menos de metade do preço, bem superior (em segurança, espaço, autonomia...) a esse I-Miev.

- os 17 000 euros de diferença dão para 200 000 km de combustivel.

- se é para umas voltinhas esses 200 000 km deverão se traduzir nuns 15 ou mais anos (fazendo 13 000 km/ano, provavelmente nem deve fazer tanto)

Ou seja só compensaria daqui a 15 anos com todos os aspectos negativos que ter um carro electrico acarreta. Isto se mantivesse o mesmo carro 15 anos, o que é raro.

Os carros electricos ainda não são uma alternativa viável. É a minha opinião.

P.S.: Atenção que há carros electricos que se paga o aluguer da bateria mas penso que neste caso não é assim... por esse preço já deve incluir a bateria, acho eu.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada pelas opiniões.

O assunto comprar carro elétrico já deu muito pano para mangas e discussões entre mim e o meu pai que teima que quer comprar o carro. Entretanto e porque precisamos de paz e união para nos ajudarmos um ao outro com a doença da minha mãe não vou mais falar no assunto e ele vai comprar o carro que tanto quer.

Tudo isto porque anda alarmado com medo que vão tirar dinheiro aos depósitos das pessoas, desde aquilo do Chipre. Já expliquei n vezes mas não adianta diz que não se vai privar de uma coisa que quer correndo o risco de perder dinheiro. Mas vai deixar 100.000 num mesmo banco o que acho um disparate.

Vou deixar as coisas acalmarem e ter o carro e andar de melhor humor para nos sentarmos e vermos onde está o dinheiro aplicado e o que poderemos melhor fazer com ele, tendo em conta sempre um fundo destinado a despesas futuras com a minha mãe. Ás tantas vai ficar céptico com bancos online por não conhecer, mas que são os que têm melhores taxas de juro. Já estou a prever...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada pelas opiniões.

O assunto comprar carro elétrico já deu muito pano para mangas e discussões entre mim e o meu pai que teima que quer comprar o carro. Entretanto e porque precisamos de paz e união para nos ajudarmos um ao outro com a doença da minha mãe não vou mais falar no assunto e ele vai comprar o carro que tanto quer.

Tudo isto porque anda alarmado com medo que vão tirar dinheiro aos depósitos das pessoas, desde aquilo do Chipre. Já expliquei n vezes mas não adianta diz que não se vai privar de uma coisa que quer correndo o risco de perder dinheiro. Mas vai deixar 100.000 num mesmo banco o que acho um disparate.

Vou deixar as coisas acalmarem e ter o carro e andar de melhor humor para nos sentarmos e vermos onde está o dinheiro aplicado e o que poderemos melhor fazer com ele, tendo em conta sempre um fundo destinado a despesas futuras com a minha mãe. Ás tantas vai ficar céptico com bancos online por não conhecer, mas que são os que têm melhores taxas de juro. Já estou a prever...

Desvantagem: o beneficio fiscal de 5000€ não foi para a frente...

Recentemente uma familiar foi receptiva aos argumentos que lhe foram apresentados. Ela, já reformada, tinha um determinado capital numa conta poupança reformado a render 0,05%. Quando soube que podia ter rendimentos liquido de 4% numa conta a prazo (foi há pouco mais de 1 ano) levantou todo o capital e depositou-o na tal conta a prazo. Agora, diz que nunca esperou ver tanto dinheiro resultado só de juros...

Mas, cada caso é um caso e é preciso que o receptor esteja receptivo a ouvir o emissor!...  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O seu pai se comprar o i-miev vai-se arrepender, aquilo não é mais que um citadino mínimo e com imensas limitações. Se o tamanho desse carro lhe serve ele que compre um toyota aygo, gasta 1/3 do valor e sobra-lhe rodos de dinheiro para gasolina e manutenção. Mais vale andar todos os dias de taxi!

O seu pai é como muitos outros, confia muito em bancos que no fundo toda a vida se serviram do dinheiro deles, cabe a você mudar isso e faze-lo ver que as novas realidades não permitem esse pensamento. Se ele tem medo de perder o dinheiro ora gaita dê-o a si que é filha dele e na dúvida fica você e não o estado com ele. O seu pai parece-me é que quer vomprar o i-miev e inventa essas justificações para obter a sua aprovação.

Com 100k podia estar a tirar um ordenado mínimo por mês sem grandes riscos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O meu pai quer o carro pequeno e elétrico para dar as tais voltinhas sim, diz que não quer ficar dependente das petrolíferas e dos aumentos de combustível (ele tem a sua própria produção de electricidade com painéis solares, moinho eólico e baterias).

Já há imenso tempo que fala nisto eu é que consegui ir adiando mais de um ano sempre tentando convencer que não é um bom investimento mas está de uma maneira que não ouve ninguém nem eu filha nem meu namorado nem outras opiniões de familiares ou conhecidos.

Como agora ele acha que não tem nada de se privar de uma coisa que quer e correr o suposto risco que ele acha que há de ter dinheiro no banco e irem aos depósitos das pessoas voltou a teimosia em força.

Já houve muita discussão por causa disto e disse mil vezes que não é uma prioridade, prioridade sim é simplificar a vida deles e a casa, desfazer de tralha que acumularam ao longo dos anos (especialmente ele na garagem com as suas engenhocas e hobbie de reparar tvs e outros equipamentos, pois neste momento nem cabe um carro lá dentro já perguntei como pretende carregar o carro depois?!) para que a minha mãe e ambos possam ter melhor qualidade de vida, contratar uma pessoa a ir lá a casa ajudar com a minha mãe e estar tudo controlado para em conjunto nos prepararmos para o futuro pois embora não goste de pensar nisto a minha mãe não vai melhorar e o desenrolar da doença de Alzheimer não é bonito nem fácil.

O dinheiro não é meu é dos meus pais (mas também é da minha mãe que já não consegue ter opinião nem gerir) logo não gosto de interferir mas acho que me deve ouvir e deixar ajudar.

Relativamente aos 100.000€ em dinheiro a aplicar estava a pensar reparti-los em 2 ou 3 depósitos.

Talvez 50.000 ou menos a 12 meses 4.0% no Finantia ou Invest, uns 10.000 (ou até 40.000 ) no Best 4%Já a 3 meses e mais não sei.

Parece bem? Não se pensa em grandes investimentos para breve, mas convém ter uns 10.000 ou assim a jeito. De outro tipo de aplicações financeiras não percebo, já estive a ler mas fiquei praticamente na mesma...

E precisava de um texto resumido e assertivo explicando estes novos bancos online e suas vantagens e segurança vs bancos com balcão de modo de modo a explicar ao meu pai, alguém pode ajudar por favor?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só uma nota o Finantia já não tem essa taxa.

Agora é 3,5%.

:-\

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O meu pai quer o carro pequeno e elétrico para dar as tais voltinhas sim, diz que não quer ficar dependente das petrolíferas e dos aumentos de combustível (ele tem a sua própria produção de electricidade com painéis solares, moinho eólico e baterias).

Já há imenso tempo que fala nisto eu é que consegui ir adiando mais de um ano sempre tentando convencer que não é um bom investimento mas está de uma maneira que não ouve ninguém nem eu filha nem meu namorado nem outras opiniões de familiares ou conhecidos.

Como agora ele acha que não tem nada de se privar de uma coisa que quer e correr o suposto risco que ele acha que há de ter dinheiro no banco e irem aos depósitos das pessoas voltou a teimosia em força.

Já houve muita discussão por causa disto e disse mil vezes que não é uma prioridade, prioridade sim é simplificar a vida deles e a casa, desfazer de tralha que acumularam ao longo dos anos (especialmente ele na garagem com as suas engenhocas e hobbie de reparar tvs e outros equipamentos, pois neste momento nem cabe um carro lá dentro já perguntei como pretende carregar o carro depois?!) para que a minha mãe e ambos possam ter melhor qualidade de vida, contratar uma pessoa a ir lá a casa ajudar com a minha mãe e estar tudo controlado para em conjunto nos prepararmos para o futuro pois embora não goste de pensar nisto a minha mãe não vai melhorar e o desenrolar da doença de Alzheimer não é bonito nem fácil.

Os painéis solares não produzem energia. Servem-se da energia solar para aquecerem as águas sanitárias... :P

Deverá estar a referir-se a painéis fotovoltaicos. Atenção que são aparelhos distintos...  ::)

Mas supondo que o carro elétrico é uma maravilha e supostamente deixa de estar dependente das petroliferas e dos combustiveis, por acaso saberá de onde vem (as diferentes parcelas) a energia que abastece os nossos lares?

Mas, concordo que sendo ele o "dono" do seu dinheiro não precise de se privar de nada... mas um conselho aqui e outro ali, ajudariam a optimizar rendimentos!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas supondo que o carro elétrico é uma maravilha e supostamente deixa de estar dependente das petroliferas e dos combustiveis, por acaso saberá de onde vem (as diferentes parcelas) a energia que abastece os nossos lares?

No mês passado, foi qualquer coisa como 30% de não-renováveis. Eólica foi quase metade de toda a electricidade abastecida.

Então se a pessoa produz a sua própria energia, ainda mais independente do petróleo fica, como é o caso em questão.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

esmc então deixe ver se eu entendi, o seu pai não quer ficar dependente das petrolíferas mas prefere pagar logo 20000€ a mais na compra do veículo. Em termos económicos é uma péssima escolha, já em termos ambientais e morais estou completamente de acordo com as ideologias do seu pai, só ainda não é rentável face aos carros com motores térmicos equivalentes. Os automóveis são uma das minhas paixões e em termos de automóveis elétricos, na minha opinião o seu pai ficaria muito melhor servido com um Nissan Leaf(31100€) ou um Prius Plug in(38000€), este último pode carregar na tomada e também tem lá o motor térmico que lhe permite não ficar a pé numa situação de emergência ou numa viagem longa que não queira carregar a bateria a meio, recorrendo naturalmente á gasolina.

Dividir o património é certamente a escolha certa, porém eu não colocaria tudo em depósitos a prazo.

Assumindo que tem um perfil conservador eu dividia assim o património de 100k:

- 10k á ordem para fundo de maneio

- 30k numa carteira de fundos de baixo risco(fácilmente com rentabilidades de 3.5% líquidas ao ano)

- 60k em DP num ou dois bancos (neste momento dificilmente obtém mais de 2,8% líquidos)

O mais rentável seria aliás colocar a carteira de 30k em fundos mais agressivos, que a longo prazo se tornam seguros e mais rentáveis. Veja que DP nesta economia e neste momento é um risco, imagine só o dinheiro que se perde se mudarem do euro para o escudo, se tiver fundos eles permanecem em euros.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Informação: No mês passado, foi qualquer coisa como 30% de não-renováveis. Eólica foi quase metade de toda a electricidade abastecida.

Dedução (a informação não permite esta conclusão): Então se a pessoa produz a sua própria energia, ainda mais independente do petróleo fica, como é o caso em questão.

Entre janeiro e março de 2013, a produção hidráulica aumentou 312% face ao ano anterior e abasteceu 37% do consumo, enquanto a produção eólica aumentou 60% no mesmo período e abasteceu 27% do consumo.

Os gráficos e diagramas estão neste link: http://www.edpsu.pt/pt/origemdaenergia/Pages/OrigensdaEnergia.aspx

A pessoa referida neste tópico consegue produzir toda a sua energia com moinho eólico e baterias?

O painel solar precisa de energia elétrica para funcionar...

A minha chamada de atenção foi no sentido de que o carro elétrico não se abastece com 100% de energia limpa (ver o tal gráfico/diagrama que indiquei no link) e em termos de autonomia deixa um pouco a desejar. As sugestões mistas que indicaram levam ao uso de combustíveis fósseis e dessa forma assegura-se uma autonomia segura e estável por mais km's. Outra desvantagem, tem a ver com a bateria. Segundo sei, esta nunca pertencerá ao "proprietário" da viatura elétrica, mas isso são outras histórias...  :P

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Isso depende do regime em que o carro é comprado. Com ou sem aluger de bateria.

E sim, claro que não é energia 100% limpa. Mas é certamente bem mais limpa do que a convencional.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Isso depende do regime em que o carro é comprado. Com ou sem aluger de bateria.

E sim, claro que não é energia 100% limpa. Mas é certamente bem mais limpa do que a convencional.

Por 20000€ não deve ser sem (deve estar desatualizado mas foi o que consegui encontrar: http://www.veiculoselectricospt.com/precos/)...

Mas não se livra a 100% da indústria petrolífera como supostamente a pessoa referida no tópico pensa e foi só isso que quis chamar a atenção.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O meu pai quer o carro pequeno e elétrico para dar as tais voltinhas sim, diz que não quer ficar dependente das petrolíferas e dos aumentos de combustível (ele tem a sua própria produção de electricidade com painéis solares, moinho eólico e baterias).

Já há imenso tempo que fala nisto eu é que consegui ir adiando mais de um ano sempre tentando convencer que não é um bom investimento mas está de uma maneira que não ouve ninguém nem eu filha nem meu namorado nem outras opiniões de familiares ou conhecidos.

Como agora ele acha que não tem nada de se privar de uma coisa que quer e correr o suposto risco que ele acha que há de ter dinheiro no banco e irem aos depósitos das pessoas voltou a teimosia em força.

Já houve muita discussão por causa disto e disse mil vezes que não é uma prioridade, prioridade sim é simplificar a vida deles e a casa, desfazer de tralha que acumularam ao longo dos anos (especialmente ele na garagem com as suas engenhocas e hobbie de reparar tvs e outros equipamentos, pois neste momento nem cabe um carro lá dentro já perguntei como pretende carregar o carro depois?!) para que a minha mãe e ambos possam ter melhor qualidade de vida, contratar uma pessoa a ir lá a casa ajudar com a minha mãe e estar tudo controlado para em conjunto nos prepararmos para o futuro pois embora não goste de pensar nisto a minha mãe não vai melhorar e o desenrolar da doença de Alzheimer não é bonito nem fácil.

O dinheiro não é meu é dos meus pais (mas também é da minha mãe que já não consegue ter opinião nem gerir) logo não gosto de interferir mas acho que me deve ouvir e deixar ajudar.

Relativamente aos 100.000€ em dinheiro a aplicar estava a pensar reparti-los em 2 ou 3 depósitos.

Talvez 50.000 ou menos a 12 meses 4.0% no Finantia ou Invest, uns 10.000 (ou até 40.000 ) no Best 4%Já a 3 meses e mais não sei.

Parece bem? Não se pensa em grandes investimentos para breve, mas convém ter uns 10.000 ou assim a jeito. De outro tipo de aplicações financeiras não percebo, já estive a ler mas fiquei praticamente na mesma...

E precisava de um texto resumido e assertivo explicando estes novos bancos online e suas vantagens e segurança vs bancos com balcão de modo de modo a explicar ao meu pai, alguém pode ajudar por favor?

O meu pai adquiriu o Mitusbishi Miev que tanto queria. Ele quis e pronto, o dinheiro é dele(s) embora continue a achar mau investimento.

Não entregou o velhinho Saxo de 2001 que por sinal tem dado problemas, mas lá passou hoje na inspecção e hoje vou sentar-me com ele e falar não só sobre os carros (despachar o Saxo e o meu que vai fazer 10 anos em Dezembro e precisava de ajuda para comprar um novo usado) mas também sobre como rentabilizar o dinheiro que eles possuem ao máximo.

A minha mãe tem estado muito em baixo nos últimos dias, o discurso ultimamente não tem sido nada coerente e depois de um fim de semana de relax acampando com o meu namorado, mal voltei no domingo sinto-me a sufocar novamente com tanta pressão e responsabilidades e gerir o meu tempo disponível entre trabalho, relacionamento e ajudar os meus pais. Esta inversão de papeis e ter de ajudar a gerir e tentar ter mais controlo sobre as coisas, com a minha mãe sem capacidades, o meu pai desnorteado e o meu namorado a querer ajudar, a querer dar-me força e eu a sentir-me perdida e sem dar conta de tudo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

esmc então deixe ver se eu entendi, o seu pai não quer ficar dependente das petrolíferas mas prefere pagar logo 20000€ a mais na compra do veículo. Em termos económicos é uma péssima escolha, já em termos ambientais e morais estou completamente de acordo com as ideologias do seu pai, só ainda não é rentável face aos carros com motores térmicos equivalentes. Os automóveis são uma das minhas paixões e em termos de automóveis elétricos, na minha opinião o seu pai ficaria muito melhor servido com um Nissan Leaf(31100€) ou um Prius Plug in(38000€), este último pode carregar na tomada e também tem lá o motor térmico que lhe permite não ficar a pé numa situação de emergência ou numa viagem longa que não queira carregar a bateria a meio, recorrendo naturalmente á gasolina.

Dividir o património é certamente a escolha certa, porém eu não colocaria tudo em depósitos a prazo.

Assumindo que tem um perfil conservador eu dividia assim o património de 100k:

- 10k á ordem para fundo de maneio

- 30k numa carteira de fundos de baixo risco(fácilmente com rentabilidades de 3.5% líquidas ao ano)

- 60k em DP num ou dois bancos (neste momento dificilmente obtém mais de 2,8% líquidos)

O mais rentável seria aliás colocar a carteira de 30k em fundos mais agressivos, que a longo prazo se tornam seguros e mais rentáveis. Veja que DP nesta economia e neste momento é um risco, imagine só o dinheiro que se perde se mudarem do euro para o escudo, se tiver fundos eles permanecem em euros.

Obrigada Titanium

Neste momento ainda só possuo informações sobre o património dos meus pais no BPI que gostaria de opiniões, sendo o seguinte

- DP super poupança 5 anos a 3.5% TANB com 35k

juros de 2 em 2 anos e vence em jan/2017

- Fundo BPI monetário CP com 57k

http://www.bpiinvestimentos.pt/Fundos/FichaProdutoBPI.asp?Codfundo=751&CodGestora=1

- cerca de 5.000 à ordem (estariam melhor no money box do banco invest, mas desconheço se o bpi tem comissões se não tiver € à ordem)

- Reforma aforro PPR da minha mãe com cerca de 3500€

com vencimento no início de 2014 com reforços de 55€mensais

Mais logo terei mais informações sobre CGD, etc de modo a estudar como colocar a coisa bem distribuída e melhor rentável.

Entretanto se alguém me puder dar uma ideia de como abordar a conversa dos bancos não tradicionais e vantagens e explicar que são seguros, agradecia pois o meu pai é céptico à banca que não conhece e mesmo a que conhece desde aquilo da Grécia e tem receio que lhe tirem o dinheiro... O meu pai é algo peculiar e por vezes certas conversas são complicadas, fica exaltado e não ouve nada do que lhe dizem, é bem capaz de começar a falar do governo e do estado do país quando começarmos a falar sobre isto.

Obrigada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Os 5000€ não precisam de estar à ordem. De acordo com o preçário do BPI, bastam 3000€ de património para isentar despesas de manutenção. O património inclui aplicações financeiras, logo basta o DP Super Poupança que têm para não pagar nada.

Esse fundo BPI monetário também me parece bem fraquinho, quando há fundos como o E.S Liquidez, que rendem bem mais dentro de uma classe de risco semelhante.

Se quer convencer o seu pai a mudar para bancos não-tradicionais, a nível dos fundos pode usar este argumento: Os fundos não pertencem aos bancos, mas si às entidades gestoras. Ter um fundo comprado no BPI ou no BES não está completamente dependente da falência do banco, já que a posição no fundo continua a ser do cliente. É claro que se a entidade gestora pertence ao mesmo grupo financeiro do que o banco, se este for abaixo as coisas não ficam muito boas para a gestora.

No caso do fundo do E.S Liquidez, embora seja mais fácil e barato comercializar pelo BEST, a sociedade gestora é do grupo BES. Penso que o nome BES seja suficientemente tradicional para o seu pai reconhecer e aceitar.

Se quiser falar de outras vantagens dos bancos não-tradicionais, pode fazê-lo notar que os maiores escândalos, burlas e buracos financeiros são precisamente nos bancos tradicionais. Os bancos online, como BiG, Best e Invest, têm melhores indicadores de solidez que a banca tradicional. Por serem mais pequenos, há menos possibilidade de terem um serviço de tachos completo, com remunerações fabulosas, como se vê em CGDs e afins.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada ruicarlov. Infelizmente a conversa não correu muito bem, o meu pai foi resistente a quase tudo que eu disse e diz que não está para abrir contas noutros bancos. Ele é tão céptico e de ideias fixas nalgumas coisas que não ouve ninguém. De qualquer modo vou continuando a reforçar a ideia...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não estou a acompanhar na integra o problema, mas pelo que me apercebo o capital é do seu pai. Para todos os efeitos ele tem a última palavra e até me parece ser uma pessoa razoável e na posse das suas faculdades mentais, pois vai-lhe dando a conhecer o património que tem...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A questão é que o meu pai por ele tirava o dinheiro todo dos bancos, com medo que algo aconteça (e desde o Chipre volta e meia fala no assunto chegando a ficar todo alterado e aceso com os gatunos e o governo, etc). Tem cerca de 20.000 guardados, acho um disparate e perigoso. Já lhe dei literatura para ler sobre o FGD espero que surta efeito para ficar mais descansado mas mesmo assim entenda que convém distribuir os ovos por vários cestos/bancos. Por desconhecer a banca não tradicional não quer abrir conta no Best ou Invest, mesmo eu tendo explicado que ele iria ter mais rendimento. São assuntos que vou tentando abordar de vez em quando de modo a que perceba, mas o meu pai é muito obstinado e céptico nalgumas coisas. A minha mãe sempre teve algo a dizer em relação a estas coisas mas infelizmente não está mais em condições de o fazer.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A questão é que o meu pai por ele tirava o dinheiro todo dos bancos, com medo que algo aconteça (e desde o Chipre volta e meia fala no assunto chegando a ficar todo alterado e aceso com os "senhores" e o governo, etc). Tem cerca de 20.000 guardados, acho um disparate e perigoso. Já lhe dei literatura para ler sobre o FGD espero que surta efeito para ficar mais descansado mas mesmo assim entenda que convém distribuir os ovos por vários cestos/bancos. Por desconhecer a banca não tradicional não quer abrir conta no Best ou Invest, mesmo eu tendo explicado que ele iria ter mais rendimento. São assuntos que vou tentando abordar de vez em quando de modo a que perceba, mas o meu pai é muito obstinado e céptico nalgumas coisas. A minha mãe sempre teve algo a dizer em relação a estas coisas mas infelizmente não está mais em condições de o fazer.

É um problema de facto... se é assim, parece-me que não haverá nada a fazer.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É um problema de facto... se é assim, parece-me que não haverá nada a fazer.

E provavelmente o euro também não é do seu agrado... preferindo o escudo!...

Resta-lhe estimar os pais que tem!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A questão é que o meu pai por ele tirava o dinheiro todo dos bancos, com medo que algo aconteça (e desde o Chipre volta e meia fala no assunto chegando a ficar todo alterado e aceso com os "senhores" e o governo, etc). Tem cerca de 20.000 guardados, acho um disparate e perigoso. Já lhe dei literatura para ler sobre o FGD espero que surta efeito para ficar mais descansado mas mesmo assim entenda que convém distribuir os ovos por vários cestos/bancos. Por desconhecer a banca não tradicional não quer abrir conta no Best ou Invest, mesmo eu tendo explicado que ele iria ter mais rendimento. São assuntos que vou tentando abordar de vez em quando de modo a que perceba, mas o meu pai é muito obstinado e céptico nalgumas coisas. A minha mãe sempre teve algo a dizer em relação a estas coisas mas infelizmente não está mais em condições de o fazer.

Já tentou falar com o seu pai sobre Certificados de Aforro (CA)?

O seu pai pertence certamente a uma geração em que CA era sinónimo de poupança. Não digo que seja a melhor solução, nem que lhe vai resolver os problemas, mas pelo menos permitia-lhe "guardar com juros" uma parte, ou a totalidade dos 20.000€ que o seu pai tem guardado.

Na minha opinião, a taxa de 3,18% (bruta), não é das piores no mercado (no BPI é 3x menos a 1 ano).

Por se tratar de compra de divida portuguesa, como sabe não há garantia de capital, mas parece-me temporariamente uma solução aceitável, pelo menos enquanto não toma uma decisão mais definitiva. Considero mais perigoso ter guardado 20.000 euros em casa do que ter uma aplicação em CA.

Fica a sugestão, embora reconheça a complexidade da sua situação.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor