Visitante ajr

compra de ouro

36 publicações neste tópico

bom dia a todos gostaria da vossa opniao vale a pena investir em ouro 18k?trata-se de peças que nao estao mascadas mas sei k sao ouro verdadeiro a questao e a possivel legalidade da compra e o preço pelo qual (faria um bom negocio) neste negocio so podeira vender a casas de compra e venda ou poderia mandar refinar?

sei que teem proveniencia de outro pais..

desde ja o meu obrigado pelas vossas opnioes :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

EU nunca estudei o mercado de ouro, mas parece que agora não é bom e explico pq, na minha opinião, os mercados já acalmaram a nivel mundial logo os investidores estão a voltar ao mercado e a deixar o ouro de lado, penso que já subiu o que tinha que subir, se voltar uma nova crise ai sim até eu comprava uma barra de 1kg para guardar debaixo do colchão. por agora até acredito que baixe o seu valor. Mas como disse nunca estudei a coisa e falo só por alto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu acredito que isto vá piorar, infelizmente. Muito provavelmente estamos abenas numa leve bonança antes da tempestade, que poderá chegar por alturas de 2015 (segundo previsões da APEFI). Dito isto, penso que a melhor maneira de comprar ouro é através dos bancos, com peças certificadas. Meter-se com peças assim mais por fora é um risco maior. O meu irmão tem comprado através do BCP, mas pelo que vi, o preço de compra não é dos melhores. O banco Invest apresenta valores melhorzinhos, havendo a opção de ficar sob custódia do banco ou pagar uma taxa (quanto?) para levantar e levar para casa.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

sim e um facto que se fosse em lingotes seria sem duvida melhor,mas infelizmente a opurtunidade que me apareceu foi em peças algumas parcialmente estragadas ou seja (sucata) mas de 18k alguem sabe o preço oferecido em casas da especialidade?tipo compra e venda..

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se pretende investir em ouro , aconselho a comprar ouro refinado com a qualidade de 24 Kilates/999% em barra, este é o chamado ouro banking, compre em empresas autorizadas e com contraste . Em alternativa compre moedas de ouro , tais como Libras , 1/2 Libras , Dobrões , Kruggerrand, Peso mexicano. Atenção normalmente estas peças são em 22 Kilates , mas também têm valor de colecção , compre moedas com a melhor conservação possivel.

Em relação ao ouro fino 24 Kilates , tem cotação bolsista e é comercializavel em qualquer ponto do mundo. Se a intenção é investir, não compre joias a não ser joias certificadas, ou com assinatura de designers reconhecidos.

Algo mais ao seu inteiro dispor. 888@sapo.pt

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De facto posso lhe fazer uma oferta , mas depende de alguns factores. Necessito saber qual a quantidade para venda ? Que tipo de peças são ? Se têm adornos de outros materiais ? Se têm pedras preciosas ou semi-preciosas ?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se pretende investir em ouro , aconselho a comprar ouro refinado com a qualidade de 24 Kilates/999% em barra, este é o chamado ouro banking, compre em empresas autorizadas e com contraste . Em alternativa compre moedas de ouro , tais como Libras , 1/2 Libras , Dobrões , Kruggerrand, Peso mexicano. Atenção normalmente estas peças são em 22 Kilates , mas também têm valor de colecção , compre moedas com a melhor conservação possivel.

Em relação ao ouro fino 24 Kilates , tem cotação bolsista e é comercializavel em qualquer ponto do mundo. Se a intenção é investir, não compre joias a não ser joias certificadas, ou com assinatura de designers reconhecidos.

Algo mais ao seu inteiro dispor. 888@sapo.pt

A questão é que o peso em ouro consegue-se sempre reaver. Valores mais subjectivos como artísticos e de coleção são mais arriscados, pois não há garantia que numa situação de aperto consigamos quem nos compre por mais do que o peso.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não querendo entrar em detalhes muito profundos mas quando se olha para um grafico do ouro a 1 ano entende-se para onde ele quer ir, acabou de romper um canal descendente e para baixo o que reforça a queda do ouro, a média de 50 dias acabou tb de romper a de 200, rsi em minimos, macd em tendencia de queda sem qualquer suporte a vista, temos uma queda de 1700 para 1500 com volumes ascendentes, logo nos tempos mais proximos pela analise ao gráfico e pelo que disse no post anterior não acredito numa subida do ouro. eu neste momento não comprava ouro, o BES já me veio com a conversa se eu queria comprar barras de ouro a cotação de mercado o que na altura respondi não e ainda bem senão estaria a perder à grande. Isto é só a minha opinião.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim, a ideia que tenho tido é pode não ser o momento melhor para comprar. Mas penso que dentro de poucos anos é capaz de dar um pulo valente, se isto se complicar. Se calhar para o ano pondero seriamente em entrar longo no ouro. 2015 é o meu ano receado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A questão é que o peso em ouro consegue-se sempre reaver. Valores mais subjectivos como artísticos e de coleção são mais arriscados, pois não há garantia que numa situação de aperto consigamos quem nos compre por mais do que o peso.

tenho mais ou menos 100gramas e incerto poderia ter mais depende.sao peças nas 3 coloraçoes (branco rosa e amarelo) sem pedras apenas ouro tudo depende do valor que proponha ja agora.

logico que se o valor for prossimo do que possivelmente  valor que compre nao me compensa

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Investir em ouro, na minha opnião está relacionado com o descredito nos mercados ou medo/paranoia ou ainda protecção contra a inflação (ha quem diga).

Eu até compreendo que se queira encontrar uma fuga a estes medos mas não consigo, por enquanto, embarcar nesta ideia. Unico investimento que fiz foi na aliança  :D

Concordo tb que para investir tera que ser numa solução de moedas tipo Kruggerrand (1 Ounce), dado que se estamos a incluir ouro no nosso portfolio sera melhor para balancear.

Quanto ao preço do ouro, ninguem sabe para onde vai. Eu quando olha para o preço do dito fico pasmado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Investir em ouro, na minha opnião está relacionado com o descredito nos mercados ou medo/paranoia ou ainda protecção contra a inflação (ha quem diga).

Penso que a isso também se pode juntar descrédito no sistema financeiro atual de uma forma geral. O que não falta para aí são documentários que como os mercados estão assentes em pés-de-barro, que vão sendo mantidos com mezinhas. Um dia isto é bem capaz de estourar, como já aconteceu historicamente (embora a escalas mais locais e com menos dinheiro envolvido)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Penso que a isso também se pode juntar descrédito no sistema financeiro atual de uma forma geral. O que não falta para aí são documentários que como os mercados estão assentes em pés-de-barro, que vão sendo mantidos com mezinhas. Um dia isto é bem capaz de estourar, como já aconteceu historicamente (embora a escalas mais locais e com menos dinheiro envolvido)

Desconfio sempre muito desses documentários... Normalmente dão uma perspetiva que é tão catastrofista que me leva a duvidar do próprio documentário... nem tanto ao mar nem tanto à terra.

Quanto à compra de ouro em si... só compraria depois de corrigir bem, mas mesmo muito bem... até lá penso que mais vale produtos de investimento de outros tipos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Também sempre tomei esses documentários com um grão de sal, mas cada vez mais começo a ver como estamos numa situação insustentável a longo prazo. Desde que fui à conferência da APEFI fiquei muito mais cauteloso em relação aos próximos anos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Também sempre tomei esses documentários com um grão de sal, mas cada vez mais começo a ver como estamos numa situação insustentável a longo prazo. Desde que fui à conferência da APEFI fiquei muito mais cauteloso em relação aos próximos anos.

Nem fazia ideia que tinha havido esta conferência...

... mas o que é que foi lá dito?  :o Agora, confesso, deixaste-me com curiosidade.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Escolhi mal o termo. Conferência é pouco correcto. Foi mais uma palestra de meio-dia.

Foi pouco tempo para a vastidão do tema e das coisas que se podiam discutir. Vou apenas falar de algumas coisas que anotei.

Um ponto interessante levantado foi a demonstração de como a economia tem funcionado por ciclos, constituídos simbolicamente pelas quatro estações do ano. Inverno (crise); Primavera (retona); Verão (crescimento) e Outono (estagnação). Estes ciclos duram em média 80 anos, o que corresponde à esperança média de vida de uma geração. Ao fim ao cabo, quando morrem as últimas pessoas que viveram a crise anterior, é quando há condições instaladas para haver uma nova.

Isto até faz bastante sentido, as pessoas que já viveram uma crise apenderam com ela. Quando já não há ninguém para aconselhar a nova geração, voltam-se a cometer erros do passado, ou pelo menos erros parecidos.

Estamos atualmente num inverno (óbvio) mas que ainda está longe de chegar ao fim. Eles apontaram para 2015/2016 como o auge da crise, não só em Portugal, mas um pouco por todo o mundo. Fizeram algumas previsões para os próximos 15 anos, embora quando mais afastado o prazo, maior a possilidade de erro claro. No entanto, estimam que haja cerca de 70%-80% de probabilidades de termos o auge da crise por volta de 2015. Pode demorar mais um par de anos, mas isto ainda vai ficar pior.

Entre 2013-2015 espera-se que se continue numa espiral de austeridade, até as coisas "rebentarem", muito provavelmente com uma queda do estado. A primeira fase deste auge da crise será marcado por um crash imobiliário (apesar de isto já não andar muito bem). Numa segunda fase virá uma crise de transportes, que afectará muito negativamente o turismo e exportações. A 3ª fase será a de uma crise alimentar e/ou energética.

Espera-se que durante o período de austeridade sejam postas em prática algumas destas medidas:

-> fim ou corte muito substancial de reformas

-> impostos transmissão de pais para filhos

-> introdução de várias taxas de transferências bancárias

Algumas recomendações que deram foi de ter algum numerário em casa (sim, debaixo do colchão ou coisa parecida), e não ter mais de 25.000€ de depósitos por banco (o antigo limite do FGD, caso estejam lembrados). Também foi aconselhado a manter stocks de comida em reserva, pois a crise de transportes e alimentar pode trazer perturbações a nível de acessibilidade de alimentos.

No entanto, cenários de hiperinflação são pouco prováveis, devido às grandes pressões dos credores, que vão puxar de tudo para que isso não aconteça. Assumindo que o euro se mantenha, é pouco provável que Portugal saia do euro.

A questão é que deve ocorrer grandes deslocações de poder a nível da economia mundial. Esta crise marcará o fim da supremacia económica dos EUA, passando o China (mais provável) ou a Europa (menos provável) a mandar cartas.

O início da retoma só deverá começar lá para 2020, sob uma maior globalização e bastantes mudanças na economia. Também lançaram o alerta para possíveis conflitos armados. Historicamente, tem-se saído das grandes crises através de ditaduras (Pombalismo, Salazarismo, etc) e/ou conflitos (guerras mundiais). As maiores ameaças a nível de Paz são capazes de vir do Irão.

Na palestra teve um representante da única agência noticiosa em Portugal não-estatal (para além dela tudo o resto vem da lusa, que pertence ao estado), alertando para as situações que eles têm verificado lá, tal como o curtíssimo espaço de tempo que um navio de guerra do Irão precisa para chegar de lá ao meio do mediterrâneo (coisa de horas), e que tendo Portugal mandado para lá tropas, não está nada nas boas graças deles (ainda que sejam "tropas de retaguarda").

Resumindo um pouco, vêm aí tempos muito instáveis e difíceis, tal a nível económico como geopolíticos. Mas isto faz tudo parte de um ciclo, logo é preciso precaver-nos o mais possível para aguentar o inverno até chegar a primavera. Toca a sermos formigas, que como cigarras não vamos longe.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Escolhi mal o termo. Conferência é pouco correcto. Foi mais uma palestra de meio-dia.

Foi pouco tempo para a vastidão do tema e das coisas que se podiam discutir. Vou apenas falar de algumas coisas que anotei.

...

Obrigado pela boa descrição.

A parte que mais me incomodou foi a "dos impostos de sucessão e o fim das reformas". É mesmo dar uma machadada nos nossos filhos.

Pessoalmente, acredito que será um ou mais conflitos regionais a fazerem algum reset à economia global.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Muito, muito obrigado por esta mensagem. Isto é puro serviço público.

E o pior (ou melhor, porque podemos desde já precavermo-nos contra isto) é que tud faz total sentido... e não cai fora do racional.

Mais uma vez, muito obrigado mesmo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O crash no imobiliário, diria quase por experiência, já se deu há alguns anos. Falo pelo menos a nível dos pequenos empresários nessa área que se puseram em investimentos enormes com o dinheiro dos bancos e que, precisamente pelo crash no imobiliário, ficaram completamente falidos.

A previsão da APEFI parece-me demasiado catastrofista. Claro que não sou economista nem nada do género, mas de uma coisa tenho a certeza: se as pessoas forem tão cautelosas como eles sugerem (incluindo os investidores), então é que a economia estagna completamente e nunca sairemos da crise. Se ligarmos a televisão ouviremos: "Vodafone negocia despedimento coletivo de n colaboradores", "Danone reduzirá em n o seu número de funcionários", entre outras. Pergunto, não estará isto a acontecer porque os investidores estão a antever uma redução no consumo que talvez ainda nem se verifique? Este tipo de previsões, vindas de associações com algum mediatismo, só pioram a situação e acabam por contribuir para a espiral recessiva.

Não digo que não devamos investir cautelosamente o nosso dinheiro, mas acho sobretudo que devemos investir nos nossos sonhos, se tal for possível. Imaginemos que até temos uma ideia de negócio. Com esta presença ominosa e omnipresente da crise claro que não temos qualquer apoio psicológico para avançar, e é isso que verdadeiramente impede a economia de avançar.

Esta temática lembrou-me um vídeo que provavelmente já terão visto e um excerto do poema "D. Sebastião" da Mensagem, de Fernando Pessoa.

Sem a loucura que é o homem

Mais que a besta sadia,

Cadáver adiado que procria?

No fundo, acho que não nos devemos deixar afetar exacerbadamente pela crise e devemos manter sempre alguma loucura (no sentido de sonho, de ambição) nos nossos investimentos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bigapple concordo com a tua perspectiva. Eu "desconfio" sempre um pouco destas palestras, podem até fazer sentido mas assentam sempre em dados "passados". Existem tantas palestras/conferências que algumas acertam ( ;D ) outras até falavam em catástrofes antes dos períodos agora referidos.

As condições actualmente são bem diferentes, se houvesse uma guerra mundial seria catastrófico. O Irão já é falado há muito tempo, para mim o grande problema será o fim da supremacia dos E.U.A. Eu não acredito que deixem que isso aconteça, até porque está em causa a moeda de referência mundial (Dólar).

Estar "previsões" deixam-me sempre a pensar o porquê de ninguém prever que a China possa também vir a sofrer impactos com a crise mundial. Aliás já vi escrito que uma bolha também pode vir a rebentar dentro de alguns anos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Estar "previsões" deixam-me sempre a pensar o porquê de ninguém prever que a China possa também vir a sofrer impactos com a crise mundial. Aliás já vi escrito que uma bolha também pode vir a rebentar dentro de alguns anos.

Na minha opinião, a China é quem tem o maior problema nas mãos.

Motivo 1: com a redução de consumo do mundo ocidental, a produção chinesa ficará com dificuldade em escoar/exportar

Motivo 2: o aumento do nível de vida dos trabalhadores chineses que pressionam o aumento de salarios, logo o custo de produção aumenta e a vantagem da china diminui (deslocação de fabricas para países como o vietnam e outros)

Motivo 3: nos ultimos anos, para manter o crescimento interno, a china começou a criar uma bolha imobiliária (que na china significa bairros e cidades novas completamente despovoadas). Devido à sua enorme população e ao crescimento demográfico, a china tem de crescer ~10% ao ano. Ou conseguem sustentar esse crescimento no aumento do consumo interno (o que por sua vez aumenta a pressão para o aumento de salários), ou ficam com uma bomba relogio social

Motivo 4: o enorme volume de divida americana e dolares que os chineses têm. Isso pode dar-lhes poder sobre os EUA mas para os EUA é facil continuarem a imprimir (virtualizar) dolares e a emitir divida, o que só conduz aos chineses ficarem cada vez com mais... "papel" que cada vez valerá menos.

Por estes motivos e por visão, a China nos ultimos anos aumentou em muito a compra de materias primas e a armazená-las.

Vamos ver o que os chineses vão fazer nos próximos anos... com paciência de chinês  8)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tendo em conta que eles em 2007 andaram a avisar as pessoas a serem muito cautelosas, que ia haver brevemente uma grande crise que partia do imobiliário, para saldar todas as dívidas que conseguissem, e por aí fora, penso que não andam propriamente a dizer coisas ao acaso.

Só que em 2008, apesar das quedas todas da bolsa, não nos atingiu tão próximo como este período de austeridade. Logo creio que se uma situação minimamente parecida acontecesse com o estado atual da economia nacional ia ser o coup-de-grace.

Nós em Portugal não tivemos um verdadeiro crash, e realmente não é é muito provável que o tenhamos. Expressei-me mal no post anterior. Quis apenas dizer crise, não crash. Temos vindo a ver uma redução dos preços gradual que pode e deve acentuar-se nos próximos anos, nada ajudado pela Europa, onde aí sim pode haver um crash.

http://apefi.eu/?p=538

Esta crise vai ser a nível mundial. E claro que a China também não escapará ilesa. A questão aqui é quem estará melhor preparado para "renascer das cinzas". E sim, isso implica por em causa o dólar como moeda de referência mundial. Aliás, para além da APEFI, já tenho vindo a formar essa opinião já há algum tempo. Há cada vez mais gente a elaborar sobre esse ideia, e filmes como o Zeitgeist, e outros agora que não me lembro o nome têm mostrado bem claramente que o sistema financeiro americano é dos mais viciados e menos saudáveis que há. Até que ponto é que será o colapso não sei. Mas acredito firmemente que mais cedo ou mais tarde vai haver bronca. Não se pode estar indefinidamente a aumentar os tectos de endividamento do país.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

alguem sabe a cotaçao de compra do ouro 18k pelas firmas de compra de ouro ?ja agora estou aberto a negociar

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu penso que sempre haverá esse tipo de opiniões catastróficas e esta incessante procura de adivinhar o futuro. Alias é já uma profissão, esses profetas/comentadores da desgraça que quanto mais medo é gerado mais aparecem nas televisões e este ciclo vicioso parece não ter fim.

A mim parece-me que todo o mundo se tronou expert em economia, não partilham deste sentimento?

Aconteça o que acontecer não será o ouro que nos vai salvar mas sim a nossa capacidade de reação às eventualidades. Sempre que acontece uma tragedia seja ela de caracter social ou financeiro nunca vejo filas de pessoas em busca de ouro… comida electricidade talvez, ouro nunca.

Pela minha experiência, quanto menos fizermos perante as mas notícias, mais beneficiamos financeiramente a longo prazo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O ouro é sinónimo de riqueza, objecto de ganância, motivo de guerras.

A água é o bem mais precioso do mundo, não tem sabor e um dia não haverá ouro que a compre.

O problema do preço do ouro é haver interesse e dinheiro para comprá-lo.

A meu ver, o ouro só faz sentido para adquirir em forma de objecto de colecção ou vendê-lo fruto de uma herança.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor