Visitante lena12

Irs e cessação de actividades

5 publicações neste tópico

Bom dia,

sou professora portanto trabalhadora dependente e sempre entreguei a declaração modelo 3.

O ano passado, em Julho de 2012 abri actividade porque estava a pensar alugar uma casa como Alojamento Local. Tal acabou por não ser possível porque os papeis não foram aprovados e em Novembro cessei a actividade.

As minhas questões são as seguintes:

1. tendo cessado actividade quando devo entregar a declaração de IRS

2. Não tendo usufruido ganhos o que devo declarar?

Muito obrigada pela atenção

Cumprimentos

Helena

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1- Pela internet, em Maio.

2- Se era regime simplificado, declara zero. Se era regime contabilidade organizada, declara o prejuízo, caso tenha tido custos, senão zero também.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1- Pela internet, em Maio.

2- Se era regime simplificado, declara zero. Se era regime contabilidade organizada, declara o prejuízo, caso tenha tido custos, senão zero também.

Muito obrigada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Estou dentro de um processo de despedimento coletivo.

Vamos receber a compensação de 1 mês por cada ano de trabalho, isenta de descontos

Se conseguirmos arranjar trabalho, temos que fazer os descontos mais tarde sobre o valor recebido de compensação?

obrigada

AG

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Estou dentro de um processo de despedimento coletivo.

Vamos receber a compensação de 1 mês por cada ano de trabalho, isenta de descontos

Se conseguirmos arranjar trabalho, temos que fazer os descontos mais tarde sobre o valor recebido de compensação?

obrigada

AG

4 - Quando, por qualquer forma, cessem os contratos subjacentes às situações referidas nas alíneas a), B) e c) do n.º 1, mas sem prejuízo do disposto na alínea d) do mesmo número, quanto às prestações que continuem a ser devidas mesmo que o contrato de trabalho não subsista, ou se verifique a cessação das funções de gestor público, administrador ou gerente de pessoa colectiva, bem como de representante de estabelecimento estável de entidade não residente, as importâncias auferidas, a qualquer título, ficam sempre sujeitas a tributação:(Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro) a) Pela sua totalidade, tratando-se de gestor público, administrador ou gerente de pessoa colectiva, bem como de representante de estabelecimento estável de entidade não residente;(Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

B) Na parte que exceda o valor correspondente ao valor médio das remunerações regulares com carácter de retribuição sujeitas a imposto, auferidas nos últimos 12 meses, multiplicado pelo número de anos ou fracção de antiguidade ou de exercício de funções na entidade devedora, nos demais casos, salvo quando nos 24 meses seguintes seja criado novo vínculo profissional ou empresarial, independentemente da sua natureza, com a mesma entidade, caso em que as importâncias serão tributadas pela totalidade. (Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro)</blockquote>

Só estará sujeita a essa rectificação se nos 24 meses seguintes ao despedimento voltar a estar ligado à mesma empresa que a despediu.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead