cloned

Clonagem cartão de débito (BPN/BIC)

13 publicações neste tópico

Olá a todos,

Gostaria de dar a conhecer a todos a seguinte situação que comigo se passa na esperança que possa ajudar alguém na hora de escolher a quem (não) confiar o seu dinheiro.

Durante um período que passei no estrangeiro, usei o meu cartão de débito associado à conta que tenho no BPN (agora banco BIC) três vezes. Todas elas foram em ATMs, em condições que julguei seguras.

Assim que regressei a Portugal, reparei que tinha no meu extracto levantamentos que não foram efectuados por mim (tendo aliás origem numa cidade onde nunca estive), perfazendo um total de mais de mil euros.

Denunciei de imediato esta situação na minha agência, pedindo o respectivo reembolso. Fui informado que iriam dar seguimento ao assunto, e que o mesmo seria analisado "centralmente".

Após um longo período sem ter notícias do caso, recebo finalmente resposta da parte do banco, informando-me que "não iria ser ressarcido do montante das operações após a clonagem do cartão" uma vez que "o cliente é responsável pela guarda do PIN facultado pelo Banco, pelo que não terá salvaguardado convenientemente o PIN permitindo que fosse inteligível a terceiros."

Não considerei esta resposta de todo aceitável e fiz já várias tentativas de contacto com o banco (tanto com minha agência bem como directamente com a administração) fazendo ver isso mesmo, sublinhando que usei o meu cartão sempre com o maior cuidado, apenas em agências bancárias e aeroporto, e sempre de acordo com as minhas obrigações contratuais.

A premissa em que o banco se baseia para a resposta que me deu (a de que o culpado do sucedido sou eu, uma vez que não salvaguardei o meu PIN) é, portanto, uma premissa errada.

Todas estas minhas diligências foram em vão. A resposta que tenho obtido sempre é a de que "nada temos a acrescentar" relativamente à posição anterior do banco.

Esta arrogante postura revela um profundo desprezo do banco pelos seus clientes, que nem sequer se dá ao trabalho de analisar a minha argumentação.

O mecanismo pelo qual terceiros foram capazes de levantar dinheiro da minha conta numa ATM (sem o meu cartão e sem que eu tenha facultado o PIN a fosse quem fosse), desconheço. Uma rápida pesquisa no google, no entanto, devolve-me logo várias alternativas possíveis, como qualquer um poderá verificar.

Como é evidente, estou extremamente desapontado com o BPN/BIC. Não considero aceitável o tempo que demorou ao banco a analisar o assunto, bem como o tempo que tem demorado a responder às minhas cartas. Considero ainda toda esta situação algo Kafkiana, onde se pretende transformar a vítima em culpado: não só fui eu vítima de um assalto, como considera o banco ter sido culpa minha.

Denunciei já esta situação ao Banco de Portugal, bem como ao Centro de Informação Autárquico ao Consumidor e estou à espera que o assunto se desenvolva nestas frentes, mas não tenho a certeza de qual o "poder" destas entidades (parecem-me ser mais organismos de mediação).

Será de considerar fazer-me sócio da DECO?

Alguém tem alguma sugestão, ou passou por situação semelhante?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

fds associares-te à DECO...no way! eles sao uma empresa para dar lucro!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esta situação não é de facto muito agradável e cada vez mais os bancos evitam assumir responsabilidades nestes casos. A verdade é que não sendo a culpa nem do cliente nem do banco, o ónus da protecção do cartão e respectivo PIN recaí sobre o cliente.

Dito isto, é uma questão de ler as condições do contrato do seu cartão para perceber quem suporta encargos com fraudes e levantamentos ilícitos, se bem que possivelmente o banco estará protegido.

Para proteger de situações futuras, recomendo sempre que utilizem um cartão com seguro específico para estas situações, ainda que saia um pouco mais caro.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois... neste caso para mim o culpado é o dono do cartao... nao se vai gostar de ler? mas é!

Se fossemos a culpar sempre o banco imagino as burlas que iriam existir de pessoas mais "espertas" a lubribiar o banco....

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esta situação não é de facto muito agradável e cada vez mais os bancos evitam assumir responsabilidades nestes casos. A verdade é que não sendo a culpa nem do cliente nem do banco, o ónus da protecção do cartão e respectivo PIN recaí sobre o cliente.

Dito isto, é uma questão de ler as condições do contrato do seu cartão para perceber quem suporta encargos com fraudes e levantamentos ilícitos, se bem que possivelmente o banco estará protegido.

Para proteger de situações futuras, recomendo sempre que utilizem um cartão com seguro específico para estas situações, ainda que saia um pouco mais caro.

Bom, mas a questão aqui é que eu de facto protegi sempre o cartão e o PIN. Como é que este foi clonado, não sei, mas parece-me que quando um cartão não oferece segurança nenhuma, a culpa será do banco...

Quanto ao contracto, não me parece ser muito explícito relativamente a situações deste tipo. Diz que o titular é responsável pelas perdas nos casos "resultantes de perda, roubo ou apropriação abusiva do Cartão". Ora, esta minha situação não se enquadra em nenhum destes casos, já que eu tive sempre o cartão comigo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, já tinha visto esse video. Acho que realça o meu ponto: há cartões que não oferecem segurança nenhuma, e não podem ser os clientes os culpados quando ocorrem este tipo de falsificações...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, já tinha visto esse video. Acho que realça o meu ponto: há cartões que não oferecem segurança nenhuma, e não podem ser os clientes os culpados quando ocorrem este tipo de falsificações...

Mas o cartão tem chip? Se tem, mais seguro não pode ser...

Será que tapou sempre o PIN quando o colocava? Muitos empregados não desviam o olhar e depois ficam com todos os dados do cartão

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Será que tapou sempre o PIN quando o colocava? Muitos empregados não desviam o olhar e depois ficam com todos os dados do cartão

Isto é um procedimento importantíssimo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas o cartão tem chip? Se tem, mais seguro não pode ser...

Será que tapou sempre o PIN quando o colocava? Muitos empregados não desviam o olhar e depois ficam com todos os dados do cartão

Apesar de os novos cartões terem chip, a banda magnética continua operacional.

A SIBS já propôs avançar em 2013 com a obrigatoriedade de aceitar pagamentos apenas com o chip, dado que os cartões mais recentes já estão preparados para tal e os POS para lá caminham.

Cumps,

M

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Apesar de os novos cartões terem chip, a banda magnética continua operacional.

A SIBS já propôs avançar em 2013 com a obrigatoriedade de aceitar pagamentos apenas com o chip, dado que os cartões mais recentes já estão preparados para tal e os POS para lá caminham.

Exacto, o cartão tem chip e banda magnética. Nunca usei o cartão para pagamentos; apenas o usei para levantar dinheiro (e sim, verifiquei que ninguém se encontrava por perto).

Note-se, já agora, que pelo menos no Reino Unido, o ónus da prova está de facto do lado dos bancos:

http://www.telegraph.co.uk/finance/personalfinance/consumertips/banking/6338659/Bank-payments-13-months-to-dispute-suspicious-transactions.html

"It is for the bank, building society or credit card company to show that the transaction was made by you, and there was no breakdown in procedures or technical difficulty."

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Desculpem desenterrar este tópico, mas estou exactamente na mesma situação, mas com outro banco e com valores bem inferiores (felizmente).

Gostaria de saber o que fazer e o que aconteceu no seu caso. Eu pessoalmente penso retirar todo o dinheiro do banco em causa, pois por ser um valor bem pequeno (inferior a 150 euros) o banco, per si, podia assumir alguma responsabilidade, visto que eu tenho provas de extractos do cartão que me foi clonado em como era impossivel eu estar no local onde foram feitos os levantamentos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, o meu caso não teve ainda grande solução, infelizmente. Da minha parte, retirei o meu dinheiro todo do banco, e fiz queixa-crime. Aguardo agora que o assunto se desenvolva nessa frente, mas sem grande esperança.

Fui sabendo também que estes casos são até bastante comuns, principalmente no Brasil. Por vezes, o banco devolve o dinheiro; noutros casos não o faz.

Entretanto, noto que há registos de casos semelhantes nos julgados de paz, que têm tido pareceres favoráveis aos queixosos:

http://www.dgsi.pt/cajp.nsf/954f0ce6ad9dd8b980256b5f003fa814/eeb6e97e0aa136248025744900395b1c?OpenDocument

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead