pedrofelgueiras

Obrigações de cabaz de acções.

8 publicações neste tópico

Boa tarde,

Falaram-me recentemente de um tipo de produtos de molde de obrigações mas em que estas são um cabaz de acções. Ou seja, o capital investido é garantido, mas só há cupão se todas as acções do cabaz oferecido valorizarem na data da maturidade.

Dependendo das taxas parece-me um modelo atractivo, mas não será (em abstracto, pelo menos) demasiado arriscado, no sentido de ser provável que uma das acções não valorize, deitando por terra todo o cupão ?

Percebo que a vantagem seja a de eliminar o risco de perda do capital investido, mas ainda assim não sei quão atractivo será este tipo de produtos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para sermos mais precisos, esse tipo de produtos não se chamam obrigações, mas sim produtos estruturados.

Para ser sincero, também não gosto muito desse tipo de produtos. É mais provável uma acção deitar tudo por terra do que conseguir-se a rentabilidade máxima.

Apesar de tudo, os mais jeitositos que tenho visto são os do Invest, que costumam ser por um ano, e garantem uma rentabilidade pequena (1,5-2%) mesmo quando o cabaz não se comporta bem.

Mas mesmo assim, basta olhar para as simulações na FIN dos produtos para ver que as probabilidades de conseguir a rentabilidade máxima não são nada animadoras.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É o Iberia? não é bem na valorização de TODAS as acções, isso seriam 55 acções!!! é na globalidade de cabaz, é diferente, hoje o PSI20 pode valer 5000 pontos e daqui a 3 anos valer 6000, ai já ganha, e não quer dizer que todas as acções tenham subido...se é que estamos a falar deste produto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas basta que se mantenha. Ou seja, na perspectiva de o mercado estar mau nesta fase, se o cabaz for de acções overweight, bastaria que subissem marginalmente em relação ao valor de fecho do início do produto, certo ? Um pouco a lógica de "pior do que agora não fica".

A ideia de ter dinheiro parado (a desvalorizar) é que me faz confusão. Fundos e atenção ás cotações parecem melhor opção.

Não é nenhum estruturado específico, falaram-me foi deste tipo de produtos indexados, que desconhecia. Só conhecia os indexados aos mercados como um todo, e não a cabazes.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois...o dinheiro está parado... é como tudo, perder só na desvalorização, mas pode ter um retorno grande, depende claro, fundos é sempre o melhor em TUDO ahahah.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não me falem nesses produtos!...

Há uns anos atrás, "fui na cantiga" e comprei uns milhares de euros de um estruturado em que entrava a Nokia e a Gazprom (de um cabaz de 4 produtos, em que todos tinham de subir). E ainda pra mais era por 5 anos!... Como a Nokia desceu a pique logo a seguir à minha subscrição (e ainda está - e continuará por muito tempo - lá por baixo - dificilmente se levantará...), não vou ver NUNCA o dinheiro que apliquei valorizado.

Vão ser 5 anos de "seca absoluta". Só em 2014 recuperarei o dinheiro investido, isto se eu ainda for vivo...

Foi um dos maiores "barretes" que me enfiaram...

Portanto, aconselho os nossos colegas de forum a pensarem maturamente ANTES de aplicarem o seu dinheiro em produtos deste tipo. Cuidado!... O produto é nos apresentado de forma muito atrativa, com taxas elevadas muito tentadoras, as marcas são "sonantes" e de prestígio, mas depois... há estes "azares" e o rendimento do nosso capital fica do lado de lá. Não vemos um cêntimo.

Eu caí uma vez (e ainda continuo estatelado no chão até... 2014), mas não me apanham noutra! Ai não, não!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É sem dúvida um excelente conselho Ramiro Costa.

Mas quem se deixar levar pelo nome de empresas no cabaz mais explicações atractivas, então facilmente cairá em coisas bem piores.

Quando se propõem estes produtos às pessoas, não acredito que algum banco o faça sabendo que existe uma % grande de sucesso do produto. Existem vários estudos feitos à priori para analisar a "viabilidade" de sucesso das diferentes componentes.

É claro que até com estudos as coisas podem não correr como o esperado para o banco que ofereceu este produto, uma vez que o prazo costuma ser longo (3-5 anos) mas não acredito que a % de insucesso nestes produtos seja elevada para o banco.

Normalmente estes produtos costuma "sair" após uma queda acentuada de índices ou cotações para atrair a atenção dos potenciais clientes.

PS- Esta é apenas a minha opinião. Não tenho por base algum estudo, apenas me faz sentido (lógica) que assim seja. Até porque não acredito que com base na AT alguém consiga prever o rumo que uma cotação irá ter durante um longo período de tempo ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não me falem nesses produtos!...

Há uns anos atrás, "fui na cantiga" e comprei uns milhares de euros de um estruturado em que entrava a Nokia e a Gazprom (de um cabaz de 4 produtos, em que todos tinham de subir). E ainda pra mais era por 5 anos!... Como a Nokia desceu a pique logo a seguir à minha subscrição (e ainda está - e continuará por muito tempo - lá por baixo - dificilmente se levantará...), não vou ver NUNCA o dinheiro que apliquei valorizado.

Vão ser 5 anos de "seca absoluta". Só em 2014 recuperarei o dinheiro investido, isto se eu ainda for vivo...

Foi um dos maiores "barretes" que me enfiaram...

Portanto, aconselho os nossos colegas de forum a pensarem maturamente ANTES de aplicarem o seu dinheiro em produtos deste tipo. Cuidado!... O produto é nos apresentado de forma muito atrativa, com taxas elevadas muito tentadoras, as marcas são "sonantes" e de prestígio, mas depois... há estes "azares" e o rendimento do nosso capital fica do lado de lá. Não vemos um cêntimo.

Eu caí uma vez (e ainda continuo estatelado no chão até... 2014), mas não me apanham noutra! Ai não, não!

Por mais que supostamente um produto seja apresentado de forma florida :) existe um prospecto da CMVM com as condições gerais e que explica até com exemplos o que pode acontecer, no futuro ninguém sabe, mas faando em concreto no Iberia, que até já acabou, aquilo que percebi e está expresso no prospecto é um pouco tipo isto, o Psi20 está nos 5000 pontos, o Ibex35 nos 5000 pontos, ganha-se 50% da variação de valorização no CONJUNTO dos dois indices, ou seja, esta-se exposto a 55 acções, não é numa moeda, num câmbio etc, são a dois indices, sub valorizados (ok pode baixar mais) mas não quer dizer que tenham de subir os dois, se um subir para 7000 e o outro descer para 4000 ganha-se na mesma, porque na compra estavam a 10000 pontos no conjunto e na maturidade estavam a 11000...na minha perspectiva a seguir a CLNs foi talvez das melhores aplicações... my opinion :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor