Visitante cpm

Indemnização por despedimento e IRS

14 publicações neste tópico

Bom dia a todos.

A minha dúvida é a seguinte:

Somos um agregado familiar de 4 pessoas (casal + 2 dependentes) no escalão B. Só há um único titular de rendimentos que vai ser despedido em despedimento colectivo abrangido por um plano de revitalização da entidade patronal.

A minha dúvida prende-se com o facto de saber se esse valor da indemnização nos afectará no escalão de rendimentos (podendo-nos fazer perder os poucos benefícios que temos pela insuficiência económica) sabendo que ficaremos ambos no desemprego, ou se há algum campo no IRS previsto que salvaguarde estas situações visto que a indemnização se refere a vários anos de trabalho + subs férias e Natal.

Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O subs férias e o subs natal são sujeitos a irs, logo entrarão nas contas de atribuição de escalão.

O caso da indemnização já depende do valor. Se for até um mês de salário por cada ano de antiguidade, não é sujeito. Caso exceda, só o excedente é que é sujeito.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Duvido que exceda... Obrigado pela informação!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

trabalho numa serralharia à 16 anos fui despedido ,por extinção do posto de trabalho ,qual o valor da minha indemenização

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A compensação é de 16 vezes o salário.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia!

Estou a ser despedido neste momento e estão a tentar entrar em acordo comigo. Tenho contrato sem termo.

A pessoa que está a negociar comigo, não está a negociar está a impor-me uma situação.

O despedimento, disse-me que era porque a empresa está a fazer ajustes e vai ter que despedir algumas pessoas. O problema é que eles não têm cota para o fundo de desemprego. Entao está a sugerir-me dar 50% do fundo de desemprego, ou seja 9 meses. Eu quero os 18, porque acho que tenho esse direito.

A minha duvida é que ela afirma que é prejudicial por causa do imposto.

O que é tributado nas indeminizações?

Estou ha 5 anos na empresa, e tenho um ordenado base de 1263 €. É o base que entra para a negociação, ou é a media do bruto anual?

Também posso entrar com as horas de formação que nao me foram dadas? São 35 horas por ano certo?

Muito obrigado

Ricardo

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia,

e no caso da indemnização exceder o minimo obrigatório, o valor restante que é sujeito a IRS, qual é a percentagem sobre a qual incide? É conforme a tabela normal de IRS mensal?

Obrigada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia!

Estou a ser despedido neste momento e estão a tentar entrar em acordo comigo. Tenho contrato sem termo.

A pessoa que está a negociar comigo, não está a negociar está a impor-me uma situação.

O despedimento, disse-me que era porque a empresa está a fazer ajustes e vai ter que despedir algumas pessoas. O problema é que eles não têm cota para o fundo de desemprego. Entao está a sugerir-me dar 50% do fundo de desemprego, ou seja 9 meses. Eu quero os 18, porque acho que tenho esse direito.

A minha duvida é que ela afirma que é prejudicial por causa do imposto.

O que é tributado nas indeminizações?

Estou ha 5 anos na empresa, e tenho um ordenado base de 1263 €. É o base que entra para a negociação, ou é a media do bruto anual?

Também posso entrar com as horas de formação que nao me foram dadas? São 35 horas por ano certo?

Muito obrigado

Ricardo

4 - Quando, por qualquer forma, cessem os contratos subjacentes às situações referidas nas alíneas a), B) e c) do n.º 1, mas sem prejuízo do disposto na alínea d) do mesmo número, quanto às prestações que continuem a ser devidas mesmo que o contrato de trabalho não subsista, ou se verifique a cessação das funções de gestor público, administrador ou gerente de pessoa colectiva, bem como de representante de estabelecimento estável de entidade não residente, as importâncias auferidas, a qualquer título, ficam sempre sujeitas a tributação:(Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro) a) Pela sua totalidade, tratando-se de gestor público, administrador ou gerente de pessoa colectiva, bem como de representante de estabelecimento estável de entidade não residente;(Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

B) Na parte que exceda o valor correspondente ao valor médio das remunerações regulares com carácter de retribuição sujeitas a imposto, auferidas nos últimos 12 meses, multiplicado pelo número de anos ou fracção de antiguidade ou de exercício de funções na entidade devedora, nos demais casos, salvo quando nos 24 meses seguintes seja criado novo vínculo profissional ou empresarial, independentemente da sua natureza, com a mesma entidade, caso em que as importâncias serão tributadas pela totalidade. (Redacção dada pela Lei n.º 64-B/2011, de 30 de Dezembro)</blockquote>

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia,

e no caso da indemnização exceder o minimo obrigatório, o valor restante que é sujeito a IRS, qual é a percentagem sobre a qual incide? É conforme a tabela normal de IRS mensal?

Obrigada

É conforme a tabela das retenções na fonte.

Quanto maior o valor sujeito a irs, maior a taxa, maior a retenção.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite,

Gostaria se possível que me esclarecessem a seguinte dúvida.

Em Março de 2012 comecei a viver com o meu companheiro e informei a entidade patronal que sem ter feito qualquer pergunta me pediu para assinar 1 documento para passar a efetuar os descontos como "casada".

Passado algum tempo 1 amigo informou-me que a entidade patronal não poderia ter feito isso, pois só é considerada "união de facto" após 2 anos de IRS enviado em conjunto.A entidade onde trabalho não me pediu qualquer documentação e eu não fazia sequer ideia disto.

Como nós nunca enviamos IRS juntos nem temos sequer a mesma morada fiscal, pedi à empresa para voltar a colocar-me como situação de solteira e disseram-me que depois iria ser penalizada quando enviasse o IRS pela situação dos descontos erradamente efetuados.

A pergunta é:

- Mas a entidade patronal não deveria ter pedido documentação comprovativa e ter-me alertado para a situação? Não deverão também ser penalizados?

- Eu vou ser penalizada, em que modos?

Muito obrigada pela atenção.

Atentamente,

Diana Vilarinho

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Então, descontou como casada - 2 titulares e passou novamente para tabela de não casada (solteira), certo?

O engraçado é que se não houverem dependentes, a tabela é igual. Por isso, até pode sem querer as retenções terem sido feitas correctamente na mesma.

Quando falaram em penalização foi no sentido de que ao descontar pela tabela errada, poderia a retenção mensal ser inferior à devida, fazendo com que na liquidação do irs (após entrega da declaração de irs) viesse a ser cobrada uma grande diferença de irs.

Só mais uma opinião, enquanto não se casar mesmo, e mantiver a situação de união de facto, a tabela deve ser sempre a de não casada.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite

fui vítima de um despedimento ilicito.

Ganhei a causa em tribunal.

Vou receber uma indeminização correspondente a um salário por ano de antiguidade.

Os salários respeitantes ao período desde a data do despedimento à à tramitação em julgado.

relativamente a IRS e segurança social, como vou ser tributado?

Sou eu que vou pagar diretamente ou a antiga entidade patronal?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

estou a tres anos a trabalhar numa firma  de segurança e o contrato que era renovavel de 6 em 6 meses caduca este mes e enviaram me uma carta a rescindir o contrato , e nas contas finais querem me fazer um desconto para o irs de 29,5%, e a minha pergunta é a seguinte -  esta percentagem esta correta?

obrigado desde ja pela resposta

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

estou a tres anos a trabalhar numa firma  de segurança e o contrato que era renovavel de 6 em 6 meses caduca este mes e enviaram me uma carta a rescindir o contrato , e nas contas finais querem me fazer um desconto para o irs de 29,5%, e a minha pergunta é a seguinte -  esta percentagem esta correta?

Se o contrato era de 6 meses não pode ter sido renovado ao longo de três anos - segundo o artigo 148º do código do trabalho o contrato pode ser renovado até 3 vezes. Depois ou termina ou passas a efetivo (o que não impede que te despeçam, naturalmente... mas tem outras condições para o despedimento, certifica-te que tens tudo a que tens direito - contacta a Autoridade para as Condições do Trabalho).

Quanto à taxa de retenção na fonte, como há lugar ao pagamento de uma indemnização, é normal que suba um bocado em relação ao normal, sim. Consulta as tabelas de retenção na fonte para o teu caso específico para confirmar o valor. De qualquer forma, se te for retido dinheiro a mais para o ano recebe-lo de volta depois de meteres a declaração de IRS. Se te for retido a menos tens de o pagar para o ano. No fim das contas vai dar  ao mesmo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead