Visitante salvado

Mais Valias Imovel

48 publicações neste tópico

Boa tarde

Gostaria da vossa ajuda a clarificar a seguinte situação:

Pretendo adquirir 2 ª Habitação no valor de 120.000€ (valor escritura) , no entanto a avaliação do banco foi de 190,000€ e não sei qual o valor avaliado pelas  finanças  pois trata-se de um imovel novo. As minhas questões são as seguintes:

1) se comprar a casa por 120.000 e a avaliação das finanças for superior e semelhante á avaliação do banco ( 190.000) terei de pagar alguma taxa por esta diferença ou cabe ao vendedor.

2) se mais tarde quiser vender a casa as mais valias a pagar são respeitantes ao valor da escritura ou ao valor definido nas finanças ( supostamente mais alto). e como efectuar o calculo?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1) Como se trata do comprador, as únicas preocupações que deve ter pelo facto do valor patrimonial tributário poder vir a ser mais alto que o da aquisição, são o IMT e o IMI.

O IMT porque esse facto pode originar acertos de IMT a pagar.

O IMI, no sentido que a taxa anual vai incidir sobre o valor patrimonial tributário... e caso seja intenção pedir isenção de IMI, essa diferença de valores pode influenciar nos anos de isenção.

De resto, assim de repente, não vejo mais nada...

2) As mais valias é a diferença entre o preço de venda e o preço de compra (actulizado pelo coeficiente da desvalorização da moeda). Mas caso o valor patrimonial tributário para efeitos de IMT seja superior ao valor da compra, é este que contará para apuramento da mais valia. Assim como o valor da venda para o apuramento não poderá ser inferior ao valor patrimonial tributário à data da venda.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Comprei uma casa em Cascais em 1966 e um apartamento em Lisboa em 1980

Pretendo vender ambos os imoveis.

Quanto terei que pagar de mais valias?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Recebi por herança um apartamento em 2007 por falecimento da minha avó.

Em Agosto vendi o apartamento.

Neste momento tenho habitação própria, mas estou a pensar em adquirir outra habitação dentro de três anos (que passará a ser a habitação própria, no entanto deverei manter a minha habitação actual).

A minha dúvida é:

- Devo na declaração do IRS para o próximo ano declarar a venda? Ou posso declarar só dentro de três anos?

- Se por alguma vicissitude não puder comprar casa dentro de três anos terei apenas de pagar a mais-valia ou terei algum agravamento?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Recebi por herança um apartamento em 2007 por falecimento da minha avó.

Em Agosto vendi o apartamento.

Neste momento tenho habitação própria, mas estou a pensar em adquirir outra habitação dentro de três anos (que passará a ser a habitação própria, no entanto deverei manter a minha habitação actual).

A minha dúvida é:

- Devo na declaração do IRS para o próximo ano declarar a venda? Ou posso declarar só dentro de três anos?

- Se por alguma vicissitude não puder comprar casa dentro de três anos terei apenas de pagar a mais-valia ou terei algum agravamento?

Obrigado

A venda tem de ser declarada na declaração de irs do ano da venda.

Agora, o que pretende saber é se pode ser aceite como reinvestimento a compra de uma futura habitação permanente nos próximos 3 anos, para abatimento da mais valia do apartamento, certo?

A resposta é não, porque o apartamento que vendeu não era a sua habitação própria e permanente.

Se em vez do apartamento herdado, fosse vendida a sua habitação (onde realmente habita e tem morada fiscal), aí sim poderia declarar a intenção de reinvestir o valor da venda nos próximos 3 anos noutra habitação própria e permanente.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vendi uma casa em 2010 e estou a construir outra, mas neste momento está parada por causa do banco. A minha dúvida e ninguém me sabe explicar é. Se tenho que acabar a casa para não pagar maisvalias em 2 ou 3 anos ou seja se tenho que declarar no IRS este ano ou em 2013 .nas finanças já me disseram duas versões uma que conta o Outubro de 2010 a Outubro de 2012 outros que conta de Outubro 2010 a Outubro de 2013. Gostaria que alguém me dissesse ao certo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

5 - São excluídos da tributação os ganhos provenientes da transmissão onerosa de imóveis destinados a habitação própria e permanente do sujeito passivo ou do seu agregado familiar, nas seguintes condições:

a) Se, no prazo de 36 meses contados da data de realização, o valor da realização, deduzido da amortização de eventual empréstimo contraído para a aquisição do imóvel, for reinvestido na aquisição da propriedade de outro imóvel, de terreno para a construção de imóvel, ou na construção, ampliação ou melhoramento de outro imóvel exclusivamente com o mesmo destino situado em território português ou no território de outro Estado membro da União Europeia ou do espaço económico europeu, desde que, neste último caso, exista intercâmbio de informações em matéria fiscal; 

(Redacção dada pela Lei n.º 64-A/2008, de 31 de Dezembro)

B) Se o valor da realização, deduzido da amortização de eventual empréstimo contraído para a aquisição do imóvel, for utilizado no pagamento da aquisição a que se refere a alínea anterior desde que efectuada nos 24 meses anteriores;

(Redacção dada pela Lei n.º 64-A/2008, de 31 de Dezembro).

c) Para os efeitos do disposto na alínea a), o sujeito passivo deverá manifestar a intenção de proceder ao reinvestimento, ainda que parcial, mencionando, na declaração de rendimentos respeitante ao ano da alienação, o valor que tenciona reinvestir;

d) (Revogada pelo DL 211/2005-07/12).

6 - Não haverá lugar ao benefício referido no número anterior quando: a) Tratando-se de reinvestimento na aquisição de outro imóvel, o adquirente o não afecte à sua habitação ou do seu agregado familiar, até decorridos seis meses após o termo do prazo em que o reinvestimento deva ser efectuado;

B) Tratando-se de reinvestimento na aquisição de terreno para construção, o adquirente não inicie, excepto por motivo imputável a entidades públicas, a construção até decorridos seis meses após o Termo do prazo em que o reinvestimento deva ser efectuado ou não requeira a inscrição do imóvel na matriz até decorridos 24 meses sobre a data de inicio das obras, devendo, em qualquer caso, afectar o imóvel à sua habitação ou do seu agregado familiar até ao fim do Quinto ano Seguinte ao da realização;

c) Tratando-se de reinvestimento na construção, ampliação ou melhoramento de imóvel, não sejam iniciadas as obras até decorridos seis meses após o termo do prazo em que o reinvestimento deva ser efectuado ou não seja requerida a inscrição do imóvel ou das alterações na matriz até decorridos 24 meses sobre a data do início das obras, devendo, em qualquer caso, afectar o imóvel à sua habitação ou do seu agregado familiar até ao fim do quinto ano seguinte ao da realização.

O reinvestimento é no prazo de 36 meses (declarando em cada um dos anos seguintes o valor que foi reinvestindo), mas a inscrição do imóvel tem de ser feito até 24 meses depois do inicio das obras.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Apareceu uma pessoa interessada em comprar a nua-casa, para habitação futura,de uma casa que me foi doada e de que o meu pai ainda é usufrutuário, embora sem a habitar, pois está num Lar. Como vivo bastante longe do imóvel e não posso alugá-lo nem necessito de o habitar, estou disposta a vendê-lo pelo preço da recente avaliação. O imóvel tem 50 anos, foi avaliado em 2012, em €55.330,00, mas aquando da doação, foi-lhe atribuído o valor  de € 1.379,36. Desejo saber como faço o cálculo das mais-valias que terei de pagar.

Agradecida pela atenção que me possa ser dispensada.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Somo três irmãos, herdamos em 2009 um imóvel com valor patrimonial de 11.452,86, que dá a cada um 3.817,62 (1/3). em 2011 fizemos escritura em nosso nome (dos tres herdeiros), tendo o imovel sido avaliado pelas finanças em 86.030,00, ficando cada um com 28.676,66 (1/3). Em 2012, um dos irmãos ficou com o imóvel, pelo valolr de 75.000,00, tendo pago 25.000,00 a cada um dos outros. Qual o valor que devem os vendedores declarar para mais-valias? 1/3 do valor patrimonial (28.676,66) ou 1/3 do valor da venda (25.000,00).

Obrigado.

Coata Marques

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

boa noite, comprei uma loja/fracção através de leilão electronico das finanças( venda judicial) em junho de 2013, por 15000€, no entanto o valor patrimonial neste momento é de 125000€. O IMT liquidado e declarado pela finanças foi efectivamente os 15000€, se pretendesse vender o imóvel neste momento por 80000€, qual seria o valor a ter em conta para pagamento das mais valias? o valor real de aquisição ou o valor patrimonial?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

boa noite, comprei uma loja/fracção através de leilão electronico das finanças( venda judicial) em junho de 2013, por 15000€, no entanto o valor patrimonial neste momento é de 125000€. O IMT liquidado e declarado pela finanças foi efectivamente os 15000€, se pretendesse vender o imóvel neste momento por 80000€, qual seria o valor a ter em conta para pagamento das mais valias? o valor real de aquisição ou o valor patrimonial?

80.000 - 15.000 - IMT - (outros custos documentados)

(noutros custos inclui-se, por exemplo, a comissão paga a uma imobiliária que seja intermediária da venda do imóvel, custos de escritura e registo ou obras de recuperação do imóvel)

Metade deste valor é englobado na declaração de IRS e sujeito a imposto (sendo um montante elevado é provável que dê direito a subidas de escalão e a uma taxa de imposto bastante razoável).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

  Boa tarde  Gostaria de ter a vossa ajuda de forma a conseguir tirar as minhas duvidas sobre o que passo a expôr:  Em 2008 divorciei-me (era casada em regime de comunhão de adquiridos). No divorcio ficou definido que a propriedade e responsabilidade sobre os 2 imóveis do casal ficariam para o meu ex-marido, mas isto consta apenas na sentença de divorcio e nunca fizemos qualquer escritura.  Por dificuldades em cumprir as obrigações com o pagamento dos empréstimos foi negociado e aceite pelo banco a dação dos imóveis.  No inicio de 2013, um dos imóveis que tinha sido adquirido em 1999 por 50.000€, foi entregue ao banco por 41.000€.  Mais recentemente, foi igualmente entregue ao banco por dação o segundo imovel cujo ´"histórico" passo a descrever:  Em 2001 foram contraídos em simultaneo, 2 empréstimos: 65.000€ para aquisição do imovel e 40.000€ para obras. Nos 2 anos seguintes foram feitos reforços ao empréstimo para obras.  No final de 2003 a obra estava concluida, o prédio, inicialmente com um piso, passou a ter 2 pisos e a area util duplicou. Foram actualizados os registos do imovel e o valor patrimonial passou de 20.000€ para 199.000€.  Na negociação com o banco o prédio foi avaliado por 305.000€ e a escritura de dação lavrada por esse montante, tendo ficado ainda um crédito de 25.000€.  Perante este cenário, surgem as minhas duvidas relativamente a este 2º imovel:  - Como são calculadas as mais valias? partindo do valor inicial de compra ou do VP depois das obras?  - Que influência tem no calculo o facto de todo o valor da "venda" ter ido amortizar o empréstimo? - As prestações pagas ao longo do anos para amortização dos créditos também entram no cálculo? - As menos valias do 1º imóvel subtraem à mais valias do 2º? - Tenho que preencher o anexo G ou, atendendo à sentença de divorcio só o meu ex-marido é que vai declarar a "venda"?  - Relativamente ao crédito restante de 25.000€ é possivel separá-lo de forma a que cada um de nós fique responsável pela sua quota?  Ao tentar esclarecer estas duvidas fiz várias perquisas e encontrei:  artº 268º do CIRE  Benefícios relativos a impostos sobre o rendimento das pessoas singulares e colectivas  1 – As mais-valias realizadas por efeito da dação em cumprimento de bens do devedor e da cessão de bens aos credores estão isentas de impostos sobre o rendimento das pessoas singulares e colectivas, não concorrendo para a determinação da matéria colectável do devedor.    - Esta norma ainda está em vigor? pode aplicar-se ao meu caso ou só é aplicavel em caso de insolvências?  Fico a aguardar o vosso esclarecimento  Obrigada    Maria

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Necessito de ajuda sobre a venda de um imóvel e compra de outro. Em 2009 comprei um apartamento por 86mil euros para o qual pedi empréstimo de apenas 62mil. Agora em 2013 vou vendê-lo exatamente pelo valor de compra, 86mil euros, e comprar outro por 150mil. Entretanto amortizei 11mil euros, pelo que neste momento devo apenas 51mil euros. A minha questão é a seguinte, uma vez que não vou ter lucro na venda, posso reinvestir apenas 30 mil euros, em vez de 35 mil, sem ter de pagar nada? Grata pela atenção

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Necessito de ajuda sobre a venda de um imóvel e compra de outro. Em 2009 comprei um apartamento por 86mil euros para o qual pedi empréstimo de apenas 62mil. Agora em 2013 vou vendê-lo exatamente pelo valor de compra, 86mil euros, e comprar outro por 150mil. Entretanto amortizei 11mil euros, pelo que neste momento devo apenas 51mil euros. A minha questão é a seguinte, uma vez que não vou ter lucro na venda, posso reinvestir apenas 30 mil euros, em vez de 35 mil, sem ter de pagar nada? Grata pela atenção

Não tens de pagar mais em imposto, mas tens de pagar mais em juros sobre os 5.000€ que vais ter de pedir a mais ;)

Mesmo que tivesses mais valias, nada te obrigava a reinvestir... claro que depois poderias pagar mais ou menos impostos em função disso...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É verdade, mas prefiro usar os 5mil euros para a escritura e outras despesas e não mexer na poupança. Grata pela ajuda

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pretendo conprar uma abitaçao ate cem mil euros tenho que pagar mais valias e que mais inpostos tenho a pagar

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pretendo conprar uma abitaçao ate cem mil euros tenho que pagar mais valias e que mais inpostos tenho a pagar

Podes fazer mais valias quando vendes uma casa. Certamente não tens por comprares uma.

Com a compras terás de pagar IMT e algum imposto de selo associado às escrituras do imóvel. Depois, todos os anos há o IMI. Mesmo que não recorras ao crédito, a maior parte dos bancos tem simuladores nos seus sites que te permitem calcular facilmente estes impostos em função do valor do imóvel...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite,

Solicito a vossa ajuda. Em 2002 adquiri um imóvel por 120 000€ com recurso ao credito no valor de 90 000€ para habitação própria permanente. Em 2009 vendi esse imóvel por 150 000€ e liquidei o emprestimo no valor de 57 500€. Tenho que pagar mais-valias, sabendo que fiz um reinvestimento de 105 000€ para a mesma finalidade?

O valor valor realização que pretende reinvestir(sem recurso a crédito)=150 000€?Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Solicito a vossa ajuda. Em 2002 adquiri um imóvel por 120 000€ com recurso ao credito no valor de 90 000€ para habitação própria permanente. Em 2009 vendi esse imóvel por 150 000€ e liquidei o emprestimo no valor de 57 500€. Tenho que pagar mais-valias, sabendo que fiz um reinvestimento de 105 000€ para a mesma finalidade?

O valor valor realização que pretende reinvestir(sem recurso a crédito)=150 000€?

Não fiz as contas (até porque é preciso o factor de atualização para as vendas feitas em 2009) mas creio que só pela venda terias imposto a pagar sim.

Mas deves certamente ter declarado essa venda na declaração de rendimentos de 2010, não?

SE o imóvel vendido era para habitação própria e permanente (a tua morada fiscal), SE o novo imóvel tiver sido adquido para o mesmo fim e SE tiveres declarado na altura que estavas a pensar fazer o reinvestimento, então não haverá lugar ao pagamento de qualquer imposto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Gostaria de esclarecer algumas questões sobre mais-valias:

Vendi a minha casa de habitação permanente em 2012

Valor patrimonial (autoconstrução) 30.000

Valor venda 92.000

Empréstimo que liquidei 82.000

Declarei no IRS de 2013 a venda no modelo G, a mais-valia apurada mais os nossos rendimentos normais cerca de 30.000 anuais, dava uma liquidação de 6000 de imposto a pagar. Dado que estamos a construir uma nova habitação declarei que pretendia reinvestir 8000. Não consegui entender como com 10000 de mais-valia, se só é tributada em 50%, como tereia de pagar tanto IRS?

Quais as despesas consideradas reinvestimento?

Obrigada

Julia

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde, sou proprietário de uma casa contudo pretendo comprar uma outra casa e só depois vender a que tenho. Os preços de ambas as casas rondam o mesmo valor.Como funciona esta situação em relação às mais valias? Sei que se vendesse a actual para comprar outra do mesmo preço não teria de pagar mas nesta situação inversa não sei exactamente como funciona.Qualquer informação/esclarecimento é muito bem vindo e antecipadamente agradeço.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde, sou proprietário de uma casa contudo pretendo comprar uma outra casa e só depois vender a que tenho. Os preços de ambas as casas rondam o mesmo valor.Como funciona esta situação em relação às mais valias? Sei que se vendesse a actual para comprar outra do mesmo preço não teria de pagar mas nesta situação inversa não sei exactamente como funciona.Qualquer informação/esclarecimento é muito bem vindo e antecipadamente agradeço.

Em primeiro lugar, é preciso chamar a atenção para o facto de que essa isenção de tributação sobre as mais valias só se aplica se ambos os imóveis forem para habitação própria e permanente do proprietário. Ou seja, para evitar chatices, convém que a morada fiscal fique na casa antiga até ao ano da venda.

É possível ficar isento da tributação se a receita da venda tiver sido investida (fora o recurso ao crédito) na compra de outra casa até dois anos antes da venda.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite,

Os meus pais são ambos residentes no estrangeiro (França) e no ano de 2013 venderam uma vivenda  (por 100 mil euros) e adquiriram um apartamento por um valor superior (150 mil).

A questão prende-se com o facto de terem recebido uma carta das finanças para declararem o IRS de 2013 devido a essa venda.

Nas finanças exigem um valor absurdo de mais-valias o que é totalmente falso visto que no próprio dia reinvestiram o dinheiro.

A minha questão é:

- Os emigrantes têm um regime diferente dos residentes em território nacional?

- Reinvestiram o dinheiro da venda. Efetuar uma compra não anula as mais-valias (visto que não houve nenhuma)?

Ajudem-me!

Para mais esclarecimento contactem-me, terei todo o gosto em responder para me esclarecerem melhor sobre este assunto.

Obrigada,

Sandra

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Os meus pais são ambos residentes no estrangeiro (França) e no ano de 2013 venderam uma vivenda  (por 100 mil euros) e adquiriram um apartamento por um valor superior (150 mil).

A questão prende-se com o facto de terem recebido uma carta das finanças para declararem o IRS de 2013 devido a essa venda.

Nas finanças exigem um valor absurdo de mais-valias o que é totalmente falso visto que no próprio dia reinvestiram o dinheiro.

A minha questão é:

- Os emigrantes têm um regime diferente dos residentes em território nacional?

- Reinvestiram o dinheiro da venda. Efetuar uma compra não anula as mais-valias (visto que não houve nenhuma)?

Alguns conceitos primeiro:

* declarar é dizer que se vendeu. A venda de um imóvel é de declaração obrigatória, mesmo que se venda com prejuízo

* mais valias é o mesmo que dizer lucro. Equivale a dizer que se vendeu por um preço superior àquele por que se comprou (corrigido para os nossos dias). Não é o dinheiro pelo qual se vendeu o imóvel mas sim (simplificando) a diferença entre o valor da venda e o valor da compra.

* as mais valias, como qualquer outro rendimento ou lucro, estão sujeitas a imposto. No caso concreto das mais valias por venda de imóveis, o fisco só tributa metade do valor da mais-valia (simpático, não?)

* se o imóvel era habitação própria e permanente e se o valor da mais valia for investido na compra de outra habitação própria e permanente (e só nesse caso), as mais valias não são tributadas.

Pelo que percebi, os teus pais não declararam a venda do imóvel na declaração de IRS, como estão obrigados a fazer.

Para além disso, se são emigrantes, quer dizer que não era a habitação própria e permanente deles. Logo, não estão isentos de tributação por reinvestirem o dinheiro. Resta saber é se houve ou não mais valias (para isso era preciso saber o valor de aquisição)

Para mais esclarecimento contactem-me, terei todo o gosto em responder para me esclarecerem melhor sobre este assunto.
Acho sempre alguma piada a comentários como este - não deixam qualquer contacto (não que eu recomende que o façam - acho que os contactos pessoais não se devem publicar assim sem mais nem menos), não se inscrevem no site... e depois pedem que os contactem. É suposto sermos adivinhos? :)
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que acontece se :

Vende-se um imóvel habitação própria em 2001 e compra-se novo para habitação própria nesse mesmo ano.  Durante quantos anos se tem de guardar comprovativo de pagamento de IMT (mais valias). E se não tiverem sido declaradas quantos anos tem o fisco para solicitar a regularização/verificação? Aplica-se a norma dos 4 anos como para restante IRS?

Atenciosamente

Manel

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor