Cpintovng

Nova avaliação IMI, aumento de 240 euros

27 publicações neste tópico

O meu apartamento passou de 51000 para 71500 euros de valor patrimonial...um aumento na ordem dos 240 euros...já me dirigi ás finanças porque na nova avaliação refere 11 anos e o prédio tem 14...fiz escritura em nov de 99 e já o comprei usado com quase dois anos segundo me disso o dono de então que já la morava..na caderneta predial esta registado em 1998....contudo a senhora das finanças disse que o que interessava era que o prédio só tinha sido registado em 2000 nas finanças (não faço a menor ideia do motivo)..e que este dado era o que contava...acham que isto é assim? valera a pena reclamar? outro ponto que vem na avaliação é nos elementos de qualidade e conforto refere "garagem individual" e eu tenho lugar de garagem e não individual...a senhora das finanças disse que não valia a pena reclamar e que tinha que pagar 200 euros de multa caso a nova avaliação fosse igual ou superior.Mas vi perfeitamente que a Sra funcionaria estava perfeitamente a marimbar-se para aquilo queria era despachar-me.,..valera a pena reclamar pela idade do prédio'? não me parece justo um prédio habitado há 14 anos estar registado como tendo 11.

Quem tiver algum conhecimento ou experiência nesta área desde já agradeço a resposta.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Existe um simulador no portal das finanças, que pode utilizar com os dados que diz serem os correctos, para ter uma ideia das diferenças que possam haver. E com base nisso e noutros testemunhos decidir se segue com a reclamação ou não.

http://www.e-financas.gov.pt/SIGIMI/default.jsp

Quanto ao valor de aumento de imi que diz ser de 240 euros... Eu não sei como fez as contas ou se me está a escapar algo. Mas pensando eu que se trata da avaliação geral dos prédios que as finanças estão a fazer durante este ano a prédios com avaliação anterior à entrada do CIMI... penso que o aumento não será assim. Além de que está previsto aumentos faseados do IMI devido a esta avaliação geral.

Digo isto, porque os prédios que não estavam avaliados ao abrigo do CIMI, tinham uma taxa agravada em relação aos prédios avaliados pelo CIMI.

Em 2011, as taxas para os tais prédios avaliados antes do CIMI iam de 0,4 a 0,7%.

Em 2012, as taxas para os prédio avaliados pelo CIMI vão de  0,3 a 0,5%.

Se o seu municipio aplicou e vai aplicar a taxas máxima, então...

Em 2011 = 51000 x 0,7% = 357,00

Em 2012 = 71500 x 0,5% = 357,50

Mesmo num exemplo mais pessimista (aplicarem a taxa minima em 2011 e a maxima em 2012)...

Em 2011 = 51000 x 0,4% = 204,00

Em 2012 = 71500 x 0,5% = 357,50

Nem assim daria uma diferença tão grande.

Este guia, disponibilizado pela AT, ajuda a perceber a avaliação geral.

http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/B3A456A1-0D69-419A-AEEF-CC95A5EF72E8/0/Avaliacao_predios_urbanos.pdf

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

da 240 euros de aumento...pagava 364,66, vou passar a pagar 603 (238 euros mais coisa menos coisa), se este aumento é faseado já é uma boa noticia que me da.

O meu município é canidelo, Gaia... já fiz a simulação e deu-me um valor semelhante aos 71510 desta avaliação...

o que me preocupa é que a idade do predio vem como 11 anos e é mentira..tem 14 e apesar de agora o coeficiente ser o mesmo (0,85) para 2014 ja ultrapassa.

Não sei se devo de reclamar com base nisto..é incrivel o roubo que estão a fazer porque o valor patrimonial esta acima do valor de mercado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O documento que coloquei na última mensagem tem lá a explicar como se processa o aumento... que está limitado nos primeiros anos (imi 2012 e 2013).

Confesso que ainda não entendi como chegou aos 603 euros com base nos 71500 da avaliação.

Pode dizer-me que taxa está a aplicar? e que taxa foi aplicada em 2011?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

da 240 euros de aumento...pagava 364,66, vou passar a pagar 603 (238 euros mais coisa menos coisa), se este aumento é faseado já é uma boa noticia que me da.

O meu município é canidelo, Gaia... já fiz a simulação e deu-me um valor semelhante aos 71510 desta avaliação...

o que me preocupa é que a idade do predio vem como 11 anos e é mentira..tem 14 e apesar de agora o coeficiente ser o mesmo (0,85) para 2014 ja ultrapassa.

Não sei se devo de reclamar com base nisto..é incrivel o roubo que estão a fazer porque o valor patrimonial esta acima do valor de mercado.

Já tiva uma carta semelhante em minha posse e se existe algum erro, deves levar a escritura e a caderna perdial, e reclamar da avaliação. Caso as finanças digam que o que está no sistema deles é o correcto, pede a comparência do chefe do Serviço de Finanças.

Retirado do guia fiscal existente na internet:

[table][tr][td]Como se pode reclamar da avaliação de um prédio urbano?[/q][/t][table][tr][td]Concluída a avaliação e fixado o valor patrimonial tributário de prédio urbano, o respectivo titular ou o alienante, se não concordarem com o valor obtido, podem requerer uma segunda avaliação, no prazo de 30 dias contados da data em que tenham sido notificados desse valor.O pedido deve ser feito em requerimento dirigido ao chefe de finanças do Serviço de Finanças da localização do prédio.No mesmo prazo, a Câmara Municipal e o chefe de finanças da área da situação do prédio urbano podem, respectivamente, requerer ou promover uma segunda avaliação.Nota: Informação elaborada com base na legislação em vigor /Junho2011[/t]Em relação ás multas, pergunta se existe alguma coima (eles nas finanças são obrigados a prestar-te informação correcta.

Estou a dizer essa informação porque estou a confiar no meu advogado. No outro dia fui lá, por causa de outro assunto, e o advogado, no meio da conversa, disse que teve de ir ás finanças porque também existia um erro no sistema deles. Como despacharam o seu cliente, foi lá ele apresentar a escritura e a caderneta perdial... Ficou tudo resolvido.

O meu avô tambem recebeu uma carta dessas, e agora vou eu a casa dele um dia destes para ver se ele tem a informação correcta... só para ter a certeza.

Não sei se tem aqui a resposta à sua questão: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/guia_fiscal/imi/

Cumps

[/td][/tr][/table][/td][/tr][/table]

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

a senhora que me atendeu e eu disse que tinha a caderneta predial não quis saber da caderneta predial para nada...eu disse-lhe que estava registado na data de 98 na caderneta...mas não adiantou

o valor patrimonial anterior do meu apartamento era de segundo o ultimo recibo no valor de 182,33€ era de 52,094 euros e não 51 mil conforme disse por engano

Caso peça uma 2 avaliação se for de montante igual ou superior tenho que pagar 202 euros

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O documento que coloquei na última mensagem tem lá a explicar como se processa o aumento... que está limitado nos primeiros anos (imi 2012 e 2013).

Confesso que ainda não entendi como chegou aos 603 euros com base nos 71500 da avaliação.

Pode dizer-me que taxa está a aplicar? e que taxa foi aplicada em 2011?

sinceramente não sei a taxa..não diz nada na avaliação acerca da taxa...diz que foi atribuido o valor patrimonial abaixo descrito nos termos do art 38 e seguintes do CIMI e do art 15-D do DL 287\2003 de 12\11 na redacção dada pela lei nº 60-A/2011 de 30/11

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

a senhora que me atendeu e eu disse que tinha a caderneta predial não quis saber da caderneta predial para nada...eu disse-lhe que estava registado na data de 98 na caderneta...mas não adiantou

o valor patrimonial anterior do meu apartamento era de segundo o ultimo recibo no valor de 182,33€ era de 52,094 euros e não 51 mil conforme disse por engano

Caso peça uma 2 avaliação se for de montante igual ou superior tenho que pagar 202 euros

São sempre situações chatas, mas tente levar consigo a caderneta perdial (e a escritura) em vez de dizer que a tem. Dizer que tem, ou ter e mostrar na hora são casos bem diferentes.

Fui à internet e não encontrei nenhuma coisa, mas claro, essas coisas as finanças gostam sempre de ocultar.

Porque não contactar a linha das finanças? terá de certeza absoluta esclarecimentos correctos.

Cumps

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Quando fui as finanças levava comigo a caderneta predial e disse-lhe... ela é que me disse que não valia a pena..de qualquer maneira vou seguir o seu conselho e insistir

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

sinceramente não sei a taxa..não diz nada na avaliação acerca da taxa...diz que foi atribuido o valor patrimonial abaixo descrito nos termos do art 38 e seguintes do CIMI e do art 15-D do DL 287\2003 de 12\11 na redacção dada pela lei nº 60-A/2011 de 30/11

Pois, é como lhe expliquei na primeira mensagem...

Você estava a pagar 0,7% de IMI.

52094 x 0,7% = 364,66 / Ano de IMI

Agora como o apartamento já está avaliado nos termos do CIMI, o máximo que lhe podem cobrar é:

O valor da nova avaliação é 71500, certo? Então...

71500 x 0,5% = 357,50 / Ano de IMI

Ainda vai baixar o valor :)

Mas claro que isto não o impede, caso assim queira, reclamar a avaliação...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ma...na parte final da minha avaliação refere:

Vt              Vc              x      A      x      Ca    x      CI    x    Cq    x      Cv

71510      603,00

sendo que Vc= Valor base dos prédios edificados...    eu pensei que este valor ( o tal de 603)fosse a quantia anual que iria passar a pagar....

Estou completamente baralhado não é?.

Então isto quer dizer que eu ainda não sei qual o valor que corresponde ao Vt (71.510,00)? que segundo a formula que colocou aqui ainda pode é baixar?

Muito obrigado pela sua paciência, mas você esta-me a ser mais útil que a Srª das finanças a que me dirigi...muito obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia,

Em relação ao calculo do IMI, penso que o senhor que o atender nas finanças é obrigado a fazer o calculo à sua frente (e a explicar donde vem os valores e etc).

Em relação à coima, penso que ela, ou não existe para o seu caso, ou pode ser contestada, pois o senhor apenas está a rectificar um valor incorrecto (e não a pedir uma segunda avaliação).

Cumps

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, está um bocado baralhado  :)

Se reparar no simulador que lhe indiquei, tem lá uma parte que aparece esses 603 (por m2), ou seja, deve ser tipo ... atribuiram um valor de 603€ por m2 de construção na sua zona, de forma a determinar o valor patrimonial. E então nessa nota demonstrativa estão a explicar como chegaram ao valor de 71500.

O IMI é calculado aplicando uma taxa ao valor patrimonial.

E como lhe disse anteriormente, a esse valor patrimonial determinado agora em 2012, é aplicado uma taxa que tem o seu limite máximo em 0,5%. A sua camara municipal em assembleia é que vai determinar que taxa aplicar no ano de 2012. Mas o intervalo dessa taxa é de 0,3 até 0,5%.

Por isso, o máximo que lhe pode custar o imi é: 71500 x 0,5% = 357,50.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Muito obrigado pela paciência e pela excelente explicação.

Cumprimentos. Ja estou mais satisfeito.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Em seguimento da vossa conversa, eu pergunto o seguinte:

Eu este ano(2012) paguei 213€ de IMI (valor patrimonial=30.568€) com taxa de 0.7%, agora a avaliação geral foi feita com o (valor patrimonial de 32.570€), se a taxa máxima que se pode aplicar é de 0.5%, pelas contas que faço  para o ano(2013)vou pagar cerca de 163€, estou a achar um pouco estranho o valor do IMI baixar.Se fosse possivel agradecia um esclarecimento.

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É estranho, mas realmente pode acontecer.

No seu caso o aumento do valor patrimonial é ultrapassado pela baixa da taxa.

Mas há casos em que o valor patrimonial sobe imenso, e mesmo com a baixa da taxa, o imi aumenta.

As diferenças de taxas deviam-se ao facto de quererem distinguir as avaliações feitas antes da entrada do cimi e as avaliações feitas depois. Era como uma penalização para os prédios avaliados antes do cimi.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas,

Já agora, o senhor diz que a taxa a partir deste ano vai de 0.3% a 0.5% no máximo, mas eu estive a ver o site da Deco e diz o seguinte:

- Os imóveis com valor patrimonial tributário definido antes de 2004,sem processo de avaliação iniciado antes de 2012, serão alvo de reavaliação ao longo deste ano. Esta terá efeitos no IMI a pagar em 2013.

O coeficiente de localização, um dos critérios com maior impacto na avaliação de imóveis no âmbito do SIGIMI, o atual sistema de avaliação, foi agravado. O anterior intervalo, que variava entre 0,4 e 2, passa a ter um máximo de 3,5. Pode ser reduzido para 0,35 nas habitações dispersas no meio rural.

- As taxas também crescem: nos imóveis urbanos com valor patrimonial tributário fixado antes de 2004, sobem de 0,4% a 0,7% para 0,5% a 0,8%; nos avaliados a partir dessa data, os intervalos atingem 0,3 a 0,5 por cento. Por exemplo, uma casa com valor patrimonial de 100 mil euros e uma taxa de 0,4% paga cerca de € 400 de IMI. Com esta revisão, e, caso o município aplique a taxa máxima de 0,5%, a fatura será agravada em € 100, a partir de 2013.

Neste parágrafo diz que sobem de 0,5% a 0,8%, porquê?

(As taxas também crescem: nos imóveis urbanos com valor patrimonial tributário fixado antes de 2004, sobem de 0,4% a 0,7% para 0,5% a 0,8%).

Como é que eu sei se a minha avaliação foi feita antes ou depois da entrada do CIMI.

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

"- As taxas também crescem: nos imóveis urbanos com valor patrimonial tributário fixado antes de 2004, sobem de 0,4% a 0,7% para 0,5% a 0,8%; nos avaliados a partir dessa data, os intervalos atingem 0,3 a 0,5 por cento."

Diz, porque para prédios cuja ultima avaliação foi feita antes da entrada do cimi (2004) têm uma taxa agravada, e essas taxas subiram de 0,4 a 0,7 para 0,5 a 0,8.

Os que sofreram uma avaliação depois, já com as regras do imi, de 0,3 a 0,5.

Como é que eu sei se a minha avaliação foi feita antes ou depois da entrada do CIMI.

 

Resposta:

Boa tarde,

Em seguimento da vossa conversa, eu pergunto o seguinte:

Eu este ano(2012) paguei 213€ de IMI (valor patrimonial=30.568€) com taxa de 0.7%, agora a avaliação geral foi feita com o (valor patrimonial de 32.570€), se a taxa máxima que se pode aplicar é de 0.5%, pelas contas que faço  para o ano(2013)vou pagar cerca de 163€, estou a achar um pouco estranho o valor do IMI baixar.Se fosse possivel agradecia um esclarecimento.

Obrigado

Avaliação geral em 2012 = regras do cimi.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ok...agora já estou esclarecido!

Obrigado 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

"- As taxas também crescem: nos imóveis urbanos com valor patrimonial tributário fixado antes de 2004, sobem de 0,4% a 0,7% para 0,5% a 0,8%; nos avaliados a partir dessa data, os intervalos atingem 0,3 a 0,5 por cento."

Diz, porque para prédios cuja ultima avaliação foi feita antes da entrada do cimi (2004) têm uma taxa agravada, e essas taxas subiram de 0,4 a 0,7 para 0,5 a 0,8.

Os que sofreram uma avaliação depois, já com as regras do imi, de 0,3 a 0,5.

Resposta:

Avaliação geral em 2012 = regras do cimi.

O meu apartamento passou de 51000 para 71500 euros de valor patrimonial...um aumento na ordem dos 240 euros...já me dirigi ás finanças porque na nova avaliação refere 11 anos e o prédio tem 14...fiz escritura em nov de 99 e já o comprei usado com quase dois anos segundo me disso o dono de então que já la morava..na caderneta predial esta registado em 1998....contudo a senhora das finanças disse que o que interessava era que o prédio só tinha sido registado em 2000 nas finanças (não faço a menor ideia do motivo)..e que este dado era o que contava...acham que isto é assim? valera a pena reclamar? outro ponto que vem na avaliação é nos elementos de qualidade e conforto refere "garagem individual" e eu tenho lugar de garagem e não individual...a senhora das finanças disse que não valia a pena reclamar e que tinha que pagar 200 euros de multa caso a nova avaliação fosse igual ou superior.Mas vi perfeitamente que a Sra funcionaria estava perfeitamente a marimbar-se para aquilo queria era despachar-me.,..valera a pena reclamar pela idade do prédio'? não me parece justo um prédio habitado há 14 anos estar registado como tendo 11.

Quem tiver algum conhecimento ou experiência nesta área desde já agradeço a resposta.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia, estou confuso,

Tenho um apartamento em Sacavém, fica encostado á Quinta do Mocho (bairro social e muito problemático) , é um Quarto andar, que equivale a um Quinto, sem elevador, o prédio tem 31 anos, o prédio tem infiltrações (esgotos e canalizações no limite) , não é pintado a anos, vê-se a marca dos tijolos do lado da Rua, tenho a caderneta tal como a outra Srª, que diz “Valor patrimonial actual 34.760,10€ Determinado no ano:2009” e agora recebo uma carta das finanças a dizer que a nova avaliação são 85.000€, estes fulanos estão completamente doidos, vou a uma Imobiliária e eles dizem no sitio que é e a casa que é nunca mais de 50.000, porque tem casas com Obras feitas a pedir 60.000 e estão a mais de um ano para vender ….. não sei o que faça….

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

bem que as coisas para o proximo ano vão ficar terriveis é uma verdade e para provar vejam esta nota de ultima hora:É fatal e incontornável: no próximo ano, a maioria dos contribuintes será chamada a pagar mais impostos. A dúvida é saber quais e por quanto mais, embora já haja algumas situações em relação às quais os portugueses já estão de sobreaviso.

Um dos casos de agravamento mais evidente é o IMI. Para cerca de 70% dos proprietários do País, 2013 será o ano em que a factura começará a doer. A causa está na reavaliação geral dos imóveis, mas também no facto de o Governo ter decidido dar liberdade aos municípios para aumentarem as taxas imposto. Em média, segundo as contas do Negócios, cada proprietário de prédios que não foram transmitidos de 2004 em diante, verá a sua factura duplicar.

Em matéria de IRS, 2013 será o ano em que se perceberá o que significaram as tesouradas nas deduções à colecta de despesas como a saúde, educação ou crédito á habitação: embora os trabalhadores dependentes e os pensionistas já estejam a fazer retenções na fonte mensais mais altas, para compensar estes cortes, o efeito final far-se-á sentir nos reembolsos do IRS de 2012. Por isso, prepare-se para receber menos.

Embora não esteja confirmado, é ainda praticamente certo que o IRS vai voltar a subir: o lançamento de uma sobretaxa de IRS que roube um salário inteiro ao trabalhador médio é um cenário provável, tendo em conta que o Governo precisará de adoptar uma medida que tenha um efeito orçamental ao corte de um salário na Função Pública e pensionistas.

Em cima disto, será ainda preciso arranjar dinheiro para tapar os desvios orçamentais. Mesmo que a troika dê mais tempo ao Governo para reduzir o défice, haverá sempre necessidade de fazer consolidação orçamental adicional – e o IVA é um imposto apetecível (além dos impostos especiais sobre o consumo, que subirão pelo menos à inflação). Por fim, não será de espantar que as câmaras continuem a agravar as dezenas de taxas que lançam sobre os seus munícipes.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Realmente existe neste país cada coisa.

Embora também me vá doer, é realista pensar que, num mesmo prédio apartamentos iguais, uns tenham valor de 80000€ e outros de 8000€?

É justo pensar que quem teve (muitos) anos a pagar sobre 8000€, a vender (em alguns casos) por 150000€ {avaliações dos bancos}, a poupar em relação aos restantes que foram reavaliados, agora seja chamado a contribuir.

O meu desejo é que tivesse sido antes da crise (do empréstimo gigantesco) que agora não iríamos pagar todos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde.

Comprei uma quinta com 11 mil m2 com uma moradia de construção de 140m2. Tirando essa área de construção, neste momento não se pode construir mais nessa zona devido ao PDM. O valor do IMI desde 2010 é de cerca de 340€ ano, agora vou pagar mais quanto?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ontem recebi notificação das finanças a informar a AVALIAÇÃO GERAL de um prédio urbano situado na vila de Benavila, Concelho Avis, Distrito Portalegre. O qual, como vem descrito na notificação" ...o valor Patrimonial Tributário abaixo descrito apurado nos termos do artgº 38º e seguintes do CIMI e do artgº 15º-D do DL 287/2003, de 12/11, na redação dada pela Lei nº 60-A/2011, de 30/11.

Elementos avaliação:                                            Elementos Qualidade e Conforto:

Afetação Habitação                                                    1 Moradias Unifamiliares     

Nº Pisos 1    Tipografia/Divisões  3                              15 Inexistência rede Publica ou   

Área Total terreno                104,3300                            Privada de Gás

Área Implantação do Prédio      65,5600

Área Bruta Privativa                57,1600

Área Bruta Dependente              8,4000

Idade                                            61     

Valor Patrimonial Tributário:

  Vt *      =      Vc      x        A        x      Ca      x    Ci    x    Cq    x    CV

8.690,00  =    603,00  x    60,6493    x    1,00    x  0,60    x  0,990    x  0,40

(Aa  +  Ab)  x  Caj  =    1,00  x  (57,1600  + 2,5200  -  0,0000)

* valor em euros, arredondado nos termos do nº 2 do Artgº 38º do CIMI."

O Ano passado, quando recebi o IMI para pagar o Valor Patrimonial Tributário 1.698,40€, com a Taxa 0,60%.

Como, e com que dados as finanças atribuem estes valores? Afinal vou pagar desde imóvel oito vezes mais?!

Uma casa, que foi de família, que era de (bisavós), que meus avós sempre moraram lá, já faleceram se fossem vivos teriam quase cem anos. Como podem fazer este tipo de avaliações? 

Se pedir nova avaliação às finanças terei pagar alguma coisa?

 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor