blackeagle

Quase matam o meu sogro e nao assumem responsabilidades!!

3 publicações neste tópico

O meu sogro que agora está reformado, trabalhou numa empresa que fazia limpeza nas vias rápidas.

Em 2009 (tinha o meu sogro 63 anos), um carro em excesso de velocidade, despistou-se e atropelou-o enquanto ele trabalhava. Seguiram-se 2 meses sofridos no hospital a lutar pela vida com fractura da perna, traumatismo craniano, etc.

Na altura em que esteve de baixa, o seguro da empresa do meu sogro pagou o ordenado. Sempre tinhamos de falar porque senao as coisas nunca chegavam a tempo e horas!! Perante o que ele sofreu, reclamámos uma indemnização por danos fisicos e morais. Fomos com um advogado que nos disse que nada poderia ser feito até ser declarada uma invalidez ao meu sogro e isto so seria possivel findos os tratamentos. As coisas arrastaram-se durante uns bons meses e o meu sogro voltou ao trabalho (ja nao ia pra estrada) mas foi por pouco tempo porque entretanto entrou na reforma.

Desse acidente perdeu a capacidade total do olfacto. Foi a um médico especialista que fez os exames e passou a declaração. Nisto a seguradora diz que o caso ja nao pertence a eles, porque afinal aquilo nao foi acidente de trabalho e que teriamos de ir reclamar à seguradora do tipo que o atropelou.

Mais dias e semanas e o jogo do empurra, a outra seguradora pede novos testes, novos exames e tenta se descartar ao maximo!!

Já passaram 2 anos e 4 meses e hoje recebemos uma carta a dizer que vao indemnizar em 1000€!!!!

fiquei incredula!!! Afinal onde está a justiça neste País?? já estamos a perder as esperanças e nao sabemos o que fazer! Não é de todo um valor justo tendo em conta o que aconteceu mas ninguem quer assumir responsabilidades!!

Digam-me por onde nos viramos agora??

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá Blackeagle,

Quando metem seguros e bancos as questões nunca são simples e rápidas (perdoem a generalização), mas o trunfo está na insistência.

Não sendo advogado, o meu senso comum diz-me que aquilo que se passou com o seu sogro foi de facto um acidente de trabalho, e que ele deveria ter um acidente de trabalho que cobrisse o risco de ser atropelado, pois afinal a situação que acabou por acontecer, embora não desejável é de facto muito provável de acontecer.

Numa primeira fase, eu iria ao Instituto de Seguros de Portugal, expor a questão e pedir o máximo de informações possível. Caso tenha possibilidade de ir lá pessoalmente, fica no final da Av. da República, junto à rotundo de EntreCampos. Já tive que recorrer a eles por duas vezes e fui sempre esclarecido e bem tratado, num dos casos bicudos tudo se resolveu em menos de natal.

para mais informações vá ao site: http://www.isp.pt

A via judicial é sempre de evitar porque fica cara e é demorada, se optar por esta via, terá que contratar um advogado e resolver as questões em Julgados de Paz ou Tribunais.

Espero ter conseguido ajudar alguma coisa, e desejo que a situação se resolva rapidamente e pelo melhor.

Cumps

Poupança e Companhia

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu li e reli a situação e honestamente fiquei ligeiramente confuso.

Pelo relato torna-se evidente que o seguro de Acidentes de Trabalho funcionou, dado que o seu sogro recebeu enquanto esteve pelo seguro.

O que me confundiu foi o facto de pedirem uma indemnização por danos fisicos e morais. Quando alguém fica com sequelas de um acidente de trabalho existe uma "tabela" de incapacidades. As indemnizações são baseadas nessa tabela ( claro que existem sempre desacordo acerca dos valores, mas isso pode ir para tribunal trabalho), e de acordo com a idade dos Sinistrados ( quanto mais velha é a pessoa, em principio, a indemnização será menos que um jovem de 18 anos)

A indemnização por danos morais é que me mete confusão, e certamente aí a seguradora tem razão ( se vocês pediram uma indemnização por danos fisicos e morais em conjunto) ao alegar que não se enquadra nos acidentes de trabalho. Por isso vocês reclamaram na seguradora do individuo que atropelou o seu pai.

Na prática, a indemnização de 1000 euros ( não estou a dizer que é pouco ou muito, não faço mesmo ideia), acaba por ser de danos morais, e não da incapacidade que resultou do acidente, pois a incapacidade deve ser paga pelo acidentes de trabalho.

Um conselho :

Na seguradora da empresa onde o seu pai trabalhava, peça a indemnização por danos fisicos apenas ( enquadra-se no Acidentes de Trabalho).

De qualquer modo um pedido de ajuda ao ISP é sempre uma boa opção.

( Um àparte : Quando alguém está em casa pelo seguro, não pode esperar que a companhia envie o dinheiro correspondente sem o reclamarem, não consigo explicar aqui os motivos, mas seria impraticável)

Vasco Martins

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead