ricardoph

Ajuda no cálculo de indemnização

9 publicações neste tópico

Boas amigos.

Precisava de ajuda urgente no calculo de Indemnização.

Despedi-me em 31/10/2011 da empresa onde trabalhava desde 1/07/2004.

A causa do meu despedimento foi o facto de ter sempre os ordenados em atraso (art. 394.º , n. 2,º, alinea a ) e e) cod. trabalho lei n.º 7/2009 de 12/02) tendo saído, sem me ser pago na altura o Salário de Setembro de 2011 e Outubro de 2011, que me foram pagos em Dezembro de 2011 e Janeiro de 2012, estando ainda por pagar Sub. de Natal de 2010, Férias 2011, Natal de 2011 e 10 dias de férias não gozadas em 2011, o sb. de Férias de 2010 foi-me pago em Fevereiro de 2012.

Preciso de ajuda no calculo da indemnização que tenho direito por cada ano de trabalho (7 anos?), sendo o meu ordenado base quando saí de 720,00€, que com sub. de alimentação e ajudas de custo dava um ordenado liquido de 900,00€ mensais.

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A resposta que procura será o artigo 396º?

Artigo 396.º

Indemnização devida ao trabalhador

1 — Em caso de resolução do contrato com fundamento

em facto previsto no n.º 2 do artigo 394.º, o trabalhador

tem direito a indemnização, a determinar entre 15 e 45 dias

de retribuição base e diuturnidades por cada ano completo

de antiguidade, atendendo ao valor da retribuição e ao

grau da ilicitude do comportamento do empregador, não

podendo ser inferior a três meses de retribuição base e

diuturnidades.

2 — No caso de fracção de ano de antiguidade, o valor

da indemnização é calculado proporcionalmente.

3 — O valor da indemnização pode ser superior ao que

resultaria da aplicação do n.º 1 sempre que o trabalhador

sofra danos patrimoniais e não patrimoniais de montante

mais elevado.

4 — No caso de contrato a termo, a indemnização não

pode ser inferior ao valor das retribuições vincendas.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado amigo, eu já sabia disso, só não percebo é isso dos 15 a 45 dias, quem determina isso?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Certamente o tribunal..

Como pensa reclamar a indemnização e todos os creditos vencidos? Em tribunal, certo?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Já estou com o caso no Procurador do tribunal do trabalho. Agora vão chamar a empresa em falta para tentar chegar  a um acordo, mas por isso precisava de saber o valor ao certo para não ficar a perder, porque a empresa em falta deve querer negociar valores da indemnização e baixar os mesmos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para ter uma noção de valores de que fala o 396º

Entre 15 e 45 dias...

15 dias = 720 (ordenado base) x 7 anos x 0,5 (meio mês-15 dias) = 2520,00 €

45 dias = 720 x 7 anos x 1,5 (um mês e meio - 45 dias) = 7560.00 €

Como vê, existe uma grande diferença de valores entre o minimo e o máximo... é dificil dizer valores ao certo, quando está em causa uma variavel tão grande ( 15 a 45 dias) como está definido no 396º e que tem de ser determinado pelo tribunal.

Mas como tudo se pode resolver pela via do acordo, eu tentaria sempre perto do máximo e nunca abaixo de 1 mês (720€)por cada ano = 5040€. Não esquecendo dos outros valores que ainda se encontram em divida.

Nesse seu caso, não está representado por nenhum advogado?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não estou representado por um advogado. Eu fui directo ao tribunal do trabalho ter com o procurador. Acha que no dia do acordo deveria levar um advogado?

Ou acha que o procurador faz esse efeito.?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu creio que o dever do procurador é proteger a legalidade, não deixar que ela seja desrespeitada por qualquer dos intervenientes.

O procurador não está lá para defendê-lo, está lá para que as coisas sejam bem cumpridas, tipo um fiscalizador.

Como neste caso a razão está do seu lado, a lei bem aplicada será a seu favor.

Se deviamos ter alguém profissional na area para nos aconselhar e defender? Eu acho que sim.

Se é necessário? Se calhar não.

Mas isto é matéria que eu não estou por dentro, deixe ver se aparece alguém com prática no assunto.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim também acho que o procurador vai cumprir a lei. Aliás se ele assim o quisesse nem teria aceitado o processo, mandava-me para um advogado e tribunal. Aguardemos então a ver se alguém se prenuncia nesta matéria...

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor