ATFinancas

Onde investir?

8 publicações neste tópico

Boas a todos.

Tenho cerca de 14 mil euros para investir.

Tenho um perfil de risco baixo a moderado.

Estava a pensar em aplicar cerca de 50% em depositos a prazo e a outra metade em uma ou duas obrigações de grandes empresas nacionais

Em relação aos depósitos a prazo, como poupo sempre qualquer coisa todos os meses o que acham que é melhor? a conta do BES 10 em 10 que tenho actualmente, que dá uma taxa de 3%/ano e em cada ano seguinte um bónus de 0,25%, e que permite reforços a qualquer altura; Ou seria melhor ir juntando dinheiro e cada vez que tivesse por exemplo 500 euros investir em depositos a prazo de maturidade curta tipo 3 ou 6 meses, e quando tivesse um montante já assinalével fazer um melhor depósito a prazo ou aplicar em obrigações.

Constitui o ano passado em Outubro o deposito a prazo CR do BES com maturidade de 3 anos a uma taxa média bruta de 4,83%? Acham um bom depósito ou valerá a pena desmobilizá~-lo para investir em obrigações?

Não sei bem que fazer ao dinheiro, se invista tudo em depositos a prazo ou se me meta nos bancos online e compre obrigações para deter até ao fim do prazo (em principio)...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

para esse valor o melhor é 5,25% ao ano no b. invest

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Com 7 mil euros, está limitado a uma gama muito pequena de obrigações de empresas nacionais. Que eu saiba só a EDP e a Brisa é que estão ao seu alcançe. Esses e a CGD.

Quanto à parte dos DPs, o Invest tem realmente uma solução que combina rentabilidade com flexibilidade (mobilização antecipada sem penalização)

Quanto a rentablidade bruta o melhor é o PrivatBank, que paga 5.45% a 1 ano. Para além disso, se for feito na versão "Pé-de-meia" dá para reforçar quando se quiser e quanto se quiser a partir de 20€.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pela ajuda :)

Acham prudente aplicar 70 % do meu capital em apenas obrigações da CGD a vencer em 2015, com YTM de 7,7 por cento? já tive a fazer as contas, com todas as comissões, e é-me mais rentável que qualquer depósito a prazo.

O problema é: será prudente investir uma fatia tão grande do meu capital em apenas uma obrigação?

Penso investir em apenas obrigações de uma só entidade devido ao facto de ser mais rentável por pagar apenas uma vez a comissão de compra e a comissao de ordem.

Obrigado, mais uma vez-...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se ajuda mas.. está aqui um artigo sobre como investir com pouco risco...

http://clinicadinheiro.com/investir-com-pouco-risco/

Sinceramente não gosto deste artigo. Ou muita coisa me está a passar ao lado, ou está a cometer uma série de incorreções. Primeiro, taxas de depósitos a prazo de 1%? A taxa média dos depósitos está acima dos 3%, conseguindo-se 5% sem demasiadas dificuldades.

Segundo: sugerir não investir mais que 12 meses pois as taxas podem subir? Precisamente o contrário. Se a situação económica do país melhorar, os bancos já não vão precisar de captar tantos depósitos e as taxas vão baixar. Aliás, é o que o artigo implica na última secção.

Terceiro: PPRs? em 2012? Os benefícios fiscais são miseráveis. Já não são a boa opção que eram há uns anos atrás.

@ATFinancas - Investir em obrigações tem maior risco que os DPs, um dos quais é o da mobilização antecipada, onde pode perder dinheiro se quando vender as cotações estiverem em baixo. Assim sendo, o dinheiro que puser em obrigações é para lá ficar. Se puder vir a precisar dele, ponha-o antes em DPs, que são mais flexíveis.

Quanto ao risco de não pagamento, penso que CGD 2015 está relativamente seguro (Mais que as OTs pelo menos). Embora fosse mais interessante dividir por várias obrigações, com pouco capital não recomendo dividir. Se tivesse +30000 aí talvez já pudesse dividir entre Brisa, EDP e CGD.

A diversificação é mais importante quando se fala em fundos de obrigações, pois aí os gestores compram e vendem títulos antes da sua maturidade, e por isso há muitas flutuações do valor dos fundos.

Na compra directa a diversificação é menos fulcral.

Mas como disse, considere sempre ter uma fatia em DPs. 70%/30% não me parece uma má divisão, como sugeriu.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A minha estrategia pessoal está assente em algumas Regras e na Diversificação:

  • Periodo Temporal (curto, médio e longo prazo)
  • Instituições Bancárias
  • Produtos de Investimento

Regras:

  • Não ser sentimalista sobre instituições bancárias ou investimentos financeiros (se não rende o previsto então mais vale fechar posições)
  • Nenhum investimento financeiro que tenha deverá exceder os 25% do meu patrimonio financeiro
  • Nos mercados accionistas / fundos de investimento definir à partida: o valor de venda e a maturidade do investimento (mais-valias potenciais não enchem carteiras);
  • Nunca precipitar nos meus investimentos (é uma oportunidade unica mas tem de ser hoje, a minha resposta é sempre não! eu sou um investidor e não um especulador)
  • Definir uma estrategia anual sobre os meus investimentos, com revisões mensais ou trimestrais
  • Ter sempre lembretes no meu telemovel para avisar quando um dp vai vencer, ou quando posso desmobilizar antecipadamente um dp sem perda de juros.

Mas mais importante que a diversificação, para mim é a procura pelo conhecimento dos diversos produtos financeiros de modo a maximizar a rentabilidade das minhas aplicações.

Instituições Bancárias:

No minimo uma pessoa deve ter pelo menos 2 contas bancarias (ou contas equivalentes, por exemplo IGCP) para possa rentabilizar as suas aplicações. Antes de negociar a renovação de um deposito a prazo é importante saber o que a concorrência oferece, para ter um maior poder negocial sobre o gestor da conta. Mas penso que uma pessoa somente deve pensar abrir uma segunda conta quando tiver um patrimonio financeiro superior a 10.000 euros, até lá escolhia um banco fosse bom para meu perfil e tentava crescer o meu patrimonio (foi isto que fiz alguns anos atrás).

Para quem tem uma conta bancaria desde de criança?

A minha recomendação é analisar se compensar ter o dinheiro nessa instituição bancária.

Periodo Temporal

Curto Prazo (até 1 ano) - Minimo de investimentos : 25% da carteira;

Longo Prazo (de 5 a 10 anos) - Maximo de investimentos : 40% da carteira;

Médio Prazo (até 5 anos) - Maximo de investimentos : 75% da carteira menos a percentagem existente na carteira a longo prazo;

Produtos Investimentos

  • Primeiro conhecer bem qualquer produto antes de investir;
  • Tentar sempre antecipar uma tendência do mercado.

Nos anos 2009/2010 vivemos um periodo de vacas magras para as taxas de juro nos dp comparativamente aos valores de 2008. Por isso jurei a mim mesmo investir a longo prazo quando as taxas estão elevadas e a curto prazo quando as taxas estão baixas (numa optica de esperar por melhores dias para investir).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Recebi isto por email que pode ser do v/ interesse e por isso partilho:

BIG

tendo em conta o seu objectivo de preservação de capital, considero fazer sentido analisar como alternativa a um depósito a prazo o Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Cabaz Telecoms, pois permite-lhe:- 100% de segurança sobre o capital investido, no final de 2 anos;- manter essa fatia do património financeiro ao abrigo do Fundo de Garantia de Depósitos;- valorização sem qualquer limite, apenas dependente da variação dos quatro títulos, recebendo no final 75% da variação do cabaz sem qualquer limite.- investimento mínimo de 2.500€.- data limite para investimento 1 de Abril de 2012.A oportunidade de investir no Cabaz Telecoms, composto por PORTUGAL TELECOM (PTC), FRANCE TELECOM (FTE), DEUTSCHE TELEKOM (DTE) e TELEFÓNICA (TEF), está em procurar aproveitar o momento actual do mercado bolsista (que foi precedido de um período de fortes quedas), num sector que:- não acompanhou a “euforia” dos mercados de acções deste início de ano até meados de Março (CAC40 13,77%, DAX 21,35%, PSI20 1,42%, Nasdaq100 19,09%).- o principal índice europeu de telecoms não acompanhou a valorização do índice Eurostoxx50, desde o início do ano (- 3,83% vs +12,59%, respectivamente).- foi alvo de fortes reestruturações e reduções na sua estrutura de custos nos últimos 6 meses.- apresenta um nível de receitas não proveniente exclusivamente do espaço Euro já interessante (ver dados abaixo nos triggers de cada empresa).

 

(...)  seguem-se algumas consideração acerca de cada uma das Telefónicas que se quiserem saber mais, eu colarei também aqui.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead