jose.s

Credito pra deficientes

20 publicações neste tópico

Boa noite, obrigada a todos pelo magnifico forum que constroem dia após dia.

Se houvesse alguém que tivesse informação para me ajudar agradecia. 

Por motivos de saúde, tornei-me numa pessoa deficiente, com grau de incapacidade de 65%.

A minha questão é: será que posso simplesmente transferir as condições do empréstimo que tinha antes (faltam 20 anos, +- 70 000 euros) para crédito defiente ou tenho que recomeçar do zero e fazer novo empréstimo?. Antes de perguntar no banco gostava de saber se alguém me poderia dar essa informação, para poder tratar do assunto convenientemente.

Com os melhores cumprimentos

José

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá José,

Antes de mais, força para esta nova fase da tua vida!

Sobre a tua questão: basta formalizares por carta um pedido de transferência do teu crédito para o regime deficientes e juntar cópia do atestado de incapacidade Multiusos. Depois é esperar... mas convém pressionar o banco!

Dicas: http://www.d-eficiente.net, http://www.inr.pt/category/1/25/perguntas-frequentes, http://mtpd.blogspot.com/, http://xbarreiros.no.sapo.pt/mtpd-bfiscais/, http://www.pcd.pt/, http://apd.org.pt/, http://www.clienteespecial.com/index.php.

Vê com atenção os benefícios que se aplicam ao teu caso, principalmente no IRS.

Qualquer dúvida, apita ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só uma pequena nota importante ao que já foi (bem) dito sobre este tema.

O crédito habitação regime deficiente só se aplica aos créditos a habitação (ok, sei que é óbvio), querendo isto dizer que caso se tenha feito um crédito à habitação de X € e mais um crédito multi-usos (ou outro nome qq), o regime deficiente só se aplica à parte que pertence ao crédito à habitação propriamente dito.

Mais uma pequena nota importante, o prazo máximo no crédito habitação regime deficientes é de 35 anos, portanto a transferência para esse regime pode implicar uma redução de prazo caso o actual prazo contratado seja superior.

Só mais uma pequena dica...caso pela sua infelicidade tenha deixado de poder exercer a profissão que exercia, a sua deficiência seja permanente e tenha uma pensão de invalidez da segurança social, está em condições de requerer ao seguro de vida que cobre o seu actual crédito a liquidação do mesmo (pelo menos parcial).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só uma pequena achega ao último comentário que fiz sobre este assunto...deve confirmar se a taxa de invalidez de 65% lhe permite requerer a liquidação do crédito perante o seguro. Isto porque penso existir normalmente um patamar mínimo para estes casos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só uma pequena achega ao último comentário que fiz sobre este assunto...deve confirmar se a taxa de invalidez de 65% lhe permite requerer a liquidação do crédito perante o seguro. Isto porque penso existir normalmente um patamar mínimo para estes casos.

Existe, e não é nada "meigo". Geralmente o seguro cobre em caso de invalidez que obrigue a dependência de terceiros e que não permita autonomia para as tarefas básicas.

Mas é um reparo importante, porque cada caso é um caso, e o José deve informar-se sobre isso junto da companhia (e ler o contrato que tem, por causa das informações erradas).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só uma pequena achega ao último comentário que fiz sobre este assunto...deve confirmar se a taxa de invalidez de 65% lhe permite requerer a liquidação do crédito perante o seguro. Isto porque penso existir normalmente um patamar mínimo para estes casos.

Foi precisamente nisto que pensei quando li o tópico. Se tiver contratado o seguro de Invalidez Total e Permanente normalmente dá para liquidar o crédito atingindo uma ITP de 65% ou então 2/3, que neste caso não atinge.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado a todos pelas respostas e pelo apoio.

Tenho andado a recolher o máximo de informação possível sobre o assunto, mas como sabem a partilha de dados entre "nós"  é sempre mais rápida e simplificada do que nos serviços públicos.

Estive a consultar as garantias do seguro, além de morte cobre invalidez absoluta definitiva... o  que (felizmente) não é o meu caso.

Invalidez Absoluta e Definitiva 

  Uma pessoa segura será considerada afectada de Invalidez Absoluta e Definitiva quando, em consequência de doença ou acidente, ficar totalmente incapacitada, com fundamento em elementos objectivos e clinicamente comprováveis, de exercer qualquer actividade remunerável e desde que o seu estado de saúde a obrigue a recorrer, de modo contínuo, à assistência de um terceira pessoa para a satisfação das suas necessidades vitais.

Já sei que vou pagar menos de IRS, o que já  vai ser uma ajuda também para o resto. Tive que me adaptar a uma nova vida, (mas é bom andar por cá ainda). Não estou com incapacidade  total para trabalhar, por isso tenho que tentar amenizar ao máximo a vida que me espera, nomeadamente no que diz respeito a encargos financeiros. Também já sei que vou ter isenção no pagamento do selo automóvel (agora só para o ano),  vou ficar isenta de pequenas comissões nas contas do banco.

Tenho que tentar compensar o que vou pagar a menos com o que vou gastar a mais...

Tenho um credito multi opções, nesse tinha dúvida sobre a transição para o regime defciente, assim já estou mais esclarecida.

No que diz respeito aos bancos, tudo o que possa saber sobre o assunto, melhor... toda a informação que possa reter é uma mais valia na fase de negociação que vou ter. Também já decidi, se o banco onde estou não aceitar a minha proposta mudo para quem me aceite (deficiente)

Obrigada.

Obs... não me identifiquei correctamente, desculpem, sou uma José. Beijos e abraços para todos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Depois das considerações de jose.s, sobre a sua incapacidade, até parece mal, perguntar aquilo que vou perguntar!

A jose.s que me desculpe!

Por que será que os deficientes das Forças Armadas, têm um tratamento mais favorável, a nível fiscal, se comparados com os outros deficientes?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O pessoal das forças armadas tem uma série de privilégios. Lembro-me quando andava na faculdade, que havia diferenças nas propinas e no regime de faltas para os familiares das altas patentes das forças armadas.

Algum reconhecimento por causa do 25 de Abril, provavelmente...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pauloaguia  :)

Tb sei de uma história dessas. O pai de uma colega minha era militar e ela tinha isenção das propinas só porque o pai tinha recebido um louvor ou algo do género.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois é verdade, parece que não somos todos deficientes... a amputação infligida a um soldado parece ser diferente  aquela que é feita a outro cidadão qualquer... Acho que não interessa o contexto mas a deficiencia em si, não compreendo porque razão é que há a diferença... mas há. Até as tabelas de retenção de irs são diferentes! E essas não são datadas de 1976!

Bjs e abraços para todos. Obrigada pela v/ ajuda. São momentos assim que me ajudam dia após dia a encarar a vida com um sorriso

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Grande jose.s!

Mesmo perante o que te sucedeu, um tratamento desigual e vergonhoso, em termos fiscais, ainda consegues ter a coragem de encarar a vida com um sorriso!

Esperemos que o bom senso alguma vez impere na mente dos políticos deste país e não se ceda mais à pressão das Forças Armadas!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só Uma correção.

Nas duas citações anteriores pela forma como estão colocadas dá a entender que proferi ou que estou de acordo com aquelas afirmações sobre as forças armadas, o que não corresponde à verdade.

Tenho a minha opinião sobre esse assunto mas não quero entrar na discussão dos privilégios, até porque para isso tinha que se abrir um novo tópico onde se falasse de todas as especificidades da condição militar.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só Uma correção.

Nas duas citações anteriores pela forma como estão colocadas dá a entender que proferi ou que estou de acordo com aquelas afirmações sobre as forças armadas, o que não corresponde à verdade.

Tenho a minha opinião sobre esse assunto mas não quero entrar na discussão dos privilégios, até porque para isso tinha que se abrir um novo tópico onde se falasse de todas as especificidades da condição militar.

Viva hsfarao!

Pela parte que me toca, não depreendi nas tuas afirmações o que quer que fosse, nem o que disse (e mantenho) são uma reacção contra ninguém em particular, aqui do forum. É apenas a constatação de factos indesmentíveis: a dedução específica em sede de IRS, é maior para uns  do que para outros! E ambos têm como deficiência, uma perna amputada, por exemplo!São situações iguais, que merecem tratamento igual! Assim manda o Direito, ou então não estamos num Estado de Direito!

Quanto à segunda parte, estou de acordo contigo: novo tópico e muito, muito ... "pano para mangas"!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ao que me refiro é que as citações aparecem "encabalitadas" umas em cima de outras, aparacendo em ambas o meu nick, o que para alguém menos atento pode pensar que fiz aquelas afirmações.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Fica descansado que as pessoas que estão neste forum, sobretudo aquelas que são assíduas e que não vêm aqui por razões meramente pontuais (diria mais, egoístas!), mas sim movidas por altruísmo, já "fotografaram" a tua forma de estar na vida (eu pelo menos, em 8 dias de registado), já tracei o teu perfil e tenho a certeza que não me enganei!

Um abraço,

Gaelic

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

hsfarao

Peço desculpa por ter "encabalitado" as citações na resposta que dei...

Não queria provocar nenhum constrangimento. Também penso que ninguém te vai  associar a quaisquer afirmações que não tenhas feito, mas para o evitar estou a pensar remover a citação, assim evita-se qualquer interpretação errada. (vou retirá-la só depois de saber a  tua opinião sobre isso )

Obrigada mais uma vez e as minhas desculpas pelo inconveniente

jose.s

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Deixa estar. Até porque já esclareci e quem ler tudo vai perceber.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead