stradale

Juros de depósitos a prazo e englobamento no IRS

186 publicações neste tópico

Olá a todos.

Queria que, se soubessem, me esclarecessem algumas dúvidas em relação ao depósitos a prazo.

Como já todos sabemos a taxa liberatória que incide sobre os juros vai aumentar para 25%. Li noutro tópico que, dependendo do escalão, poderia compensar fazer o englobamento dos juros no IRS.

As minhas dúvidas são:

- de que forma é feito este englobamento, ou em que campo da declaração do IRS os devo colocar? Deve ser feito por partes, ie, identificando cada depósito a prazo ou na sua totalidade?

- a partir de que valor é obrigatório declarar este tipo de rendimentos no IRS? Ou nunca o é?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Começando pelo fim, nunca é obrigatório declarar estes rendimentos. O englobamento é sempre opcional.

O englobamento é feito declarando os rendimentos dos juros no anexo E. Quanto a fazer por partes, penso que é por cada banco, já que nos campos desse anexo é necessário inserir o NIF de uma entidade (banco, IGCP, etc). Na declaração de rendimentos anuais (que se tem de pedir aos bancos em Janeiro) devem estar essas informações (NIF, valor pago, retenções na fonte).

A taxa de IRS a aplicar vai depender do escalão de rendimentos onde está.

Sei que o 3º escalão (até 18000?) tem uma taxa de 24.5%, os outros mais abaixo têm taxas menores.

Atenção que estes escalões são progressivos, logo mesmo que o rendimento total possa ser ligeiramente superior ao 2º escalão, ainda pode compensar.

É necessário fazer simulações de IRS para saber em mais detalhe se vale a pena ou não.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Começando pelo fim, nunca é obrigatório declarar estes rendimentos. O englobamento é sempre opcional.

O englobamento é feito declarando os rendimentos dos juros no anexo E. Quanto a fazer por partes, penso que é por cada banco, já que nos campos desse anexo é necessário inserir o NIF de uma entidade (banco, IGCP, etc). Na declaração de rendimentos anuais (que se tem de pedir aos bancos em Janeiro) devem estar essas informações (NIF, valor pago, retenções na fonte).

A taxa de IRS a aplicar vai depender do escalão de rendimentos onde está.

Sei que o 3º escalão (até 18000?) tem uma taxa de 24.5%, os outros mais abaixo têm taxas menores.

Atenção que estes escalões são progressivos, logo mesmo que o rendimento total possa ser ligeiramente superior ao 2º escalão, ainda pode compensar.

É necessário fazer simulações de IRS para saber em mais detalhe se vale a pena ou não.

uma coisa que sempre me fez confusão: quando a conta tem vários titulares, essa opção pode ser feita por qualquer um deles? por ex, no caso de ter 3 titulares, a exercer-se essa opção, terá de ser repartido o valor pelo IRS dos 3?

e já agora, outra coisa, se alguém souber: é no início de 2012 que temos de ir junto dos bancos onde temos conta dar a instrução sob essa opção, se quisermos, no próximo ano, passar a exercer o englobamento?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
uma coisa que sempre me fez confusão: quando a conta tem vários titulares, essa opção pode ser feita por qualquer um deles? por ex, no caso de ter 3 titulares, a exercer-se essa opção, terá de ser repartido o valor pelo IRS dos 3?

Imagino que nesse caso se assuma que os rendimentos pertencem aos 3. Se a conta rendeu 90€ em juros, dá 30€ de rendimento para cada um. Qualquer um deles pode optar por englobar a sua parte, independentemente do que os outros façam (mas isto é capaz de depender do tipo de conta, convém confirmar com o banco se assim é).

e já agora, outra coisa, se alguém souber: é no início de 2012 que temos de ir junto dos bancos onde temos conta dar a instrução sob essa opção, se quisermos, no próximo ano, passar a exercer o englobamento?

A indicação que de pretendes essa opção é feita na declaração de IRS, ao incluir lá os valores.

Mas antes, em Janeiro, tens de ir junto das entidades nas quais obtiveste esse tipo de rendimentos pedir que te passem a declaração para englobar os rendimentos no IRS.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

e já agora, outra coisa, se alguém souber: é no início de 2012 que temos de ir junto dos bancos onde temos conta dar a instrução sob essa opção, se quisermos, no próximo ano, passar a exercer o englobamento?

Temos de 1 até 31 de Janeiro de 2012 para ir juntos dos bancos pedir os comprovativos de retenções na fonte dos depósitos, para declarar no IRS respectivo ao ano 2011.

No ano seguinte (2012), se quisermos optar pelo englobamento, temos de fazer a mesma coisa em Janeiro de 2013, e por aí fora.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ainda estou com dúvidas por isso vou expor o meu caso concreto: fiz o super depósito a 6M do BiG e agora no fim do mesmo mandaram-me um email a indicar o valor que ganhei de juros bem como outro valor dos impostos (~7eur neste caso).

São estes 7eur que tenho decidir declarar ou não no meu IRS?

Existe alguma vantagem em declarar isto?

Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ainda estou com dúvidas por isso vou expor o meu caso concreto: fiz o super depósito a 6M do BiG e agora no fim do mesmo mandaram-me um email a indicar o valor que ganhei de juros bem como outro valor dos impostos (~7eur neste caso).

São estes 7eur que tenho decidir declarar ou não no meu IRS?

Existe alguma vantagem em declarar isto?

O que tens de decidir declarar ou não é o valor bruto dos juros. Se for 7€ (o que implica que a retenção na fonte feita foi de 1,51€) então é isso sim.

Se fosse o teu único rendimento, o imposto apurado seria de 0€, logo o Estado teria a reembolsar-te de 1,51€ (o que não aconteceria pois não são processados reembolsos de tão baixo valor).

Se tiveres outros rendimentos, de juros, ou mesmo de trabalho dependente, o imposto seria calculado tendo em conta o teu escalão e talvez pudesses reaver uma parte do dinheiro que foi retido na fonte aquando do pagamento dos juros...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que tens de decidir declarar ou não é o valor bruto dos juros. Se for 7€ (o que implica que a retenção na fonte feita foi de 1,51€) então é isso sim.

Obrigado pela explicação  :)

Se percebi bem, então acho que a minha retenção foi 7,25 tal como comprovado em baixo:

  • Montante do Juro:33,71
  • Impostos:7,25
  • TANB:4,5 %                                                                           
  • TANL:3,5325 %                                                                       
  • Montante:1490

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pela explicação  :)

Se percebi bem, então acho que a minha retenção foi 7,25 tal como comprovado em baixo:

  • Montante do Juro:33,71
  • Impostos:7,25
  • TANB:4,5 %                                                                             
  • TANL:3,5325 %                                                                         
  • Montante:1490

O mìnimo para devoluçao sao 10€. Logo é necessário mais qualquer rendimento para nao ser a 0s.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O mìnimo para devoluçao sao 10€. Logo é necessário mais qualquer rendimento para nao ser a 0s.

Certo, nessa parte não tenho dúvidas, as devoluções são feitas com base em várias coisas. Só gostaria de confirmar o seguinte:

  • sou obrigado a declarar os juros independentemente do valor, sim ou não?
  • se sim, o valor que coloco são os 7,25eur?

Obrigado  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
  • sou obrigado a declarar os juros independentemente do valor, sim ou não?
Não és obrigado a fazê-lo (é por isso que se chama "OPÇÃO pelo englobamento"). Mas se optares por englobar algum deste tipo de rendimento, então tens de englobar todos (não pode optar por incluir na declaração os juros da conta no banco A e não incluir os da conta B porque j+a te fariam subir de escalão, por exemplo).
A quem está num escalão baixo (abaixo dos 21,5%) normalmente compensa optar pelo englobamento pois pagou imposto a uma taxa superior à que pagaria se os juros fossem cobrados segundo o seu escalão de IRS.
  • se sim, o valor que coloco são os 7,25eur?

No exemplo que deste colocas como rendimento os 33,71€ e como retenção na fonte os 7,25€ (que é para dizer que já pagaste 7,25€ de imposto, senão cobram-tos outra vez).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Agora sim estou totalmente esclarecido.

Obrigado a todos e espero que estas respostas possam ajudar outros  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite gostaria de saber se como reformado com 345 euros sou obrigado a fazer o irs.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se ainda há a dispensa de entregar a delcaração. De qualquer modo, com esse valor mesmo que o faça não deve pagar nada (nem receber)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para este ano é isento até 293 euros

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

No caso da liquidacao de certificados de aforro, como/onde é feito o pedido de englobamento? Junto do igcp? Basta a declaracao de liquidacao?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É necessário pedir uma declaração específica para o efeito ao IGCP. Isso pode ser feito preenchendo um formulário nos CTT, que depois a declaração é enviada para casa.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá a todos,

Estou a repescar este tema para colocar uma questão:

No ano passado não tive rendimentos sujeitos a IRS (bolsa de investigação).

Estava a pensar se valeria a pena optar pelo englobamento dos juros dos DP's na delcaração de IRS com vista a recuperar parte do imposto pago nesses depósitos (recebi cerca de 2800€ em juros).

O que vos parece?

Cump :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá a todos,

Estou a repescar este tema para colocar uma questão:

No ano passado não tive rendimentos sujeitos a IRS (bolsa de investigação).

Estava a pensar se valeria a pena optar pelo englobamento dos juros dos DP's na delcaração de IRS com vista a recuperar parte do imposto pago nesses depósitos (recebi cerca de 2800€ em juros).

O que vos parece?

Cump :D

tem todo o sentido e deves englobar todos os rendimentos que tenhas obtido dessa categoria (depósitos a prazo, valorização dos certificados de aforro, fundos, etc) e declara-los no anexo E

para o efeito infelizmente ja nao deves conseguir este ano porque durante o mes de Janeiro tens pedir a cada banco e ao IGCP uma declaracao nesse sentido. Com essa declaracao vais preencher o anexo E. Julgo que depois do IRS entregue tb tens de entregar uma cópia das declaracoes emitidas pelos bancos aas financas

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Exactamente o que o FP disse.

Também sou bolseiro de investigação e já fiz englobamento no ano passado e neste. Compensa totalmente.

Agora este ano já é tarde.

Entreguei o irs ontem e vou hoje enviar as declarações dos bancos às finanças por mail.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelas vossas respostas!

Quer dizer que se pedisse agora as declarações aos bancos eles já não as emitiam?

É essa a razão de já não poder fazer o englobamento este ano?

Cump.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelas vossas respostas!

Quer dizer que se pedisse agora as declarações aos bancos eles já não as emitiam?

É essa a razão de já não poder fazer o englobamento este ano?

Cump.

Exactamente, todos os anos só é possível pedir as declarações aos bancos de 1 a 31 de Janeiro, a partir dessa data eles já não as emitem. Daí não poderes fazer o englobamento este ano, precisas mesmo das declarações...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ainda para mais a partir de agora, em que os bancos têm de enviar atempadamente umas declarações extra às finanças explicitando quais os rendimentos que a pessoa opta por englobar. De futuro a ideia é ter o anexo E pré-preenchido à semelhança do anexo A.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Exactamente o que o FP disse.

Também sou bolseiro de investigação e já fiz englobamento no ano passado e neste. Compensa totalmente.

Agora este ano já é tarde.

Entreguei o irs ontem e vou hoje enviar as declarações dos bancos às finanças por mail.

Se possível esclareçam-me algumas questões:

1) Após solicitarmos ao banco a declaração, temos obrigatoriedade de efectuar englobamento?

2) Supondo que alguém nunca descontou, não será estranho para as finanças? 

3) "Na tributação autónoma, o saldo entre as mais-valias e as menos-valias de acções paga automaticamente 26,5% (em 2013, subiu para 28%). Mas, em alguns casos, suporta menos imposto se optar pelo englobamento, pois há taxas de IRS (aplicadas nesta opção) inferiores aos 26,%. Na prática, o englobamento dos rendimentos de capitais e mais-valias pode compensar quando o rendimento colectável (incluindo os juros brutos) é inferior a 18.375 euros, caso em que é aplicada uma taxa de imposto até 24,5%."

Vamos supor que alguém obteve 1000€ brutos em juros (DP´s). Se incluir FI´s qual é o valor considerado? Apenas a "suposta mais-valia"? Se tiver menos valias decorrentes de acções, ex: 300€.

Como seriam os cálculos a efectuar?

É provável que esteja um pouco confuso, mas espero que tenham percebido ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Optando pelo englobamento, são considerados como rendimentos do anexo E os juros dos depósitos e mais valias de FI, e como rendimentos do anexo G mais-valias de ações. As mais-valias de ações têm de ser sempre declaradas, agora com englobamento a taxa aplicada pode ser inferior 26.5% e ser mais vantajoso.

Pegando no exemplo dos 1000€ em DPs, 300€ em menos-valias de ações, e digamos mais 200€ de mais-valias de FIs:

A nível do anexo E tem-se 1200€ de rendimento.

No anexo G os redimentos são 0. Mas se no próximo ano voltar a fazer englobamento e tiver mais valias de ações pode subtrair estes 300€ de menos valias e baixar o que tem de pagar.

Estes 1200€ vão ser acrescentados aos restantes rendimentos (trabalho dependente, independente, etc..)

Sobre a totalidade dos rendimentos é aplicada a taxa de IRS (só compensa se esta for inferior a 26.5/25%), e sobre o imposto a pagar retira-se as retenções na fonta sobre os juros de DPs a mais-valias de FIs estrangeiros (correspondente a 25/26,5%). Claro que também entra o resto dos benefícios e deduções à colecta.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead