Visitante Miguel S

Herança

12 publicações neste tópico

Ola,o que se passa é o seguinte:

A minha mãe faleceu e todos elegeram o cabeça de casal ,até aí tudo bem administrou a herança ( bens imóveis) até..........um dia descobrirmos (eu e mais 2 irmãos)que ele tinha utilizado/retirado (para ser soft) uns dinheiros que estão no banco mas que na altura não foram declarados as finanças como herança pois todos concordamos que esse dinheiro era só do meu pai e para ser utilizado com ele ,pois ele não esta nas suas totais capacidades mentais.Deixou de ser o cabeça de casal e passei a ser eu com a concordância de todos,ele já pagou parte do dinheiro que tirou, no entanto o meu pai foi para um lar e o dinheiro que estava em conta esta a acabar e vão começar a surgir despesas e não existe verba na conta,eu como cabeça de casal já tentei que ele pagasse o resto que falta mas não deu em nada.

Será que existe alguma forma de o OBRIGAR a repor o que falta?

E quando acabar o dinheiro "vivo" as despesas do lar quem as vai pagar?

Eu como cabeça de casal posso ser responsabilizado ?

Desde já o meu muito obrigado e parabéns pelo magnifico forum.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Relativamente ao lar onde está o vosso pai:

todos os Lares exigem, quando da entrada de um idoso, que fique um qualquer familiar ( ou mais do que um ) registado como sendo o responsável pelo idoso:

essa(s) pessoa(s) será responsável pelo pagamento do Lar, assim como p.ex. por ir ao hospital acompanhar o idoso se o Lar telefonar a dizer que ele teve que ser internado por doença ou acidente: os lares chamam a ambulância e telefonam ao familiar responsável, essa é a norma geral.

relativamente a serem ressarcidos pelas verbas incorrectamente retiradas da conta só há duas soluções: a 1ª será a amigável, a bem, conversando e persuadindo.    A 2ª será a mal, através de provas, extractos de conta, advogados e ameaças. Compete-vos a vós decidir qual das duas utilizar e sendo a 1ª delas qual o limite aceitável antes de entrar pela 2ª via.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Uma coisa que eu não percebi: se esse dinheiro não fazia parte da herança, em que é que ser cabeça de casal dá direito a administrá-lo? ???

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

a ideia com que fiquei é que o dinheiro faz parte da "herança" , tendo apenas sido convencionado entre os herdeiros que esse dinheiro, na medida em que era do pai e lhe iria fazer falta, ficaria intocado e ao serviço exclusivo do pai, embora administrado pelo cabeça de casal na medida em que o pai estava incapaz.

e depois deu-se um abuso por parte de um dos intervenientes.

será isso ?  penso que sim.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

a ideia com que fiquei é que o dinheiro faz parte da "herança" , tendo apenas sido convencionado entre os herdeiros que esse dinheiro, na medida em que era do pai e lhe iria fazer falta, ficaria intocado e ao serviço exclusivo do pai, embora administrado pelo cabeça de casal na medida em que o pai estava incapaz.

e depois deu-se um abuso por parte de um dos intervenientes.

será isso ?   penso que sim.

É exactamente isso     : (                    

Na altura era o cabeça de casal, actualmente sou eu pois ele foi destituído do cargo pelos meus irmãos.

Agora  é que gostaria de obter respostas sobre:

E quando acabar o dinheiro "vivo" as despesas do lar quem as vai pagar?

Eu como cabeça de casal posso ser responsabilizado na totalidade ou só em parte pelo não pagamento das despesas no lar que ultrapassarem o plafond da reforma ?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parece-me que sendo familia direta deverão assumir as despesas a partir da qual o valor da reforma não o permitir. Caso não haja posses para tal, terão de o levar para casa e pedir a assistência no lar. Até pode ser que seja possível virem buscar o seu pai de manhã para um "centro" de apoio a idosos e o tragam ao fim do dia. Fica um pouco mais em conta, mas dá mais trabalho!...

Terá de se informar na Junta de Freguesia, segurança social, centros de dia,...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parece-me que sendo familia direta deverão assumir as despesas a partir da qual o valor da reforma não o permitir. Caso não haja posses para tal, terão de o levar para casa e pedir a assistência no lar. Até pode ser que seja possível virem buscar o seu pai de manhã para um "centro" de apoio a idosos e o tragam ao fim do dia. Fica um pouco mais em conta, mas dá mais trabalho!...

Terá de se informar na Junta de Freguesia, segurança social, centros de dia,...

Parece-me que sendo familia direta deverão assumir as despesas a partir da qual o valor da reforma não o permitir.

A questão está em que certos familiares não devem assumir a  parte que lhe toca nas despesas.

Caso não haja posses para tal, terão de o levar para casa e pedir a assistência no lar

De casa para o lar já foi ele.

Pois é muito dificil em termos de logistica e principalmente tempo e dedicação tomar conta dele juntamente com o resto das respectivas familias ( filhos, neste caso netos dele ).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parece-me que sendo familia direta deverão assumir as despesas a partir da qual o valor da reforma não o permitir.

A questão está em que certos familiares não devem assumir a  parte que lhe toca nas despesas.

Caso não haja posses para tal, terão de o levar para casa e pedir a assistência no lar

De casa para o lar já foi ele.

Pois é muito dificil em termos de logistica e principalmente tempo e dedicação tomar conta dele juntamente com o resto das respectivas familias ( filhos, neste caso netos dele ).

Substituir a palavra sublinhada lar por casa do familiar onde o idoso estiver.

Outras soluções não me passam pela cabeça, por mais difíceis que sejam em termos logísticos!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
E quando acabar o dinheiro "vivo" as despesas do lar quem as vai pagar?
Ainda não percebi bem o que é que uma coisa tem a ver com a outra: o cabeça de casal administra a herança por morte da vossa mãe.

Tratar do vosso pai é um dever dos filhos todos, não tem nada a ver com a herança... Imagina que ainda nenhum tinha morrido e estavam ambos num lar... ou que não tinha havido esse roubo mas o dinheiro da conta tinha acabado na mesma... que faziam, deixavam-no à sua sorte?

O que quer que fizessem num desses cenários é exatamente o que devem fazer agora, quando o dinheiro acabar... estais a misturar coisas - o cabeça de casal administra uma herança, não toma conta dos herdeiros...

Eu como cabeça de casal posso ser responsabilizado na totalidade ou só em parte pelo não pagamento das despesas no lar que ultrapassarem o plafond da reforma ?

Como cabeça de casal não. Como filho claro que sim, não é mais do que a vossa obrigação tomar conta do vosso pai na velhice...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelo comentario, no entanto devo ressalvar que a minha "obrigação" como filho nunca esteve em causa antes pelo contrario,o minha duvida era perante a lei pois como ja devem ter imaginado nem todas as pessoas  se guiam pelos mesmos principios ,mesmo quando as situações envolvem familiares ,mas como quando "toca" a dinheiro a situação muda de figura e de que maneira.

Por isso quero saber como lidar com a situação.

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

todos os filhos são obrigados, por Lei, a dar alimento aos pais em caso de necessidade.

O mesmo se passa com os pais quando os filhos são menores de idade.

Dar alimento significa prover com os meios necessários, e de acordo com as posses de cada um, ao seu bem estar.

Isto é ainda mais significante quando os pais têm bens próprios (casas, dinheiro, etc) que vão deixar aos filhos: uma casa é "dinheiro" futuro que fica para os filhos mas que é do pai ou da mãe enquanto estes estão num lar.

portanto em termos legais todos têm que dar e qualquer um deles pode accionar os outros e exigir que dê: evidentemente que se um ganha 5.000 /mês e o outro ganha 485 / mês também manda a lógica e a justiça que dêem de forma diferente ou então que se façam as contas das despesas mensais (que devem em qualquer dos casos ser sempre feitas) e que depois esse deve / haver entre na massa da herança - p.ex quando se vender a casa dos pais essa verba entra nas contas.

Este é o principio e a regra e o resto é conversa fiada como se costuma dizer: se alguns dos irmãos não compreendem há que fazê-los compreender, apenas isso, mesmo que para tal seja necessário nomear alguém (advogado) para falar com eles.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

...

Agora  é que gostaria de obter respostas sobre:

E quando acabar o dinheiro "vivo" as despesas do lar quem as vai pagar?

Eu como cabeça de casal posso ser responsabilizado na totalidade ou só em parte pelo não pagamento das despesas no lar que ultrapassarem o plafond da reforma ?

todos os filhos são obrigados, por Lei, a dar alimento aos pais em caso de necessidade.

O mesmo se passa com os pais quando os filhos são menores de idade.

Dar alimento significa prover com os meios necessários, e de acordo com as posses de cada um, ao seu bem estar.

...

Este é o principio e a regra e o resto é conversa fiada como se costuma dizer: se alguns dos irmãos não compreendem há que fazê-los compreender, apenas isso, mesmo que para tal seja necessário nomear alguém (advogado) para falar com eles. ...

... gastando, para tal, o resto da herança desnecessariamente quando uma conversa clarificadora evitaria males maiores!...  :-X

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead