ccad

O arquitecto não me reembolsa!

6 publicações neste tópico

Bom dia.

Venho, se possível, tirar uma dúvida.

Tinha um projecto para construção de habitação em andamento e algum tempo depois de já ter pago tudo ao arquitecto desisti do projecto. Ficaram algumas coisas por concretizar e eu solicitei que ele me reembolsasse o valor que lhe paguei a mais. Foi aí que começaram os meus problemas pois ele reconheceu que era devido um reembolso (por email) mas não se disponibilizou para pagá-lo logo. Primeiro tinha a esposa doente e não tinha tempo, depois tinha dificuldades de tesouraria por causa de clientes devedores e que "teríamos que agendar o pagamento para uma altura propícia". Passaram-se no total 6 meses desde que comecei a solicitar o reembolso. Entretanto aconselharam-me a enviar-lhe carta registada com aviso de recepção, o que fiz, mas o resultado foi o mesmo: silêncio.

A minha questão é:

O que é que é esperado que aconteça após enviarmos a carta com aviso de recepção? Qual o efeito prático deste procedimento? Existe algum prazo de espera?

E não acontecendo nada que medidas se seguem?

Justifica-se nestes casos denunciar o arquitecto à Ordem?

Há alguma forma de resolver isto a bem?

São muitas perguntas, eu sei. Agradeço a quem me puder esclarecê-las o melhor possível.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Primeiro, acho que não explicastes bem a situação, mandaste fazer um trabalho, mas quem é que desistiu tu ou ou ele? é que se foste tu, não tens direito a nada, acho eu claro, agora se foi ele, aí sim deve te reembolsar.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Primeiro, acho que não explicastes bem a situação, mandaste fazer um trabalho, mas quem é que desistiu tu ou ou ele? é que se foste tu, não tens direito a nada, acho eu claro, agora se foi ele, aí sim deve te reembolsar.

Não sei se é bem assim - a verdade é que o arquiteto também não tem o trabalho feito para justificar este rendimento. Parece-me justo que fique com uma parte, em jeito de indemnização por se ter disposto a um trabalho (e eventualmente até ter recusado outros), agora o total, sobretudo se for um montante razoável é que já me parece abuso (ainda mais depois de se ter reconhecido que havia direito a esse reembolso).

Mas lá está, é por essas e por outras que estes trabalho vão sendo pagos em tranches - à medida que se vai tendo coisas do nosso lado é que se vai pagando mais um bocado. Senão quem é que garante que se reavê o dinheiro?

Entretanto aconselharam-me a enviar-lhe carta registada com aviso de recepção, o que fiz, mas o resultado foi o mesmo: silêncio.

A minha questão é:

O que é que é esperado que aconteça após enviarmos a carta com aviso de recepção? Qual o efeito prático deste procedimento? Existe algum prazo de espera?

A resposta a todas estas questões eras suposto tê-la dado tu na carta :)

E não acontecendo nada que medidas se seguem?

Justifica-se nestes casos denunciar o arquitecto à Ordem?

Há alguma forma de resolver isto a bem?

Pelo que percebi a bem já tu tentaste resolver e não resulta. Mas só uma coisa que ainda não percebi - já lhe chegaste a dar algum prazo?

Porque é que não lhe disseste na carta que, por exemplo, se não te devolvesse o dinheiro, conforme prometido no email, no prazo de duas semanas irias participar dele à Ordem e ainda dar início aos procedimentos legais necessários para reaver o dinheiro?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se é bem assim - a verdade é que o arquiteto também não tem o trabalho feito para justificar este rendimento. Parece-me justo que fique com uma parte, em jeito de indemnização por se ter disposto a um trabalho (e eventualmente até ter recusado outros), agora o total, sobretudo se for um montante razoável é que já me parece abuso (ainda mais depois de se ter reconhecido que havia direito a esse reembolso).

Mas lá está, é por essas e por outras que estes trabalho vão sendo pagos em tranches - à medida que se vai tendo coisas do nosso lado é que se vai pagando mais um bocado. Senão quem é que garante que se reavê o dinheiro?

A resposta a todas estas questões eras suposto tê-la dado tu na carta :)

Pelo que percebi a bem já tu tentaste resolver e não resulta. Mas só uma coisa que ainda não percebi - já lhe chegaste a dar algum prazo?

Porque é que não lhe disseste na carta que, por exemplo, se não te devolvesse o dinheiro, conforme prometido no email, no prazo de duas semanas irias participar dele à Ordem e ainda dar início aos procedimentos legais necessários para reaver o dinheiro?

Pois. Nunca fiz tal coisa e limitei-me a dar o NIB e dizer que o tempo que passou (6 meses) era mais do que razoável para ele já ter pago. De certa forma ficou subentendido que eu queria o pagamento de imediato.

Não deixei explícito nada do que iria fazer, mas será necessário explicar? fica um bocado óbvio que farei algo. Acho eu, ou não?

Quanto ao reconhecimento de que há lugar a reemboldso foi ele proprio que o reconheceu e inclusive chegámos ambos a acordo sobre o valor a reembolsar. Ainda reduzi um pouco ao valor que ele tinha colocado no email.

O engraçado disto tudo é que ele sempre foi um arquitecto exemplar (enquanto o dinheiro lá caiu). Ainda por cima trabalha na Ordem (acho que é tesoureiro ou algo assim) e só lhe fica mal se eu me for queixar dele à Ordem, participa em fóruns na Internet (ou seja, tb posso expô-lo publicamente), em suma é muito conhecido. Por 1000 euros está-se a deixar queimar desta maneira. ::)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Primeiro, acho que não explicastes bem a situação, mandaste fazer um trabalho, mas quem é que desistiu tu ou ou ele? é que se foste tu, não tens direito a nada, acho eu claro, agora se foi ele, aí sim deve te reembolsar.

Está na minha mensagem que fui eu que desisti.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se é bem assim - a verdade é que o arquiteto também não tem o trabalho feito para justificar este rendimento. Parece-me justo que fique com uma parte, em jeito de indemnização por se ter disposto a um trabalho (e eventualmente até ter recusado outros), agora o total, sobretudo se for um montante razoável é que já me parece abuso (ainda mais depois de se ter reconhecido que havia direito a esse reembolso).

Mas lá está, é por essas e por outras que estes trabalho vão sendo pagos em tranches - à medida que se vai tendo coisas do nosso lado é que se vai pagando mais um bocado. Senão quem é que garante que se reavê o dinheiro?

Ele foi pago, e bem pago, para se dedicar ao projecto. Ganhou 10.000 euros para fazer um projecto que não vai ter que acompanhar porque não vai acontecer. Estava previsto um projecto de iluminação que ele não fez, mais algumas coisas que ele próprio reconheceu que é devido ao cliente.  ::)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor