FerreiraJMC

Com esta crise, vale a pena Emigrar? Para onde?

28 publicações neste tópico

Ola a todos, já fiz a minha apresentação.

Tenho andado bastante desanimado com a situação em que o país se encontra.

Na minha situação, não estou com a corda na garganta, nem nada que se pareça, até tenho umas poupanças.

A quetão é que sinto uma certa frustação, pois embora tenha apenas o 12ºano, sinto que poderia ter ido bem mais longe.

No final do mês, o vencimento é muito pequeno e como sou bastante ambicioso/aventureiro, gostava de experimentar outros paíse. Já procurei muita coisa pela net sob emigrar, mas por não ter familia no estrangeiro, sinto que não é tão facil, além disso, julgo que a crise seja mundial, pelo que tenho medo que não compense estar longe da familia, amigos, etc....

Assim, gostava de saber qual a vossa opinião, qual o melhor pais para emigrar e qual o ramo, sabendo que apenas tenho o 12ºano e falo inglês (razoavel).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ásia....tudo diferente :-\

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde amigo, eu sou emigrante e nao me arrependo do que fiz.

Tu como nao tens familia emigrante, nao te aconselhava a emigrar, visto que nao e nada facil e as condicoes para quem esta sozinho tornam.se adversas, mas cada um sabe de si.

Eu na tua situacao mantia.me onde estou e tentaria arranjar outra forma de ganhar dinheiro, ou entao tirava um curso superior e pertencer a um quadro melhor remunerado.

Desejo.te Boa Sorte para o teu Futuro.

P.S- Tenho tambem o 12 ano e pouco ou nada te adianta no estrangeiro se nao tiveres experiencia

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O meu conselho,

Emigrar é sem duvida uma boa opção!

Em relação a formação superior eu não me preocupava muito com isso. Neste momento os mercados querem pessoas dinamicas, confiantes e com espirito de empreendedorismo, acima de tudo é preciso ter o minimo de confiança em determinada área e saber mostrar o minimo de experiencia,(portfolio).

Eu aconselharia, a Ásia, America do Sul,(qualquer país), África, e Oceania.

Se de facto tem o minimo de experiencia em determinada área, agarre numa maquina fotográfica e tire fotografias, a tudo o que considere ser uma mais valia, saiba seleccionar o melhor sem ser muito exaustivo, e acima de tudo arrisque por cima, envie para a empresa que estiver mais bem cotada no mercado a que quer concorrer.

Ainda não emigrei, mas ja tive que me deslocar para fora devido a trabalho, o contacto foi conseguido, online trocando experiencias de trabalho através de fotos ou conversa em blogs. Sou formado, mas muitas das pessoas com quem tenho trabalhado, não tem formaçao superior, e o resultado do seu trabalho tem a ver com um acumular de experiencia profissional que tem vindo a procurar e a adquirir.

Se de facto sente vontade em ir para fora, eu aconselho-o a arriscar mm que seja por um periodo curto, (uma coisa é certa vai de certeza ter uma experiÊncia nova na sua vida).

os meus cumprimentos e boa Sorte

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Algumas pessoas conhecidas vão emigrar. O que esquemas que essas pessoas vão aplicar é o seguinte: seleccionam um país e marcam uma viagem de 15 dias. E nesses 15 dias em de visitarem o país, vão procurar emprego. O objectivo não é encontrar logo trabalho na área de formação, é sim encontrar algo que lhes permita ter rendimentos para se manterem lá no país. Esta opção é arriscada, mas poderá ter bons resultados. Os países que estas pessoas estão a considerar são o Canadá, Reino Unido, França, Países Baixos, Suíça e Alemanha.

Uma outra pessoa conhecida vai emigrar para o Luxemburgo. Apesar de ser licenciada em enfermagem, já tem no Luxemburgo emprego garantido como empregada de limpeza. Mais uma vez o que esta pessoa quer é estar lá no país e depois de já estar lá procura algo melhor e de acordo com a sua formação.

Não tens família a residir no estrangeiro, sendo assim tens de falar com os teus amigos e conhecidos, esta última pessoa conhecida foi graças a um amigo que arranjou esta oportunidade de ir para o Luxemburgo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Acho que a Austrália é um dos melhores destinos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá!

Que curso devo frequentar que me garanta um emprego com salário de 3 mil dólares e residencia permanente no país?

Tenho interesse por Canadá, Australia e Nova Zelandia.

Um curso para operar alguma máquina como raio x, densitometria ou algo semelhante.

Algum país onde eu possa ir para frequentar o curso e depois conseguir um emprego.

Alguma área técnica sempre em demanda.

Eu tenho intenção de imigrar para um desses países, frequentar um bom curso de curta duração e com o qual eu possa conseguir um emprego que me mantenha no país com residencia permanete para depois frequentar outros cursos. até atingir uma boa renda.

Eu possuo curso técnico contabilista entre outros no ramo administrativo.

Brasileiro, 43 anos, solteiro e sem necessidade de voltar ao Brasil.

Por favor, me ajudem.

Grato.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

melhores destinos canada, astralia e asia, o resto esta tudo lixado. estive em angola passar ferias mas tenho la amigos a trabalhar a passar fome. comida carissima, o branco lá é preto dificultam uma pessoa ao maximo. depois casa e trabalho, sair sozinho é aventura. trabalhos a pagar casa, comida e transporte já se contam com dedos... ir para la e viver com barriga cheia e pagar as contas minimo 5000 dollars mes

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia a todos.

Emigrei para os USA em 2007, a convite da minha namorada que tinha familia em NJ ha mais de 20 anos. Eu nao tinha ninguem conhecido.

Foi a melhor decisao que tomei na minha vida. Comecei por baixo a fazer algo que nunca tinha imaginado fazer, mas hoje passados apenas 5 anos ja alcancei os objectivos a que me propus. Trabalho na minha area profissional (licenciado em PT) e como casal poupamos mais de $40,000/ano (levando uma vida perfeitamente normal, nao luxuosa mas normal!).

Nao quero com isto dizer que tudo e facil, bem pelo contrario e um caminho bem duro de percorrer, mas nao deixo de aconselhar a todos os jovens portugueses a fazerem como eu, pelo menos tentem, se correr mal nao perdem nada!

Boa sorte a todos!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho 47 anos, sou profissional de artes gráficas, fotografo há seis anos e procuro trabalho. Falo algum inglês. Se me puderem ajudar, ficarei grato.   

pfilipe@facebook.com

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde!

Adorava poder trabalhar em Moçambique, tenho 52 anos . SOu psicóloga , mestte em GRH , dou aulas , formçaão, recrutamento.

Só quero sair daqui, estou saturada. Gostao e tenho afinidade por terras africanas e quero ficar a resdir neste tipod e país.

Conehecm alguma soportunidades em Moçambique?

Tenho um amiga a viver na BEira.

Gosto do povo africano, australiano.

Obrigada epla atenção dispensada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

voces devem pensar que imigrar e so meter dinheiro ao bolso

eu estou na suiça a quase 2 anos e inda n juntei 1 centimo..

e atençao, nem ao resraurant vou comer..

a crise n ests so em portugal.. aqui tambem ests em que um saco po lixo custa 3 francos

aqui tudo se paga..

e ja a minha manzinha diz " pa comer e dormir tmb comes e dormes em portugal"

e espero k em breve volte para portugal, prefiro enfrentst a crise do meu pais junto dos meus doque num pais s qual n pertenço.. imigrem todos assimmais trabalho ha pra mim :) ahah

em breve voltarei as minhas origens e serei feliz, cm ou sem dinheiro.. coisa que aqui n sou...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia e um bom ano para todos:

Já fui emigrante em França. mas por pouco tempo (1 ano), já naquele tempo não estava famoso (1997) e para ganhar para as sopas, então estou no meu país, porque mesmo assim ainda consigo fazer uma vida melhor que estando onde estava.

O que eu aconselho, e como isto está a nível de crise, se temos emprego cá, mesmo a não ganhar muito, mas só que vá dando para os gastos, vale mais aguentar o barco.

A crise não é só em Portugal, emigrar para depois andar lá aos caídos, então vale mais estar no meu país, porque depois nem lá nem cá.

Um abraço

Feliz 2013 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde

Quem tem emprego em portugal - depende que tipo de emprego pode aguentar

ou partir a decisão tem que ser bem pensada.

Em caso de não ter emprego ou estar um membro DO CASAL Dsempregado (casal), ESQUESA PORTUGAL SE POSSIVEL DURANTE TODA A SUA VIDA SÓ VOLTE 3 SEMANAS DE FERIAS. EM PORTUGAL SE NÃO OUVE-SE SOL E PRAIA  ERA UM PAIS COMO A ITIOPA. ESTE PAIS NÃO INTERESSA A NINGUEM E SE ENQUANTO SE É NOVO NÃO SE TOMAR CERTAS DESIZÕES, DEPOIS ACONTECE QUE AOS 40 E 50 ANOS ANDA  COMO A MEIORIA DE ARREPENDIDOS DE NÃO TER EMIGRADO.

SEM FALAR DOS DITADOS DO POVO:  "SE NÃO ESTUDARES DEPOIS TORSES BEM AS ORELHAS, ESTAS BEM TRAMADO" AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

SE NÃO EMIGRARES É QUE ESTAS BEM TRAMADO ACREDITA, A NO SER QUE CASES RICO OU TENHAS UMA BOA HERANÇA OU SEJAS GATUNO, BOM AINDA TEMS BASTANTES OPÇÕES.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Caro Rui Mosca,

Lamento ter de dizer isto, mas pela forma como escreve bem pode emigrar...

E hoje em dia não tem desculpa, ou porque não estudei, ou porque não me deixaram, etc... Existe uma coisa chamada corrector ortográfico que costuma ajudar...

Conheço muito caso de pessoas que quando estão em Portugal, acham que trabalhar cansa, faltam por tudo e por nada, se forem necessárias umas horas extra não podem (tb existem patrões sem escúpulos...), têm de comprar o carro melhor do que o do vizinho ou do amigo (nem que tenham de se endividar até ao tutano), andar de transportes públicos nem pensar...

Mas quando emigram, não se importam de andar a pé, morar num barraco, trabalhar 60H por semana, etc...

Vergonha na cara é o que falta a muito português! Trabalho não falta, faltam são empregos com pouco trabalho...

M

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Caro Rui Mosca,

Lamento ter de dizer isto, mas pela forma como escreve bem pode emigrar...

E hoje em dia não tem desculpa, ou porque não estudei, ou porque não me deixaram, etc... Existe uma coisa chamada corrector ortográfico que costuma ajudar...

Conheço muito caso de pessoas que quando estão em Portugal, acham que trabalhar cansa, faltam por tudo e por nada, se forem necessárias umas horas extra não podem (tb existem patrões sem escúpulos...), têm de comprar o carro melhor do que o do vizinho ou do amigo (nem que tenham de se endividar até ao tutano), andar de transportes públicos nem pensar...

Mas quando emigram, não se importam de andar a pé, morar num barraco, trabalhar 60H por semana, etc...

Vergonha na cara é o que falta a muito português! Trabalho não falta, faltam são empregos com pouco trabalho...

M

subscrevo em tudo

e apenas li um paragrafo do anterior comentador... os meus olhos nao aguentaram estes assassinatos... já me chega o novo acordo ortografico!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Cuidado com as falsas ideias que têm.

Emigrar não é pera doce e se alguns pensam que vão ganhar mais, não se esqueçam que também irão gastar mais...

Podem dizer mal da pátria e de fulano A ou do fulano B, mas apesar de tudo ainda há muita coisa boa em Portugal que lá fora não há a começar pela hospitalidade e solidariedade. Vejam-se as campanhas do Banco Solidário e outras...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vou-vos relatar a minha experiência de emigração para a Irlanda em 2008.

Sou licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra desde Setembro de 2006 mas, tal como muitos meus colegas de curso, nunca trabalhei na minha área de formação. Em finais de 2007, depois de ter trabalhado quase um ano na área da restauração e de ter trabalhado um mês numa livraria muito conhecida da qual me mandaram embora no final do mês de experiência de uma forma algo estranha, andava aborrecido com o mercado de trabalho em Portugal (falta de meritocracia, salários baixos e critérios de selecção nas entrevistas de objectividade muito duvidosa) e com as perguntas de merda que muitas vezes se fazem nas entrevistas de emprego (que chegam a violar a privacidade do entrevistado e até dos familiares dos mesmos).

Parti então nos últimos dias de 2007 para Dublin, capital da República da Irlanda que naquela altura tinha crescimento económico na ordem dos 6%, uma taxa de desemprego pelos 4% e era chamado de "Tigre Celta". Logo nos primeiros dias eu percebi a dificuldade em se emigrar para algum local onde não se conhece ninguém e as coisas são diferentes. Ao fim de algum tempo percebi que não pretenderia viver naquele país para o resto da minha vida mas se me conseguisse aguentar a trabalhar lá nem que fosse durante um ano conseguiria amealhar algum para voltar depois a Portugal com mais dinheiro no bolso. Arranjar quarto foi o mais fácil pois arranjei em 3 dias enquanto outros emigrantes demoram 3 semanas. Arranjar emprego foi o mais complicado pois entretanto a economia irlandesa entrou em declínio precisamente naquela altura mas mesmo assim ao fim de 3 semanas consegui arranjar trabalho numa nova loja do Lidl que abriu não muito longe de onde me encontrava a morar (que era na área metropolitana de Dublin mas não na cidade).

O trabalho começou bem com cerca de 30 horas de trabalho semanal nas primeiras duas semanas (o contrato era de 10 horas semanais mas era flexível até 40 horas). Numa semana ganhei quase o salário de um mês em Portugal. Mas a fraca afluência de cliente nessa loja (num retail park algo fora de mão) fez com que a empresa começasse a reduzir a carga horária aos trabalhadores até a maioria estar a trabalhar pouco mais que 10 horas semanais e a ter de aguentar o custo de vida de Dublin com cerca de 600€ por mês (só o minúsculo quarto onde vivia tinha uma renda de 325€ por mês). Eu fui um dos infelizes contemplados com essa redução horária. Depois de não poderem reduzir mais o horário semanal aos trabalhadores começaram a mandar embora os próprios (o período de experiência era de 3 meses e depois ficava-se como efectivo), tenho eu sido contemplado com tal medida ao fim de 2 meses de trabalho e de muita pressão da parte da equipa de gerência que nunca estava satisfeita com a velocidade com que o trabalho era feito ("Faster! Faster!" era das poucas coisas que um sub-gerente húngaro sabia dizer bem em inglês). Dos 30 trabalhadores inicialmente recrutados sobravam apenas 10 quando me mandaram embora.

Ao fim de cerca de 1 mês e meio a procurar trabalho, e com a pouca vida social que tinha conseguido ter com os meus colegas no Lidl desfeita, lá decidi voltar a Portugal (psiquicamente estava já a sentir-me afectado não só pela falta de vida social mas também pelo cansaço de andar dias inteiros a entregar CV's sem ter qualquer resposta).

Senti-me contente por estar de volta a casa mas ao fim de uma semana estava outra vez aborrecido com o país mas também porque me habituei a viver por mim mesmo e agora tinha de viver outra vez com a minha mãe, e mais aborrecido fiquei quando recebi nessa altura no meu telemóvel com cartão SIM irlandês um SMS a perguntar-me se eu poderia ir dentro de dias a uma entrevista numa KFC (local onde tinha deixado o CV um mês antes). Nada feito.

Arranjei pouco depois emprego em Portugal mas todas as queixas que eu tinha daquilo que é trabalhar em Portugal se confirmavam todos os dias (na Irlanda ao menos existe mais meritocracia, os salários são mais altos e nas entrevistas não são tão invasivos).

A minha experiência de emigração na Irlanda falhou (tal como falhou a experiência de muitos outros imigrantes naquele país a partir de 2008 fruto da alteração de conjuntura económica) mas tornou-me mais corajoso para experimentar sair da minha zona de conforto e entretanto já estive num projecto de voluntariado (mas pago) por um ano na Croácia (o melhor ano da minha vida pós-Universidade) e num projecto também de voluntariado (mas também pago) por 3 meses em Israel.

Mas Portugal é um país que trata muito mal quem quer trabalhar e quem tem estudos superiores e não vejo futuro nenhum no meu país, pelo que a emigração está sempre no meu horizonte.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vou-vos relatar a minha experiência de emigração para a Irlanda em 2008.

Sou licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra desde Setembro de 2006 mas, tal como muitos meus colegas de curso, nunca trabalhei na minha área de formação. Em finais de 2007, depois de ter trabalhado quase um ano na área da restauração e de ter trabalhado um mês numa livraria muito conhecida da qual me mandaram embora no final do mês de experiência de uma forma algo estranha, andava aborrecido com o mercado de trabalho em Portugal (falta de meritocracia, salários baixos e critérios de selecção nas entrevistas de objectividade muito duvidosa) e com as perguntas de "beleza" que muitas vezes se fazem nas entrevistas de emprego (que chegam a violar a privacidade do entrevistado e até dos familiares dos mesmos).

...

Arranjei pouco depois emprego em Portugal mas todas as queixas que eu tinha daquilo que é trabalhar em Portugal se confirmavam todos os dias (na Irlanda ao menos existe mais meritocracia, os salários são mais altos e nas entrevistas não são tão invasivos).

A minha experiência de emigração na Irlanda falhou (tal como falhou a experiência de muitos outros imigrantes naquele país a partir de 2008 fruto da alteração de conjuntura económica) mas tornou-me mais corajoso para experimentar sair da minha zona de conforto e entretanto já estive num projecto de voluntariado (mas pago) por um ano na Croácia (o melhor ano da minha vida pós-Universidade) e num projecto também de voluntariado (mas também pago) por 3 meses em Israel.

Mas Portugal é um país que trata muito mal quem quer trabalhar e quem tem estudos superiores e não vejo futuro nenhum no meu país, pelo que a emigração está sempre no meu horizonte.

Parabéns pelo coragem que tem e pela partilha que fez. Devia haver politicas para defender o que é nosso e não deixar "sair" para fora o nosso bem mais precioso - a educação. Depois de tanto investimento pessoal, familiar e estatal... aquilo que se constata no dia a dia é a liberalização e desregulação e depois esquecem-se do incentivo à economia de tal forma que qualquer dia não há contribuições para pagar certas reformas vitalícias...  :-X

Mais uma vez, parabéns e votos de futuro sucesso.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

gostei muito de ler a tua mensagem, és um grande exemploe deves ser um excelente jovem - a minha mensagem para ti é que não desanimes, por um lado, mas que de facto e dado o curso que tiraste deves optar por das duas uma ( lembra-te do seguinte: uma licenciatura é apenas e tão só uma "licença" para estudar sózinho, pelos seus próprios meios, e não significa emprego garantido na área da licenciatura - em lado nenhum do mundo e não apenas em Portugal ) :

1. és capaz de ter perfil para teres o teu próprio negócio , até na área que escolheste ( p.ex uma sala de estudos privada para explicações )

2. Portugal não te vai dar emprego nos próximos anos (bastantes) pois na tua área o ensino oficial e privado está saturado

3. Emigrar é sempre uma boa opção pois a Europa está em crise mas a crise deles é diferente (melhor..) que a nossa

4. Emigrar pode ser considerado mas exige preparação prévia - aconselho-te a olhar para os concursos periódicos e frequentes que saem para trabalhar nos escritórios da Comunidade Europeia em Bruxelas e noutros locais - são excelentes oportunidades para jovens como tu e a tua licenciatura é de uma Universidade muito prestigiada e é muito útil na Comunidade pois é da área das humanisticas ( e de folhas de excel estamos nós cheios e lá fora o humanismo é levado mais a sério do que cá - nesse aspeto somos umas "pedras" infelizmente. No entanto deves estar preparado para seres muita coisa além de historiador pois nesses países quem tem formação superior é esperado poder exercer muitas funções qualificadas e ser polivalente.

Finalmente não desistas, não te agarres a isto e pensa positivo - se fizeres da busca de uma oportunidade qualificada um trabalho, cá ou lá fora, verás que alcanças o objetivo - mas trabalhar em supermercados isso para ti deve ser apenas para ter um orçamento próprio e para te dar tempo a procurar algo adequado.

boa sorte!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Viva_a_História e outros !

já viste isto ?  Eu, se tivesse a tua idade e estivesse na tua situação e no atual contexto em Portugal, olhava para isto cuidadosamente... aqui não há cunhas e conta o mérito e as competências pessoais e um curso de História é uma formação muito útil na ONU

aqui vai..

www.dinheirovivo.pt/Emprego/Artigo/CIECO160476.html

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Acho que desde que as pessoas tenham vontade de trabalhar e tenham um espírito aventureiro, podem safar-se em qualquer lado. Conheço pessoas com a 4ª classe, cá andavam aos tombos, metidos em coisas menos boas, decidiram partir, hoje são chefes de cozinha de grandes hotéis na Suíça ou Alemanha, outros são jardineiros, manobradores de máquinas e ganham num mês o que por cá se ganha em 3 ou 4 meses. A língua? Vai-se aprendendo ou não, depende da vontade e do interesse de cada um. Mais tarde pode até surgir algo na área de cada um.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

mais dados sobre este assunto

boasnoticias.sapo.pt/noticias_ONU-divulga-em-Lisboa-oportunidades-de-carreira_15888.html

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead