kaloksi

Aconselhamento de Investimento

18 publicações neste tópico

Olá a todos,

Neste momento tenho uns 60.000 EUR que gostaria de aplicar por um período de 3 anos. O meu perfil de investimento seria moderado pelo que não considero acções.

Contudo gostaria de perguntar a vossa opinião se o investimento em obrigações do BCP

BCPPL 5.625 04/23/14 que actualmente têm um YTD de 22.90% brutos ao ano

ou

BESPL 3.875 01/21/15 com um YTD de 15.42% brutos ao ano

Acham que o risco de default é demasiado mesmo com o plano da Troika de recapitalização dos bancos?

O que recomendariam?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

... gostaria de perguntar a vossa opinião se o investimento em obrigações do BCP

BCPPL 5.625 04/23/14 que actualmente têm um YTD de 22.90% brutos ao ano

ou

BESPL 3.875 01/21/15 com um YTD de 15.42% brutos ao ano

A rentabilidade "bruta" no primeiro caso é de 5.625% e no segundo caso é de 3.875%?

Fala-se, que há depósitos a prazo com taxas anuais apelativas!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

JRibeiro, penso que 5,525 e 3,875 sejam os juros do cupão das obrigações.

Pelos YTD que o kalolski disponibilizou, podemos inferir que a compra destas obrigações seria abaixo do par e por conseguinte, além da taxa de juro do cupão, também iríamos obter lucro graças à diferença de preço entre o cupão e o preço de compra. Ou seja, a taxa de juro seria mais atractiva nas obrigações que nos depósitos a prazo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim, brutalmente atractivas.  ;D

É certo que a YTD pressupõe que os juros dos cupões recebidos são reinvestidos à mesma YTD (que é quase impossível), mas tendo em conta que são só 3 anos de cupões, a taxa bruta real não é muito inferior aos 22.9%.

Agora boas rentabilidades equivalem a algum risco. A probabilidade de o BCP falir (não pagar) não é desprezável, mas também não considero que seja o cenário mais provável. Se as coisas derem mesmo para o torto, mais depressa há uma nacionalização do que deixar cair o maior banco privado.

Se  o capital a investir não representar todas as suas poupanças, porque não tentar? Nem todos temos acesso a essas obrigações com valores nominais de 50k, logo está numa situação mais vantajosa.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelas dicas. Se tiverem mais por favor divulguem.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

kaloski apesar de a taxa de juro ser mais atractiva, eu não investiria nas obrigações desses bancos... Sempre que ouvisse uma noticia menos boa sobre os mesmos eu ficava uma noite sem dormir. Se for esse o teu único dinheiro, não o deverias colocar todo em obrigações.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se o perfil é moderado então acções nao haveria nada de mal...

Um portfolio constituido em partee por acções é menos arriscado do que 100% obrigações.

Independentemente disso, 3 anos é um prazo curto para tal memso que com diversificação está-se sempre sujeito a entrar num possivel topo nunca se sabe.

De qualquer das formas, para o periodo em causa talvez uma panóplia de obrigações corporativas com duração de 2.5 anos sensivelmnte

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas aqui não estamos a falar em fundos de obrigações, mas sim de compra directa de obrigações, em que se sabe logo à partida qual o capital que se recebe e quando. Só mesmo uma falência do banco é que iria por o dinheiro em risco.

Topos e fundos de mercado não se aplicam (mantendo até à maturidade).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

mas quem é que falou em fundos?  ???

Mantendo até a maturidade? Sim se nao houver um default... mas se está a pagar um juro de 23% por alguma razão é...

E lá está colocar tudo no mesmo cesto é o erro da maioria das pessoas.

É preferível colocar em obrigações, em várias corporativas sobretudo blue chips.

Johnson and Johnson, Kraft Foods, Berkshire, KO, Unilever, Wal Mart ... etc este tipo de empresas...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Um portfolio constituido em partee por acções é menos arriscado do que 100% obrigações.

Nem tanto ao mar nem tanto à terra... O único risco das obrigações é o de falência da empresa - e nesse caso as ações também não valerão nada...

Concordo que se deve diversificar a carteira, agora dizer que ações são menos arriscadas que obrigações é induzir as pessoas em erro...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

mas quem é que falou em fundos?  ???

Mantendo até a maturidade? Sim se nao houver um default... mas se está a pagar um juro de 23% por alguma razão é...

E lá está colocar tudo no mesmo cesto é o erro da maioria das pessoas.

É preferível colocar em obrigações, em várias corporativas sobretudo blue chips.

Johnson and Johnson, Kraft Foods, Berkshire, KO, Unilever, Wal Mart ... etc este tipo de empresas...

Isso não é má ideia mas o BEST não disponibiliza as mesmas, aparentemente apenas junk bonds e depois cada uma delas tem o valor nominal de 50000 EUR/USD e o meu total de cash é de 60 000 EUR.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nem tanto ao mar nem tanto à terra... O único risco das obrigações é o de falência da empresa - e nesse caso as ações também não valerão nada...

Concordo que se deve diversificar a carteira, agora dizer que ações são menos arriscadas que obrigações é induzir as pessoas em erro...

eu nao disse q eram menos arriscadas.

Disse que um portfolio constituido por parte com acções é menos arriscado que um que seja 100% obrigações.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Disse que um portfolio constituido por parte com acções é menos arriscado que um que seja 100% obrigações.

Ok, depende do que sejam as outras partes - 95% DP e 5% acções é capaz de ser menos arriscado que 100% obrigações, sim ;D E obviamente também depende de quais ações e quais obrigações...

Mas da forma como apresentaste a coisa estás a comparar apenas estes dois produtos genericamente e nesse caso mantenho o que disse... Ou senão explica lá como é que o risco é menor, que é para eu poder dizer se concordo ou não...

Hoje em dia fala-se de muita coisa e parece que apenas se dá importância à moda do momento... agora fala-se do risco das obrigações em caso de falência e, de repente, é como se fossem o cancro dos produtos financeiros... fala-se de que o FGD pode não conseguir garantir os depósitos de um grande banco e de repente o DPs são inseguros - quando continuam a ser o produto financeiro mais seguro que existe; e as obrigações provavelmente o que se segue em termos de risco.

Se calhar é por isso que a bolsa não para de cair - já ninguém liga às ações :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

mas quem é que falou em fundos?  ???

Mantendo até a maturidade? Sim se nao houver um default... mas se está a pagar um juro de 23% por alguma razão é...

E lá está colocar tudo no mesmo cesto é o erro da maioria das pessoas.

É preferível colocar em obrigações, em várias corporativas sobretudo blue chips.

Johnson and Johnson, Kraft Foods, Berkshire, KO, Unilever, Wal Mart ... etc este tipo de empresas...

A única maneira de conseguir investir numa panóplia de obrigações corporativas é através de fundos. Não tenho nada contra os fundos, pelo contrário, mas têm um factor de incerteza da rentabilidade que pode não ser o prato preferido de todos aqueles que gostam de saber com o que contam.

Obviamente que não se deve pôr todos os ovos no mesmo cesto. Aliás, no meu post anterior disse especificamente que podia ser uma boa hipótese de investimento desde que não represente a totalidade das poupanças. Tenho muito respeito pela diversificação, mas há casos em que uma maior concentração do capital pode constituir uma boa oportunidade. Tanto para aplicações deste tipo como para DPs especiais.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ok, depende do que sejam as outras partes - 95% DP e 5% acções é capaz de ser menos arriscado que 100% obrigações, sim ;D E obviamente também depende de quais ações e quais obrigações...

Mas da forma como apresentaste a coisa estás a comparar apenas estes dois produtos genericamente e nesse caso mantenho o que disse... Ou senão explica lá como é que o risco é menor, que é para eu poder dizer se concordo ou não...

Hoje em dia fala-se de muita coisa e parece que apenas se dá importância à moda do momento... agora fala-se do risco das obrigações em caso de falência e, de repente, é como se fossem o cancro dos produtos financeiros... fala-se de que o FGD pode não conseguir garantir os depósitos de um grande banco e de repente o DPs são inseguros - quando continuam a ser o produto financeiro mais seguro que existe; e as obrigações provavelmente o que se segue em termos de risco.

Se calhar é por isso que a bolsa não para de cair - já ninguém liga às ações :D

Nãoe stamos a falar em depósitos.

Entre 3 portfolios:

100% acções

100% obrigações

E 70% obrigações 30% acções

é menos arriscado o terceiro portfolio.

Isto deve-se às covariancias de cada classe de activo em si.

É a mesma coisa para um casino. Um casino prefere ter 10 roletas com apostas máximas 1000 €, do que 1 roleta com aposta máxima de 10 000 €, devido as suas covariancias e falta de correlação.

Matematicamente é isto (espero que percebam a letra  ;D)

pictureb.png

picture005.png

Para explicação menos "teórica", o tópico que eu criei do Super PPR fala desse mesmo fenómeno.

Cumprimentos,

O risco das acções anda á volta dos 15%. Obrigações em torno dos 9%.

É fazer as contas

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

As acções podem desvalorizar e "nunca mais" (tempo útil) voltar ao preço a que as adquirimos, enquanto as obrigações levadas até à maturidade rendem exactamente o valor nominal (menos custos).

Pessoalmente prefiro as obrigações, pois excluindo o cenário de falência (caso em que, como já foi mencionado, as acções também "ardem"), sei quanto e quando vou receber.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A única maneira de conseguir investir numa panóplia de obrigações corporativas é através de fundos.

Bom, actualmente no BiG podes adquirir EDP, Irlanda e Portugal a partir de 3.000 EUR nominais em cada. Provavelmente outras oportunidades, algumas corporativas, surgirão... É verdade que com esse montante de investimento serás um bocado prejudicado em termos de custos, mas mesmo assim poderá ser preferível à margem (e ao controlo) que perdes quando investes atraves de um fundo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Dificilmente considero ter obrigações de 1 empresa uma "panóplia de obrigações corporativas".

Mas, sim, tratando-se da EDP, acho que tem segurança suficiente para me aventurar nas obrigações directas.

É difícil adquirir obrigações de alguma outra empresa, pois é tudo da classe dos 50000.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead