CFinanceiro

Deutsche Bank em Portugal passa a sucursal para evitar risco nacional

20 publicações neste tópico

Interessante... :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O Barclays em Portugal também é sucursal do Barclays Bank e julgo que o PrivatBank (este com menos certezas) também se encontra na mesma situação.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O Barclays em Portugal também é sucursal do Barclays Bank e julgo que o PrivatBank (este com menos certezas) também se encontra na mesma situação.

Posso confirmar a situação do PrivatBank. É uma sucursal do banco letão.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas qual o significado de "evitar o risco nacional"?

Significa que se Portugal sair do Euro os nossos depósitos continuam em Euros ou que por o FGD ser de outro país sempre se está exposto a menos risco?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Significa que se o país entrar em banca rota os depositantes do DBK tem os seus depósitos garantidos pela Alemanha!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Significa que se o país entrar em banca rota os depositantes do DBK tem os seus depósitos garantidos pela Alemanha!

Pesquisei na net pelo limite dos depósitos na Alemanha e encontrei alguns artigos interessantes de 2008 sobre a Alemanha fornecer uma garantia ilimitada sobre os depósitos. Entretanto, julgo que esta medida já terá sido alterada mas não encontro a confirmação.

Mas há uma coisa que me baralha um pouco. Então caso Portugal saia do euro (julgo que não é solução e duvido que tal aconteça) porque motivo é que o banco iria fazer o cambio para escudos e perder a consequente desvalorização? Não sei se me faço perceber...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A questão não é se sai do Euro, mas sim se entra em banca rota!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para além da questão da banca rota de Portugal, a mim tb me interessa de facto saber se, sendo sucursal, os depósitos são garantidos em euros ou não

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para além da questão da banca rota de Portugal, a mim tb me interessa de facto saber se, sendo sucursal, os depósitos são garantidos em euros ou não

Vou pegar no exemplo do Barclays, mas julgo que existem mais dois bancos na mesma situação (filial em Portugal):

O valor indemnizatório máximo que o sistema proporciona a cada depositante é £ 85,000 (oitenta e cinco mil libras esterlinas), correspondente a um valor fixo de 100.000 € (cem mil euros) nos Estados Membros da União Europeia, sejam os depositantes residentes ou não em Portugal e os depósitos expressos em moeda nacional ou estrangeira. O reembolso é realizado em Euros.

O problema é parece sempre haver espaço para dar a volta ou texto.

Mas julgo que não efectuaste a pergunta correctamente. Não querias perguntar algo como "a mim tb me interessa de facto saber se, sendo sucursal e Portugal saia do Euro, os depósitos continuam em euros ou não".

Se pensar de acordo com o banco, não consigo perceber porque é que o banco iria passar os euros para escudos e ficar com "menos"dinheiro devido à desvalorização que se iria seguir.

Mais alguém para dar a sua opinião?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

No caso do banco ser Inglês faria sentido por causa da libra mas no caso alemão a moeda continua a ser o Euro. Mas em qualquer um dos casos seria feito o cambio para escudos como acontecia antigamente!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

No caso do banco ser Inglês faria sentido por causa da libra mas no caso alemão a moeda continua a ser o Euro. Mas em qualquer um dos casos seria feito o cambio para escudos como acontecia antigamente!

Mas isso não parece ter muita lógica por um motivo. O banco tem 500.000€ (vamos supor que é o equivalente a 400.000 libras) de depósitos em Portugal. No dia seguinte Portugal sai do Euro e é feito o cambio, nesta altura ainda mantêm as 400.000 libras, mas em Escudos. No dia seguinte ocorre a desvalorização da nossa moeda e em vez de 400.000 libras o banco passa a ter 100.000 libras.

Por isso é que eu pergunto, porque motivo é que iria o banco ficar com menos dinheiro em depósitos? Existe alguma coisa que impeça o banco de manter os depósitos em Euros sendo uma sucursal em Portugal?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Imagino que o mais provável é que antes fosse aprovada alguma lei obrigando à conversão do montante e da designação das contas para escudos (a propósito, foi o que aconteceu quando entrámos para o euro, lembram-se?). Faz todo o sentido que assim fosse - senão ninguém quereria ter contas em escudos e aí é que a moeda desvalorizava ainda mais depressa...

Para além disso, é de todo o interesse dos bancos fazer a conversão - assumindo uma desvalorização da moeda, teriam todo o interesse em continuar a fazer os seus grandes investimentos em euros, enquanto depois pagavam em escudos aos seus clientes, quando estes fossem buscar o dinheiro dosseus depósitos de volta (ficando o banco com a valorização do investimento e o cliente com uma valorização bem mais baixa, devido à desvalorização que a divisa teria sofrido entretanto).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas ... o problema segundo penso é que, numa situação de saída de Portugal do euro, isso será anunciado durante o fds e os bancos ficam encerrados durante alguns dias. Durante este período, a nova moeda (escudo) é desvalorizada entre 40 a 50 % como aconteceu na Islândia e Argentina (Claro que por enquanto esta expª não existe na zona EURO).

Daí a questão: A sucursal do D.Bank em Portugal garante o valor dos depósitos em euros nesta sutuação?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas ... o problema segundo penso é que, numa situação de saída de Portugal do euro, isso será anunciado durante o fds e os bancos ficam encerrados durante alguns dias. Durante este período, a nova moeda (escudo) é desvalorizada entre 40 a 50 % como aconteceu na Islândia e Argentina (Claro que por enquanto esta expª não existe na zona EURO).

Isso também não é assim :)

Não se muda de moeda de um dia para o outro, só porque alguém diz... Isso implica vários meses de discussão e, mesmo depois de uma decisão tomada, mais meses para preparar a migração. Lembram-se quanto tempo passou desde que o valor do escudo foi fixado em euros até se passar a ter contas em euros e depois moeda? Não é só com um estalar dos dedos que se inverte esse processo todo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Isso também não é assim :)

Não se muda de moeda de um dia para o outro, só porque alguém diz... Isso implica vários meses de discussão e, mesmo depois de uma decisão tomada, mais meses para preparar a migração. Lembram-se quanto tempo passou desde que o valor do escudo foi fixado em euros até se passar a ter contas em euros e depois moeda? Não é só com um estalar dos dedos que se inverte esse processo todo...

Acrescento também que para sairmos do euro, teremos que sair por nossa vontade, não podemos ser expulsos. Outra, alguém acredita que a União Europeia e o € consigam sobreviver após a saida de um dos países? Eu não.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Acrescento também que para sairmos do euro, teremos que sair por nossa vontade, não podemos ser expulsos.

Eu não estaria tão certo disso...

Supostamente há critérios a cumprir para continuar no Euro. Ok, quase todos os países os furaram agora nesta altura, mas esses mesmos países têm PECs para voltarem aos valores normais, como dizem as regras.

Se algum dos países se marimbasse para isso, ou não cumprisse sistematicamente o plano, achas mesmo que ao fim de alguns anos não era corrido?

Outra, alguém acredita que a União Europeia e o € consigam sobreviver após a saida de um dos países? Eu não.

Eu acredito. E até vou mais longe - acho que mesmo que a Alemanha decidisse sair do Euro, ele se conseguiria manter, porque há muitos países interessados nas vantagens que ele trouxe (sobretudo os pequenos países).

Claro que a moeda não teria a mesma força, mas acho que se fosse apenas um ou dois que decidisse sair, não era por aí que a moeda desapareceria.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A união europeia / € só acaba se de alguma maneira for benéfico para Alemanha/França (o que não parece ser o caso), por isso mais tarde ou mais cedo eles acabarão por tomar medidas, quando? não sei, mas tenho um palpite que será quando não se falar de outra coisa nos media a não ser de um iminente bailout de Espanha.

No dia em que sair o primeiro pais do €, acaba-se a União Europeia e o €. Os mercados não vão perdoar.

Alemanha e Franca não vão arriscar a ir para a antiga moeda, o resultado desta medida seria totalmente imprevisível, tanto podia ser benéfico como altamente trágico.

Na minha opinião, iremos continuar no €, mas lá que vamos levar pancada nos próximos anos, isso vamos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pelo que tenho lido o "medo" da UE não é a Espanha porque ao que parece para esses ainda haveria dinheiro o problema é mesmo a Itália que deve ser 3 vezes o que precisa a Espanha...

Infelizmente esta União Europeia ainda tem muito pouco de união!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nem o DB escapa

Deutsche Bank e Société Générale sob pressão para aumentar fundos após testes de stress

19 Julho 2011 | 11:15

Dos 90 bancos avaliados pela Autoridade Bancária Europeia' date=' oito registaram um core tier one inferior a 5%, ou seja chumbaram nos testes, e 16 instituições tiveram um core tier one entre 5% e 6%

O [b']Deutsche Bank, Royal Bank of Scotland, Société Générale e o Unicredit poderão ser pressionados a aumentar o capital, de modo a travar os receios dos investidores, depois destes bancos terem apresentado rácios no limiar fixado pelos testes de resistência ao sector na Europa.

O banco alemão apresentou um Tier 1 de 6,5%, abaixo do cenário adverso dos testes de “stress”, enquanto o Royal Bank of Scotland teve um rácio de 6,3%, o Société Générale de 6,6% e o italiano Unicredit de 6,7%.

A Autoridade Bancária Europeia divulgou no final da semana passada que oito bancos europeus chumbaram nos testes de stress. Ou seja, o "core tier one" destas instituições é inferior a 5%.

Dos 90 bancos avaliados, oito registaram um core tier one inferior a 5%, ou seja chumbaram nos testes, e 16 instituições tiveram um core tier one entre 5% e 6%.

“Se assistirmos a incumprimento soberano, muitos dos maiores bancos como o Deutsche Bank, o SG e o RBS vão precisar de novo capital. Estes bancos deveriam fortalecer a sua base de capital para travar as preocupações dos investidores”, afirmo Espen Furnes, gestor de activos do storebrand Asset Management, em declarações à Bloomberg.

...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor