Absolom

Alerta muitissimo importante!

3 publicações neste tópico

Caros "colegas", fiz questão de me registar no fórum apenas para partilhar com vocês uma situação que ocorre frequentemente mas julgo ser pouco divulgada, pois a grande maioria não se apercebe do sucedido.

Vou dar o meu exemplo prático, julgado tornar-se mais perceptível o que eu quero transmitir.

Celebrei a 4 de Agosto um crédito habitação com o Santander Totta e pedi um capital de 107.000,00€, a pagar em 480 meses, com taxa swap a 5 anos a 4,862% + 0,5 spread perfazendo uma taxa fixa de 5,362% nos primeiros 5 anos de prestações dando uma prestação mensal de 544,40€. A primeira prestação que paguei foi no dia 2 deste mês (Outubro), e foi-me cobrado um total de 992,71€ correspondente a 1 mês e 25 dias. Qual é o meu espanto quando verifico que nesta primeira prestação paguei um total de 64,04€ de capital em divida e os restantes 928,67€ foram para juros. Segundo o plano de amortizações (no qual me auxiliei do simulador facultado neste site) efectivamente na primeira prestação eu devia amortizar 64,04€ do capital em divida, mas isto caso paga-se apenas o valor de uma prestação mensal, que seria 544,40€, ao invés dos 992,71€ que paguei Resumindo, cobraram-me 25 dias de uma prestação mensal a mais (448,31€) dissimulados em juros.

Mais grave do que me terem cobrado a mim, pois podia ser um engano, é eu ter constatado que o BPI fez exactamente a mesma coisa a um amigo meu de longa data. Foi uma situação idêntica à minha. Eu já estava sob aviso, pois sabia do sucedido com este meu amigo, mas fiquei espantado ao acontecer-me a mesma coisa. Na altura o meu amigo queixou-se à DECO sendo que esta informou que havia várias queixas nesse sentido.

Resumindo, é uma situação simples de perceber mas que nem todos se apercebem. Fiquem alerta e verifiquem se não vos aconteceu a mesma coisa.

Eu segunda-feira próxima vou começar a lutar pelo ressarcir de 448,31€ cobrados indevidamente.

Saudações.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu segunda-feira próxima vou começar a lutar pelo ressarcir de 448,31€ cobrados indevidamente.

Atenção antes de te meteres numa batalha perdida. Esse dinheiro não foi indevidamente cobrado: pelo que percebi o banco pôs-te o dinheiro à disposição para pagar a casa em Agosto e tu só pagaste 1 mês e 25 dias depois. Nesse caso devias efectivamente o montante correspondente de juros.

Aquilo contra que eventualmente podes argumentar é contra o facto de o banco ter demorado 1 mês e 25 dias a cobrar a primeira prestação. Porque não foi cobrada uma prestação no início de Setembro? Se isso foi feito com o teu acordo, acho que só podes fazer uma reclamação genérica ao Banco de Portugal contra esta prática dos bancos. Se não tinha sido definido quando seria paga a primeira prestação, podes sempre tentar argumentar que o banco ta devia ter cobrado em Setembro e, por não o ter feito, estás a dever mais dinheiro do que devias nesta altura (com o consequente impacto que isso tem sobre os juros). Mas a diferença não serão seguramente 448,31€...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Atenção antes de te meteres numa batalha perdida. Esse dinheiro não foi indevidamente cobrado: pelo que percebi o banco pôs-te o dinheiro à disposição para pagar a casa em Agosto e tu só pagaste 1 mês e 25 dias depois.

Porque não foi cobrada uma prestação no início de Setembro? Se isso foi feito com o teu acordo, acho que só podes fazer uma reclamação genérica ao Banco de Portugal contra esta prática dos bancos.

Foi uma imposição do banco pagar a primeira prestação 1 mês e 25 dias depois, sendo-me informado que pagaria duas prestações que no caso foi 1 mês e 25 dias. Que culpa tenho eu que não me tenham cobrado a primeira prestação a 4 de Setembro? Ou então que me cobrassem duas prestações (2x 544,40€) englobando o capital em divida e os juros.

No caso falando portuguesmente, roubaram-me 448,31€ pois não me abateram 1 cêntimo de capital sobre este valor pago.

Logo na minha modesta opinião, ao contrário da sua, sinto que me foram cobrados valores indevidamente. Reforço a ideia que a DECO no caso do meu amigo, foi clara ao informar que havia imensas reclamações sobre essa prática nos diferentes bancos.

Independentemente das minhas palavras que aparentam haver firmeza e razão do meu lado, óbvio que agradeço qualquer tipo de sugestão/comentário da vossa parte, pois se estou errado, tenho de corrigir este erro, mas não me parece....

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead