José Mateus

Retenção na fonte

11 publicações neste tópico

Casei no início do ano mas a entidade patronal esqueceu-se de actualizar o escalão de retenção na fonte. Terei algum problema, ou esse dinheiro ser-me-á devolvido no acerto de contas?

Também ouvi dizer que existem pessoas que manipulam o escalão, isto é, preferem reter mais no final de cada mês para depois terem um reembolso maior no final do ano, isso é legal?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O acerto de contas vai levar isso em consideração. Claro que quanto mais depressa ficar regularizada a situação melhor.

Ilegal não sei se é. Aliás, aposto que o Estado até agradece o facto de lhe passarem o dinheiro para as mãos para o poder usar durante um ano, antes de o devolver. Não percebo as ideias de certas pessoas - era tão melhor ter esse dinheiro do nosso lado, a render... De que adianta eu pagar mais 500€ ao longo do ano para mo devolverem no ano seguinte, quando podia ter feito alguns euros de juros com esse dinheiro?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

José,

Problemas não terás, é só uma questão de acertos, no entanto devemos descontar sempre pela taxa correcta, para não haverem surpresas no fim de ano.

A lei permite que o contribuinte opte por uma taxa fixa, logo não estamos perante uma manipulação.

São opções, como tantas outras, é tipo uma "poupança sem juros".

O Estado agradece.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Onde é que está escrito na lei que podemos optar por uma taxa de retenção na fonte?

Sendo assim, as finanças não alertam a entidade patronal para o facto de o escalão estar errado, seja ele inferior ou superior ao correcto?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Essa opção está no decreto-lei 42/91, no nº 6 do artigo 18º, que diz o seguinte:

"Os titulares dos rendimentos das categorias A e H podem optar pela retenção de IRS mediante uma taxa inteira superior à que lhes é imputável segundo as tabelas de retenção, com o limite de 40%, em declaração a apresentar para o efeito à entidade pagadora dos rendimentos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pauloaguia  :)

"Não percebo as ideias de certas pessoas - era tão melhor ter esse dinheiro do nosso lado, a render..."

Percebo-te perfeitamente.

Aqui está uma ilusão que muitas pessoas sentem.

Como dizes, o dinheirinho quanto mais depressa do nosso lado, melhor.  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1- Terá, obrigatoriamente, que descontar à taxa correspondente na tabela ou mais, a administração fiscal controla isso! Se descontar mais, eles não se importam mas se desconta menos podem-lhe exigir a diferença mensal com juros e, eventualmente, a substituição da declaração modelo 3.

2- É um perfeito disparate descontar mais para, passado quase 1 ano :o, voltar a recebê-lo!!! É preferível investir o excedente salarial num instrumento que renda juro. É que a retenção do salário de Janeiro/2008 só o vai receber lá para Setembro/2009 sem juros!! Se a questão é não querer pagar uma factura elevada de IRS na liquidação em Agosto...sempre pode pedir o seu pagamento em prestações ao chefe de finanças.

Na questão inicial, a entidade empregadora deve calcular o "acerto" das retenções desde o momento em que casou e entregar ao Estado, na declaração de retenções de IRS, uma quantia que que, passe a redundância, acerte as suas contas com o fisco.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho uma dúvida acerca de retenção na fonte, espero que alguém me saiba elucidar.

O meu vencimento varia de acordo com o número de horas extra que faço e assim as taxas de retenção na fonte variam todos os meses também. Por vezes ultrapasso um "limite" por apenas alguns €€€ e subo de escalão, i.e.,parece-me que estou a trabalhar mais e nem por isso ganho mais... Vale a pena "controlar" as horas extra e tentar ficar uns €€€ abaixo do limite? Ainda não percebi se isso só se nota no final do mês (recebo menos) mas no final do ano vai dar ao mesmo (recebo mais nos acertos?) mas talvez o ideal seja tentar perceber a partir de que valor acima do limite é que compensa. Ou tou a complicar? :)

Por exemplo:

- Até 3030€ a taxa aplicável são 21%

  1. Se receber 3029,99€ desconto em IRS - 636€

  2. Se receber 3030,01£ desconto em IRS - 666€

  - Logo só vale a pena subir de escalão se ultrapassar os 3060€! Ou tou a trocar-me todo? É que ainda parto a cabeça todos os meses a tentar controlar isto e acho que não é necessário....

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho uma dúvida acerca de retenção na fonte, espero que alguém me saiba elucidar.

O meu vencimento varia de acordo com o número de horas extra que faço e assim as taxas de retenção na fonte variam todos os meses também. Por vezes ultrapasso um "limite" por apenas alguns €€€ e subo de escalão, i.e.,parece-me que estou a trabalhar mais e nem por isso ganho mais... Vale a pena "controlar" as horas extra e tentar ficar uns €€€ abaixo do limite? Ainda não percebi se isso só se nota no final do mês (recebo menos) mas no final do ano vai dar ao mesmo (recebo mais nos acertos?) mas talvez o ideal seja tentar perceber a partir de que valor acima do limite é que compensa. Ou tou a complicar? :)

Por exemplo:

- Até 3030€ a taxa aplicável são 21%

  1. Se receber 3029,99€ desconto em IRS - 636€

  2. Se receber 3030,01£ desconto em IRS - 666€

  - Logo só vale a pena subir de escalão se ultrapassar os 3060€! Ou tou a trocar-me todo? É que ainda parto a cabeça todos os meses a tentar controlar isto e acho que não é necessário....

O que pagares a "mais" agora, por causa da mudança de escalão, receberás no final do ano quando o Fisco fizer as contas com todos os rendimentos do agregado familiar, subtarindo as retenções na fonte e as deduções específicas.

A existência de escalões provoca, inevitavelmente, situações deste género. Se trabalhares menos, é claro que descontas menos, mas também recebes menos  ;) Acho que o problema está no tempo que o Estado tem o teu dinheirinho a render, quando poderias ser tu a tê-lo....

Penso que não há nada a fazer, a não ser que o que ganhas a mais e que te faz mudar de escalão, não te dê jeito. Se assim for, trabalha até ao limite máximo do escalão (e nem mais um cêntimo) :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde alguém me sabe dizer qual a legislação que diz que temos de fazer as retenções na fonte no escalão certo e as sanções que poderemos ter se não o fizermos.

Por exemplo se o meu marido que está desempregado começar a trabalhar e eu não declarar isso no local onde trabalho para não alterar a taxa de retenção na fonte em que coimas ou sanções posso incorrer. Queria a legislação recente que trata esta situação alguém sabe??

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead